terça-feira, 19 de novembro de 2019

Dia do lixo, isto funciona?

Em meio a dietas restritivas, algumas pessoas permitem-se comer tudo o que quer em um dia, o famoso “dia do lixo”, quebrando o protocolo de dieta.

Tratando-se de alimento, muitas nutricionistas vão contra a expressão “dia do lixo”, porém ainda é comum ouvir o velho ditado: hoje eu posso, estou no dia do lixo.
Profissionais da saúde desestimulam esta prática e preferem que o cliente opte por uma refeição livre, assim não sobrecarrega o organismo e nem como atrapalha o objetivo, tanto de emagrecimento, manutenção de peso ou mesmo ganho de massa muscular.
Afinal, no dia do lixo é frequente a pessoa se esbaldar em doces e salgados com calorias elevadas e ricos em gorduras e sódio.
Sabe-se que o consumo regular destes alimentos que muitas vezes possuem baixo teor de nutrientes leva ao aumento de peso, alteração da glicemia, com possível desenvolvimento de diabetes, gordura no fígado, alteração nas taxas lipídicas sanguíneas, entre outros problemas.
Quanto ao efeito agudo, ou seja, o consumo em um dia destes alimentos, estudos apontam alguns prejuízos. Conheça alguns deles:
–  Leve alteração da composição corporal e Inchaço:
Dificilmente você vai ganhar gordura em apena um dia de prática do dia do lixo, porém muito provavelmente você terá retenção de líquidos, poderá ter distensão/desconforto abdominal.
Um estudo apontou que o consumo de dietas hipercalóricas (rica em gordura ou rica em carboidrato) por 2 dias levaram à leves alterações de gordura corporal vistas pela bioimpedância, um dos métodos para avaliar a composição corporal, porém estas alterações não foram significativas para serem levadas em conta na prática clínica.
– Alteração da sensibilidade insulínica:
A insulina é um hormônio que sinaliza para a entrada de glicose na célula, uma vez que ela esteja com a sensibilidade diminuída, ela altera o metabolismo da glicose, e a recorrência deste quadro pode levar à diabetes.
– Não provoca apetite compensatório, ou seja no outro dia você não estará com menos fome;
– Disponibilidade de ácidos graxos, do tipo triglicérides no sangue aumentam. O nível de triglicérides frequentemente aumentado é um fator risco de doença cardiovascular.
Fonte: Os torcedores
Na minha opinião e na minha prática clínica, eu libero apenas uma refeição no sábado ou domingo. Mas não o dia todo. Se for o dia todo pode colocar todo o sacrifício da semana  em risco. Não vale a pena!
Por outro lado, uma refeição livre tira a angústia de não poder mais comer algo que gosta. Isto funciona bem!
Patrícia Brigagão Mendes
Nutricionista

Nenhum comentário:

Postar um comentário