segunda-feira, 14 de maio de 2018

CIRÚRGIA BARIÁTRICA



Cirurgia Bariátrica ou Redução de Estômago – O que é
Cirurgia bariátrica, também conhecida como cirurgia da obesidade, ou, popularmente, redução de estômago – A cirurgia bariátrica reúne técnicas com respaldo científico destinadas ao tratamento da obesidade e das doenças associadas ao excesso de gordura corporal ou agravadas por ele.
O conceito metabólico foi incorporado há cerca de seis anos pela importância que a cirurgia adquiriu no tratamento de doenças causadas, agravadas ou cujo tratamento e controle é dificultado pelo excesso de peso ou facilitado pela perda de peso – como o diabetes e a hipertensão – também chamadas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica  de comorbidades.

Tipos de Cirurgia bariátrica para redução de estômago – Principais Técnicas aprovadas no Brasil


1.- Bypass Gástrico ou Cirurgia de Fobi-Capella (Com Corte)

Cirurgia bariátrica - Técnica Bypass-Gástrico Fobbi-Capella
Bypass Gástrico Fobi-Capella – Técnica de redução de estômago aprovada no Brasil
Técnica de grampeamento de parte do estômago e de um desvio do intestino inicial. O grampeamento reduz o espaço para o alimento e o desvio do intestino inicial promove o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome.
O emagrecimento é promovido pela menor ingestão de alimentos e aumento da saciedade. O Bypass Gástrico também auxilia no controle de diabetes e outras doenças como a hipertensão arterial.
2 – Sleeve Gástrico ou Gastrectomia vertical (Com Corte)
Sleeve Gástrico
Sleeve Gástrico – Técnica de redução de estômago aprovada no Brasil

A Gastrectomia Vertical ou Sleeve Gástrico foi uma cirurgia proposta inicialmente como uma técnica a ser realizada como primeira etapa da cirurgia de Duodenal Switch que seria indicada em 2 tempos para pacientes super obesos e que apresentavam um índice elevado de complicações intra e pós-operatórias.
Na Gastrectomia Vertical, o estômago do paciente é grampeado em forma de tubo que vai do esôfago até o duodeno, preservando-se o Piloro. Assim se reduz o estômago em até 80% do seu tamanho. O novo estômago fica com 150 a 250 ml e com a forma parecida com a de um tubo gástrico.
Na redução do Sleeve, se retira parte do fundo gástrico, região que produz o hormônio grelina, responsável pela sensação de fome. Assim após a cirurgia o apetite também diminui. Na técnica do Bypass Gástrico ou Gastroplastia a Fobi-Capella em Y de Roux, o estômago é reduzido em cerca de 95% e fica com capacidade aproximada de 30 ml apenas. A Gastrectomia Vertical ou Sleeve Gástrico vem sendo indicada cada vez com maior frequência para o tratamento da obesidade grau III e mórbida, principalmente em pacientes que possuam problemas intestinais ou quadro de anemia importante. Esta Cirurgia é do tipo restritiva, não tendo componente desabsortivo e, portanto, com menor necessidade de suplementação vitamínica e de outros componentes do que as cirurgias desabsortivas como o By-Pass.
A Gastrectomia Vertical ou Sleeve Gástrico é um procedimento realizado normalmente por Videolaparoscopia (câmera), é irreversível e apresenta um índice de complicações reduzidas quando realizada por uma equipe experiente e em um hospital com recursos adequados.
Lembrando-se que, assim como todo método restritivo ou desabsortivo, deve ser considerado como uma ferramenta para ajudar na formação de novos hábitos, e para isso é necessário o acompanhamento com equipe Multidisciplinar e o envolvimento do Paciente na formação de uma vida mais saudável.

1.3 – Duodenal Switch (Com Corte)
Cirurgia bariátrica - Duodenal-switch
Duodenal-switch – Técnica de redução de estômago aprovada no Brasil

1.3 – Banda Gástrica Ajustável (Sem Corte)
É a associação entre gastrectomia vertical e desvio intestinal. Nessa cirurgia, 85% do estômago são retirados, porém a anatomia básica do órgão e sua fisiologia de esvaziamento são mantidas.
O desvio intestinal reduz a absorção dos nutrientes, levando ao emagrecimento.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e metabólica

1.4 – Banda Gástrica Ajustável (Sem Corte)
 Banda Gástrica Ajustável
Método de Emagrecimento aprovado no Brasil (Sem corte)

A Banda Gástrica Ajustável (Lap-Band®) é um dispositivo de silicone ajustável colocado na parte superior do estômago, por cirurgia vídeo-laparoscópica, destinado a desacelerar a digestão e estimular a saciedade precoce e prolongada, facilitando a Reeducação Alimentar.
Por não haver cortes ou grampeamentos do estômago, a banda gástrica ajustável é um tratamento reversível.
O seu efeito é deixar o estômago em formato de “ampulheta”, restringindo a parte superior para a recepção de alimentos. Assim, a pessoa ingere pouca quantidade de comida e apresenta a saciedade mais rapidamente, facilitando também a diferenciação de Saciedade e Empanzinamento.

Para quem é indicada a Banda Gástrica Ajustável?
A indicação de qualquer tratamento só pode ser feita por médico especialista, com base no quadro específico de qualquer paciente. O requisito para a colocação da Banda Gástrica Ajustável é de que o paciente possua um IMC superior a 35 kg/m² (calcule seu IMC ao lado) e doenças associadas, como pressão alta, diabetes.

Como é feita a colocação da Banda Gástrica Ajustável?
A colocação da Banda Gástrica Ajustável é feita por meio de cirurgia vídeo-laparoscópica, com duração aproximada de 45 minutos e não há corte ou grampeamento no estômago. Como é um tratamento pouco-invasivo, o tempo de internação normalmente é de somente um dia em hospital ou em clínica.

Entenda o procedimento de colocação da Banda Gástrica Ajustável – Assista o Vídeo

O que a comunidade médica pensa sobre a Banda Gástrica Ajustável?
Reconhecimento da comunidade médica:
A Banda Gástrica Ajustável (Lap-Band®) é a primeira aprovada pelo FDA – U.S. Food and Drug Administration (órgão norte-americano responsável pela aprovação de alimentos, remédios e tratamentos). Com mais de 600.000 pessoas que já receberam a Banda Ajustável, observa-se a aceitação e recomendação médica pelos índices de que 30% de todos os procedimentos bariátricos nos Estados Unidos e 90% na Austrália foram de colocação da Banda Ajustável. Hoje esse índice é crescente nos países desenvolvidos, sendo a Banda responsável por grande parcela dos procedimentos cirúrgicos restritivos.
No Brasil, os benefícios da Banda Gástrica Ajustável foram reconhecidos pela comunidade médica, o que justifica a existência de Clínicas de Referencia comandados por médicos reconhecidos pela sua excelência na área de conhecimentos médicos de gastroenterologia.
A Endodiagnostic é um dos Centros de Tratamento de Obesidade Referência para este tratamento com a Equipe Multidisciplinar, sendo também responsável pelo treinamento de diversos profissionais da área.
Reconhecida por sua experiência e eficiência, a Endodiagnostic oferece aos seus pacientes o que há de melhor em tratamento Multidisciplinar, tendo como objetivo uma verdadeira mudança de vida proporcionando hábitos saudáveis e tudo o que vem agregado à uma vida mais saudável.

Estudo Científico:
Existem mais de 700 publicações científicas sobre o sistema de Banda Gástrica Ajustável. O estudo realizado pelos cientistas Dixon e O’Brien mostrou que o objetivo de perda do excesso de peso é muito bem atendido (87,2% dos pacientes com obesidade de leve a moderada) com a utilização do tratamento de banda gástrica ajustável no prazo de 24 meses.
Se comparado ao grupo com terapias não-cirúrgicas, que obteve uma taxa de sucesso de somente 21,8%, é possível observar o sucesso do tratamento da Banda Ajustável. Observou-se também que a síndrome metabólica manteve-se somente em 3% do grupo que recebeu a Banda Gástrica Ajustável, enquanto para o grupo não-cirúrgico esse índice foi de 24%.

Quais são os resultados esperados para quem colocou a Banda Gástrica Ajustável? Existem efeitos colaterais?
O tratamento da Banda Ajustável é eficiente para perda e manutenção de peso. Um ano após a colocação da Banda Ajustável é possível observar melhoria nos níveis de glicemia e insulina de jejum mesmo em pacientes diabéticos. A sensibilidade à insulina a e função da célula beta melhoram substancialmente com a perda de peso provocada com a Banda Gástrica Ajustável. Com isso, é possível a redução no uso de medicação hipoglicemiante oral.
Nunca foi registrado nenhum caso de rompimento de Banda Gástrica Ajustável dentro do estômago. A colocação e a permanência da Banda Ajustável não devem causar efeitos colaterais. Normalmente, o usuário não deve sentir qualquer desconforto, mas há poucos casos em que o ajuste da Banda Ajustável é necessário, o que é orientado pelo médico.
Por ser um método reversível, também pode ser removida no caso de efeitos colaterais intensos, ou por vontade do próprio paciente, o que proporciona também um conforto psicológico grande, diminuindo os casos de rejeição psicológica ao procedimento.

Quais são os cuidados necessários para quem colocou Banda Gástrica Ajustável?
O acompanhamento periódico realizado por médico para quem colocou a Banda Ajustável, como em qualquer cirurgia bariátrica, é imprescindível. Além disso, é fundamental que a pessoa tenha acesso a um tratamento multidisciplinar, contribuindo para uma mudança de estilo de vida e para resultados ainda mais satisfatórios.
Podem ser necessários exames para acompanhamento do paciente em tratamento com a Banda Gástrica Ajustável, assim como necessidade de suplementação vitamínica ou uso de outras medicações.

Fonte: Endo Diagnostic

Nenhum comentário:

Postar um comentário