sexta-feira, 30 de julho de 2021

SPIRULINA, UM SUPLEMENTO QUE TRAZ MUITOS BENEFÍCIOS, CONFIRA!

 

Já ouviu falar em spirulina? O nome é complicado, mas os benefícios desse alimento são inúmeros, desde prevenir algumas doenças até ajudar no emagrecimento.

Apesar de ser conhecida como alga azul, ela é, na verdade, uma cianobactéria. Nesse texto, falaremos um pouco mais sobre ela e vamos entender porque ela foi eleita pela OMS como o alimento do milênio.



Spirulina: o que é e qual a sua composição?

Como dissemos acima, a spirulina já foi considerada uma alga, mas notou-se que ela não tem nenhuma relação filogenética com esse grupo. Hoje em dia, já se sabe que ela, na verdade, é uma cianobactéria, que são organismos procariotos fotossintetizantes. (1)

Um grande número de compostos que fazem parte das cianobactérias tem um valor comercial alto. Isso acontece porque esses compostos são usados para diversos fins e atividades, como: biopigmentos e antioxidantes, fármacos, exopolissacarídeos, marcadores fluorescentes, enzimas e outros nutrientes, como proteínas e vitaminas, e alguns minerais, carboidratos e lipídios. (1)

A spirulina é uma fonte rica em proteínas (cerca de 70% da sua composição) e, por isso, é uma ótima opção para quem tem uma dieta restrita quando se trata de produtos de origem animal. (1,2)

Fora a proteína, ela é composta por antioxidantes que auxiliam no combate aos radicais livres, também possui vitaminas como B1, A e E, além de minerais como magnésio, betacaroteno, manganês e ferro – esses minerais são encontrados em menos quantidade em legumes e frutas. (2)

Combate à anemia:

Segundo estudos, os pacientes que incluíram spirulina na dieta tiveram um aumento constante dos valores médios de hemoglobina corpuscular média. Fora isso, o volume e a concentração de hemoglobina corpuscular média também aumentaram. Por conta disso, foi constatado que a spirulina pode melhorar a anemia e a imunossenescência (que é a deterioração natural do sistema imunológico por conta do envelhecimento) em pessoas com uma idade mais avançada. (1)

Não acaba por aí! Se formos comparar a quantidade de ferro presente no espinafre, a spirulina proporciona o dobro – bastante coisa, não é? E o ferro é capaz de aliviar cansaço, dor de cabeça e o estresse por meio do aumento da oxigenação celular.(2)

– Hipotensores:

Estudos mostraram que a spirulina pode ser uma forte aliada no tratamento e na prevenção da hipertensão. (1)

– Emagrecimento:

Sabe a sensação de saciedade? A fenilanina, presente na spirulina, proporciona essa sensação, fazendo com que a pessoa coma menos. Além disso, auxilia na desintoxicação e limpeza do organismo, tendo em vista que a sua ação depurativa acelera o metabolismo. (2)

– Prebiótico / imunomoduladores:

A spirulina ajuda também no sistema digestivo e imunológico. Segundo estudos, a spirulina estimula o corpo a produzir anticorpos e citocinas – que auxiliam a regular e mediar a resposta imunitária e inflamatória. (1)

– Antidiabetogênicos:

Para pessoas que têm diabetes, a spirulina pode ser uma mão amiga. Isso porque ela pode diminuir a glicose no sangue. (1)

 – Complemento alimentar para atletas:

A spirulina pode ser usada como suplemento alimentar, especialmente para atletas. Isso se deve ao fato de ela ser composta por mais de 70% de proteína (como já dissemos acima). Em grande quantidade, a proteína é primordial para o organismo, levando em consideração que ele não consegue produzir sozinho, apenas por meio de nutrição. (2)

– Auxilia no controle do colesterol:

Ela também é amiga do peito! Por atuar na dilatação dos vasos sanguíneos, ela diminui a pressão arterial, ajudando, assim, o coração. A spirulina também é antilipidêmica, auxiliando a prevenir e reduzir o colesterol ruim por meio dos ácidos graxos – como o ômega 3. (2,4)

– Anti-idade, antioxidante e anti-inflamatória:

Por conter carotenóides, tocoferóis, compostos fenólicos e mais alguns compostos, a spirulina tem ação antioxidante em nosso organismo, combatendo os radicais livres e prevenindo o envelhecimento das células. (1,3) Por conta disso, ela também é aliada no processo anti-idade e anti-inflamatório, por conseguir ajudar na recuperação de processos inflamatórios. Seus outros componentes, como vitaminas e minerais, ajudam na estimulação da renovação do cabelo, das unhas e da pele. E tem mais, ela também pode prevenir doenças degenerativas. (2)

Como incluir a Spirulina na alimentação

Além de consumi-la em forma de suplemento alimentar, é possível preparar receitas com ela, como maioneses, já que a spirulina pode substituir a gema do ovo. (4) Também pode ser preparada em forma de patê. (2)

Antes de introduzir um novo tipo de alimento, suplemento ou hábito em sua rotina, é fundamental consultar um especialista da área. Só ele poderá te auxiliar em qual será a maneira correta de utilizar qualquer suplementação.

Já usou? Foi bom para você? Qual a indicação que você teve?

Compartilhe aqui.

Patrícia Mendes


SITE: VITAL ATMAN

LINK; https:// spirulina, suplemento, suplemento para emagrecer, suplemento alimentar,anemia, hipotensor,colesterol, anti inflamatório,prebiótico, antidiabetogênico

terça-feira, 27 de julho de 2021

Receita de Cuzcuz Salgado

 

Uma receita muito boa para lanches ou para almoço.



Cuscuz

Ingredientes:

2 colheres de sopa de óleo

1 cebola média picada

5 tomates picados

100g de vagens picadas

1 lata de milho

1/2 pimentão vermelho picado

1/2 pimentão verde picado

1/3 de xícara de chá de azeitonas pretas picadas

1/2 lata de palmito picado

1/2 lata de ervilha

200g de farinha de milho

1 colher de sopa de farinha de mandioca

salsa e sal a gosto

 

Modo de preparo:

Decore uma forma redonda com buraco no meio com algumas azeitonas,

fatias de tomate e palmito. Numa panela, refogue a cebola no óleo.

Acrescente os tomates e deixe ferver até desmanchar.

Junte o milho e as vagens, os pimentões e o sal. Misture bem.

Despeje 2 xícaras de chá de água e deixe cozinhar até amaciar os legumes.

Coloque a salsa, as azeitonas, o palmito e as ervilhas.

Acrescente a farinha aos poucos, mexendo até virar um angu.

Coloque na forma cuidadosamente e aperte bem. Desenforme e sirva.

Gostou? Compartilhe!

Patrícia Mendes

Nutricionista


Link: https:// Cuscuz

Ingredientes:

2 colheres de sopa de óleo

1 cebola média picada

5 tomates picados

100g de vagens picadas

1 lata de milho

1/2 pimentão vermelho picado

1/2 pimentão verde picado

1/3 de xícara de chá de azeitonas pretas picadas

1/2 lata de palmito picado

1/2 lata de ervilha

200g de farinha de milho

1 colher de sopa de farinha de mandioca

salsa e sal a gosto

 

Modo de preparo:

Decore uma forma redonda com buraco no meio com algumas azeitonas,

fatias de tomate e palmito. Numa panela, refogue a cebola no óleo.

Acrescente os tomates e deixe ferver até desmanchar.

Junte o milho e as vagens, os pimentões e o sal. Misture bem.

Despeje 2 xícaras de chá de água e deixe cozinhar até amaciar os legumes.

Coloque a salsa, as azeitonas, o palmito e as ervilhas.

Acrescente a farinha aos poucos, mexendo até virar um angu.

Coloque na forma cuidadosamente e aperte bem. Desenforme e sirva.

 

 

Cuscuz Ingredientes: 2 colheres de sopa de óleo 1 cebola média picada 5 tomates picados 100g de vagens picadas 1 lata de milho 1/2 pimentão vermelho picado 1/2 pimentão verde picado 1/3 de xícara de chá de azeitonas pretas picadas 1/2 lata de palmito picado 1/2 lata de ervilha 200g de farinha de milho 1 colher de sopa de farinha de mandioca salsa e sal a gosto Modo de preparo: Decore uma forma redonda com buraco no meio com algumas azeitonas, fatias de tomate e palmito. Numa panela, refogue a cebola no óleo. Acrescente os tomates e deixe ferver até desmanchar. Junte o milho e as vagens, os pimentões e o sal. Misture bem. Despeje 2 xícaras de chá de água e deixe cozinhar até amaciar os legumes. Coloque a salsa, as azeitonas, o palmito e as ervilhas. Acrescente a farinha aos poucos, mexendo até virar um angu. Coloque na forma cuidadosamente e aperte bem. Desenforme e sirva.

sábado, 24 de julho de 2021

O que a Pandemia tem causado nos idosos!

 

pandemia do novo coronavírus trouxe mudanças de certa forma abruptas em nossas vidas. O home office foi aplicado na rotina da maioria dos trabalhadores, professores e alunos tiveram que se adaptar ao ensino remoto e as pessoas precisam se isolar dentro de casa, muitas vezes sozinhas.

O isolamento talvez seja a parte mais difícil de todo esse processo, principalmente para os idosos, grupo de risco na pandemia. Sem ter contato com familiares e, na maioria das vezes, aposentadas, as pessoas com mais de 65 anos se tornaram mais vulneráveis não só ao vírus, mas aos problemas psicológicos.



Para a psiquiatra e presidente da Associação Psiquiátrica de Brasília (APBr), Renata Nayara Figueiredo, o isolamento e o distanciamento social impostos pela pandemia apenas intensificaram o sentimento de solidão. “Muitos idosos já estavam sem contato social por viverem em casas de repouso ou até por não trabalharem mais”, complementa.

Renata ressalta que o estresse psicológico pode ter um impacto na saúde física das pessoas na terceira idade, que também precisam de atenção. “Ao mesmo tempo em que protege o idoso da Covid-19, o isolamento pode contribuir para redução da resposta imunológica do corpo, ao colocá-lo sob uma condição estressante, aumentando assim o risco de doenças vasculares”, explica.

A psiquiatra ainda alerta para um risco maior de dependências químicas, transtornos psicológicos e tentativas de suicídio nesse grupo. “A incerteza com o futuro e o aumento de tempo ocioso, podem desencadear o crescimento no consumo de álcool, falta de motivação, depressão, transtorno de ansiedade e pensamentos suicidas. A cada duas tentativas de suicídio em idosos, uma evolui para óbito”, taxa extremamente maior que na população geral.

Adaptando a rotina

Para melhorar e evitar esses quadros psicológicos, a médica psiquiatra fala que é de suma importância que a família sempre esteja atenta ao comportamento do idoso, e pede para que os parentes tentem diferentes formas de continuar a interação com os mais velhos. “Ligar todos os dias, nem que seja por 10 minutos, já ajuda. Às vezes pode ser preciso ir atrás de um cuidador, para que se tenha uma melhor visão da saúde da pessoa”, diz.

Por mais que a rotina não seja a mesma, a especialista recomenda que a família ajude os idosos a adaptarem o seu dia a dia em tempos de isolamento. “Continuar com uma alimentação saudável, realizar atividades físicas, mesmo que dentro de casa, fazer videochamadas com todos da família, são formas de manter a saúde física e mental mesmo sem contato físico”, pontua. Interromper outros tratamentos médicos não pode ser uma opção, e a psiquiatra fala para os familiares recorrerem à telemedicina.

Dra Renata, por fim, lista uma série de queixas que devem ter um cuidado, como: falta de apetite, dores no corpo, dificuldade para dormir, irritabilidade, insônia, falta de memória, preocupações com a morte e sensação que é um fardo para os outros. “Esses sinais precisam de atenção, e é recomendável procurar um psiquiatra e um psicólogo, para uma melhor avaliação”, conclui.

Psicoterapia

Milena Silva, doutora em psicologia do desenvolvimento humano e professora do CEUB destaca que a psicoterapia de idosos é muito importante, por dois motivos. Segundo ela, o primeiro serve para proteger a população idosa que começa a sentir o declínio do envelhecimento natural, isso vai demandar algumas mudanças significativas como, por exemplo, saída do emprego, provavelmente uma mudança de local na família, mudança nas relações sociais, porque o idoso sai de alguns espaços muito importantes para ele, como trabalho e também das perdas que são muito comuns nesta fase, algo mais sentido com o isolamento social.

“O idoso precisa ser reorganizado, se reconectar com a sua identidade. E agora dentro de um novo contexto, de uma nova demanda de vida”, afirma a especialista. Ela continua: “a psicoterapia possibilita trabalhar de maneira geral, temáticas como autonomia, saúde física e mental, socialização e entre outras questões”.

Em resumo, a psicóloga explica que é reforçado para o idoso a importância das relações afetivas, sejam sexuais, com familiares e amigos, ainda mais em tempos de isolamento.

Você tem alguém na família que está tendo esses problemas? Comente aqui.

Fonte: Sport Life

Link: https:// idoso, pandemia, isolamento social, ansiedade, insônia, tristeza, psicologia, depressão, perda de memória

sexta-feira, 23 de julho de 2021

Cuidados com alimentação no Inverno!

 

Os dias frios são um convite à preguiça, né? A gente passa mais tempo embaixo das cobertas, não tem vontade de sair de casa e muito menos de praticar atividade física. É nessa “lei do menor esforço” que os cuidados com a alimentação no inverno também podem desandar.

Se você sente muita fome nessa época, ou sofre para comer vegetais frescos, a tendência é trocar o frango grelhado com salada por uma lasanha bem quentinha. Só não pode exagerar.

Hoje, vamos tirar algumas dúvidas sobre alimentação e saúde na estação mais fria do ano. Veja algumas dicas para montar uma rotina mais saudável!



Gordura e carboidrato no inverno


Durante o inverno, é comum aumentar o consumo de comidas calóricas, ricas em gordura e carboidrato. O que pode representar um perigo para a saúde, visto que os problemas com a alimentação acontecem em paralelo à falta de atividade física, também comum nesta época.

Que tal saber um pouco mais sobre a gordura e carboidrato? Confira abaixo suas definições e como agem no corpo humano.

O que é gordura?

As gorduras são importantes macronutrientes que compõem o metabolismo. No geral, elas devem fazer parte de 15% a 30% do valor energético diário recomendado, podendo variar de acordo com cada perfil metabólico e o nível de atividade física. Esses macronutrientes são responsáveis pelo transporte de vitaminas lipossolúveis, como A, E, D e K, e atuam como fonte e reserva de energia.

Os principais tipos de gordura são insaturada, saturada e trans. A primeira é o tipo mais saudável, responsável por elevar o colesterol bom e prevenir doenças do coração. O excesso de gorduras saturadas e trans pode causar problemas cardiovasculares, diabetes, pressão alta e portanto, por isso o consumo desses tipos de gordura deve ser limitado.

Mas, como as gorduras agem no corpo humano? Elas tendem a ficar armazenadas em reservas corporais para serem usadas nos momentos oportunos. Contudo, seu excesso pode ocasionar alguns problemas de saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, a obesidade é o principal problema causado pelo consumo exagerado da substância. Por isso, atualmente, é pauta presente em ações de políticas públicas para promoção da saúde.

Análises realizadas pelo Ministério da Saúde mostram que, nas últimas décadas, o número de pessoas obesas quase triplicou. Quando falamos de crianças e adolescentes, a quantidade é cinco vezes maior.

O que são carboidratos?

Os carboidratos são biomoléculas responsáveis por fornecer a energia que o corpo precisa para exercer suas atividades ao longo do dia. Eles estão presentes na composição da parede celular e na formação de ácidos nucleicos. De acordo com o Ministério da Saúde, os carboidratos evitam que os tecidos das proteínas sejam utilizados para fornecer energia, assim impede o seu comprometimento e funcionalidade.

Esses açúcares são divididos em dois grupos, os simples e complexos. O primeiro pode ser encontrado em alimentos como o mel, doces e biscoitos, e são digeridos de forma mais rápida.

Quando consumido em excesso, os carboidratos simples podem levar ao aumento do acúmulo de gordura e dos níveis de triglicerídeos no sangue, além de favorecer a predisposição do diabetes.

Já os carboidratos complexos, demoram mais para serem digeridos, e estão presentes no arroz integral, na batata doce, cereais integrais, entre outros. Os carboidratos complexos acompanham as fibras na composição dos alimentos e por esse motivo, o seu consumo é recomendado. Ou seja, estará gerando saciedade e, consequentemente, contribuindo para o emagrecimento. Além de gerar energia.

Agora vamos saber um pouco mais sobre os exercícios físicos na época mais fria do ano. 

ATIVIDADE FÍSICA

Como já sabemos, os cuidados com a saúde não estão restritos à alimentação. Pelo contrário, são formados pela combinação de diversos fatores, entre eles está a atividade física. Dados do Sistema Único de Saúde (SUS) mostram que 15% das internações acontecem por causa do sedentarismo.

Mesmo assim, o inverno pode não ser tão atrativo para realizar essas atividades. E, acaba exigindo um maior esforço para sair da cama e mexer o corpo.

Por isso, vale ressaltar que mesmo durante a época mais fria do ano, é necessário praticar atividade física regularmente. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que um adulto pratique, em média, 30 minutos por dia. Confira alguns de seus benefícios:

  • Reduz o risco de doenças cardiovasculares;
  • Auxilia no controle da pressão arterial;
  • Melhora o humor;
  • Ajuda na qualidade do sono e melhora a insônia;
  • Ajuda no controle do peso.

Algumas dicas podem ajudar a manter o corpo ativo durante o inverno, como escolher um esporte que você goste e o horário mais agradável, praticar com algum amigo e respeitar o limite do seu corpo.   

Principais dúvidas sobre saúde e alimentação no inverno

É comum sentir mais fome no frio?

Sim. Com as temperaturas baixas, o corpo precisa gastar mais energia para se manter aquecido. Nossos estoques de glicogênio se esgotam rapidamente e, por isso, o organismo envia sinais de fome com mais frequência.

O corpo gasta mais calorias?

Gastamos mais calorias porque precisamos delas para manter o corpo aquecido. Isso não quer dizer que você vai emagrecer milagrosamente, geralmente, a diferença não é perceptível. Por isso, os cuidados com a alimentação devem ser mantidos, como já falamos anteriormente.

Tomar sorvete ou água gelada causa gripe?

Mito. Bebidas e sobremesas geladas não são suficientes para causar gripes ou resfriados. Porém, durante o inverno, pode não ser agradável consumir alimentos frios.

O corpo fica mais vulnerável às doenças no inverno?

Há doenças sazonais durante todo o ano. Porém, durante o inverno, as condições climáticas podem afetar nosso sistema de defesa. Segundo o estudo Low ambient humidity impairs barrier function and innate resistance against influenza infection, publicado pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, a baixa umidade do ar desidrata o muco presente no nariz e na garganta. E, com essa barreira natural enfraquecida, abre-se passagem para microrganismos que causam infecções respiratórias.

Bebidas quentes ajudam a manter o corpo saudável?

As bebidas quentes ajudam a manter o corpo aquecido. O importante é escolher opções que sejam nutritivas e saudáveis, como os chás. Os caldos também são bastante consumidos nesta época do ano, mas cuidado ao escolher os ingredientes.

Podemos diminuir o consumo de frutas? 

Não! As frutas contêm vitaminas e fibras essenciais para o bom funcionamento do organismo. O consumo regular ajuda na promoção da saúde e ainda promove saciedade. Opte pelas frutas da época, geralmente estão em melhor qualidade e são mais fáceis de encontrar.

FONTE: SELEÇÕES

LINK: HTTPS:// organização mundial da saúde, OMS, atividade física, alimentação no inverno, SUS, Ministério da Saúde, diabetes, gordura saturada


terça-feira, 20 de julho de 2021

Receita de Sopa de Couve -flor

 🥣 Hoje eu trouxe uma receita  deliciosa e prática para você se aquecer nessas noites mais frias e continuar firme no seu projeto de perda de peso!



📝 Anota aí a receita!

Ingredientes:
☑️1 maço médio de couve-flor
☑️1/2 cebola picada em cubos
☑️3 dentes de alho picado
☑️3 folhas de couve manteiga
☑️Bacon artesanal (opcional)
☑️Noz moscada a gosto
☑️Sal e pimenta do reino a gosto

 Modo de preparo:

Cozinhe a couve-flor no vapor e quando ela já estiver bem macia bata 

no processador ou liquidificador com 200 ml de água ou caldo de legumes caseiro. 

Não coloque muito líquido para o seu caldo não ficar aguado!

Em uma panela, refogue a cebola e o alho junto com o bacon,se você 

optou por utilizá-lo. Depois, junte a couve manteiga e refogue bem. 

Em seguida, junte o creme de couve-flor. 

Nessa hora você irá decidir se quer o seu caldo mais cremoso ou um 

pouco mais ralo. 

Por fim, acerte o sal, a pimenta do reino e tempere com noz moscada.

 

📌Ah, não esqueça de compartilhar essa receita com seus amigos!

 

Link: Https://nuttrisaude, sopalight, sopafit, sopalowcarb, receitalight, 

culinariagostosa, emagrecernoinverno, opcaoparajantar, nutricriativa, 

perderpesocomsaude, lowcarb, cardapiogostoso, dietavariada


domingo, 18 de julho de 2021

Pré-diabetes; confira hábitos saudáveis para controlar a doença

 O diabetes tipo 2, que é a forma mais diagnosticada no mundo, é perigoso e pode trazer complicações para o organismo, como cegueira, problemas renais e cardiovasculares.  



Grande parte das pessoas que desenvolvem a doença já passaram pela condição de pré- diabetes, que ocorre quando o indivíduo apresenta valores de glicose no sangue alterados, mas não suficientemente altos para caracterizar o diabetes. 

De acordo com uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) em parceria com o laboratório Abbott, apenas 30% dos pacientes tinham informações sobre essa condição.

É importante ressaltar que 50% dos pacientes provavelmente irão desenvolver o diabetes, no entanto, quando a condição é diagnosticada previamente, há grandes chances de revertê-la ou retardar sua evolução. 

Segundo o clínico geral, o pré-diabetes não costuma provocar as complicações renais, visuais ou neurológicas que o diabetes em si pode trazer com o tempo. Entretanto, ocorre um risco maior no desenvolvimento de complicações cardiocirculatórias, como o infarto e o acidente vascular cerebral. 

“Além disso, proporciona, principalmente, um risco extremamente elevado de desenvolver o próprio diabetes”, avisa o especialista. 

Hoje, mais de 40 milhões de brasileiros se encontram nessa condição, mas a boa notícia é que é possível evitar a doença ou, pelo menos, retardar o seu avanço,  combatendo os fatores de risco. Ou seja: é preciso atenção redobrada aos hábitos de vida, como alimentação e prática de exercícios físicos. 

Mude seus hábitos 

Tanto para prevenir qualquer descontrole na glicemia quanto para sair da condição de pré-diabético, manter uma alimentação balanceada e adotar a prática de atividades físicas é fundamental. 

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), pessoas que adquirem novos hábitos no estilo de vida, como a atividade física regular, resultando em diminuição de 5% a 10% no peso corporal, ajudam a, no mínimo, retardar o aparecimento do diabetes. 

Portanto, a recomendação é: baixar o número na balança. “O principal fator que leva um indivíduo a esse estado é a obesidade, que faz com que a insulina atue de uma forma menos eficaz no transporte de glicose para o interior das células do corpo”, explica o médico. 

Também é importante colocar o corpo para trabalhar. Manter uma rotina de exercícios físicos, além de auxiliar no controle da glicemia, beneficia o processo de emagrecimento, além de diminuir o risco para hipertensão e infarto. 

Níveis de glicose no sangue (em jejum) 

Saudável: menor que 100mg/dl

Pré-diabético: entre 100mg/dl e 125mg/dl

Diabético: 126mg/ dl ou mais.

Fatores de risco para o pré-diabetes

O diagnóstico do pré-diabetes é simples de ser realizado, basta um exame de sangue em jejum para medir a glicose. Porém esse estado de “instalação” da doença é muitas vezes totalmente silencioso.

Por não apresentar sintomas específicos e claros, qualquer um pode ser pré-diabético e não saber, podendo desenvolver o diabetes tipo 2 em até 10 anos. Mas alguns fatores e grupos de risco devem ser destacados para a prevenção da doença: 

*Pessoas com mais de 45 anos

*Pessoas acima do peso ideal

*Sedentários

*Pressão arterial e colesterol elevados

*Histórico de doenças vasculares e diabetes na família

*Mulheres que tiveram bebês com mais de 4 kg ou diabetes gestacional

*Mulheres com síndrome dos ovários policísticos.

O pré-diabetes é uma condição silenciosa, por isso, consultas médicas devem ser feitas periodicamente para checagem das taxas de colesterol e glicemia, além da pressão arterial. 

“Se houver obesidade, é importante fazer um exame de perfil hepático, para ver se há lesão no fígado pelo tecido gorduroso, que é uma causa de cirrose. Se houver hipertensão, exames de fundo de olho e de urina são necessários. A frequência deve ser orientada pelo médico”, diz o profissional.

Por outro lado, quem já se encontra no estado de pré-diabetes deve avaliar junto ao especialista os demais fatores de risco para os órgãos alvos do diabetes e da obesidade.

Segundo o especialista, os exames incluem: um perfil glicêmico (para ver se houve progressão do quadro de diabetes); perfil lipídico (outro importante fator de risco cárdio circulatório é o colesterol); perfil hepático (verificar se há lesão do fígado pelo tecido gorduroso); aferição da pressão arterial; exame de fundo de olho e exame de urina.

“A frequência de repetição de cada exame deve ser indicada pelo profissional que acompanha o paciente”, acrescenta o clínico geral. 

Fonte: Saúde em dia

Link: https:// diabetes, pré-diabetes, sintomas do diabetes, perfil glicêmico, dieta para diabetes,diabetes tipo 2, diabetes tipo 1, controle de glicemia

quarta-feira, 14 de julho de 2021

Novo estudo revela como a perda de sono afeta o bem-estar físico e mental

 Basta três noites consecutivas de perda de sono para causar uma grande deterioração do seu bem-estar mental e físico. Um novo estudo publicado na revista Annals of Behavioral Medicine analisou as consequências de dormir menos de seis horas por oito noites consecutivas – a duração mínima do sono que os especialistas dizem ser necessária para manter a saúde ideal em adultos comuns.



O autor principal Soomi Lee, professor assistente na Escola de Estudos do Envelhecimento da Universidade do Sul da Flórida, descobriu que o maior salto nos sintomas apareceu após apenas uma noite sem dormir. O número de problemas mentais e físicos piorou continuamente, com pico no terceiro dia. Nesse ponto, a pesquisa mostra que o corpo humano se acostumou relativamente a repetidas perdas de sono. Mas tudo isso mudou no dia seis, quando os participantes relataram que a gravidade dos sintomas físicos estava no seu pior.

“Muitos de nós pensamos que podemos pagar nossa dívida de sono nos fins de semana e ser mais produtivos durante a semana”, disse Lee. “No entanto, os resultados deste estudo mostram que ter apenas uma noite sem dormir pode prejudicar significativamente o seu funcionamento diário.”

Os dados fornecidos pelo estudo Midlife in the United States incluíram quase 2.000 adultos de meia-idade que eram relativamente saudáveis ​​e com boa educação. Entre eles, 42% tiveram pelo menos uma noite de sono perdido, dormindo 1 hora e meia a menos do que suas rotinas normais. Eles registraram seus comportamentos mentais e físicos em um diário por oito dias consecutivos, permitindo aos pesquisadores revisar como a perda de sono causa desgaste e dilaceração no corpo.

Os participantes relataram um acúmulo de sentimentos de raiva, nervosismo, solidão, irritação e frustração como resultado da perda de sono. Eles também experimentaram mais sintomas físicos, como problemas respiratórios superiores, dores, problemas gastrointestinais e outros problemas de saúde. Esses sentimentos e sintomas negativos foram continuamente elevados ao longo dos dias consecutivos de perda de sono e não voltaram aos níveis basais, a menos que tivessem uma noite de sono de mais de seis horas.

Cerca de um terço dos adultos norte-americanos dormem menos de seis horas por noite. Lee diz que, uma vez que isso se torna um hábito, é cada vez mais difícil para seu corpo se recuperar totalmente da falta de sono, continuando o ciclo vicioso de piora do bem-estar diário, que pode impactar profissionalmente. Um estudo anterior liderado por Lee descobriu que perder apenas 16 minutos de sono pode afetar o desempenho no trabalho. Suas descobertas anteriores também mostram que uma pequena perda de sono pode diminuir a consciência diária, que é um recurso crítico para controlar o estresse e manter rotinas saudáveis.

Lee diz que a melhor maneira de manter um bom desempenho diário é reservar mais de seis horas para dormir todas as noites.

Fonte: Isto é

Link: https:// ansiedade, sono, sono tranquilo, bem estar, qualidade de vida, menos estresse, menos doenças, melatonina

domingo, 11 de julho de 2021

Creatina- suplemento que tem várias indicações!

 A creatina é uma substância naturalmente produzida no corpo, pelos rins e fígado, e tem como função fornecer energia para o músculo e favorecer o desenvolvimento das fibras musculares, resultando no ganho de massa muscular, melhora do desempenho físico e diminuição do risco de lesões.

Apesar de ser naturalmente produzida pelo organismo, é comum que atletas façam uso do suplemento de creatina para melhorar a performance. No entanto é importante que a suplementação seja recomendada pelo nutricionista ou médico de acordo com as necessidades nutricionais e histórico de saúde da pessoa.



A creatina participa no metabolismo do organismo e é encontrada em maior quantidade no músculo esquelético, desempenhando diversas funções no corpo, incluindo a produção de energia. Assim, a creatina naturalmente produzida no organismo e a suplementação podem servir para diversas situações, como:

1. Melhorar o desempenho na atividade física

A creatina é encontrada em maiores quantidades no músculo esquelético, fornecendo energia para as fibras musculares, evitando a fadiga e melhorando o desempenho no treino de força. Além disso, essa substância pode também estimular o aumento do volume do músculo, já que favorece a entrada de líquido nas células.

Assim, é comum que atletas do fisiculturismo, da musculação ou de esportes de alta performance façam uso da creatina na forma de suplemento com o objetivo de ter mais energia, melhorar rendimento e performance no treino e diminuir o risco de lesões. 

2. Ajudar no tratamento de doenças musculares

Alguns estudos indicaram que o uso da creatina poderia ajudar no tratamento de doenças musculares, como no caso da distrofia e fibromialgia, ajudando a melhorar a força muscular, o que influencia diretamente na capacidade para realizar movimentos do dia a dia.

No entanto, são ainda necessários mais estudos que demonstrem o benefício do uso de creatina e a dose recomendada, pois há também relatos de que o uso de altas doses de creatina por pessoas com alterações musculares levou à piora dos sintomas.

3. Prevenção do Parkinson

A doença de Parkinson está relacionada com alterações na função da mitocôndria e foi verificado que a creatina poderia atuar diretamente nessas célula, podendo resultar na melhora da sua função e prevenindo ou atrasando o avanço dos sintomas da doença. Apesar disso, são ainda necessários outros estudos que indiquem a dose diária recomendada e tempo de uso da creatina para prevenir o Parkinson.

4. Prevenção de doenças crônicas

Algumas doenças crônicas como diabetes e doenças cardíacas podem ser prevenidas pelo uso da creatina, desde que associada à prática de atividade física de forma regular e alimentação saudável e equilibrada. Isso porque a creatina pode favorecer o ganho de massa muscular livre de gordura, além de melhorar a densidade óssea, diminuindo o risco de doenças. 

Como usar

A forma mais comum de uso é a suplementação de creatina por 3 meses, em que são ingeridos cerca de 2 a 5 gramas de creatina por dia, durante 2 a 3 meses. Outra opção é a suplementação de creatina com sobrecarga, em que nos primeiros dias são tomados 0,3 g/kg de peso de creatina, devendo a dose ser dividida em 3 a 4 tomas por dia. Esse tipo de suplementação promove a saturação do músculo e, em seguida, deve-se reduzir a dose para 5 gramas por dia, por 12 semanas.

A suplementação de creatina deve ser feita sob orientação de um médico ou nutricionista e deve ser acompanhada de treino intenso e alimentação adequada. É ainda recomendado que a creatina seja tomada após o treino, junto com um carboidrato de elevado índice glicêmico, para que seja gerado um pico de insulina e, assim, poder ser usado pelo organismo com mais facilidade, o que tem mais benefícios.

Possíveis efeitos colaterais

A creatina é uma substância naturalmente produzida pelo organismo e, por isso, não está associada a efeitos colaterais. No entanto, o uso do suplemento de creatina em doses inadequadas e sem a devida orientação do médico ou do nutricionista pode comprometer o funcionamento dos rins e causar desconforto estomacal.

Além disso, outros efeitos adversos que podem surgir com o uso inadequado do suplemento, principalmente quando não se tem uma alimentação adequada, são tonturas, cãibras, aumento da pressão arterial, retenção de líquido, inchaço abdominal e diarreia, por exemplo.

Dessa forma, o uso de suplemento de creatina deve ser indicado pelo médico ou nutricionista de acordo com o histórico de saúde da pessoa, não sendo indicado com frequência para pessoas com problemas nos rins, fígado ou diabetes descompensada, pois há maior risco de efeitos adversos.

Gostou das informações?

Fonte: Tua Saúde

LINK: https:// suplementos, creatina, creatina para que serve, ganho de massa magra, mal de parkinson, fibromialgia, fisioculturismo, para que serve a creatina