sábado, 24 de junho de 2017

Vitamina B12- O que pode causar sua falta no organismo?

Deficiência de vitamina B12 é causa de anemia acompanhada ou não por dificuldade para andar e parestesias ou formigamentos de distribuição simétrica, principalmente nas pernas, pés e mãos.
Alimentos ricos em B12:

Pode haver ainda palidez, inchaço, hiperpigmentação da pele, icterícia e fraqueza muscular. Inflamações na língua, má absorção de nutrientes, infertilidade e tromboses são menos frequentes.
A vitamina B12 é essencial para a formação, integridade e maturação das hemácias. Em sua ausência, elas aumentam de volume e o tamanho do núcleo fica desproporcional ao do citoplasma. Na medula óssea — local em que são produzidas — o número de células chega a aumentar tanto que o aspecto simula o das leucemias.
É uma vitamina necessária para o desenvolvimento e manutenção das funções do sistema nervoso. Sem ela, a mielina que recobre os nervos (como a capa de proteção faz com os fios elétricos) sofre um desgaste que recebe o nome de desmielinização, processo que ocorre tanto em neurônios de nervos periféricos, quanto naqueles da substância branca do cérebro.
A principal fonte de B12 está nos alimentos de origem animal. Mas, para absorvê-la, o tubo digestivo depende de fatores intrínsecos presentes num grupo especial de células do estômago (células parietais) e de receptores localizados no íleo.
Anemia perniciosa
A causa mais frequente da deficiência de B12 é a perda desse fator intrínseco produzido pelas células parietais, associada a um tipo de gastrite (gastrite atrófica). A anemia resultante é denominada anemia perniciosa, nome inadequado, porque não leva em consideração as manifestações neurológicas.
A anemia perniciosa resulta de um mecanismo autoimune em que a própria resposta imunológica destrói as células parietais do estômago. Como consequência, ocorre perda do fator intrínseco necessário para a ligação com a vitamina B12 ingerida.
Doenças autoimunes, como diabetes do tipo 1, vitiligo e as que afetam a tireoide, aumentam o risco de anemia perniciosa.
A prevalência é de 50 a 4.000 casos em cada cem mil habitantes. É mais comum em descendentes de africanos e europeus do que em asiáticos. É preciso estar atento às formas leves de gastrite atrófica que ocorrem em até 20% das pessoas mais velhas.
Se alimentados exclusivamente com leite materno, filhos de mães portadoras de deficiência de B12 podem apresentar a partir dos quatro meses de idade: anemia, hipotrofia cerebral, retardo de desenvolvimento, hipotonia muscular, perda de apetite, irritabilidade, tremores, letargia e coma.
A reposição de B12 provoca regressão rápida do quadro. Quanto mais prolongada a deficiência, mais lenta e incompleta a recuperação.
Outras causas da deficiência:
1) Cirurgias que reduzem as dimensões do estômago, como as gastrectomias totais ou parciais e as cirurgias bariátricas;
2) Doenças inflamatórias do intestino e as que provocam má absorção;
3) Uso crônico de medicamentos para reduzir a concentração de ácido no suco gástrico (omeprazol, ranitidina, etc.);
4) Uso de metformina no diabetes;
5) Dietas vegetarianas ou pobres em alimentos de origem animal.
 Diagnóstico e tratamento
Embora níveis sanguíneos de B12 muito baixos estejam associados à deficiência, é raro encontrá-los. Resultados na faixa de normalidade não excluem a possibilidade de haver déficit. Exames falso-negativos e falso-positivos são frequentes.
O diagnóstico é feito com base nas dosagens sanguíneas de ácido metilmalônico e homocisteína, que se encontram elevadas em 98% dos casos. Como a reposição vitamínica provoca diminuição progressiva dessas concentrações, a primeira dosagem deve ser pedida antes de iniciar o tratamento.
A reposição começa com uma dose de ataque de oito a dez ampolas de 1.000 microgramas, por via intramuscular; seguidas de uma ampola por mês. A dose por via oral é de 1.000 a 2.000 microgramas diárias.
A anemia geralmente é corrigida em dois meses. O quadro neurológico regride parcial ou completamente em seis meses. O tratamento é mantido por períodos longos ou pela vida toda.
 Fonte: Drauzio Varella

Exercícios que ajudam a diminuir a celulite!

A celulite é um problema que tentamos resolver sendo homens ou mulheres, claro que é uma preocupação feminina, pois na nossa constituição física temos mais gordura que os homens, e ao longo dos anos acumulamos mais gordura corporal que eles. Podemos ser magras ou estar acima do peso é um grande problema a celulite, que podem aparecer com três características: a suave, moderada ou esclerótica (que é uma alteração mais nítida).
Quando o tecido de gordura aumenta e a camada de gordura mais próxima da periferia (próximo à pele) engrossam, formam-se as cavidades da celulite. Todo esse processo acontece pelas alterações no tecido adiposo que atingem também a microcirculação.
Os exercícios aeróbios e musculares são muito eficazes na diminuição da celulite, ambos provocam uma diminuição de gordura corporal e os efeitos que a celulite traz são amenizados, mas sempre associados com a reeducação alimentar. Os estudos mais recentes dão muito crédito para os exercícios musculares, pois eles agem de maneira muito eficiente no tecido adiposo, isso faz com que a celulite diminua muito.

Exercícios eficazes para combater a Celulite
Existem muitos exercícios eficazes, mas os musculares são os mais práticos e eficazes, dentre eles estão:
  • Leg press (academia) - o equipamento de leg press da academia têm algumas variações, o horizontal, inclinado e vertical, todos são muitos bons. O exercício consiste em fazer uma flexão de joelhos empurrando uma plataforma, alguns cuidados devem ser observados: não estender totalmente os joelhos, deixar o joelho levemente fletido ao final do movimento, fazer o movimento bem controlado para que você obtenha mais resultados e apoiar bem a lombar no equipamento para te dar melhor base para realizar o exercício.
  • Agachamentos - os agachamentos são excelentes para diminuir os efeitos da celulite, um dos campeões para combatermos a celulite. Eles são exercícios bem complexos, pois envolvem um número muito grande de músculos fazendo com que acha muito bem nos tecidos musculares e adiposos.
Existem muitas variações de agachamentos, sem equipamentos, com a bola de apoio, com halteres, dentre outras variações, o importante é realizar o movimento com bastante atenção e bem controlado. É de extrema importância procurar ajuda de um Profissional de Educação Física para corrigir e orientar no movimento.
  • Elevação de quadril no solo - exercício ótimo para trabalhar as musculaturas posteriores de coxa e glúteos. Ele é muito eficaz para resolver o problema com a celulite, e é um exercício muito seguro de se fazer. Inicie com o próprio peso corporal e vá intensificando com o tempo utilizando carga.
A maior parte dos exercícios musculares são ótimos para combater a celulite, apenas coloquei três dos mais eficientes acima. É muito importante que vocês observem a alimentação, consultem um profissional de Nutrição, pois potencializará melhores resultados na diminuição de gordura corporal.
Para que os exercícios e o programa de treinos seja seguro e eficaz sempre tenha a consultoria de um Profissional de Educação Física, os resultados serão muito mais otimizados e você terá toda a segurança em realizar os exercícios corretamente.
Fonte:MSN