segunda-feira, 30 de julho de 2018

Receitas Low carb!


1. Gratinado de Couve-Flor

Modo de Preparo

– Pré-aqueça o forno a 180˚C
– Cozinhe o brócolis até ficar macio, escorra e descarte a água.
– Em um processador adicione o creamcheese, creme de leite fresco, sal, pimenta e o alho em pó.
– Bata até virar purê.
– Unte um refratário com manteiga, e coloque o restante da manteiga em pedaços.
– Disponha a couve-flor em pequenos floretes no refratário, por cima coloque o purê de brócolis e cubra com o queijo ralado.
– Asse por 40 minutos ou até que a couve-flor esteja macia e o queijo gratinado.

Ingredientes

800g de couve-flor
450g de brócolis
200g de cream cheese
225ml de creme de leite fresco
475ml de queijo ralado
50g de manteiga
2 colheres de chá de alho em pó
Sal e pimenta a gosto

2. Frango ao Molho Tropical

Modo de Preparo

– Em uma panela aquecida adicione o azeite e frite os cubinhos de frango (já temperados com sal, pimenta e limão) até que fique bem dourado.
– Junte os pimentões, cebolinha picada, pimenta caiena e refogue por 2 minutos.
– Em um liquidificador, processador ou mixer bata a manga, leite de coco e o mel até que fique homogêneo.
– Jogue por cima do frango e deixe cozinhar em fogo baixo por cerca de 3 minutos ou até que reduza pela metade, corrija o sal e pimenta e finalize com castanha picada e sirva.

Ingredientes

300g de peito de frango em cubos já temperado
½ Manga
1 vidro de leite de coco (200g)
1 colher de chá de pimenta caiena
1 colher de sopa de mel
¼ xícara de chá de cebolinha picada
½ pimentão verde (em cubinhos)
½ pimentão amarelo (em cubinhos)
castanhas do pará (a gosto)
sal e azeite (a gosto)

3. Wrap de Couve com Carne de Pernil Desfiada

Modo de Preparo

– Grelhe a carne de pernil e depois com uma faca grande pique bem a carne.
– Faça um refogado com a carne picada, cebola, tomate e temperos.
– Pra finalizar enrole o refogado na folha de couve e pronto.

Ingredientes

200-300g de carne de pernil
½ cebola picada
½ tomate picado
1 folha de couve manteiga
sal, pimenta e cheiro verde à gosto
Estas receitas low carb ajudam a variar seu cardápio e deixar sua dieta mais gostosa!
Fonte: Fit news club

sábado, 28 de julho de 2018

Bala de Hibisco

O hibisco tem alto poder diurético, reduz os níveis de colesterol ruim e derrete a gordura abdominal. 
O hibisco é poderoso.
A flor reduz a absorção de carboidratos pelo organismo.
Tudo graças à ação diurética garantida pelos antioxidantes, como flavonóides e ácidos orgânicos.
Assim, ela impede a retenção de líquidos.
E ainda tem a capacidade de evitar acúmulo de gordura, principalmente na barriga e quadris.
E não para por aí.
Hibisco aumenta o colesterol bom (HDL), e reduz o colesterol ruim (LDL), triglicerídeos e a pressão arterial.
Mas, devemos tomar chá toda hora?
Concordo que não há paladar que aguente.
Por isso criei uma versão “sólida” e até mais divertida da infusão.
Que soma, inclusive, mais funcionalidade ao preparo ao incluir gelatina, que é rica em colágeno.
Esta proteína de origem animal é responsável por dar firmeza à pele.
O colágeno também contribui para o fortalecimento das unhas, articulações e cabelos.
O resultado final é um “alimético”, que são alimentos com função cosmética.
A receita a seguir rende três porções, com 37,7 Kcal cada.
Receita de bala de Hibisco

Ingredientes

400 ml de água quente
2 colheres (sopa) de flores de hibisco
2 envelopes de gelatina sem sabor incolor
1 colher (sopa) de adoçante

Modo de preparo

Em uma jarra, junte a água e as flores de hibisco.
Mexa por um minuto.
Passe em peneira.
Junte a gelatina e o adoçante, mexendo bem até dissolver.
Coloque em um refratário.
Leve à geladeira até ficar bem firme.
Retire depois de endurecer.
Corte em quadradinhos.
Sirva em seguida.
Fonte: Lucília Diniz

Canelone de tapioca

Quer uma receita incrível e muito saborosa para surpreender toda a família? Então, pode apostar nessa receita certeira de canelone de tapioca! Você vai amar!

Tempo: 1h10
Rendimento: 6 porções
Dificuldade: fácil

Ingredientes do canelone de tapioca

  • 4 ovos
  • 2 xícaras (chá) de goma de tapioca
  • 1 e 1/2 xícara (chá) de leite
  • 1 colher (café) de fermento em pó químico
  • 1 colher (café) de sal
  • Manteiga para untar
  • 1 xícara (chá) de queijo mussarela ralado light

Recheio

  • 1 maço de espinafre cozido e picado
  • 3 xícaras (chá) de ricota esfarelada
  • 2 tomates sem semente picados
  • Sal e orégano a gosto

Molho

  • 3 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 cebola picada
  • 2 colheres (sopa) de farinha de trigo
  • 2 xícaras (chá) de leite
  • 1 caixa de creme de leite light
  • Sal e noz-moscada a gosto

Modo de preparo

Para a massa, bata no liquidificador os ovos, a tapioca, o leite, fermento e o sal até ficar homogêneo. Aqueça uma frigideira antiaderente untada em fogo médio, coloque 1 concha da massa e gire para cobrir todo o fundo. Deixe dourar levemente. Vire a massa e doure do outro lado. Repita o procedimento com o restante da massa. Reserve.
Para o recheio, misture todos os ingredientes e reserve. Para o molho, aqueça uma panela com a manteiga e frite a cebola até murchar. Junte a farinha e frite por 1 minuto. Acrescente o leite e cozinhe, mexendo, sem parar até engrossar. Adicione o creme de leite, tempere com sal e noz-moscada, misture e desligue o fogo.
Divida o recheio entre as massas e enrole como rocamboles, cortando as beiradas da massa. Arrume em um refratário, regue com o molho branco, polvilhe com a mussarela e leve ao forno médio, preaquecido, por 10 minutos ou até gratinar. Retire e sirva em seguida.
Fonte: Guia de Cozinha

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Lancheis saudáveis para as crianças!

Com tanta oferta de alimentos ultraprocessados e hiper-saborosos, fica difícil criar um lanche saudável que seja atrativo para as crianças. Contudo, uma lancheira equilibrada, com combinações certeiras de alimentos, pode fornecer nutrientes, vitaminas e sais minerais essenciais para o bom desenvolvimento da criança e do seu sistema imunológico.

Mas, por onde começar? Segundo a nutricionista , a dica é pensar em uma lancheira completa, com uma fonte de carboidrato (mandioca, pão caseiro ou frutas), uma fonte de proteína (queijos carnes e ovos) e outra de micronutrientes presentes nas verduras, legumes e frutas.
"O carboidrato garante a energia necessária para as atividades diárias, já a proteína fornece os aminoácidos essenciais para o desenvolvimento estrutural e cognitivo da criança"."Por último, os micronutrientes são ricos em vitaminas e sais minerais responsáveis pelo bom funcionamento dos órgãos e pelo desenvolvimento do sistema imunológico."
Se as crianças não curtem vegetais, a recomendação é insistir. "Se não é fácil inserir novos hábitos na vida de um adulto, imagine na de uma criança!", ponderou o chef de cozinha Amilcar Azevedo, do Gourmetzinho, plataforma de lanches saudáveis infantis. "Por isso, é normal que elas não queiram provar novos alimentos nessa fase. Mas não vale desistir. Só com foco e determinação é possível introduzir mudanças sutis e que trarão resultados significativos para vida da família."
Na hora da escolha, também vale variar os alimentos e torná-los mais coloridos e divertidos. Assim, além de fornecer novos nutrientes, as crianças também vão experimentar e começar a se acostumar com os mais variados sabores.
A nutricionista também recomenda investir em receitas criativas. É possível, por exemplo, fazer versões mais saudáveis dos salgadinhos de festa, como nuggets (bem) mais saudáveis (veja receita no final da matéria).
"Utilize farinha integral que são ricas em fibras e aproveite a base da receita para diferentes recheios", sugere a nutricionista.

Abaixo aos industrializados


Tanto a nutricionista quanto o chef concordam sobre os industrializados: evite ao máximo. Além de terem muito mais açúcar, sal e gordura que o necessário, o que pode contribuir para obesidade infantil, estes ingredientes são poucos nutritivos e ainda viciam o paladar infantil. Afinal, quem vai querer uma fruta quando há um biscoito recheado por perto?
"Uma alimentação leve e equilibrada permite que as crianças recebam todo o aporte de vitaminas e nutrientes e sejam menos suscetíveis a doenças relacionadas à obesidade, que aumentou 600% em 30 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde", acrescentou o chef Amilcar Azevedo.
A questão não é só vetar processados, mas também oferecer mais alimentos in natura: frutas, verduras, legumes, grãos, etc. "As frutas são boas substitutas para os doces industrializados. Algumas crianças, porém, podem ter dificuldades para aceitar na dieta. Invista em variações diferentes: cozidas, assadas ou até incrementadas em receitas", sugere a nutricionista Karin.
Também dê preferência aos doces caseiros. "Diferente das versões industrializadas - ricas em açúcar, gorduras e aditivos químicos -, os caseiros podem ser feitos com ingredientes mais saudáveis e ser complementados com fibras, gorduras do bem e bons tipos de açúcares".
Por fim, lembre-se de incluir as crianças na preparação dos pratos e das lancheiras. Cozinhar e provar mesmo as receitas mais simples torna um hábito, boas memórias e deixa tudo mais divertido para elas. "É muito importante incentivar as crianças a apreciar a boa comida. Criança que come bem é criança saudável. E criança saudável é criança feliz", finaliza a nutricionista.

Receitas

A nutricionista  ensina dois lanches saudáveis para as crianças (e adultos também!):
Nuggets caseiro
Ingredientes:
  • 500g de peito de frango moído
  • 5 colheres de aveia em flocos
  • 2 colheres de farinha de aveia
  • 1 colher de sopa de alho poro
  • 2 ovos
  • Sal
  • Farinha de milho para empanar
  • Azeite para untar
Modo de preparo:
1. Misture o frango, alho poro e sal até ficar homogêneo.
2. Acrescente a farinha de aveia, ovo e três colheres de chá da farinha de milho e misture.
3. Deixe a massa na geladeira para descansar por 15 min.
4. Triture a farinha de milho com as mãos.
5. Molde os nuggets, no tamanho que você desejar, passe-os no ovo e depois na farinha.
6. Coloque para assar em uma assadeira untada com azeite no forno pré-aquecido.
7. Deixe dourar por 20 minutos de cada lado.
Espetinho de frutas com chocolate amargo
Ingredientes:
  • 5 unidades de uvas verdes sem caroço
  • 5 unidades de morango
  • ½ da manga
  • Palito de pirulito de madeira
  • 30g de chocolate amargo (50% cacau) derretido em micro-ondas
Modo de preparo:
1. Lave as frutas e corte a manga em cubos.
2. Espete as frutas no palito de pirulito e banhe no chocolate derretido.
3. Coloque na geladeira para o chocolate endurecer.
Fonte:MSN

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Alimentos que ajudam a purificar o fígado! Consuma mais destes alimentos.

Snacks saudáveis ? Vejam as verdades!

Na busca de uma alimentação equilibrada, nem sempre fazemos as melhores escolhas. Muitos alimentos vendidos como opções saudáveis nem sempre cumprem o que prometem -- mesmo aqueles que se vendem como "glúten free""vegan""low carb", entre outros "indicadores" de saúde.
Aqui estão 7 alimentos que não são tão saudáveis e inofensivos como você acredita:

1. Chips de banana industrializados

Apesar de serem vendidos pela indústria como um snack natural, os chips de banana contêm grande quantidade de gordura saturada, uma vez que são fritos com óleo de coco, além de receber aditivos.
"Você precisa pensar consigo mesmo: espera um pouco, isso não é tão diferente de um chips de batata", disse a nutricionista ..
Em vez de comprar o industrializado, a nutricionista recomenda fazer o snack em casa mesmo: corte as bananas em fatias finas e asse-as em baixa temperatura até ficarem crocantes. Assim, você terá certeza que não foi adicionado açúcar, gordura ou sal em seu snack saudável.

2. Pipoca de microondas

Quem não resiste à pipoquinha e um filme no domingo à noite, não é mesmo? Mas ela não é nada saudável. Pipocas prontas, aquelas de saquinho que colocamos no microondas, têm grande quantidade de sal e gorduras.
A pipoca é saudável e boa opção de snack se for feita de modo tradicional: na panela, com pouco óleo. Para dar um gostinho a mais, utilize ervas e pouco sal.

3. Frutas desidratadas

Frutas desidratas têm sabor mais adocicado e continuam sendo frutas, certo? Certo. Porém, o que muitos não sabem é que no processo de desidratação, o açúcar é concentrado e suas calorias aumentam.
"As frutas perdem água e isso faz com que a frutose (açúcar natural das frutas) fique concentrada, o que pode até triplicar as calorias", disse a nutricionista .
Um figo fresco tem 47 calorias, enquanto o seco chega a ter 171 calorias. Além disso, o mesmo processo diminui nutrientes e as fibras naturais das frutas.

4. Produtos 'gluten free'

A oferta de alimentos sem glúten cresceu de forma espantosa nos últimos anos não só para os celíacos (pessoas intolerantes à proteína presente na cevada, centeio, trigo, aveia). Cada vez mais pessoas não intolerantes consomem alimentos sem glúten por acharem que eles trazem mais benefícios à saúde. Bom, não é bem assim.
Na semana passada, a revista francesa publicou uma pesquisa que prova que produtos industrializados "gluten free" têm mais gordura e aditivos do que produtos convencionais. A indústria, na busca por tornar estes alimentos mais saborosos e parecidos com os que levam a proteína, acabam acrescentando ingredientes que não são nada saudáveis .
Um biscoito de cacau sem glúten, vendido na França, tem cerca de oito aditivos a mais do que um biscoito tradicional e são mais calóricos. Já um pão sem glúten tem três aditivos que, se consumidos em dose alta, podem causar inchaço e diarréia. "Este pão tem 40% mais calorias do que o tradicional", acrescentou a pesquisa.

5. Bebidas esportivas

Apesar de serem utilizados por amadores e atletas, bebidas esportivas, como isotônicos e outros, possuem altas quantidades de açúcares e não dão o resultado que muitas pessoas imaginam.
"Diversos estudos mostram que não há diferença nas medições eletrolíticas quando comparados corredores de maratonas que consomem bebidas esportivas e aqueles que bebem apenas água", disse Dr. Troy Madsen, da University of Utah. "Se você sente que essas bebidas fazem grande diferença no seu treino, continue. Se não, não precisa gastar dinheiro com tudo isso. Água está ótimo."

6. Iogurte desnatado

Cada vez mais pesquisas associam o consumo de iogurte ao bom funcionamento do intestino, conhecido como o nosso "segundo cérebro". Porém, este iogurte deve ser natural e integral, não aquele desnatado e adoçado artificialmente.
"As pessoas se assustam com as calorias do iogurte natural, mas elas são saudáveis. O que não é saudável é tirar a gordura que a natureza trouxe e colocar em um alimento industrial um açúcar escondido, e ainda cobrar mais caro pra isso", ressaltou o médico Patrick Rocha, presidente do Instituto Nacional de Estudos da Obesidade e Doenças Crônicas.

7. Granola

Granola é uma das maiores "mentiras" inventadas pela indústria alimentícia nos tempos modernos. Categorizada como opção saudável para café da manhã, com alto teor de fibras, ferro, proteína, etc, a maioria das marcas de granolas esconde elevadas cargas de açúcares e óleos hidrogenados.
Por isso, a melhor opção é ler as informações nutricionais nas embalagens, principalmente o teor de açúcares e gorduras.
Fonte:MSN

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Pós-treino: leite com achocolatado melhora a recuperação muscular

Quer ter energia para um treino cansativo ou se recuperar de um? Esqueça bebidas esportivas. Um novo estudo indica que a simples mistura de leite com achocolatado pode ser tão boa quanto – e até melhor – para a recuperação muscular demandada pela atividade física. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico European Journal of Clinical Nutrition, a combinação fornece nutrientes essenciais para a recuperação pós-exercício, como carboidratos, proteínas, gorduras, água e eletrólitos.

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores da Universidade Shahid Sadoughi, no Irã, analisaram doze estudos prévios sobre como o leite com achocolatado influencia vários marcadores de recuperação de exercícios, em comparação com uma bebida placebo ou uma bebida esportiva.
Cerca de 150 participantes consumiram a mistura ou alguma outra bebida – incluindo as esportivas – enquanto ou após completarem alguma atividade física, como correr ou andar de bicicleta. Entre os marcadores verificados estavam tempo de exaustão, frequência cardíaca, nível de ácido láctico e cansaço.
Os resultados mostraram que, em geral, aqueles que tomaram o leite achocolatado demoraram mais para chegar à exaustão durante o exercício e melhorou a percepção de esforço, a frequência cardíaca e nível de ácido láctico no sangue. Esses benefícios foram iguais ou superiores ao das outras bebidas analisadas, incluindo bebidas esportivas. Apesar disso, ainda são necessárias mais pesquisas para compreender melhor a atuação da bebida no organismo.
“A mensagem para levar para casa é que o leite com chocolate é uma opção de baixo custo e deliciosa para a recuperação e fornece efeitos similares ou superiores em comparação com bebidas comerciais”, disse Amin Salehi-Abargouei, principal autor do estudo.
Além do leite com chocolate, smoothies e cereais com leite ou sopa também podem fornecer os nutrientes necessários para a alimentação pós-treino. Beber muita água também é essencial para substituir os fluidos perdidos através do suor.

Chocolate amargo

Outro estudo publicado em 2015 no periódico The Journal of the International Society of Sports Nutrition  mostrou que o chocolate amargo também pode influenciar o desempenho durante treinamento físico. Ao longo do estudo, pesquisadores da Universidade Kingston, no Reino Unido, avaliaram dois grupos de ciclistas: os que consumiam chocolate amargo e os que comiam chocolate branco.
Depois de 2 semanas ingerindo cerca de 42 gramas diários de chocolate, os participantes passaram por uma série de exercícios de ciclismo, incluindo exercícios moderados e testes de tempo, que avaliaram os batimentos cardíacos e os níveis de consumo de oxigênio dos ciclistas. Para confirmar os resultados, os voluntários fizeram uma pausa de uma semana, antes de trocar de grupo e repetir a orientação de consumo de chocolate por duas semanas.
Aqueles que consumiram chocolate amargo usavam menos oxigênio quando pedalavam em ritmo moderado e pedalaram mais no teste de tempo de dois minutos. “O chocolate amargo aumenta o óxido nítrico, que é o principal mecanismo que acreditamos estar por trás desses resultados. Descobrimos que as pessoas podem efetivamente se exercitar por mais tempo depois de comer chocolate amargo”, disse Rishikesh Kankesh Patel, principal autor do estudo, ao site especializado Medical News Today
Gostou da postagem do blog Nuttrisaude? Comente!
Fonte: Veja

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Alimentos que causam felicidade!

Não tem quem não seja tomado por uma sensação reconfortante depois de fazer uma deliciosa refeição. E se no cardápio tiver um docinho de brinde, a vida fica melhor ainda. "Isso por que independente do alimento que consumimos, comer provoca uma confortável sensação de bem-estar já que suprimos as necessidades físicas do nosso organismo. Mas ainda há a turma de alimentos que potencializam esta reação, já que levam em sua composição, substâncias que aumentam a liberação da serotonina, hormônio neurotransmissor responsável pela sensação de prazer", explica a nutricionista .
A seguir, a especialista sugere 10 alimentos que são obrigatórios para um prato e dias mais alegres. Confira:

Mel





O alimento é um carboidrato fonte de triptofano, com ação calmante que induz a uma sensação de bem estar melhorando a função da serotonina no cérebro. O mel tem uma função importante como regenerador da microflora intestinal, quando combinado aos lactobacilos presentes no intestino. Sabe-se que mais de 90% da serotonina é produzida no intestino, portanto o mel ajuda a manter a integridade intestinal colaborando com uma melhor regulação neuro-endócrina, com mais serotonina e mais disposição e sensação de prazer.

Banana





A fruta é um carboidrato rico no aminoácido triptofano ( cada 100g da banana contém em média 18mg de triptofano). Acontece que este aminoácido é uma substância precursora da serotonina. "Sem serotonina, o organismo fica suscetível a males como depressão, irritabilidade, insônia, ansiedade, mal humor e hiperfagia (aumento exagerado da fome)", explica Lucyanna Kalluf. A serotonina também é considerada como sendo uma substância anorexígena, diminuindo a compulsividade e a fome.

Abacate





Esta fruta rica em ácido fólico, vitamina B3 ( niacinamida) e potássio. O abacate também tem mais proteína que qualquer outra fruta, cerca de 2 g para cada porção de 110 g. Possui, ainda, quantidades úteis de ferro, magnésio e vitaminas C, E e B6. A niacinamida ( Vitamina B3) tem ação específica sobre o sistema nervoso central, colaborando com a manutenção de hormônios que regulam as substâncias químicas do cérebro e garante efeito relaxante. Esta vitamina tem ação conjunta com o ácido fólico, que atua como coenzima de diversos neurotransmissores do bom humor. Dica: fique atento ao valor calórico da fruta: cada 110 g contém cerca de 200 calorias.

Nozes




Esta oleaginosas possui vitamina B1 (tiamina), que ajuda a converter glicose em energia. Também imita a acetilcolina, neurotrasmissor que possui um papel nas funções cerebrais relacionadas com memória e cognição. Também carrega o Inositol (fosfatidilinositol), substância reconhecida como parte do complexo B, que é necessário para o correto funcionamento dos neurotransmissores serotonina e acetilcolina.

Ômega 3




Os peixes de água fria (salmão, atum, cavalinha) são considerados excelentes fontes de ômega 3 , um ácido graxo com efeito protetor sobre os neurônios. A relação de consumo desse ácido graxo e a felicidade, está no aumento na produção dos receptores de neurotransmissores como: a serotonina, a dopamina e a noradrenalina que protegem o cérebro e o sistema nervoso central dos radicais livres, substâncias responsáveis pelo envelhecimento celular.

Canela




Rica em polifenóis e antioxidantes, esta especiaria melhora a atividade da insulina, ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue e reduz a compulsão por carboidratos e doces. Assim, colabora para evitar o sobrepeso e o acúmulo de gorduras na região abdominal e mantém a produção de serotonina em equilíbrio.

Lentilha




É fonte de proteínas vegetais e cálcio, contribuindo significativamente para a regulação da flora intestinal. O equilíbrio do cálcio e magnésio no organismo atua no metabolismo cerebral e na produção de neurotransmissores, como serotonina e dopamina, responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar.

Chá verde



A bebida afasta os riscos do estresse oxidativo, que é a deficiência de substâncias antioxidantes no organismo, trazendo como consequências doenças como a obesidade e até depressão. O chá verde é rico em polifenóis, nutrientes antioxidantes que atacam os radicais livres das células cerebrais, mantendo a sua atividade neuroprotetora, diminuindo a probabilidade de inflamação cerebral e favorecendo sensação de bem-estar.

Tofu




É o queijo à base de soja. Com muitos nutrientes, o tofu tem o dobro de proteínas do feijão e 45% menos calorias que o queijo minas. Importante fonte de magnésio mineral que atua na regulação do metabolismo cerebral e participa da metabolização de alguns aminoácidos. "A deficiência de magnésio resulta em fadiga e deficiência de enzimas envolvidas na produção de energia". Meia xícara de tofu tem em média 110mg desse mineral.

Gérmen de trigo




É a parte mais nobre do trigo, que quando é refinado perde esta propriedade, e uma excelente fonte de todo aporte vitamínico do complexo B, atuando como calmante natural que diminui a irritabilidade e o nervosimo. Tem inositol, presente nas membranas celulares como fosfatidilinositol, que é necessário para o correto funcionamento dos neurotransmissores serotonina e acetilcolina. "Também carrega o ácido pantotênico, a vitamina B5 ou vitamina anti-estresse que atua na síntese da acetilcolina, conferindo melhor adequação dos impulsos nervosos e das funções cerebrais", aponta a nutricionista.
Fonte: Minha Vida