terça-feira, 24 de outubro de 2017

Menopausa- Como a alimentação pode ajudar nos efeitos no climatério e na menopausa.

INTRODUÇÃO
Alimento funcional é definido pela RDC 18/99, como sendo aquele alimento ou ingrediente que, além das funções nutritivas básicas, quando consumido como parte da dieta usual, produza efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou efeitos benéficos à saúde, devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica. 1


Um alimento pode ser considerado funcional se for demonstrado de maneira satisfatória que pode agir de forma “benéfica” em uma ou mais funções do corpo, além de se adequar à nutrição e, de certo modo, melhorar a saúde e o bem estar ou reduzir o risco de doenças. 2

Naturalmente, todos os alimentos são funcionais, uma vez que nos proporcionam sabor, aroma e valor nutritivo. Entretanto, nas últimas décadas, o termo funcional está sendo aplicado a alimentos com uma característica diferente, a de proporcionar um benefício fisiológico adicional, além das qualidades nutricionais básicas encontradas. Tais alimentos também são vistos como promotores de saúde e podem estar associados à redução ao risco a certas doenças. 3

Segundo a ANVISA, alimentos funcionais são aqueles alimentos que contêm bioativos e substâncias fitoquímicas ou nutrientes que forneçam beneficio à saúde, seja como prevenção ou tratamento de doenças. Assim, são considerados promotores de saúde e podem estar associados com a diminuição dos riscos de algumas doenças crônicas. 4

Os alimentos considerados funcionais são inúmeros, que além dos benefícios no pré e pós-menopausa, trazem efeitos preventivos sobre diversas doenças e alguns tipos de câncer e doenças cardiovasculares. 5


REFERENCIAL TEÓRICO
Climatério e Menopausa

Os hormônios ovarianos (estrogênio e progesterona), que já estavam diminuindo antes da menopausa, caem ainda mais durante esse período pós-menopausa. Por causa da falta dos hormônios ovarianos a mulher começa a sentir e a notar uma série de sinais e sintomas. As primeiras e mais comuns das queixas são, sem dúvida, os calores repentinos e a transpiração excessiva, que se repetem inúmeras vezes ao longo do dia e da noite, interferindo inclusive com o próprio sono, já que a mulher acorda várias vezes à noite. 6

A diminuição dos hormônios se mostra perceptível em várias outras áreas, como a pele (se torna mais fina, seca e enruga), os cabelos (mais ralos e quebradiços) e até a voz que pode se tornar um pouco mais grave. Além disso, a mucosa vaginal (revestimento interno da vagina) torna-se mais fina e seca, o que pode levar à relação sexual dolorosa, e o aparelho urinário apresenta dificuldade em reter a urina na bexiga, fazendo com que as idas ao banheiro tornem-se mais frequentes. 

A instabilidade emocional é um dos aspectos mais marcantes desse período, quando sensações de depressão/excitação se revezam com grande facilidade e sem razão aparente, tornando a mulher absolutamente imprevisível, além de gerar profundos sentimentos de inferioridade e rejeição. Todos esses sintomas são provenientes da diminuição da produção de hormônios ovarianos. 6

A solução é sem dúvida, repor os hormônios que os ovários não produzem mais, na chamada Terapia de Reposição Hormonal - TRH. Ao substituírem os hormônios naturais, os medicamentos da TRH revertem os principais sinais/sintomas climatéricos, reproduzindo, de certa forma, as condições pré-menopausa. A mulher no climatério não é uma “doente”, nesse período apenas está se ressentindo da falta de alguns hormônios no seu organismo que fizeram parte de sua vida durante muitos anos. No mais, esta mulher atingiu o ápice de sua experiência e maturidade e está apta a ser feliz e fazer os outros felizes. 6

Resumindo: 
A menopausa é a última menstruação da mulher e o climatério é a fase da vida em que ocorre a transição do período reprodutivo ou fértil para o não reprodutivo, devido à diminuição dos hormônios sexuais produzidos pelos ovários. 7

A diminuição dos níveis hormonais é um fato que ocorre com todas as mulheres e se inicia ao redor dos 40 anos. Algumas mulheres podem apresentar um quadro mais acentuado de sinais e sintomas, porém todas chegarão à menopausa. 7

A idade média das mulheres na menopausa é de 51 anos, podendo variar de 48 a 55 anos. Quando ocorre nas mulheres com menos de 40 anos é chamada de menopausa prematura. 7
Alimentos Funcionais no Climatério e na Menopausa
O consumo da soja diminui as ondas de calor típico da menopausa, propiciando um equilíbrio hormonal. Na menopausa é indicado o maior consumo de alimentos ricos em cálcio e vitamina D, como laticínios magros, verduras escuras e leguminosas. “Já durante o período menstrual, alguns alimentos ricos em ferro são recomendados para ajudar a repor a perda de sangue, como por exemplo, carne vermelha, fígado e alguns frutos do mar”. 5 

O consumo de cereais integrais e carboidratos colaboram no combate ao desejo de consumir doces durante a menstruação, principalmente chocolate. “Deve-se ainda evitar alimentos muito salgados que propiciam maior retenção hídrica e distensão abdominal”. 5

Uma alimentação saudável e equilibrada auxilia na redução dos sintomas da menopausa. Eis algumas dicas: 8 

Aumentar o consumo de alimentos fontes do mineral cálcio. Estes são importantes para a manutenção da saúde óssea, tais como: gergelim, tahine, couve, salsa, queijos brancos, leite, iogurtes, entre outros. 

Priorizar o consumo de produtos à base de soja: extrato de soja, soja em grãos, proteína texturizada de soja, tofu, missô. A soja é considerada um alimento funcional, pois possui a isoflavona, que apresenta estrutura similar ao estrogênio (hormônio feminino); 

A semente de linhaça, possui uma substância chamada lignana, que atua auxiliando no alívio dos sintomas da menopausa. Além disso, é rica em fibras e em óleos essenciais ao organismo (ômega 3 e ômega 6) que atuam aumentando o HDL ou "colesterol bom" e reduzindo o LDL ou "colesterol ruim"; 

Os cereais integrais (arroz integral, massas integrais, pão integral, biscoitos integrais, farinhas integrais, aveia, granola, farelo de trigo) também devem ser introduzidos na alimentação diária, pois são fontes de carboidratos que fornecem energia para nosso organismo e fibras, que melhoram o funcionamento do intestino;

O suco de uva é rico em resveratrol, uma substância que atua na prevenção de doenças cardíacas, além de ser um excelente antioxidante combatendo os radicais livres;

Inclua na alimentação o gérmen de trigo e as sementes oleaginosas (avelãs, nozes, castanha de caju, castanha-do-pará, amêndoas e pistache), pois são alimentos fontes de vitamina E, que combatem o envelhecimento precoce da pele;

Consuma diariamente frutas, verduras e legumes, por serem ricos em fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes; Beba bastante líquidos durante o dia sob a forma de água, chás e sucos naturais.
Alimentos Funcionais e Menopausa 9
1. Use lignana 

Sabe aquele gel que a linhaça forma quando fica de molho na água. Ele é rico em lignana que funciona como um estrógeno, ou seja, ela vai se ligar ao mesmo receptor que o estrógeno ligaria no seu organismo. Então, esse gelzinho, funciona muito bem como reposição hormonal natural. Se você está na menopausa, use pelo menos 3 vezes ao dia. Ter só TPM, pode usar 2 vezes ao dia. 

Como usar? 

Coloque 1 colh de sopa de semente de linhaça (dourada ou marrom) em meio copo de água. Deixe de molho de 4 a 8 horas. Use o gel puro ou batido com alguma fruta ou iogurte! 

2. Use proteína isolada de soja 
Os benefícios da soja relacionada a controle hormonal já é bem conhecido. Então faça como o gel de linhaça. Use de 2 a 3 vezes ao dia para ver algum resultado. E, pode bater junto com o gel de linhaça e fazer um "shake". 

Existem dois produtos no mercado que é a proteína isolada de soja, que pode ter mais isoflavona do que o extrato de soja. Então, vale mais a pena.

3. Use chás 
O chá de angélica e o chá de amora pode te ajudar nessa missão. Pode tomar quente ou gelado (ainda mais nesse calor), o que não pode é requentar o chá. Tome até de 2 a 4 xícaras por dia. 

4. Se for viajar... 
Procure por cápsulas que vão te ajudar. Existem várias! Tem isoflavonas de soja, tem progesterona natural em creme e tem uma planta que chama Black Cohosh que pode ajudar também nos calorões!

5. Procure por hormônio bioidêntico 
Existe uma grande diferença entre reposição hormonal tradicional e reposição hormonal bioidêntica. O hormônio bioidêntico é muito melhor porque é mais natural! Procure por um especialista! 
CONCLUSÃO
A menopausa é um período onde a mulher tem diversos problemas relacionados aos seus ciclos menstruais e com isso possui diversos sintomas que fazem com que a vida se torne ruim, mas para que isso não aconteça e continue vivendo a sua vida normalmente existe alimentos que ajudam a amenizar os sintomas causados pela época da menopausa. É importante lembrar que a quantidade e indicação de cada nutriente deve ser avaliada individualmente, de acordo com os seus objetivos e necessidades. Procure um Nutricionista.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA – ANVISA. Aprova o regulamento técnico que estabelece as diretrizes básicas para analise e comprovação de propriedades funcionais e ou de saúde alegadas em rotulagem de alimentos. Resolução n. 18, de 3 de dezembro de 1999. 
2. ROBERFROID, M. Functiond food concept and ites application to prbiotics. Digustive and Liver Disease. V. 34, Suppl. 2, p. 105 - 110, 2002.
3. VIEIRA. A. C. P., et al Alimentos funcionais: aspectos relevantes para o consumidor, jul. 2007.
4. ALIMENTOS FUNCIONAIS. Disponível em: . Acesso em 02 set. 2012.
5. ALIMENTOS FUNCIONAIS E MENOPAUSA. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2012.
6. MENOPAUSA. Disponível em: . Acesso em 02 set. 2012.
7. CLIMATÉRIO E MENOPAUSA. Disponível em: . Acesso em 02 set. 2012.
8. ALIMENTOS FUNCIONAIS E MENOPAUSA. Disponível em: < http://www.mundoverde.com.br/Saude/Artigo/2009/03/17/Menopausa/
>. Acesso em: 13 set. 2012.
9. ALIMENTOS FUNCIONAIS E MENOPAUSA. Disponível em: < http://www.drafernandagranja.com/2012/03/semana-da-mulher-climaterio.htm>. Acesso em: 13 set. 2012.
Fonte:Portal da educação

Suplemento 7-Keto DHEA - Conheça um pouco sobre ele!

Relacionado a benefícios como a perda de peso, diminuição de perda muscular, reforço ao sistema imunológico, melhoria do ritmo do metabolismo e redução do estresse, o 7-Keto DHEA é um sub-produto do hormônio DHEA (dehidroepiandrosterona), obtido naturalmente pelo organismo humano no cérebro e nas glândulas supra-renais.
 
A substância também pode ser consumida por meio da suplementação alimentar. Vamos conhecer melhor para o que ela serve, quais os efeitos colaterais que pode acarretar ao corpo humano e a maneira indicada para a sua utilização.



Principais benefícios: Perda de peso

Quando o ritmo do metabolismo aumenta, as gorduras presentes no corpo podem ser queimadas mais rapidamente, e o tão sonhado emagrecimento acontecer de maneira mais acelerada. E é justamente esse um dos efeitos causados pela suplementação alimentar com 7-Keto DHEA: o estímulo para que a ação do metabolismo ocorra de maneira mais acelerada.
Um estudo feito para verificar a ação do 7-Keto DHEA em 30 adultos saudáveis identificou que as pessoas que utilizavam a substância conseguiram eliminar maior quantidade de gordura corporal do que os que não tomaram o suplemento.
Além disso, o 7-Keto DHEA também é relacionado a benefícios como a construção dos músculos e o aumento da massa magra.

Sistema imunológico

Um estudo feito pelo The Minnesota Aplied Research Center (Centro de Pesquisa Aplicada de Minnesota, tradução livre) verificou as propriedades da substância que podem oferecer benefícios ao sistema imunológico.
Durante quatro semanas, homens e mulheres idosos consumiram 100 mg do 7-Keto DHEA duas vezes ao dia. O resultado apresentado foi a melhoria da função imunológica, do crescimento das células auxiliares imunes, assim como o aumento dos glóbulos brancos e a diminuição da pressão arterial.
PUBLICIDADE
Outra pesquisa feita com macacos infectados com SIV (simian immunodeficiency vírus, condição semelhante ao HIV) demonstrou que, após a ingestão da substância, os animais apresentaram aumento de peso, crescimentos nas células T, que fazem parte do sistema imunológico desses bichos, além de melhoria em seu bem-estar.

Efeitos do envelhecimento

Assim como acontece com o DHEA, hormônio do qual é originado, os níveis de 7-Keto DHEA também decrescem no nosso organismo conforme o tempo vai passando e a idade vai chegando.
Um dos prejuízos que essa diminuição do DHEA traz ao corpo humano é o aumento do hormônio cortisol, que quando encontrado em taxas elevadas causa a perda de massa muscular, aumento do peso, crescimento do risco de osteoporose, decréscimo de testosterona, lapsos de memória e diminuição da libido.
O uso da suplementação com 7-Keto DHEA para combater os efeitos do envelhecimento foi testado por meio de uma pesquisa que aconteceu na República Tcheca. O estudo mostrou que o consumo de 25 mg diariamente contribuiu para a redução dos riscos de apresentar doenças cardiovasculares, além da melhoria da função cerebral.
A ação do 7-Keto DHEA também é associada a melhoria na eficiência da memória e na promoção da qualidade do desempenho sexual.

Efeitos Colaterais
Os efeitos colaterais mais comuns associados ao uso do 7-Keto DHEA são a acne, aumento da oleosidade da pele e da transpiração, perda de cabelo, fadiga, dor de cabeça, congestão nasal e aceleração dos batimentos cardíacos.
Para as mulheres, especificamente, pode ser que ele cause insônia e irregularidade nos ciclos menstruais.
O hormônio DHEA, que dá origem ao 7-Keto DHEA é apontado como o responsável por mudanças de características femininas e masculinas no organismo de quem faz uso de seus suplementos. Nas mulheres, o que ocorre é o surgimento de pelos faciais, engrossamento na voz, ganho de peso na região abdominal e alargamento do clitóris. Já nos homens, uma das coisas que acontece é o aumento dos tamanhos das mamas.
Por mais que os efeitos do 7-Keto DHEA possam ser menores, ainda não há pesquisas suficientes que comprovem que a substância não possui o mesmo potencial para causar esses problemas.

A suplementação com a substância também é considerada como fator de risco para alguns tipos de câncer como o de mama, ovário e próstata.Ainda relacionando com os efeitos que o DHEA pode causar, vale registrar o risco de alterações mentais como as mudanças de humor, aumento da agressividade, ansiedade, agitação, irritabilidade e até psicose.
Justamente por ser um sub-produto do hormônio DHEA é que não podemos deixar esses possíveis riscos de lado e alertar quanto a importância de consultar um médico antes de começar a consumir um suplemento alimentar feito à base de 7-Keto DHEA.

Recomendações

Algumas pessoas precisam ficar ainda mais atentas quanto ao uso de componentes com o hormônio DHEA, ou que se originem a partir dele. Por exemplo, eles não são recomendados às pessoas portadoras de diabetes porque podem causar o crescimento das taxas de açúcar no sangue e resistência ao hormônio insulina.
Há ainda a chance de ocorrer a alteração nos níveis do hormônio tireóide e na função das glândulas supra-renais. Sendo assim, pessoas com problemas endocrinológicos também devem permanecer longe dos suplementos com DHEA.

Como tomar

A dose adequada da substância, assim como a máxima que é tolerada pelo organismo, ainda não foi determinada. Entretanto, geralmente é aconselhada a ingestão diária de 200 até no máximo 400 mg do suplemento preparado à base de 7-Keto DHEA, divididas em duas porções de 100 ou 200 mg.
Dessa maneira, é recomendado pedir orientação médica antes de utilizar a substância para obter um dos benefícios acima apresentados, a fim de saber a dosagem ideal e os efeitos colaterais específicos que podem acontecer em cada caso.

Fonte:Mundo Boa Forma

Menos calorias ou mais calorias: o que é ideal para minha meta fitness?

A decisão de definir uma meta fitness é ótima, e todo mundo deveria ter uma. O problema de definir uma meta fitness está na hora da dieta, principalmente na definição da quantidade de calorias que você deve consumir para o objetivo exato de ganho de peso, perda de peso, hipertrofia, ganho de massa muscular, entre muitos outros objetivos possíveis.

Consumir mais ou menos calorias?
Quando confrontados com esta decisão, é importante considerar vários fatores, mais notavelmente sua meta de peso (se você está querendo perder, ganhar ou manter peso), a frequência, intensidade e duração dos seus exercícios durante os dias da semana, e o seu nível de fome durante cada período no dia. Um nutricionista profissional sempre considera todos esses elementos ao fazer uma dieta balanceada.
É fácil, e bastante comum superestimar a queima de calorias e subestimar o consumo de calorias. Ao comer de qualquer jeito depois da prática de exercícios físicos, você pode acabar consumindo todas as calorias que você gasta durante o exercício, e involuntariamente minar seus esforços para perder ou manter o seu peso. Além disso, você pode estar enganando os sinais de fome do seu corpo, se você não se sente particularmente interessado por essas calorias depois dos exercícios, mas come (ou bebe de qualquer maneira. Se seu corpo não está lhe dizendo que precisa de combustível, é melhor esperar até ele precisar.
Controle de calorias na perda de peso
O pior controle de calorias na perda de peso é feito por aqueles que querem perder peso. Quem está tentando controlar o peso, tem grandes chances de que sempre vai estar com fome. Isso é um problema que pode ser causado por inúmeros fatores: metabolismo acelerado, falta de nutrientes na alimentação, alimentação pobre em fibras, refeições mal distribuídas durante o dia. Tudo parte do princípio do controle: se você não controla suas calorias, você vai consumir mais ou menos do que realmente precisa, e sair do seu objetivo.
Mais calorias para ganho de massa muscular
dieta para ganho de massa muscular é a que vai envolver mais calorias. Só que a pessoa não pode sair comendo pratos gigantes de macarrão e bife de boi e achar que vai criar músculos gigantes. Não é assim que funciona.
A dieta para ganho de massa muscular tem que ser equilibrada em nutrientes que ajudam na construção de músculos e recuperação muscular após a prática de exercícios físicos. Leite, carnes magras, ovos, alimentos integrais, são apenas alguns dos exemplos nesse tipo de dieta.
Controlar os nutrientes da sua dieta é mais importante do que controlar as calorias
Você deve ter percebido até agora que os nutrientes da dieta são mais importantes do que as calorias em si. Por exemplo, é importante manter-se hidratado durante todo o dia, bebendo bastante água. Isso porque, muitas vezes quando sentimos fome, estamos na verdade sentindo é sede.
Para saber também se você precisa de mais ou menos calorias, é preciso estar disposto a fazer ajustes semanais na sua dieta. Você vai perceber que algumas receitas ou alimentos funcionam melhores do que outros, e tem que considerar isso na sua dieta. Principalmente para quem está praticando exercícios de alta intensidade, alimentos que ajudam na recuperação muscular são de extrema importância.
Conte com o auxílio de profissionais na sua meta fitness
Gostamos sempre de lembrar aos nossos leitores: um personal trainer não passa anos aprendendo como levantar pesos. Uma nutricionista não passa 4 anos na faculdade aprendendo a escolher qual a dieta da moda. Um educador físico não passa os anos da faculdade aprendendo como dar uma aula de spinning.
Profissionais sérios são capazes de auxiliar você rumo a atingir sua meta fitness, além de fazer ajustes de acordo com sua rotina, seu comportamento, seus pontos fortes e fracos. Principalmente na hora de definir um aumento ou redução na quantidade de calorias, ou na intensidade dos exercícios físicos, esses profissionais podem ser de ótimo suporte para te manter no caminho certo rumo ao seu objetivo fitness.
Fonte:Saúde Melhor