sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

As dietas mais perigosas!

Você já ouviu falar da dieta da bolacha, dieta da sopa ou qualquer outra dieta que promete resultados imediatos e milagrosos? Neste artigo vamos falar sobre as dietas mais perigosas do mundo! Ao contrário do que devia acontecer, as pessoas estão deixando de lado a reeducação alimentar e entrando de cabeça nas dietas restritivas, quem possuem diversos efeitos colaterais ao corpo.

Dieta para emagrecer: Dieta da solitária

Por mais absurdo que pareça, algumas pessoas buscaram nas lombrigas solitárias uma solução para emagrecer rapidamente. Mas como seria esta dieta? A pessoa ingere uma lombriga ou em alguns casos, ingere uma pílula que ajuda a desenvolvê-la. Como todo mundo sabe, este parasita promove a perda de peso e no momento em que a pessoa chega ao peso desejado, ela toma um remédio para matar este verme.

Dieta para emagrecer: Dieta da sopa

Esta dieta é bem famosa e a sua proposta varia nos ingredientes, mas o objetivo é o mesmo. Você deve tomar o café da manhã normalmente e no restante do dia você só pode se alimentar de sopa. Esta dieta é realmente muito simples não é mesmo, mas será que ela é saudável? Obviamente que não, porque se você ainda não sabe, as dietas quase sempre restringem nutrientes que o seu corpo precisa para ter um bom funcionamento.

Dieta para emagrecer: Dieta do suco de pomelo

Esta dieta é famosa deste a década de 30 e a sua proposta é a seguinte, você pode comer os alimentos que gosta sem restrição para proteínas e gordura, limitando apenas os alimentos ricos em carboidratos. O segredo da dieta está no consumo diário de 2 litros de suco de pomelo que quando combinado com a proteína, tem a capacidade de acelerar a queima calórica. É importante frisar que não existe estudos que comprovem tal efeito milagroso.

Dieta para emagrecer: Dieta HCG

Os hormônios são fatores que podem sim alterar a sua capacidade de ganhar ou perder peso, mas na dieta de HCG, você injeta, ingere ou passa um creme na pele para absorver este hormônio. O objetivo desta dieta é que o hormônio ataque e queime as células de gordurosas em nosso corpo, mas assim como na dieta anterior, não existe nenhum estudo que comprove a eficácia desta dieta.

Dieta para emagrecer: Dieta da bolacha

A dieta da bolacha aparentemente é maravilhosa, uma vez que ela permite que você coma 6 bolachas por dia, além de jantar. O grande problema é que as bolachas não são exatamente as que está pensando, são bolachas especiais que contêm proteína de carne e o gosto é extremamente ruim, fazendo com que você tenha vontade comer outra coisa o mais rápido possível para tirar aquele sabor da boca.

Dieta para emagrecer: Dieta da língua

A dieta da língua incentiva que a pessoa implante um dispositivo que torna o ato de se alimentar um pouco desconfortável. Depois da cirurgia, quando a pessoa for comer ela sentirá um incomodo e isso ajuda a limitar o consumo de alimentos ingeridos. Essa dieta é extremamente horrível, uma vez que a pessoa não conseguirá nutrir corretamente o corpo.

Dieta para emagrecer: Dieta da sobremesa no café da manhã

Comer sobremesa faz bem e o café da manhã é considerado a refeição mais importante de todas, porque é através dela que acontece desjejum. O problema é quando a pessoa começa a comer donuts, biscoitos, bolos ou outras guloseimas logo pela manhã. Quando você troca o horário e come a sobremesa pela manhã, a tendência é que você se alimente menos, mas se a pessoa não controlar a quantidade e qualidade dos alimentos ingeridos, esta dieta não servirá de nada.
Estas são apenas algumas das inúmeras dietas que existem, e se você conhece alguma que não foi citada, deixe nos comentários que teremos o maior prazer de escrever e alertar sobre. É sempre importante frisar que a boa dieta é aquela que mantém o seu corpo saudável! Portanto, não acredite em dietas milagrosas e em resultados exagerados, o emagrecimento é fruto de dedicação e paciência!
Fonte: Buscar saúde

Como o hábito de escutar a música pode ajudar na sua saúde?

Você que gosta de música, sabe quais são os benefícios da música para o cérebro? A música pode ser muito utilizada na educação infantil e além de todos os benefícios para a memória, a música também oferece inúmeros benefícios para a saúde. Este artigo foi feito para você que não consegue passar um dia sem ouvir música!

Quais os benefícios da música para a saúde?

Quem não se sente bem ouvindo aquela música favorita? Várias pessoas escutam música durante a atividade física e isso é muito motivante! Muitos estudos estão mostrando que escutar música vai muito além do que um hobby, ela pode ajudar no combate de diversas doenças e faz um bem enorme para a saúde do cérebro. Na sequência do nosso artigo, vamos mostrar os principais benefícios da música para a saúde, confiram!

Música e felicidade

Os estudos mostraram que quando a pessoa escuta as músicas favoritas, há um aumento na liberação de dopamina, a substância responsável por causar o bem-estar. O aumento do nível de dopamina no organismo contribui consideravelmente para a sensação de felicidade, emoção e alegria.

Música e corrida

Os estudos mostram que as pessoas que praticam corrida ouvindo música, conseguem uma motivação maior e com isso, podem atingir resultados melhores! Mas é importante informar que isso não é uma regra, ou seja, pode funcionar com uns e não com outros, mas certamente é um ponto que pode influenciar positivamente e deveria ser experimentado.

Música combate estresse

Ouvir as suas músicas favoritas ajuda na redução dos níveis de cortisol no organismo, que é o hormônio responsável pelo estresse. Talvez você não saiba, mas o estresse é um dos causadores de aproximadamente 60% das enfermidades.

Música melhora o sono

Milhares de pessoas sofrem com distúrbios do sono, sendo que a insônia é o principal destes problemas. O estudo mostrou que escutar músicas calmas antes de dormir, promove um relaxamento que favorece um sono muito melhor. Assim como na corrida, este benefício pode variar de pessoa para pessoa, ou seja, experimente e caso veja melhorias, basta continuar!

Música contra a depressão

A depressão é uma grave doença que afeta cada dia mais pessoas e por isso, todas as formas de combatê-la são bem-vindas. O estudo mostrou que os sintomas da depressão são menos intensos nas pessoas que escutam músicas diariamente, principalmente entre as pessoas que escutam a música favorita antes de dormir.

Música melhora seu humor

O relaxamento e o bem-estar obtido ao ouvir música também favorece a melhoria do seu estado de humor. Portanto, pode ser uma ótima opção para as pessoas que perdem a cabeça facilmente no trabalho ou no trânsito, por exemplo. O estudo mostrou que a música ajuda a combater o caos existente nestes lugares, ou seja, se você puder ouvir música no carro e no trabalho, o seu bom humor será estimulado e as situações estressantes serão menos notadas. Mas é importante saber que não estamos falando de música no último volume, ela deve estar em uma altura agradável e que não interfira nas demais tarefas que serão realizadas.

Música melhora a memória

Aqui no Buscar Saúde já fizemos um artigo especialmente sobre como estimular a memória, e a música é uma das ferramentas para isso, caso tenha interesse indicamos esta leitura complementar. Nos estudos realizados, os resultados mostram que ouvir música frequentemente ajuda na melhoria da capacidade de aprendizado e de memorização. Este benefício pode ser ainda mais aprimorado, caso a pessoa pratique e toque algum instrumento musical. Com todos estes aspectos, fica fácil compreender porque a música pode e deve ser utilizada como ferramenta de ensino durante a infância e adolescência.

Música reduz a ansiedade

Além do combate ao estresse e depressão, a música também pode ajudar a reduzir os problemas de ansiedade. As pessoas que escutam música diariamente, acabam ocupando a mente naquele momento e com isso, diminui a ansiedade justamente por não estar pensando naquilo que o incomoda.

Música alivia a dor

Os estudos também mostraram que as músicas podem ser usadas em terapias para reduzir a intensidade da dor. Este procedimento já é muito utilizado em tratamento de pessoas com câncer, mas novas descobertas estão mostrando que também pode ajudar as pessoas que sofrem com dor crônica.
Estamos chegando ao final deste artigo e agora que você tem todas essas dicas em mãos, basta experimentá-las e avaliar quais surtiram efeitos positivos para o seu caso. Não se prive em apenas uma, combine várias destas situações e aproveite o máximo de benefícios que a música tem para oferecer.
Fonte:Bruno Morgado é formado em Educação Física pela UFV - Universidade Federal de Viçosa.