quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Pão Básico sem Glúten

INGREDIENTES

1 tablete de fermento biológico (15 g )
3 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de óleo
1 colher (chá) de sal
1 ovo
1 xícara (chá) de polvilho doce
1 e meia xícara (chá) de farinha de arroz
1 batata cozida picada

MODO DE PREPARO

Em um liquidificador, bata 1 xícara (chá) de água, o fermento biológico, o açúcar, o óleo, o sal e o ovo. Acrescente o polvilho doce, a farinha de arroz e a batata e bata bem até obter uma massa homogênea.. Coloque a massa em uma forma de bolo inglês (25 x 9 x 7 cm), untada com manteiga, e deixe crescer por cerca de 30 minutos. Leve ao forno médio (180°C), preaquecido, por cerca de 40 minutos. Sirva.

RENDIMENTO:1 PÃO (12 PORÇÕES)
DICA:
- Você pode variar o pão, acrescentando ervas ou queijo parmesão no momento de assar.





Tomar água é a pior coisa que você pode fazer ao ter cólica renal: entenda o porquê

Diante de uma crise de cólica renal, um dos primeiros impulsos é tomar um pouco de água. Apesar de comum, a prática, na verdade, é a pior coisa que você pode fazer, já que agrava ainda mais o problema.

Cólica renal: beber água piora a condição

As cólicas renais normalmente acontecem quando a(s) pedra(s) dos rins obstrui as vias urinárias. Muita gente ainda segue o antigo conselho de beber bastante água quando experimenta uma crise, pois, em teoria, o processo faria com que o rim forçaria o líquido a empurrar o cálculo para baixo.
Já se sabe hoje, no entanto, que durante essa obstrução, o rim filtra a urina e não tem como eliminar o líquido, causando então a dilatação e o inchaço que provocam as dores.
Alimentação inadequada, mau funcionamento do sistema urinário e predisposição genética são alguns dos fatores mais comuns da formação de pedras nos rins e, consequentemente, das cólicas.
Manter o corpo sempre hidratado e, portanto, ingerir bastante líquido, é essencial para evitar o problema, já que quem bebe pouca água produz urina mais concentrada, o que facilita a formação de cristais que vão formar as pedras. No entanto, durante uma crise, a recomendação é evitar o consumo excessivo até que o problema tenha sido resolvido - via tratamento medicamentoso ou intervenção cirúrgica.
Fonte:Minha Vida

domingo, 26 de novembro de 2017

Dieta para Síndrome do Intestino Irritável

Resultado de imagem para síndrome do colon irritável

Grupos alimentaresO que deve ser eliminado (alto teor de FODMAP)O que posso comer à vontade (baixo teor de FODMAP)O que devo ingerir com moderação (moderado teor de FODMAP)
FrutasMaçã, damasco, abacate, amora, cereja, figo, sucos de fruta, lichia, manga, nectarina, pêra, caqui, ameixa, melancia.Banana, mirtilo, uva, melão, kiwi, limão, limão-galego, laranja, maracujá, abacaxi, framboesa, ruibarbo, carambola, morango.Abacate, chips de banana, coco ralado, toranja, romã, uva passa
VegetaisAspargo, alcachofra, beterraba, couve-flor, chicória, milho, alho, cebolinha verde (a parte branca), cogumelo, quiabo, cebola, ervilha, ervilhaBroto de alfafa, broto de feijão, pimentão, cenoura, pimenta, pepino, berinjela, endívia, erva-doce, feijão verde, couve, alho-poró, alface, azeitona, tomate, cebolinha verde (parte verde), espinafre, abobrinha, acelga, nabo, abobrinha.Alcachofra, brócolis, couve, abóbora, aipo, repolho verde, couve lombarda, batata doce, tomate.
Amido e legumesCevada, cuscuz, feijão, centeio, soja, trigo.Pão de milho sem glúten, pão de milho, pão sem glúten, farinha sem glúten, massa sem glúten, painço (ou milho miúdo), quinoa, arroz, tapioca, tofu.Trigo mourisco, grão de bico enlatado, aveia sem glúten, lentilha enlatada, pão sovado
Produtos de uso diárioCoalhada, queijo cottage, pudim, sorvete, leite (vaca, cabra, ovelha), nata, leite de soja, iogurteManteiga, leite de coco, leite sem lactose, leite de arroz, chantilly.Queijo de trigo, queijo feta, queijo mozzarella, queijo parmesão, cheddar e queijo suíço.
Grãos e nozesCaju, pistacheNozes, semente de chia, noz macadâmia, amendoim, manteiga de amendoim, pinhão, sementes de gergelim, semente de girassol, nozes.Amêndoas, semente de linhaça, avelã
CarneCarnes processadas que contêm trigo, alho, cebola.Carne de boi, carne de frango, carne de pato, ovos, peixe, cordeiro, carne de porco, frutos do mar, tofu, peru.
Condimentos ou enlatadosCondimentos que contêm trigo, alho, cebola, ketchup, maionese, mostarda, molho japonês, massa de tomateVinagre feito de champanhe, molho de peixe, suco de limão, óleos diversos, molho de ostra, vinagre de vinho tinto, molho de soja sem glúten, vinagre feito de vinho branco.Vinagre balsâmico (aromático).
Ervas e pimentasAlho e cebola em póManjericão, folhas de louro, pimenta de caiena, cebolinha-capim, coentro, gengibre, hortelã, semente de mostarda, orégano, páprica, salsa, pimenta, pimenta vermelha em pó, alecrim, sal, tomilho, açafrãoPimenta da Jamaica, canela, pimenta em pó sem cebola e alho
SobremesaMel, qualquer produto com manitol, sorbitol, xilitol.Potássio, aspartame, açúcar mascavo, xarope de bordo, sacarose, açúcar cristal, açúcar refinado
Fonte: MInha Vida

Como diminuir gases e inchaço abdominal

Gases e inchaço abdominal são sintomas gastro-intestinais muito comuns. Estes sintomas são muito comuns nos pacientes com Síndrome do Intestino Irritável e outros distúrbios funcionais gastro-intestinais, também conhecidos como Distúrbios do Eixo Cérebro-Intestino. Apesar disso, os gases ainda não são completamente compreendidos pela medicina.
Resultado de imagem para inchaço abdominal e gases

Principais causas para os gases e inchaço abdominal

As possíveis causas para os gases e inchaço abdominal são diversas e complexas, sendo que sua maior produção, alterações do trânsito intestinal , da microflora intestinal, e hipersensibilidade visceral devem ser os principais fatores a serem considerados. Confira:
  • Anormalidades na Flora Intestinal: As bactérias localizadas na luz intestinal exercem seu papel principalmente pela fermentação de carboidratos e produção de gases. Estudos observaram alterações na microflora intestinal de pacientes com Síndrome do Intestino á em relação aos grupos controle. Além disso, alguns autores propõe que estas alterações de flora promovem alterações no sistema imunológico da mucosa intestinal, gerando alterações na sensibilidade e motricidade do intestino
  • Supercrescimento Bacteriano no Intestino Delgado (SIBO): Ainda carece de mais estudos. Deve ser considerado principalmente em pacientes com cirurgias com desvios do trânsito intestinal, como nas bariátricas, por exemplo
  • Alterações na Motilidade Intestinal: Os gases e inchaço abdominais podem estar relacionados à constipação intestinal e disfunções da motilidade ano-retal, porém, nos parece que a maioria destes pacientes possuem na realidade Síndrome do Intestino Irritável, cuja causa ainda permanece parcialmente obscura
  • Hipersensibilidade Visceral: Esta hipótese é mais fortemente sugerida quando observa-se em diversos pacientes a sensação de inchaço, sem haver efetivamente a distensão abdominal. Em pacientes com Intestino Irritável, estímulos com injeção de gases um insuflação de balões no reto implicam em sintomas de dor e desconforto abdominais acentuados. Sugere-se que as alterações de sensibilidade estejam tanto no sistema autonômico como ligados a mecanismos cognitivos
  • Intolerâncias Alimentares e Malabsorção de Carbohidratos: O excesso de fibras alimentares implica em fermentação bacteriana no cólon. A intolerância a lactose, também pela digestão da lactose não absorvida no intestino delgado pelas bactérias do cólon. De forma mais abrangente, estudos consistentes demostraram que os alimentos chamados FODMAPs (oligo ? di e monossacarídeos e polióis). São moléculas osmoticamente ativas e muito rapidamente fermentáveis, e que induzem a proliferação seletiva de algumas cepas de bactérias intestinais, que produzem em excesso principalmente o hidrogênio. Segue anexa a tabela dos FODMAPs
  • Aspectos Psicológicos: É extremamente comum a associação da queixa de gases com ansiedade e depressão, o que favorece fortemente a associação do estresse psicológico com os sintomas mais acentuados relacionados aos gases. Também há associações com pânico e distúrbios do sono
  • Gênero e Hormônios Sexuais: O gênero feminino é muito mais acometido que os homens. Nesse caso, especula-se que a flutuação dos níveis de hormônios sexuais femininos possam contribuir.

O que fazer para acabar com os gases

As pessoas sempre perguntam se há uma dieta que elimine os gases. O problema é que os resultados somente são alcançados quando de restrições alimentares. Nesse caso, a dieta com baixo teor de FODMAPs é a mais abrangente, de uma forma geral. No entanto, há que se estabelecer quais os indivíduos possuem as intolerâncias específicas, como a lactose, frutose , glúten, rafinose e a Doença Celíaca.

Existem massagens ou exercícios para eliminar gases e inchaço abdominal?

A prática de atividade física aeróbica, como caminhadas, correr, natação, spinning, e diversas outras que são desenvolvidas em academias ou ao ar livre são fortemente indicadas , quase sempre com ótimos resultados. As massagens, normalmente executadas por profissionais massoterapeutas costumam ter efetividade limitada.

Remédios caseiros

Apesar de não haver evidência científica em relação ao tratamento dos gases e inchaço abdominal com chás, há alguns que podem auxiliar nos sintomas:
  • Chá de Hortelã-Pimenta (Mentha piperita)
  • Chá de Erva Cidreira (Melissa officinalis)
  • Chá de Erva Doce (Foeniculum vulgare)
  • Chá de Raiz de Dente de Leão
  • Chá Verde
  • Chá de Camomila
Fonte: Minha Vida

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Strong funcional: modalidade power que é alternativa ao crossfit

O strong funcional e o crossfit se parecem em alguns pontos, como a ausência de espelhos no local de treino, o uso de exercícios funcionais com pesos livres e o foco na autossuperação. Só que as semelhanças param por aí. Enquanto a modalidade brasileira (sim, ela surgiu aqui e deve chegar em breve aos Estados Unidos) prioriza um circuito personalizado, o crossfit adota o WOD (workout of the day), série que todos os alunos precisam seguir no dia, independentemente do próprio objetivo.

“Nossos circuitos são individualizados e desenvolvidos de acordo com a meta de cada pessoa, como emagrecimento ou definição”, explica o criador do método, o educador físico Ricardo Mitsuo. Ou seja, cada treino tem uma nova sequência montada exclusivamente para o aluno.
“Outro cuidado é que só aumentamos o peso do exercício quando a execução estiver dominada”, diz Ricardo. No crossfit, você pode fazer um balanço com o corpo para subir na argola, certo? Ou flexionar os cotovelos para levantar o kettlebell. No strong funcional, o movimento é realizado de forma concentrada, sem o alívio de carga. “Por isso, o exercício é dividido em partes para quem está começando.” Por exemplo, se você não consegue escalar uma corda, o aprendizado começa ainda no chão: deitada, você ergue o corpo puxando o acessório apenas com a força dos braços e, só depois, introduz as pernas no exercício para sair do solo e chegar ao topo.

Força bruta

Enquanto o crossfit se inspira na técnica explosiva do levantamento de peso olímpico, o strong funcional tem base no strongman (esporte cujos atletas carregam carros, pneus, troncos e outros objetos megapesados ao mesmo tempo em que caminham). “Os profissionais conseguem erguer mais de uma tonelada”, conta Ricardo. “Para conquistar essa resistência, não podemos abrir mão de exercícios clássicos como supino, agachamento e dead lift.”
A editora de fitness da BOA FORMA, Daniela Bernardi, testou a modalidade durante um evento organizado pela Fila e gastou 288 calorias em 31 minutos de treino. “Fizemos um circuito HIIT, em que a frequência cardíaca acelerou bastante. Me diverti com os exercícios mais rústicos: caminhei com um suporte apoiado nas costas (como na foto abaixo), saltei em cima de um pneu enorme e até levantei um tronco de 40 kg com a ajuda do professor”, conta.
Fonte: Boa Forma

Tomar café no pré treino é bom?

Pode ficar sossegado e tomar a próxima xícara de café sem culpa: estudos  mostram que, além de fazer bem à saúde, a bebida também potencializa sua performance nos treinos – sobretudo na musculação. E a responsável por isso é a cafeína. “Já se mostrou que ela pode melhorar a performance”, diz  Ruth Frechman, porta-voz da American Dietetic Association.

Segundo Mark Tarnopolsky, pesquisador da Universidade McMaster (Canadá), que nos últimos anos tem se debruçado como poucos nos estudos sobre o café, a cafeína tem a capacidade de baixar a percepção da fadiga no cérebro, de aumentar a concentração e o estado de alerta e de incentivar a liberação de cálcio nos músculos, mineral essencial para a contração muscular.
“Os estudos revelam que bastam 2 xícaras de café diariamente, uma hora antes dos treinamentos, para que isso aconteça. Mais: a cafeína estimula você a se exercitar entre 10% e 15% mais tempo”, diz ele. E isso vale tanto para consumidores vorazes quanto para os que raramente tomam café. Sendo assim, confira alguns dos principais benefícios que a bebida trará para seu desempenho!

domingo, 19 de novembro de 2017

Conheça os benefícios da dança para o cérebro!

Aprender, memorizar e se equilibrar: o que essas habilidades têm em comum? Bem, todas estão relacionadas com o hipocampo, área do cérebro que pode ficar comprometida com o envelhecimento. Mas um estudo do Centro Alemão para Doenças Neurodegenerativas revelou uma prática especialmente bem-vinda para essa região: a dança.

Os pesquisadores compararam a atividade com treinos de resistência e flexibilidade. Aí perceberam que, principalmente em termos de equilíbrio, mexer o corpo ao ritmo da música é mais vantajoso. Isso porque as mudanças de movimento típicas do bailado aprimoraram essa função mais do que os exercícios clássicos.
Fora que os mais velhos precisavam se lembrar das coreografias – o que, de quebra, favorecia a memória. “Dançar ainda melhora a autoestima e o estado de espírito”, nota Cristiane Peixoto, educadora física especializada em envelhecimento da Cia Athletica, em São Paulo.

Dance com segurança

As aulas de dança são ótimas, mas, como qualquer atividade física, demandam cuidados. “Você pode se esforçar e ficar cansado, mas não deve sentir dor”, enfatiza Cristiane. É preciso respeitar os limites do corpo. Sempre!

Mais 5 dicas para preservar o cerébro

1. Fique longe do cigarro
2. Não exagere no álcool
3. Inclua azeite, peixe, castanhas e frutas na dieta
4. Invista em atividades culturais – clubes de leitura, por exemplo, são uma boa
5. Não deixe de socializar. Ouça e compartilhe experiências
Fonte:MSN

Comer muito rápido engorda e faz mal para o coração

Você é daqueles que come tão rápido que precisa esperar – com certa dose de paciência – os colegas a sua volta terminarem o prato? Pois saiba que, perto deles, você tem maior probabilidade de ver a cintura inflar e o coração sofrer. Pelo menos é o que indica um estudo recém-apresentado em evento da prestigiada Associação Americana do Coração (AHA, na sigla em inglês).

Para o trabalho, cientistas da Universidade Hiroshima, no Japão, recrutaram 642 homens e 441 mulheres de mais ou menos 51 anos. Em 2008, nenhum deles apresentava síndrome metabólica – conjunto de fatores que eleva o risco de doenças cardiovasculares, como hipertensão, diabetes e excesso de gordura ao redor do abdômen. Eles dividiram esse pessoal todo em três turmas, de acordo com a velocidade que cada um julgava comer: devagar, normal ou rápido.
Em cinco anos, os estudiosos perceberam que os apressados à mesa tinham um risco maior de desenvolver a tal síndrome metabólica do que quem comia num tempo normal: 11,6% contra 6,5%, respectivamente. Engolir a comida como se o mundo fosse acabar ainda foi associado a ganho de peso, cintura mais larga e altas taxas de glicose no sangue.
Em comunicado divulgado pela AHA, Takayuki Yamaji, principal autor do trabalho comentou o seguinte: “Ao comer rapidamente, as pessoas tendem a não sentir saciedade. Assim, ficam mais propensas a exagerar. Esse comportamento leva a uma maior flutuação de glicose, o que pode resultar em resistência insulínica”. Quando esse hormônio não funciona direito, o açúcar sobra na circulação – situação que abre brecha para o diabetes e os estragos associados ao quadro.

Dicas para refeições menos aceleradas

Prepare a mesa e evite distrações
Não precisa de requinte. Usar um jogo americano já dá vontade de passar mais tempo sentado. Só não vale ligar a tevê ou ficar mexendo no celular.
Quem não mora sozinho deve buscar companhia para ficar em volta da mesa. Um bom papo tende a estender o tempo das garfadas – só não vale abusar delas.
Comece pela salada
E monte-a com itens mais duros (como a cenoura), que exigem mastigação. Ao chegar ao prato principal, o cérebro logo receberá o sinal de saciedade.
Descanse os talheres
Após cada garfada, repouse a faca e o garfo ao lado do prato. Ao segurá-los o tempo todo, a tendência é emendar uma abocanhada na outra, sem descanso.
Vá de alimentos sólidos
No início do treino para desacelerar a refeição, prefira ingredientes mais resistentes. Por exemplo: troque o purê pela batata.
Planeje suas refeições
Não é necessário ter horário fixo. Mas, se você já sabe como será seu dia, não custa reservar 20 minutos para se alimentar.
Fonte:MSN

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Sal do Himalaia

Quando surgiu na web, recomendado por muitos médicos e nutricionistas, o sal rosa do Himalaia se tornou queridinho da alimentação saudável e passou a ser usado no lugar do sal comum. Segundo os especialistas, ele é rico em minerais, contém menos sódio e apresenta outros benefícios, como melhoria do sono, das cãimbras e das alergias. Um verdadeiro milagre em forma de sal.
Contudo, apesar das recomendações dos especialistas, há quem diga que faltam evidências científicas que corroborem estas informações. "A verdade é que há uma escassez de literatura científica confiável a respeito desse sal", afirma a nutricionista da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica), Clarissa Fujiwara, em entrevista ao UOL.

Um estudo da Universidade de Putra Malásia concluiu que a quantidade de sódio entre o sal do Himalaia e o sal refinado é mínima, por exemplo. Os minerais também levantam polêmica, pois os cientistas afirmam que, para fazer diferença, o sal rosa teria que ser consumido em uma quantidade muito alta - e vale lembrar que a recomendação do Ministério da Saúde é a de consumir no máximo 5 gramas por dia. A química Conceição Trucom é outra cética em relação ao consumo do sal, e aponta que este sal está mais sujeito à contaminações. Ela fez um teste com o sal, que consistia em misturar 10 gramas em 100 gramas de água. O resultado: enormes quantidades de substâncias, como óxidos e carbonatos ferrosos e de cálcio, que não se dissolveram e boiaram, incluindo areia. O nutrólogo Celso Cukier, presidente do Instituto de Metabolismo e Nutrição, afirma que o consumo em altas quantidades pode ser preocupante; já o uso eventual não traz problemas.
Ainda segundo a publicação, os especialistas questionam se o sal do Himalaia, por ser tão mais caro que o sal marinho e sem benefícios comprovados pela ciência, valem realmente a pena ou não passam de modas alimentares.

Fonte:MSN

Como ficar com a barriga saradinha!

O fortalecimento dos músculos abdominais sempre foi um tema controverso. Mais do que gerar informação e soluções, acabou-se criando muita confusão e desinformação. Para conquistar um abdômen perfeito esteticamente, deve-se levar em conta três objetivos: ganhar definição, reduzir o diâmetro e conquistar esse abdômen sarado. É importante tê-los em consideração para saber como orientar treino e dieta, a fim de obter mais e melhores resultados. Neste corte transversal, é possível observar as diferentes camadas de músculos, que devem ser enrijecidas se o objetivo é conquistar uma barriga tanquinho.


Lembrando que se você quer resultados ainda maiores, é essencial que mude a sua dieta.
Atenção: compensa mais modificar os hábitos alimentares do que suar ainda mais a camisa na academia. Em uma sessão de bike indoor chega-se a queimar 600 cal, a mesma energia contida em 100g de chocolate ou quatro cervejas. Por isso, a melhor pedida é riscar do cardápio alimentos pouco saudáveis e supercalóricos, em vez de tentar “queimá-los” com mais exercícios aeróbios. Não adianta fazer uma dieta restritiva. Para alcançar a sua meta e exterminar os pneuzinhos, basta ficar atento aos pilares básicos da alimentação saudável:
  • Fracione a sua alimentação. Coma entre 5 e 6 vezes por dia;
  • Comece o dia com um café da manhã energético, rico em carboidratos, e termine com um jantar leve, rico em proteínas;
  • Evite açúcares refinados, frituras e alimentos gordurosos;
  • Inclua fibras em seu prato. Coma frutas, verduras e cereais integrais;
  • Cuidado com as bebidas que contêm açúcar, como sucos e refrescos, bebidas alcoólicas e refrigerantes. O álcool tem muitas calorias.
Em um cardápio incorreto, o dia começa com a ingestão de poucos alimentos e se abusa de comidas ricas em gorduras e açúcares. Por outro lado, em um menu correto, a dieta foi fracionada, as bebidas com calorias vazias foram riscadas e o dia começa com uma refeição mais reforçada energeticamente e termina com uma pouco calórica, já que se vai descansar várias horas e corpo, nesse período, não precisa de muita energia. Mude a sua rotina aos poucos para que, ao menos seis dias por semana, coma corretamente. Deixe um dia livre para cometer algumas loucuras, desde que com moderação.
Fonte:MSN

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Bolinho de Chuva funcional

Ingredientes

2 ovos inteiros
3 colheres (sopa) de farinha de berinjela
1 colher (sopa) de farinha trigo integral
2 colheres (sopa) de adocante culinário
2 colheres (sopa) de leite em pó desnatado
1 colher (chá) de fermento em pó
Extrato de baunilha (a gosto)
1 pitada de sal

Modo de preparo

Bata no liquidificador os ovos junto com adoçante o leite o sal e a baunilha.
Em um bowl, junte as farinhas e o fermento.
Mexa juntando os ingredientes que foram batidos.
Coloque a massa em forminhas pequenas.
Assar em forno pré-aquecido a 160ºC por 10 minutos.
Servir em seguida.
Fonte: Lucília Diniz

Estrogonoffe de iogurte


Um prato muito admirado e existe uma receita menos calórica. Que tal experimentar?



Ingredientes

200 g filé mignon
Spray de azeite
1 xícara (chá) de champignon laminado
½ cebola cortadinha2 dentes de alho1 colher (sopa) de ketchup light½ colher (sopa) de mostarda½ pote de iogurte desnatadoSal a gosto

Modo de preparo

Doure a cebola o alho no azeite.
Depois junte a carne deixe dourar bem.
Acrescente o champignon, o ketchup light, a mostarda e o sal.
Deixe refogar por 3 minutos.
Desligue o fogo, adicione o iogurte mexendo bem e está pronto para servir.

Troca vantajosa

Uma lata de creme de leite = 752 calorias
Um pote de iogurte desnatado = 80 calorias
Fonte: Lucília Diniz