domingo, 4 de novembro de 2018

A dieta influencia na tireóide?

​Para regular a tireoide, é importante ter uma alimentação rica em iodo, selênio e zinco, nutrientes importantes para para o bom funcionamento desta glândula e que pode ser encontrados em alimentos como peixes, frutos do mar e castanha-do-pará.
Além disso, é importante lembrar que o principal meio de tratamento para doenças na tireoide é o uso de medicamento específicos indicados pelo médico para controlar os sintomas. 


Bons alimentos para tireoide

Os nutrientes e alimentos importantes para regular a tireoide naturalmente, sendo útil tanto em caso de hipotireoidismo, como em caso de hipertireoidismo, são:
  • Iodo: peixes do mar, todas as algas marinhas, camarão, ovo. Veja mais sobre as funções do iodo em: Iodo previne infertilidade e problemas na tireoide.
  • Zinco: ostras, carne, sementes de abóbora, feijão, amêndoa, amendoim;
  • Selênio: castanha-do-pará, farinha de trigo, pão, ovo;
  • Ômega-3: abacate, óleo de linhaça e peixes ricos em gordura, como salmão, sardinha e atum;
Esses nutrientes ajudam na formação dos hormônios da tireoide e na atuação deles no organismo, mantendo o metabolismo equilibrado. Também é importante lembrar que no Brasil o sal de cozinha recebe adição de iodo, uma medida utilizada para prevenir problemas de tireoide, como o bócio. 

Alimentos que prejudicam a tireoide 

A soja e seus derivados, como leite e tofu, são os principais alimentos que podem contribuir para desregular a tireoide. No entanto, esse risco é maior apenas para pessoas com histórico familiar de problemas nesta glândula, que não consomem iodo adequadamente ou que têm uma alimentação rica em carboidratos refinados, como doces, massas, pães e bolos.
Além disso, pessoas que já tomam medicamentos para a tireoide devem evitar consumir alimentos ricos em cálcio, como leite e derivados, e suplementos de ferro, pois eles podem diminuir o efeito do remédio. Assim, a melhor opção é tomar o medicamento pelo menos 2h antes ou depois das refeições.
Outros alimentos que prejudicam a tireoide são verduras como couve, brócolis, repolho e espinafre que contém glucosinolatos e que por isso não devem ser consumidos crus diariamente, no entanto quando são cozidos, ensopados ou salteados é possível consumir estas verduras normalmente. 
Quem tem alguma alteração na tireoide também deve reduzir o consumo de açúcar e alimentos como pão e bolo industrializados, por exemplo que são ricos em açúcares, fermentos e aditivos porque estes também podem atrapalhar o metabolismo e diminuir a produção de hormônios tireoidianos. 
Continue me seguindo no facebook ( Nuttrisaude) e no Instagran( patriciamendes5897)
Fonte: Tua saúde

Dieta detox, vale a pena?

Nosso corpo acumula toxinas a partir da exposição aos alimentos, à água e ao ar. Acredita-se que a dieta moderna, rica em alimentos processados e químicos, tem aumentado a circulação de substâncias prejudiciais à saúde. Nesse sentido, algumas soluções surgem com a promessa de limpar o organismo. Uma delas, a dieta desintoxicante (detox) busca remover as substâncias. Entretanto, ainda restam dúvidas sobre a dieta detox e a sua eficácia.

Dúvidas sobre a dieta detox

Efeitos pelo corpo

Há muitas versões de regimes desse segmento. Alguns incluem jejum ou apenas preparações líquidas e outros se baseiam em alimentos ricos em fibras, como frutas e vegetais. Há, ainda, variações compostas por ervas, suplementos e outros componentes diuréticos ou laxativos. Quase todos restringem comidas processadas, bebidas alcoólicas e alimentos de origem animal, como carnes, ovos e leite.
Embora essa seja uma dieta popular, não há estudos clínicos que comprovem a sua eficácia. Há, por outro lado, muitos estudos que demonstram que dietas restritivas reduzem o metabolismo basal, prejudicando a queima de gordura. Dessa forma, a maior parte do peso perdido resulta da perda de líquidos decorrente da restrição severa de carboidratos e aumento do trabalho intestinal. Ao retornar à dieta de costume, o peso é rapidamente recuperado.
Não há também subsídios na biologia humana que assegurem que o corpo necessite de ajuda para “se livrar” das toxinas. O corpo humano é amparado por um sofisticado sistema de “limpeza” que envolve diversos órgãos, entre eles o fígado, o rim e o intestino. Análises clínicas já comprovaram também que dietas desse tipo não tiveram sucesso na remoção de toxinas conforme o prometido.

Cuidado necessário

A sua segurança é questionável e depende da versão adotada e do tempo de segmento. A melhora de alguns sintomas promovidos por essas dietas se deve à restrição de determinados alimentos, como os industrializados, embutidos, gorduras e álcool.
Entretanto, sempre vale lembrar que um corpo saudável é resultado de uma rotina permeada por bons hábitos. Ou seja, eles dormir bem, alimentar-se com equilíbrio, praticar atividade física pode ser o segredo para um corpo saudável. De nada adianta descuidar da alimentação e acreditar que estratégias milagrosas serão suficientes para “anular” os prováveis prejuízos de uma rotina desregrada.
Gostou do artigo? Faça seus comentários e tire suas dúvidas. Me siga também no facebook ( Nuttrisaude) e no Instagran ( patriciamendes5897).
Fonte: SportLife