quarta-feira, 3 de abril de 2019

Efeitos do alcoolismo no organismo e na vida das pessoas!


De acordo com o Relatório do Status Global sobre Álcool e Saúde 2014, da Organização Mundial da Saúde, dentre a população que consome álcool, cerca de 16% das pessoas com 15 anos ou mais têm episódios de consumo pesado ​​de álcool – definido pelo relatório como “60 ou mais gramas de álcool puro pelo menos uma vez no mês anterior”. Além disso, em 2012, 5,9% de todas as mortes no mundo foram causadas pelo consumo de álcool.


A OMS afirma que o álcool pode ter muitas consequências negativas, incluindo dependência, aumento do risco de mais de 200 doenças, violência e ferimentos.
O consumo excessivo de álcool afeta o corpo de várias maneiras. De acordo com o Instituto sobre Abuso de Álcool e Alcoolismo dos Estados Unidos, as consequências para a saúde podem incluir danos no fígado, como esteatose e cirrose; problemas cardíacos como cardiomiopatia, acidente vascular cerebral e hipertensão arterial; aumento do risco de desenvolver certos tipos de câncer; enfraquecimento do sistema imunológico, alterações de humor e comportamentais.

documento com as diretrizes americanas em nutrição para o período de 2015 a 2020 recomenda que, se houver consumo de álcool, ele deve ser feito com moderação. O consumo moderado de álcool é definido como até um drinque por dia para mulheres e até dois drinques por dia para homens.

Beber álcool em pequenas quantidades de vez em quando não é preocupante. No entanto, se você acha que não pode passar um dia sem beVocê está jantando com os seus amigos e vocês pedem uma rodada de bebidas. Enquanto seus amigos param depois de um ou dois drinques, você continua. Parece que você não consegue parar de beber. Se esse for o seu caso, o comportamento pode indicar uma dependência do álcool.

A definição de consumo de baixo risco do Instituto sobre Abuso de Álcool e Alcoolismo dos Estados Unidos para mulheres é de menos do que três bebidas em um único dia e não mais do que sete doses por semana. Para homens, o instituto considera que o consumo não pode superar quatro bebidas em um único dia e não ultrapassar 14 bebidas por semana.
Para pessoas com dependência de álcool, pode ser muito difícil parar de beber de repente. Elas podem até mesmo ter o chamado delirium tremens, uma forma grave de abstinência alcoólica que causa alterações súbitas e severas no sistema nervoso ou mental, de acordo com o Medline Plus, site do governo americano que reúne informações sobre saúde. Os sintomas podem incluir delírio, tremores, irritabilidade, alucinações e mudanças rápidas de humor, entre outros.

Se você já teve dificuldade em lembrar o que aconteceu depois de uma noite de bebedeira, você já sabe que consumir álcool em grandes quantidades afeta a memória de curto prazo. De acordo com o Instituto sobre Abuso de Álcool e Alcoolismo dos Estados Unidos, algumas bebidas são suficientes para causar deficiências ​​na memória.

No trabalho, no carro, em casa e até na sua bolsa – você sempre tem uma garrafa por perto caso sinta a necessidade de beber. Esse é um sinal de dependência de álcool e indica que você provavelmente está bebendo muito.

Um estudo publicado no Jornal Europeu de Nutrição Clínica (em inglês) demonstra que existe uma correlação entre ter um excedente de gordura ao redor da cintura e o consumo de álcool. Em outras palavras, quanto mais álcool uma pessoa bebe, maior a probabilidade ela tem de ganhar peso, especialmente na região abdominal.

O enfraquecimento do sistema imunológico é uma das consequências para a saúde do abuso de álcool listado pelo Instituto sobre Abuso de Álcool e Alcoolismo dos Estados Unidos. O que acontece quando o seu sistema imunológico está comprometido? Você fica doente com mais frequência e tem mais dificuldade em combater infecções.

O álcool é um diurético, o que significa que ele estimula a micção. Se você não repor esses líquidos, seu corpo pode ficar desidratado. Isso fará com que você sinta sede e, caso não consuma água logo, pode haver consequências graves para o seu corpo, como insuficiência renal.

Beber regularmente reduz os níveis de serotonina no seu cérebro. Como essa substância ajuda a regular o humor, o excesso de álcool pode levar a mudanças abruptas em suas emoções e temperamento.

Aumento da pressão arterial, outra consequência para a saúde do abuso de álcool listado pelo Instituto sobre Abuso de Álcool e Alcoolismo dos Estados Unidos, é ruim em diversos sentidos. Pressão arterial alta pode causar derrames, ataques cardíacos, insuficiência cardíaca e renal.

Você pode cair no sono profundo mais rapidamente depois de beber, mas o álcool interrompe seu ciclo normal de sono. Ao reduzir o estágio de movimento rápido dos olhos (REM), beber muito pode deixar você cansado no dia seguinte, independentemente de quantas vezes você apertar o botão soneca.

Se você bebe para aliviar a depressão ou bebe tanto que se sente deprimido, fique atento. Estudosmostram que automutilação e suicídio são muito mais comuns entre pessoas com problemas com álcool. Novamente, isso se deve à maneira como o álcool afeta a química do cérebro, assim como aos aspectos negativos da ressaca, ansiedade, discussões com familiares ou amigos, problemas sexuais, dentre outros.

O excesso de álcool pode tornar difícil para os homens manter uma ereção. Durante um período prolongado, esta condição temporária pode transformar-se em impotência.
Além das dificuldades sexuais para homens, o consumo excessivo de álcool pode afetar os níveis de fertilidade feminina. As mulheres podem demorar mais tempo para engravidar e ter problemas menstruais se beberem demais.

Há vários recursos disponíveis para ajudar quem quer largar o vício do álcool. Se você acha que está com problemas com a bebida e está preocupado com sua saúde, comece procurando um médico.

Você também pode entrar em contato com a Alcóolicos Anônimos do Brasil, grupo de autoajuda que existe em mais de 50 países, com larga experiência no atendimento de dependentes de álcool. Há reuniões da AA em todo o país, encontre o grupo mais próximo de você.
Não hesite em pedir ajuda se o consumo de álcool estiver interferindo em sua vida.

Fontes
Organização Mundial da Saúde. “Relatório do Status Global sobre Álcool e Saúde 2014.” Organização Mundial da Saúde, 2014, http://www.who.int/substance_abuse/publications/global_alcohol_report/msb_gsr_2014_1.pdf?ua=1
Organização Mundial da Saúde. "A OMS pede aos governos que façam mais para prevenir mortes e doenças relacionadas ao álcool". Organização Mundial da Saúde, 12 de Maio de 2014, http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2014/alcohol-related-deaths-prevention/en/.



Nenhum comentário:

Postar um comentário