terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Consumir carboidratos a noite, engorda?

Épreciso ter cuidado ao tomar decisões relacionadas à alimentação, principalmente sem a orientação de profissionais da saúde. O carboidrato é um dos nutrientes necessários para a saúde.
O especialista em metabolismo Alexis Fonseca Welker, professor de bioquímica, nutrição e fisiologia da Universidade de Brasília (UnB) fala sobre o assunto. “Toda vez que a pessoa consome um alimento com carboidrato, o organismo queima menos gordura, uma vez que ele tem ali o carboidrato como ‘combustível’ para queimar. Ou seja, quanto mais carboidrato você tem no corpo, mais seu corpo utiliza o carboidrato para gerar energia”, explica o professor.

“Quando a pessoa consome carboidrato durante o dia e pratica atividade física, saindo para se exercitar, subindo escadas, etc, ela vai acumular menos gordura. Enquanto aquele que consome e fica parado favorece um maior acúmulo de gordura. A conversão de carboidrato em glicose e posteriormente em gordura é chamada de lipogênese. Por isso algumas pessoas dizem que carboidrato à noite engorda, pois logo depois o corpo vai entrar em repouso, quando a taxa metabólica cairia. Mas na prática os estudos se contradizem e não há consenso.”
Vale lembrar que o ganho de peso está relacionado ao baixo gasto energético e à elevada ingestão de calorias ao longo do dia, e não somente à ingestão calórica no período noturno.
Na hora de buscar o peso saudável, o Ministério da Saúde aconselha focar na alimentação como um todo, durante todo o dia. O consumo de carboidrato é tão importante como legumes, verduras e proteínas. Prefira os alimentos in natura ou minimamente processados, evite os ultraprocessados e utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar.
Dietas restritivas, principalmente as que cortam o carboidrato, podem até parecer efetivas para redução de peso em curto prazo, mas fazem mal à saúde. Consumir carboidrato, principal fonte de energia para o organismo, faz parte da alimentação equilibrada e saudável. O que é preciso ter em mente é que devemos fazer várias refeições ao dia, em menores porções. O ideal é não esquecer as principais refeições (café da manhã, almoço e jantar) e fazer pequenos lanches entre as refeições. As frutas, que também contêm carboidrato e são fundamentais para a boa nutrição e funcionamento do organismo, são ótimas opções de lanche.
A quantidade de carboidrato varia de pessoa para pessoa. A necessidade diária desse nutriente será maior para um adulto que faz exercícios físicos regularmente do que para aquele que não pratica atividade física.
Outro ponto a ser levantado em conta é a necessidade de fibras, muito presente em alimentos integrais e frutas. As fibras ajudam a eliminar os resíduos e as toxinas produzidas durante a digestão, estimulam a limpeza e o funcionamento do intestino e ainda promove uma melhor absorção dos nutrientes. O consumo de arroz integral, por exemplo, seria uma boa forma de consumir carboidrato sem neuras, em qualquer momento do dia, sabendo que o alimento está fazendo um bem à saúde e não o contrário.
Finalmente lembre-se que a substituição do jantar por lanches à noite reduz o consumo diário de alimentos como arroz, feijão, legumes, verduras, entre outros, que são fontes de vitaminas, minerais e fibras e que a essa substituição é mais frequente em indivíduos com excesso de peso e não auxilia no emagrecimento.
Fonte: Lifestyle

Dia do lixo- Isto é bom?

Algumas dietas da moda incluem o já famoso ‘dia do lixo’, pausa na qual as pessoas que seguem um regime de restrição calórica alimentar podem consumir todo o tipo de alimentos que desejem, como os ricos em gordura ou açúcar. Mas será que esta atitude de quase ‘descontrole’ é realmente aconselhável?

Fazer ou não o 'dia do lixo'?
A  nutricionista , é categórica na resposta. "O dia do lixo não é válido, não é uma conduta que eu recomendo".
Um dos problemas dessa prática, é acreditar que tudo se resolve com a compensação. 
"A pessoa não pode achar que vai comer tudo e extrapolar num dia e compensar no dia seguinte, porque o nosso organismo não funciona assim. Tudo que o que ingerimos tem consequências", alerta a nutricionista.
O melhor caminho é procurar encontrar o equilíbrio. Geralmente, de pouco adianta fazer uma dieta restritiva durante a semana e não resistir e "mandar tudo pelos ares" no fim de semana.
Especialistas consultados pelo portal Byrdie também alertam para os perigos do 'dia do lixo, pois, se o alimento só é permitido nesse momento, significa que é "demonizado". O mais indicado é não cortar nada da dieta, mas adequar as quantidades.
"O ideal seria ingerir uma  a duas refeições livres por semana, ou seja, comer o que deseja, seja um doce, massa, coisas que sabemos que engordam, mas mesmo assim, não de forma exagerada, porque é muito difícil compensar depois. Eu não recomendo perder totalmente o controle, pois isso pode gerar problemas na dieta, inclusive atrapalhar na perda de peso", orienta a nutricionista.
Fonte:MSN