sábado, 12 de março de 2022

Creatina é boa para ganho de massa muscular?

 Em um passado não muito distante, algumas pessoas acreditavam que tomar creatina era praticamente como utilizar esteroides e anabolizantes. Inclusive, durante um bom tempo, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) chegou a proibir a comercialização da substância no Brasil. A alegação foi de que o produto não cumpria com o que prometia e ainda poderia sobrecarregar rins e fígado.



No entanto, a falta de estudos que comprovassem essas suspeitas fez com que o órgão regulador voltasse atrás na decisão e, enfim, permitisse o uso do suplemento por aqui.  Mas, afinal, qual é a utilidade da creatina? Ela realmente ajuda a ganhar massa muscular ou seus benefícios não são tão relevantes assim?

Segundo o assessor esportivo, Leandro Twin, “a creatina é muito conhecida, muito popular. Ela ajuda na ressíntese do ADP para ATP – adenosina difosfato para adenosina trifosfato”. Isso significa que o suplemento ajuda a manter os músculos do corpo ativos por mais tempo. Aumentando, por exemplo, a força durante o treino de musculação. E com um treinamento mais efetivo, a tendência é que o seu objetivo seja conquistado mais rápido.

Mas, engana-se quem pensa que basta tomar creatina para conseguir ganhar massa muscular. O processo de hipertrofia depende de uma série de atitudes, que vão além da suplementação. É necessário ter um bom treino, alimentar-se corretamente – ingerindo as quantidades corretas de proteínas, carboidratos e gorduras – e dedicar tempo suficiente para o descanso e a regeneração dos tecidos.

O ato de tomar creatina vai “apenas” ajudar que o seu treino seja mais efetivo. Mas, caso você não cumpra todos os outros requisitos para ganhar massa muscular, não vai adiantar muita coisa.

Para que serve a creatina

A creatina é um suplemento barato e que pode ser utilizada com diversos objetivos, servindo para:

  • Fornecer energia para as fibras musculares, evitando a fadiga muscular e favorecendo o treino de força;
  • Facilitar a recuperação muscular;
  • Melhorar o rendimento durante a prática da atividade física;
  • Aumentar o volume muscular, pois promove o acúmulo de líquido dentro das células;
  • Promover o ganho de massa muscular livre de gordura.

Além de possuir benefícios relacionados à atividade física, alguns estudos também indicam que a creatina possui função neuroprotetora, prevenindo e reduzindo a gravidade de doenças neurodegenerativas, como doença de Parkinson, doença de Huntington e distrofia muscular.

Além disso, esse suplemento também pode ter efeitos positivos e benefícios quando usados como forma de complementar o tratamento da diabetes, osteoartrite, fibromialgia, isquemia cerebral e cardíaca e depressão. 

Como tomar creatina

No entanto, se você já adotou o estilo de vida fitness, não falta aos treinos, mantém uma boa alimentação e quer turbinar seus resultados, a creatina costuma ser uma ótima aliada. A substância até pode ser encontrada na alimentação, principalmente na carne bovina. Porém, para suprir as necessidades de quem pretende ganhar massa muscular, é necessário ingerir uma quantidade gigantesca de carne vermelha. Algo que seria totalmente contraproducente e nada saudável.

A dose recomendada pelos especialistas costuma variar de 5g a 20g de creatina por dia. Tudo vai depender das condições e individualidades de cada pessoa. “Os estudos mostram que isso é o suficiente para abastecer o corpo de creatina e que a utilização do produto por dois ou três meses consecutivos é desnecessária, pois não haverá melhora no desempenho esportivo”, explica Érico Caperuto, professor de educação física e mestre em fisiologia.

Vale lembrar que, para tomar creatina de maneira segura e eficiente, é necessário consultar um profissional de nutrição, para que ele avalie se realmente existe a necessidade de suplementar e qual é a dose mais indicada.

Gostou do artigo, comente abaixo e tire suas dúvidas.

Fonte: Sport Life

Link: https:// creatina, suplemento para ganho de massa muscular,Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária),  rins e fígadosuplemento

Nenhum comentário:

Postar um comentário