quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Pasta de Edamame, petisco bom para lanches!

Grão de soja ainda verde, o edamame é um vegetal fresco que traz à mesa muitos benefícios e um sabor suave. Como nesta receita que nos ajuda a petiscarmos sem culpa.


Ingredientes

1 xícara (chá) de edamame cozida
1 colher (sopa) de
tahine
1 dente de alho amassado
1 colher (sopa) de azeite
Raspas de ½ limão siciliano
Suco de ½ limão siciliano
60ml de água
1 colher (sopa) de salsinha
Sal a gosto
Pimenta a gosto
Palitos de salsão e pepino

Modo de preparo

Em um mixer, coloque o edamame cozido, tahine, alho, azeite, raspas de limão siciliano , suco de limão siciliano e bata bem até formar um creme.
Junte a água, salsinha , sal, pimenta e bata até misturar.
Transfira o
homus para um bowl e sirva acompanhado de palitos de salsão, cenoura, pimentão colorido e pepino.
Rendimento: 6 porções
Fonte: Lucília Diniz

Receita de Mix de Chips

Ingredientes

1 banana-da-terra
1 batata-doce branca
1 batata-doce roxa

Modo de preparo

Utilizando uma faca, corte a banana-da-terra, a batata-doce branca e a batata-doce roxa em fatias finas, no sentido do comprimento.
Em seguida, lave as batata e seque-as em papel toalha.
Coloque as batatas em uma forma ou no prato do micro-ondas e asse por 4 minutos.
Retire os chips do forno, vire-os e volte ao micro-ondas por mais 3 minutos.
Em seguida, leve todos os legumes ao forno a 90 graus por mais 20 minutos.
Retire do forno e sirva em seguida.
Rendimento: 6 porções
Fonte: Lucília Diniz

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Hoje, Novo vídeo no Canal Nuttry Educa sobre Nutrição em UANS.


Se você é nutricionista ou estudante de Nutrição, este vídeo tem dicas muito interessantes para quem escolhe esta área para trabalhar. Na faculdade também chama esta matéria de Produção. Isto se destina a quem quer trabalhar com comida, controle de estoque, cozinha industrial, dentro de um hotel, hospital, clínica, Spa, creche, escola, restaurante e outros.
Existem alguns detalhes neste vídeo que se diferencia de uma aula. Aqui, nós nutricionistas, damos para vocês dicas que vão utilizar com certeza no seu dia a dia nesta área.

Nosso canal tem este objetivo. Esclarecer, ensinar, dar dicas, apresentar depoimentos que vão ajudar vocês a escolherem melhor a área que querem trabalhar.

Espero vocês lá! Nos sigam, comentem, compartilhem!
Estamos fazendo isto com muito carinho para vocês!

Patrícia Brigagão Mendes
Mayra Santos
Evandra Dal Pra

sábado, 12 de outubro de 2019

Alguns sinais que podem indicar que está diabético!

Preparada para uma estatística assustadora? Mais de 30 milhões de pessoas nos EUA têm diabetes, de acordo com os Centers for Disease Control and Prevention (CDC). E pior: 25% nem imagina isso.
E não acaba por aqui, não: 84 milhões de americanos têm pré-diabetes (quase diabetes, quando os níveis de açúcar no sangue são altos, mas não altos o suficiente para diabetes) e 90% dessas pessoas não sabem que têm também, segundo o CDC.

Me lembre o que é diabetes novamente

Diabetes não é apenas uma doença. Na verdade, existem três tipos de diabetes: tipo 1, tipo 2 e diabetes gestacional. A maioria das pessoas possui diabetes do tipo 2, que acontece quando o corpo não usa bem a insulina e não consegue manter seu nível de açúcar no sangue estável, de acordo com o CDC.
O diabetes tipo 1 é muito menos comum – apenas cerca de 5% dos diabéticos têm. Ele é essencialmente uma doença auto-imune em que o corpo deixa de produzir insulina (e, como tal, não consegue regular o açúcar no sangue).
E diabetes gestacional ocorre em mulheres grávidas. Ela geralmente vai embora depois que você dá à luz, mas pode aumentar a probabilidade de desenvolver o tipo 2 mais tarde, de acordo com o National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases (NIDDK).
Todos os três tipos de diabetes podem ser facilmente detectados através de um exame de sangue. O teste, essencialmente, verifica se a glicose no sangue (também conhecida como açúcar no sangue) está muito alta. Mas esteja avisado: você não pode diagnosticar a si mesmo – nem mesmo com um medidor de glicose no sangue OTC, de acordo com o NIDDK.
“Infelizmente, muitas pessoas estão andando com diabetes ou pré-diabetes não diagnosticados. Isso porque os sintomas são super-sutis”, diz Poorani Goundan, endocrinologista do Boston Medical Center (EUA).
Esses sintomas sorrateiros de diabetes listados abaixo podem indicar que é hora de ir ao consultório do seu médico para um teste.

8 sinais que podem indicar que você tem diabetes

1. Você tem que fazer xixi o tempo todo

“Quando você tem excesso de açúcar correndo pela corrente sanguínea, seu corpo instintivamente tenta se livrar dele”, explica Mary Vouyiouklis Kellis, endocrinologista da Cleveland Clinic (EUA). “A água segue o açúcar, então você acaba tendo uma grande perda de urina”, completa.
Se você perceber que, de repente, está fazendo muito xixi e com mais frequência, sem nenhum motivo real, é hora de conversar com seu médico.

2. Você não para de beber água

Com tudo isso, a desidratação é uma possibilidade muito real. E, para piorar a situação, “alguns pacientes que não sabem que têm diabetes saciam a sede com bebidas açucaradas como refrigerante ou suco, o que aumenta o açúcar no sangue”, diz Goundan. Os sinais de desidratação incluem urina de cor escura, queda no peso (da água) e sede extrema.
Soa familiar? Converse com seu médico sobre esse possível sintoma de diabetes, especialmente se ocorrer em conjunto com muitos intervalos do banheiro.

3. Você está com mau hálito

A desidratação relacionada ao diabetes contribui para a secura da boca e para o mau hálito que pode acompanhá-lo. “Afinal, com a boca seca, não há cuspe suficiente para lavar as bactérias e equilibrar o pH da boca”, diz Kellis.
Além disso, diabetes não diagnosticada ou descontrolada pode desencadear cetose. Trata-se de um processo no qual o corpo usa gordura, em vez de glicose, como energia. “A cetose libera um subproduto químico chamado cetonas, que pode fazer seu hálito cheirar desagradavelmente doce ou frutado”, ela diz. Às vezes pode até cheirar a acetona, já que é um tipo de cetona.
A menos que você esteja em uma dieta cetogênica (que é projetada para colocá-lo em cetose), vale a pena conversar com seu médico.

4. Sua visão está ficando cada vez mais embaçada

A visão embaçada é um sintoma comum e freqüentemente ignorado em mulheres. O que diabete tem a ver com a sua visão? Kellis explica que um fluido pode se formar na lente do olho quando os níveis de açúcar aumentam. Esse fluido pode borrar a visão, causar miopia e a necessidade de usar óculos ou lentes de contatos. “Felizmente, controlar os níveis de açúcar no sangue pode clarear a visão turva”, acrescenta.

5. Suas mãos e pés adormecem muito

Neuropatia – uma condição caracterizada por dormência ou sensações estranhas, como alfinetes e agulhas em seus braços, pernas, mãos e pés – ocorre em mais da metade das pessoas com diabetes tipo 2, de acordo com uma revisão da Diabetes Care 2017.
Por que tão comum? “Diabetes reduz o fluxo sanguíneo para suas extremidades e, ao longo do tempo, danifica seus vasos sanguíneos e nervos”, diz Kellis.

6. Seus machucados levam uma eternidade para sarar

Sensação reduzida em suas extremidades torna você mais propenso a lesões. “É menos provável que você perceba um corte porque não consegue senti-lo. Isso significa que é menos provável que você cuide dele e mais provável que seja infectado”, diz Goundan.
Então, uma vez que você tenha uma lesão, o diabetes não controlado pode dificultar a cura. “Os altos níveis de açúcar no sangue fornecem um bom ambiente para o crescimento das bactérias”, aponta a profissional.
Isso porque a diabetes também é freqüentemente acompanhada de pressão alta e colesterol alto, e o acúmulo de placa resultante pode reduzir os vasos sanguíneos, reduzindo o suprimento de sangue e levando a uma cicatrização lenta.
O diabetes também pode enfraquecer as células que compõem o seu sistema imunológico – a defesa do corpo contra infecções. “Quando você tem açúcar elevado no sangue, é como atrasar o exército do seu corpo para ir para a ferida para curá-lo”, diz Kellis.

7. Você está perdendo peso sem razão

Perda de peso inexplicável pode acontecer por muitas razões, e diabetes é um deles. Goundan explica que a insulina ajuda seu corpo a mover o açúcar do sangue para as células. Com isso, quando você tem uma resistência à insulina, não obtém energia suficiente nas células, apesar de todo o açúcar que flui pelo seu corpo. “Como você não consegue obter energia suficiente a partir do açúcar, seu corpo queima sua própria gordura e músculo para obter energia”, diz Kellis. “A perda de peso pode ser bastante significativa.”
Geralmente, os médicos recomendam a visita ao médico se você perder involuntariamente entre 5 a 10 por cento do seu peso corporal ao longo de seis meses.

8. Você dorme o suficiente, mas ainda está cansada

“Os carboidratos são a principal fonte de energia do seu corpo. Mas seu corpo não pode efetivamente usar essa fonte de energia quando você tem a doença”, explica Goundan. Além disso, a desidratação relacionada ao diabetes também pode causar fadiga.
fonte: Women's Health.

Alimentos importantes para praticantes de atividade física!

Exercitar-se é fundamental para manter o bem-estar e envelhecer com mais tranquilidade. Mas focar apenas nas atividades físicas não basta: é preciso estar atento também à alimentação, para garantir que os benefícios sejam maiores e mais duradouros.
E cuidar dos dois aspectos simultaneamente, e com a mesma intensidade, torna mais fácil dar continuidade a uma boa rotina de exercícios e se atentar ao que vai ao prato, beneficiando ainda mais a qualidade de vida.

Alguns tipos de alimentos são fundamentais para assegurar tal equilíbrio. Conheça, a seguir, os quatro principais:
Carboidratos
Reservas de carboidratos no corpo, na forma de glicogênio, são uma fonte importante de energia tanto para os músculos quanto para o cérebro e o sistema nervoso - antes, durante e depois dos exercícios físicos. Em resumo, a função dos carboidratos na atividade física pode ser definida como combustível no pré, manutenção no durante e recuperação no pós.
Além disso, os carboidratos são versáteis e suportam tanto exercícios curtos e de alta intensidade (dando energia imediata) quanto os prolongados e de baixa intensidade (atendendo a uma demanda longa e em etapas). Por serem de rápida absorção e facilmente digeridos, normalmente são a primeira escolha para a alimentação complementar às atividades.
A melhor fonte de carboidratos para associar aos exercícios físicos é a batata, que tem alta concentração do nutriente e é reforçada com potássio, vitaminas do complexo B, fibras e vitamina C. Outros alimentos que fornecem boa quantidade de glicogênio são pães integrais, arroz e melancia.
Proteínas
A ingestão de proteínas aliada aos exercícios físicos, especialmente os de resistência, estimula a síntese proteica muscular, favorecendo a formação e recuperação dos tecidos para a manutenção da massa muscular. Esse efeito tem duração prolongada, de pelo menos 24 horas.
A recomendação da quantidade de proteína diária dependerá dos objetivos da atividade física, mas uma regra é comum para todos os perfis: o ideal é distribuir seu consumo em refeições feitas a cada três ou quatro horas. Também vale para as diferentes finalidades a orientação de associar às proteínas a ingestão de carboidratos, pois um ajuda a "quebrar" o outro para a absorção pelo organismo.
Boas fontes de proteínas na alimentação são carnes, leguminosas (feijão, lentilhas e grão-de-bico, por exemplo), ovos, leite e seus derivados.
Lipídios
Nada mais são do que as gorduras. O que interessa para a saúde são as gorduras boas: as insaturadas (que podem ser monoinsaturadas ou poli-insaturadas), que ajudam a manter baixo o LDL (colesterol ruim). Gorduras saturadas e trans devem ser evitadas, pois têm o efeito inverso e aumentam o LDL, fragilizando a saúde do coração e aumentando o risco de infartos e outras doenças cardíacas.
Os bons lipídios dão ao corpo energia prolongada. Durante o exercício físico, os músculos e o cérebro usam a energia dos carboidratos, mas depois acionam as calorias das gorduras para a pessoa conseguir manter o pique nos momentos imediatamente posteriores ao fim do treino.
Fontes interessantes de gorduras insaturadas são azeite de oliva, óleo de canola, abacate e oleaginosas, como as castanhas e as amêndoas (estas são monoinsaturadas), além de óleo de girassol, sementes de girassol e tofu (estas são poli-insaturadas).
Fonte: Minha Vida

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Receita de Pão de Couve Flor, fácil e rápido!

Pão fit de couve-flor


Ingredientes

1/2 couve-flor pré-cozida
2 ovos
Sal e Cebolinha à gosto

Modo de preparo

Triture a couve-flor no processador.
Junte os demais ingredientes e mexa bem.
Em uma frigideira antiaderente, jogue um fio de azeite.
Coloque a medida de 1 colher de sopa da mistura (medida para 1 fatia).
Ajeite a massa na frigideira no formato que desejar e deixe dourar bem.
Repita o processo para a outra fatia e recheie como e se quiser.
Fonte: Lucilia Diniz
Link: https://couve flor, pão fit , receita light

Quais horários melhores para comer e perder peso?

Você já deve saber que comer de forma saudável e balanceada é a chave para perder peso. Mas algum dia já imaginou que pode ter uma hora exata para você se alimentar se quer perder peso?
Um estudo recente da Universidade de Harvard (EUA) sugere que não importa quão saudável é a sua dieta. Se os lanches não conversam com seu relógio biológico, os níveis de açúcar no sangue podem saltar 18% mais do que o normal, o que é capaz de aumentar os níveis do hormônio de armazenamento de gordura, a insulina. Nada bom.
Então, quando você deve comer cada refeição e lanche se está tentando perder peso? Nós mergulhamos de cabeça em diversas pesquisas para dar a você o plano de alimentação perfeito.

Hora exata para você se alimentar se quer perder peso

Café da manhã

Enquanto a pesquisa sobre se comer o café da manhã estimula a perda de peso ainda é difusa, informações do National Weight Control Registry dão uma bela importância à primeira refeição do dia. Cerca de 80% das pessoas que perderam 13kg (e não recuperaram) declararam tomar café da manhã todo dia.
Em termos de programar todas as refeições importantes da manhã, um estudo de 2015 da Obesity descobriu que consumir um dejejum com altas quantidades de proteína entre às 6h e 9h45 teve relação com um risco reduzido de ganho de gordura corporal e menos fome ao longo do dia, quando comparado àqueles que esperaram para comer após as 10h da manhã.
“Sugiro tomar um café saudável pelo menos uma hora após acordar”, diz Jim White, da Academy of Nutrition and Dietetics. Afinal, quanto mais tempo você adiar, mais vai ficar sem os efeitos das propriedades que saciam a fome.
Além disso, uma vez que você acorda em um estado de jejum, cobrir suas reservas de glicogênio com carboidratos saudáveis, como aveia não açucarada, vai energizá-la, diz White. Dessa forma, você será mais ativa durante a primeira metade do dia, segundo ele.

Lanche da manhã

Lembre-se que o seu corpo leva entre duas e quatro horas para digerir e absorver o alimento. Mais do que isso, você está de jejum.
“Basear-se nessa janela de tempo ajuda a manter os níveis de energia e a prevenir uma queda do açúcar no sangue.”. E isso vai manter você longe de exageros no almoço.
Se está procurando por opções saudáveis de lanche, uma pesquisa apresentada no encontro anual do Institute of Food Technologists, em 2013, descobriu que as pessoas que comem um punhado de amêndoas no lanche da manhã acabam ingerindo menos calorias ao longo do dia.
Ainda assim é importante comer somente um lanche da manhã quando você está legitimamente com fome, segundo a nutricionista Betsy Opyt.

Almoço

Um estudo publicado em 2016 pelo periódico The American Journal of Clinical Nutrition acompanhou a dieta de cerca de 1.300 pessoas ao longo de 28 semanas e descobriu que quem almoçava mais cedo tinha mais sucesso na perda de peso.
A descoberta está relacionada a um estudo prévio, publicado no International Journal of Obesity. Nessa pesquisa, os participantes perderam aproximadamente 25% menos peso quando comeram após às 15h.

Lanche da tarde

perder peso

Assim como no lanche da manhã, uma boquinha à tarde duas ou quatro horas depois do almoço mantém os níveis de açúcar do seu sangue estáveis e previne que você coma demais no jantar, segundo White.
Além disso, um estudo da University of Illinois, em Chicago, nos EUA, com mulheres acima do peso, mostrou que aquelas que lancharam à tarde tenderam a ingerir muito mais frutas e vegetais ao longo do dia quando comparadas àquelas que não comeram. E isso é um bom sinal para sua meta de perder peso, já que uma pesquisa publicada em 2015 pela Harvard Medical School mostra que o aumento no consumo de frutas e vegetais tem relação com hábitos mais saudáveis.

Jantar

perder peso

Em um estudo da Brigham Young University, os pesquisadores pediram a 29 homens para pararem de comer depois das 19h por duas semanas e depois comer quando eles quisessem por outras duas semanas. Os homens comeram 244 menos calorias por dia quando pararam de comer após a hora de corte. White diz que esses resultados são porque as pessoas geralmente comem após o jantar, e não porque jantaram antes.
Outro estudo recente descobriu que quando as pessoas que usualmente comem 1/3 de suas calorias diárias entre as 18h e meia noite pararam de comer entre as 19h e 21h, perderam peso e dormiram melhor. Novamente, não é a hora em que comeram que importou, mas sim terem cortado o lanche pós-jantar. Então, se você tem que comer às 20h, só tenha certeza de que não vai espiar a geladeira depois.
Conclusão: Essa linha do tempo pode ajudá-la a fazer sua jornada de perder peso mais fácil. Contudo, se você não cumpre esses deadlines todos os dias, não se preocupe. “O importante é que você tenha uma dieta rica em frutas, vegetais e outros alimentos ricos em nutrientes. É importante também escutar os sinais da sua fome”, diz White. “Você deve comer quando sentir fome, e não raiva. Pare quando estiver satisfeita, mas não completamente cheia.”
Fonte: Women Health

domingo, 6 de outubro de 2019

Pasta de Amendoim é saudável?

Pasta de amendoim é uma daquelas coisas que basicamente todo mundo tem em sua casa. E por um bom motivo: é delicioso, combina literalmente com tudo (até cenouras, juro!), e dura para sempre. Mas se você come todo santo dia, será que isso é demais? Afinal, ele tem uma tonelada de gordura e calorias.
É importante saber que a nutrição da pasta de amendoim pode ser enganosa. A desvantagem imediata e óbvia do produto é o alto teor de calorias e gorduras.
Verifique as estatísticas para uma porção de duas colheres de sopa de pasta de amendoim sem sal:
Calorias: 191
Proteína: 7 g
Gordura: 16 g (3 g sat)
Carboidratos: 7 g
Fibra: 2 g
Açúcar: 4 g
Sódio: 5 mg

Os benefícios para a saúde da pasta de amendoim são reais

Ainda assim, não deixe que a contagem de calorias te faça parar de comer. “Nozes e pasta de amendoim costumavam ter uma má reputação há anos”, diz a nutricionista Bonnie Taub-Dix, (EUA). “Contudo, a gordura em sua comida não é o inimigo”, completa. “Na verdade, isso poderia mantê-la mais saciada e impedi-la de petiscar coisas piores.” A alta porção de proteína também ajuda neste departamento.
No entanto, tente manter o tamanho da porção de duas colheres de sopa, para que você não aumente sua contagem diária de calorias.

Pasta de amendoim para a saúde

Em termos de sua saúde geral, os estudos ligam as nuts a níveis mais baixos de colesterol, particularmente o LDL (ou o colesterol “ruim”). Os amendoins também demonstraram melhorar a saúde do coração e nivelar os níveis de açúcar no sangue, ajudando o organismo a absorver os carboidratos mais lentamente – uma vantagem importante para os diabéticos. Além disso, comer nuts como amendoim pode realmente ajudar as pessoas a manter a perda de peso ao longo do tempo e controlar sua fome e apetite.

O que procurar em uma pasta de amendoim saudável

Dito isso, muitas pastas de amendoim podem ter alto teor de açúcar, sódio ou aditivos. Portanto, a profissional recomenda verificar a lista de ingredientes, bem como o rótulo nutricional. Segundo ela, idealmente uma manteiga de amendoim saudável deve ser feita apenas com amendoim, mas quanto menor a lista de ingredientes, melhor. “Embora muitos rótulos sejam “naturais”, você ainda precisa verificar os ingredientes”, diz ela.
Fonte: Womenshealth

Dieta Detox para depois de férias, é valido?

É muito comum que após esta época do ano surja a preocupação e a dificuldade em voltar à rotina. Isto leva à ideia generalizada de que precisamos de uma solução rápida para corrigir os estragos. O detox aparece frequentemente como a solução. Mas será mesmo necessário?
O que se pretende, supostamente, com este tipo de abordagem é 'limpar', 'desintoxicar', como que fazer um 'reset à máquina'. Mas será que o nosso corpo precisa mesmo disso? Precisa e fá-lo diariamente, felizmente! O fígado, os rins, a pele, os pulmões, os sistemas gastrointestinais fazem o seu trabalho todos os dias, no sentido de manter o nosso corpo em equilíbrio, livrando-nos das substâncias indesejáveis, a que a toda a hora nos submetemos (pela comida, pela poluição, pela cosmética, pelo tabaco …. etc.) e que comprometem a saúde.
Se quer voltar à rotina, não embarque em modas e tente reestruturar as suas rotinas e hábitos. Organize-se. 
Algumas dicas, para voltar à rotina e adquirir bons hábitos alimentares:
Acrescentar:
- Mais verduras, varie e experimente novas formas de consumir os vegetais. coma-os pelo menos nas duas refeições principais;
- Mais frutas, a fruta é um dos melhores alimentos, muito ricas em vitaminas, minerais e fibras. Só não precisa de comer às toneladas;
- Coma de acordo com a sua fome. Não siga regras, no sentido de se obrigar a comer porque passaram três horas ou porque 'não se deve comer à noite'. Coma ouvindo o seu corpo. Ele diz-lhe o que precisa. Se tiver episódios de compulsão ou comer de forma descontrolada, comece a observar-se e tente entender o que sente nesses momentos. Perceber, para gerir!
- Deixe de seguir modas alimentares…
Diminuir:
- Alimentos processados, cheios de aditivos, listas intermináveis de ingredientes;
- Alimentos ricos em açúcar refinado;
- Alimentos ricos em gordura saturada (como carnes gordas, carnes processadas tipo enchidos, alimentos aos quais foi adicionado óleo de palma – ler rótulos);
- E mantenha um hábito super desintoxicante na sua vida, para sempre: o exercício físico
Estes são apenas alguns cuidados que pode ter para melhor a sua saúde, a sua forma física e a sua felicidade
Talvez incluir, em vez de só restringir, possa ser uma nova e melhor abordagem!
Fonte: MSN

domingo, 29 de setembro de 2019

Dicas para diminuir o consumo de doces!

Se você tem paladar doce e sente a necessidade de adoçar tudo, do cafezinho à salada de frutas, saiba que pode, com um pouco de disciplina e dedicação, acabar de vez com o vício que prejudica não somente o emagrecimento, como também a saúde.


Como diminuir a vontade de comer doce
Quanto mais você estimular o paladar doce, mais doce você vai querer, afirma a nutricionista . A profissional ensina 4 passos para adotar hoje mesmo e finalmente se livrar do paladar viciado em doce:
1. Comece agregando um sabor diferenciado a seus pratos com a inclusão de vegetais amargos, azedos e com sabores mais intensos. A nutricionista indica opções como: rúcula, agrião, jiló, acelga, chicória, endívia, rabanete, alho-poró, cebolinha, coentro, entre outros.
2. Consuma chás e café sem adoçar. A mudança de hábito, no início, pode ser complicada, mas a especialista orienta a ir aos poucos: a cada 3 dias reduza a quantidade de açúcar e adoçante.
3. Outra medida que ajuda a acabar com o paladar viciado em doce é consumir mais frutas ácidas e azedas, como maracujá, morango, kiwi, abacaxi, frutas vermelhas, entre outras. Você pode, inclusive, começar o dia bebendo água com limão.
4. Por fim, a nutricionista indica a inclusão no cardápio de especiarias anti-inflamatórias, como canela, alecrim, cúrcuma, pimenta rosa/preta e gengibre, por exemplo. Da mesma forma que fomos acostumados ao sabor doce desde pequenos, também podemos mudar e adaptar nosso paladar para alimentos mais ácidos, azedos e amargo, diz a profissional.
Fonte: MSN


sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Lançamento do Canal Nuttry Educa! Para estudantes e profissionais de Saúde e Nutrição

Olá Pessoal,

Mais um projeto meu que estou colocando em prática!
EU, Patrícia Mendes, junto com mais duas Nutricionistas, Mayra Santos ( São Paulo) e Evandra Dal Prá ( Paraná), juntas estamos lançando um Canal no You Tube " Nuttry Educa " e uma página no Instagran: NuttryEduca3, para falar sobre dicas, orientações, material didático desenvolvido para estudantes ou profissionais da área de saúde ou Nutrição.

Vamos lançar vídeos quinzenais , com temas variados de áreas diversas da profissão.
Espero que gostem, curtam, divulguem e se inscrevam no Canal e nos sigam no Instagran!


Link: https:// Nuttryeduca, patricia mendes, mayra santos, evandra dal prá, nutrição, estudantes, saúde, atualização, cursos de nutrição

Alimentos bons e ruins para a ansiedade!

De acordo com a profissional, quem sofre de ansiedade pode experimentar alívio dos sintomas ao incluir no cardápio opções como:

Frutas: alimentos ricos em antioxidantes como frutas vermelhas e cítricas ajudam a proteger células cerebrais, contribuindo para o bom funcionamento do sistema nervoso central. A vitamina C, também presente nesses alimentos, diminui a secreção de cortisol, hormônio liberado em situações que geram estresse e ansiedade.
Cereais integrais: por apresentarem carboidratos complexos, alimentos como arroz, aveia e trigo ajudam a manter o nível de açúcar no sangue equilibrado, fator responsável pela sensação de calma prolongada.
Proteínas vegetais: ervilha, soja, lentilha e feijão são alguns exemplos de proteínas vegetais que atuam na regulação de serotonina, conhecido como hormônio da felicidade, por promover a sensação de relaxamento e bem-estar.

Alimentos que intensificam a ansiedade

Mas como determinados alimentos ajudam a tratar a ansiedade, outros podem piorar a condição. Saiba quais são os tipos de comidas que devem ser evitadas por quem sofre com a condição:
Açúcar: quando comemos alimentos ricos em açúcar, a insulina sobre e logo temos energia. Este pico, no entanto, também cai muito rápido, agravando a ansiedade e o cansaço.
Cafeína: em excesso, a substância presente em café, refrigerante e alguns tipos de chá desregula nosso relógio biológico e aumenta o cortisol (hormônio do estresse), aumentando o nervosismo e a ansiedade.
Sódio: bastante comum em grandes quantidades em produtos industrializados e temperos prontos, o elemento aumenta adrenalina, que também leva a mais ansiedade, estresse e agitação.
Álcool: inicialmente, você pode até sentir certo relaxamento ao consumir alguma bebida alcoólica, mas o efeito é momentâneo. O álcool, na verdade, atrapalha a produção de serotonina, neurotransmissor do prazer, calma e bem-estar. Além disso, desidrata o organismo e aumenta crise de ansiedade.B-D-S Piotr Marcinski/ShutterstockGordura trans: presentes em produtos industrializados comuns, como margarina, bolachas recheadas, entre outros, elas podem, quando consumidas em excesso, piorar sintomas de ansiedade e até mesmo depressão.Fonte: MSNLink: https:// frutas vermelhas e cítricas, cortisol, bem estar, ansiedade,felicidade, crises de ansiedade,depressão

domingo, 22 de setembro de 2019

Alimentos ricos em Vitamina D

Além dos alimentos, a principal fonte desta vitamina é a sua produção na pele a partir da exposição aos raios solares.
A Vitamina D favorece a absorção do cálcio no intestino, sendo importante para fortalecer os ossos e os dentes, além de evitar diversas doenças como raquitismo, osteoporose, cancro, problemas cardíacos, diabetes e hipertensão.


Quantidade de vitamina D nos alimentos
Os alimentos ricos em vitamina D são especialmente de origem animal. A lista que se segue revela a quantidade desta vitamina por cada 100 gramas de alimento.
- Arenque fresco: 23,57 mcg;
- Salmão: 12,5 mcg;
- Ostras cruas: 8 mcg;
- Sardinhas de conserva: 6,8 mcg;
- Leite: 2 mcg;
- Fígado de galinha: 1,31 mcg;
- Ovo cozido: 1,3 mcg;
- Fígado de bovino assado: 0,4 mcg;
Apesar de terem vitamina D na sua composição, normalmente não é possível obter a quantidade necessária desta vitamina apenas a partir dos alimentos, sendo necessária a exposição ao sol (pelo menos durante 15 minutos por dia) ou a toma de  suplementos. 

Um adulto saudável deve consumir, em média, 15 mcg por dia de Vitamina D, enquanto os idosos necessitam de 20 mcg/dia.
Vitamina D para vegetarianos
A vitamina D só está presente em alimentos de origem animal, não sendo possível encontrá-la em fontes vegetais como frutas, verduras e grãos como arroz, trigo, aveia e quinoa. Desta forma, os vegans (que não consomem ovos, leite e derivados) necessitam de obter a sua dose de vitamina D expondo-se aos raios solares ou por meio de suplementação prescrita pelo médico ou por um nutricionista. 
Fonte: Lifestyle