segunda-feira, 17 de julho de 2017

Diverticulite- conheça tudo sobre este assunto!

A diverticulite é uma inflamação da parede interna do intestino,geralmente no intestino grosso. A doença se caracteriza pelas dores abdominais, saliências no abdômen e dificuldades em ir no banheiro.  Esse processo inflamatório é resultante de formação de hérnias das glândulas presentes no intestino, apesar de também em qualquer local do trato digestivo.
A diverticulite é uma doença silenciosa e assintomática no início. A medida que o processo inflamatório chega a estágios mais preocupantes os sintomas começam a aparecer vagarosamente podendo resultar em crises de dor. A avaliação dos sintomas é fator importante para ajudar no diagnóstico. Saiba aqui o necessário para saber se você possui essa doença e o que deve ser feito para tratar adequadamente.

SINTOMAS DA DIVERTICULITE

  • Sensibilidade na parte esquerda do abdômen
  • Inchaço do abdômen
  • Febre
  • Dores abaixo do umbigo
  • Dor no lado esquerdo da barriga
  • Calafrios
  • Náusea
  • Vômito
  • Gases
  • Falta de apetite, sensação de saciedade
  • Alimentação pobre
  • Dificuldades de ir ao banheiro (prisão de ventre)
  • Sangue nas fezes
  • Dores na parte inferior
  • CAUSAS DA DIVERTICULITE

    Embora não tenham comprovações científicas de todas as possíveis causas da diverticulite acredita-se que a explicação mais provável é  uma alimentação desregulada e pobre em fibras, estas favoreceriam o desregulamento de glândulas do intestino e a a formação de hérnias.
  • Doutores como o conhecido Dráuzio Varella explicam essa relação. Para ele, por meio do site, diz que o intestino grosso é cheio de glândulas que produzem muco que protege o intestino contra corpos estranhos.
    Neste mesmo local ficam importantes enzimas que atuam na digestão e produção de anticorpos. A mucosa do intestino grosso é irrigada por muitos vasos sanguíneos que atravessam o músculo em uma fina camada de pele, essa transferência cria uma região de fragilidade. Ali há uma passagem.
    Em alguns casos as veias que cortam o músculo podem criar uma hérnia do tamanho de uma ponta de dedão (o que é nomeado de divertículo). Como há uma passagem do intestino para esse divertículo ( bolsa) fezes acabam acumulando criando um reduto de impurezas. Sendo assim, a região torna-se propícia a infecções desde pequenas à graves e então é que começam os sintomas da diverticulite.
    Estes divertículos podem se formar em mais de uma região do intestino ou do sistema digestivo como um todo. Quando essas “bolsas internas” não inflamam é um caso de diverticulose. Mas se inflamarem, passam a se enquadrar como um caso de diverticulite.
    Acredita-se  que a obesidade, maus hábitos alimentares e a prática do tabagismo deixam o corpo mais vulnerável ao desenvolvimento da diverticulite. Afinal, as substâncias e alimentos que ingerimos mudam os aspectos e substâncias nas fezes que, no caso da diverticulite, ficam presos nos divertículos.  Uma dieta com alta toxidade coloca faz com que as chances de uma inflamação aumentem em muito.
  • COMO FAZER O DIAGNÓSTICO

    O reconhecimento dos sintomas da diverticulite é o primeiro passo. Em casa você pode realizar o teste médico de apalpação. Aperte a barriga nas regiões que sente dor, se houver reação do organismo como espasmo ou intensa vontade de retirar a mão é um sinal de que ali pode haver um processo inflamatório. Neste caso, você deve ir à um médico.
    Na consulta explique seus sintomas, provavelmente o médico lhe encaminhará para exames laboratoriais. O mais comum é a tomografia computadorizada ou um pequeno procedimento cirúrgico em que se coloca uma câmera na ponta de um tubo afim de averiguar irregularidades dentro do intestino. Dependendo do caso pode ser necessário realizar incisões.
    Exames de rotina podem identificar a diverticulite, mesmo que não haja sintomas. Fazê-los também é uma forma de prevenção,  para detectar a doença logo no início quando é mais fácil de ser tratada. Não é possível determinar um quadro de diverticulite somente pelos sintomas, por isso os exames são imprescindíveis para o diagnóstico.
    Em caso de suspeita de diverticulite  ou sintomas da diverticulite o seu médico irá fazer exames físicos apalpando o abdômen em busca de regiões sensíveis à dor. Um exame de sangue também ou de fezes também poderá ser solicitado para analisar sinais de infecção.
    Se o exame de sangue mostrar altos índices de glóbulos brancos (leucócitos) significa que o organismo tem um caso de inflamação.












PORQUE A FALTA DE FIBRAS PODEM CAUSAR DIVERTICULITE

Agora que já entendemos como os divertículos são causados podemos explicar a relação da falta de fibras tem com o desenvolvimento da doença. Acontece que  uma alimentação pobre em fibras produz menor volume de fezes e faz com que a pressão dentro do intestino aumente, o que facilita a criação das hérnias.
Quando se têm uma alimentação equilibrada e rica em fibras o volume de fezes é maior, as bactérias são eliminadas juntamente com a evacuação e a pressão interna diminui o que impede que criem hérnias.
As diferenças da alimentação ocidental e oriental servem de prova de como a alimentação interfere no surgimento de doenças do divertículo. Estudos da Organização mundial da Saúde apontam que 18% dos japoneses que vivem no Japão e tem uma alimentação prioritariamente oriental ( a base de peixe, arroz, algas e soja) apresentavam a doença. Já os que migraram para regiões ocidentais e mudaram seus alimentares 50% tinham diverticulite.

TRATAMENTO DA DIVERTICULITEdiverticulite-alimentacao-300x225

O tratamento da diverticulite só é recomendado para pacientes que tem sintomas. Nestes casos, é somente indicado uma mudança alimentar, incluindo alimentos ricos em fibras e óleos essenciais para que a parede do intestino grosso ou do intestino delgado possa se restabelecer sozinhas eliminando as fezes acumuladas nos divertículos.
De 80% dos casos que somente adaptam-se a uma dieta leve evoluem para cura espontânea sem necessidade da tomada de remédios e nem mesmo intervenções curgicas. Os sintomas da diverticulite desaparecem logo nos primeiros meses de dieta.
A longo o prazo a diverticulite pode causar sangramento retal, ruptura do cólon, bolsões cheios de pus (abcessos), Fístula, Peritonite, problemas na cavidade abdominal. No entanto, existem pessoas que não desenvolvem problemas, estas podem conviver com a doença pelo resto da vida somente fazendo exames periódicos para o controle.
Casos graves podem pedir intervenções cirúrgicas para retirada de pontos de inflamação ou pedaços da cavidade intestinal que foram muito lesionadas. Em outros é feito a limpeza dos divertículos para eliminar as fezes que ficaram presas.
A medicação com anti-inflamatórios não esteroides ( NimesulidaIbuprofeno, etc)  e analgésicos pode ser recomendada dependendo do caso que apresentar o paciente.

O QUE PODE E O QUE NÃO PODE COMER NA DIVERTICULITE

A alimentação é o tratamento mais eficaz contra a diverticulite pois atua ao mesmo tempo na eliminação da inflamação e prevenção de novos casos. Deve-se ingerir alimentos com fibras, vitamina C e anti-inflamatórios naturais como o gengibre, por exemplo.  Outros alimentos podem ser benéficos na recuperação como por exemplo o
  • Espinafre
  • Agrião
  • Acelga e alface
  • Cereais integrais
  • Aveia, arroz integral, fibras no geral
  • Maça, laranja, pera, ameixa, banana
  • Beber de 2 a 3 litros de água por dia
Por outro lado, tem também os alimentos que devem ser evitados, confira o que não pode comer na diverticulite:
  • Pipoca
  • Sementes no geral
  • Carnes vermelhas e gordurosas
  • Alimentos ricos em açúcares
  • Alimentos embutidos
  • Cafeína em excesso
A prevenção a diverticulite ainda é a melhor forma de enfrentar a doença. Pessoas acima de 40 anos, idosos, sedentários, prática de tabagismo, obesidade e histórico familiar (relação genética) estão entre os fatores de risco. Ao se enquadrar nesta forma pense em adotar estilo de vida mais saudável para prevenir a diverticulite e muitas outras doenças relacionadas a má alimentação e falta de exercícios físicos.
Fonte:Nursing
Preparei um e-book para você: "Sucesso na Prevenção e Controle da Diverticulite" contém todas as informações completas do que você precisa saber e fazer para prevenir e controlar a diverticulite. Inclui sugestões de cardápios para os vários estágios, desde sua prevenção até o controle da doença, acrescido de várias dicas importantes para se manter saudável! Clique no link abaixo e adquira já seu exemplar e ganhe um livro bônus de receitas:



Aproveite também o livro bônus com 10 receitas funcionais deliciosas que você receberá junto com a compra deste livro.



PATRÍCIA BRIGAGÃO MENDES

Acesse o link e adquira o seu ebook agora:

lINK: HTTP://https://go.hotmart.com/S5175144N


Nenhum comentário:

Postar um comentário