domingo, 23 de abril de 2017

10 sinais de que o seu intestino precisa de outra alimentação

Ter uma boa saúde intestinal é meio caminho andado não só para se conseguir manter um peso saudável, como também para melhorar a qualidade do sono e a saúde de uma forma geral.

Quando o intestino não funciona como deveria, o corpo não tarda a emitir os primeiros sinais de alerta, que devem ser avaliados por um especialista a e estudados tendo em conta o tipo e alimentação que a pessoa tem.
A dieta é, de fato, um dos fatores que mais interfere na boa saúde intestinal e que tanto pode funcionar como tratamento de uma doença, como ser mesmo a causa de uma infinidade de patologias. Na prática, ter uma alimentação 'amiga' dos intestinos – isto é, rica em fibra, à base de alimentos vegetais e no seu estado natural e que exclua todo o tipo de produtos processados, bebidas alcoólicas e açucaradas – ajuda a microbiota intestinal a se manter saudável. 
 Existem 10 sinais de que o seu intestino precisa mesmo de outro tipo de alimentação.
1 – Peso a mais e dificuldade em perdê-lo. A incapacidade de perder peso é um dos casos mais claros de que os alimentos têm um impacto diferente de pessoa para pessoa e tudo por culpa da flora intestinal, que varia de organismo para organismo e que atua perante os alimentos de uma forma diversa. Contudo, apostar nos melhores alimentos para o intestino ajuda no processo de emagrecimento.
2 – Ter pré-diabetes ou diabetes tipo 2. Ter uma alimentação rica em fibra e isenta de alimentos processados e com açúcar ajuda a tratar da saúde dos intestinos e reverter alguns dos problemas de saúde mais comuns, como o diabetes.
3 – Ter acne crônica. De acordo com a especialista, a incapacidade de dizer adeus de vez à acne deve-se, em muito, à má alimentação e ao impacto que isso tem na saúde intestinal, que fica ainda à mercê dos remédios usados para combater este problema cutâneo.
4 – Sentir-se triste e/ou irritado. Por ser o ‘segundo cérebro’, os intestinos estão diretamente ligados ao cérebro e não faltam estudos que comprovam que as bactérias intestinais interferem e muito com o humor.
5 – Sofrer de inchaço abdominal recorrente. Comer alimentos processados, com açúcar, ricos em sal e gorduras não só promove o ganho de peso como interfere na saúde intestinal e, por isso, contribui para o inchaço abdominal.
6 – Sofrer de prisão de ventre crônica. Este é mais um dos casos de que a má alimentação interfere na flora intestinal e causa danos à saúde, sendo o mais recorrente a prisão de ventre.
7 – Dor nas articulações. À primeira vista, uma dor no joelho em nada tem a ver com os intestinos, mas a verdade é que este tipo de dor está muito associado ao sistema imunológico, que depende em cerca de 80% da boa saúde intestinal.
8 – Ataques de asma frequentes. Segundo a especialista, as boas bactérias intestinais (que podem ser ‘cultivadas’ com a ingestão de probióticos, por exemplo) previnem os ataques de asma.
9 – Má qualidade de sono. Por interferir no sistema imunológico, os intestinos interferem também no ritmo circadiano. O sono acaba por ser menos regular e ter menos qualidade, tudo por culpa dos alimentos ingeridos.
10 – Esquecimentos frequentes. Um recente estudo sugere que a boa saúde intestinal é capaz de prevenir o aparecimento ou agravamento do Alzheimer.
Evite a Diverticulite!


O e-book: Sucesso na Prevenção e Controle da Diverticulite, é o único guia completo para você entender o que é, causas, como surgem, sintomas, prevenção e controle da Diverticulite de uma forma simples, através da correção de hábitos alimentares,  incluindo sugestões de cardápios.

Aproveite também o livro bônus com 10 receitas funcionais deliciosas que você receberá junto com a compra deste livro.



PATRÍCIA BRIGAGÃO MENDES

Clique no link abaixo e adquira já seu exemplar e ganhe um livro bônus de receitas:

Alimentos que ajudam a baixar a pressão!

 Aqui estão os 10 Superalimentos para Baixar a Pressão Arterial Alta.

1. Couve

Couve contêm um antioxidante chamado glucoraphanin que tem a capacidade de reduzir a pressão arterial e reduzir a inflamação nas artérias, coração e rins.
Os efeitos deste antioxidante também podem reduzir o risco de derrame e ataque cardíaco.
Certifique-se de comer brotos frescos, pois eles têm a maior concentração de proteínas, minerais, enzimas, antioxidantes, anticancerígenos, vitaminas e minerais.

2. Espinafre

Espinafre é um alimento rico em ácido fólico que pode diminuir o risco de hipertensão.
Este vegetais folhosos verde também fornece uma proteína completamente absorvível, equilibrada juntamente com antioxidantes que ajudam a baixar a pressão arterial.
Um estudo publicado no Jornal Associação Americana Medicinal descobriu que aqueles que consumiram pelo menos 1.000 microgramas de ácido fólico de espinafre por dia tinha menor risco de hipertensão, em comparação com aqueles que consumiram 200 microgramas por dia.
Outras boas fontes de alimentos ricos em ácido fólico incluem legumes e aspargos.

3. Aipo

Este vegetal verde crocante tem uma composto chamada ftalida de 3-n-butil que relaxa o músculo liso como forro em vasos sanguíneos, reduzindo a pressão arterial.
Aipo é também uma boa fonte de vitaminas e minerais, incluindo vitamina C, potássio, cálcio e magnésio que ajudam a reduzir a pressão arterial.
De acordo com um estudo relatado no The New York Times, quem come quatro talos de aipo por dia, baixa sua pressão arterial em 12 a 14 por cento em comparação com aqueles que não come.

4. Alho

alho tem propriedades anti-inflamatórias e antivirais que podem lutar contra a doença coronariana desconectando as artérias.
O gás que alho produz no estômago relaxa as artérias e reduz a pressão arterial tabela.
Comer um alho por dia pode reduzir significativamente a sua pressão de sangue em menos de três meses.
Você também pode usar alho em pó na preparação de receitas ou tomar um suplemento de alho.

5. Bananas

As bananas tem um alto teor de potássio, que é conhecido por baixar a pressão sanguínea e reduzir o risco de acidente vascular cerebral.
As bananas são também baixas em teor de sódio, que é importante para as pessoas com pressão arterial elevada evitar.
Uma banana por dia pode fornecer uma dose de potássio, ajudando a reduzir a pressão arterial e se defender de várias doenças cardiovasculares.
Juntamente com as bananas, você também pode comer outras frutas tais como maçãs, pêras, ameixas, romã e manga.

6. Tomate

Tomates contêm licopeno, um antioxidante que ajuda a proteger as células dos efeitos nocivos dos radicais livres.
O licopeno e carotenóide encontrados em tomate ajuda na redução da pressão arterial elevada e reduzir o risco de doença cardíaca.
Tomates também contêm nutrientes como cálcio, potássio e vitaminas A, C e E que são bons para sua saúde geral.
Um estudo de 2006 publicado no jornal americano de coração descobriu que o consumo regular de 250mg de extrato de tomate por oito semanas pode reduzir significativamente a pressão sistólica e diastólica entre aqueles que têm hipertensão.

7. Batatas

Batatas são ricas em potássio e também contém um composto de redução da pressão de sangue chamado kukoamines.
Eles também contêm uma variedade de minerais e vitaminas, como vitaminas C, B6, B1 e B3; magnésio, ferro, zinco e fósforo; assim como carotenóides e fenóis naturais.
Todas estas vitaminas e minerais são bons para sua saúde geral.
Para obter melhores resultados, certifique-se de preparar as batatas sem fritá-los e comê-los sem adicionar manteiga, margarina ou creme de leite.


8. Amêndoas

Nozes como amêndoas fornecem proteínas e gorduras saudáveis que são bons para sua saúde.
A alta quantidade de proteína boa em amêndoas e leite de amêndoas ajuda a baixar a pressão arterial elevada e luta contra a diabetes e doenças cardiovasculares.
As gorduras monoinsaturadas em amêndoas servem para baixar os níveis de colesterol, reduzir a inflamação arterial e, finalmente, reduzir a pressão arterial.
A Associação Americana do Coração, observa que o potássio presente em amêndoas pode reduzir os efeitos negativos de sódio sobre a pressão arterial.
Gorduras saudáveis também promovem saúde cardiovascular.

9. Óleo de Oliva

Azeite tem combate a radicais livres antioxidantes conhecidos como polifenóis.
Esses polifenóis ajudam a reduzir pressão arterial, protegendo o colesterol LDL (“ruim”) da oxidação.
Quando muito oxidação do LDL ocorre nos vasos sanguíneos, podem tornar-los rígido e por sua vez aumenta a pressão arterial.
Azeite também é rico em monoinsaturados ácidos graxos como o ácido oléico, que ajuda a prevenir a hipertensão arterial.
No entanto, é essencial ter em mente que o azeite perde muito de seus benefícios de saúde quando aquecido.
Devido a isso, tente usar azeite sem cozinhá-lo.
Você pode regue-lo numa salada ou misturar com uma tigela de batatas assadas para desfrutar o máximo de benefícios.

10. Salmão

Os ácidos graxos ômega-3, bem como o EPA (ácido eicosapentaenóico), encontrado principalmente em peixes de água fria como salmão, reduz a inflamação e preveni a hipertensão arterial.
Além disso, o salmão tem conteúdo de baixa proteína, gordura que é bom para as pessoas com pressão arterial elevada.
Junto com o salmão, você também pode comer outros peixes de água fria como a cavala, linguado, anchova, atum e arenque.
Se você não gosta do sabor do salmão ou outro peixe, você pode tomar suplementos de óleo de peixe.
Estes superalimentos podem ajudar a diminuir a sua pressão de sangue, em muito pouco tempo.
Além disso limitar a ingestão de açúcar e gorduras saturadas, podem aumentar a inflamação e endurecer as artérias, contribuindo para a hipertensão.

HIPERTENSÃO

A dieta é uma mudança nos hábitos alimentares. Esta mudança deve ser acompanhada por um profissional para não causar deficiências nutricionais.
É por isso que os regimes são diferentes, eles mudam dependendo das necessidades de cada individuo.

QUE DIETA ESCOLHER?

A dieta de pressão arterial elevada pode reduzir o risco de doença cardiovascular.

O QUE É UMA DIETA ADAPTADA PARA A PRESSÃO ARTERIAL ELEVADA?

A hipertensão é caracterizada por uma pressão sanguínea mais elevada do que o normal.
É regularmente medida em visitas ao médico com o auxílio de um medidor de pressão (manguito ao redor do braço).
A pressão arterial elevada provoca riscos significativos como:
Para prevenir e tratar a hipertensão, um nutricionista irá prescrever uma dieta estudada de acordo com suas necessidades. Em geral, o sistema baseia-se em:
  • uma dieta equilibrada;
  • diminuição no consumo de alimentos que contenham gordura, açúcar e sal adicionado;
  • cessação do tabagismo;
  • uma diminuição do consumo de álcool e bebidas açucaradas;
  • aumento do consumo de alimentos ricos em potássio, cálcio e magnésio;
  • atividade física regular.
Importante: não tente seguir uma dieta de pressão sanguínea pré-definida, isso pode piorar a sua condição. É essencial seguir as instruções de seu médico.

OS BENEFÍCIOS DESTE REGIME

A dieta da pressão arterial elevada tem muitos benefícios:
  • reduz o risco de doença cardiovascular eficazmente;
  • ele é personalizado e, portanto, adaptado às suas necessidades;
  • ele pode mudar e melhorar a sua qualidade de vida, com a adição de mais esportes e uma alimentação saudável.

DESVANTAGENS DE UMA DIETA DE PRESSÃO ARTERIAL ELEVADA

A dieta de alta pressão arterial melhora a qualidade de vida e previve futuros problemas de saúde.
É verdade que pode ser difícil de seguir uma dieta assim, pois elas pedem para que se restrinja o consumo de certos alimentos (muitas vezes apreciado por seus gostos) e mudar totalmente seus hábitos alimentares.
Mas uma vez que aceitar essas regras, você irá ganhar uma nova saúde.
Fonte: Colaboradora Rosi Feliciano