segunda-feira, 31 de julho de 2017

Hábitos que ajudam a aumentar a gordura localizada

1. Você está consumindo pouca gordura
Nem toda gordura é ruim, em especial as monoinsaturadas. Pesquisas que sugeriram às mulheres que seguissem uma dieta de 1 600 calorias rica nesse tipo de macronutriente viram uma redução de 1/3 da gordura abdominal das participantes em apenas um mês. Por isso, aposte em fontes da benfeitora, como oleaginosas, azeite e abacate.

2. Você anda meio pra baixo
Um estudo da Rush University Medical Center, nos Estados Unidos, constatou que mulheres que apresentam sintomas depressivos têm uma probabilidade maior de apresentar um estoque de gordura abdominal mais predominante. O possível motivo: provavelmente porque a depressão desencadeia hábitos nocivos de alimentação e diminuição na frequência da atividade física. Por isso, movimente-se! Faça um esforço e vá dar uma volta por aí. O exercício mexe com seu cérebro e, além de regular seu metabolismo, melhora seu humor.
3. Você aposta nos industrializados errados
Não dá para negar que é mais fácil apelar para uma refeição pronta congelada ou um pacote de salgadinho quando a rotina está muito corrida. Acontece que essa tática faz com que o corpo se afogue em insulina, hormônio que estimula o fígado a estocar gordura bem nos pneuzinhos. Então, foque em adicionar ingredientes naturais ao seu cardápio e faça, aos poucos, a substituição dos industrializados “trash” por itens mais saudáveis.
4. Você está passando batido pelo magnésio
O mineral regula mais de 300 funções no organismo – e uma delas é controlar os níveis de açúcar e insulina circulantes no corpo. Aposte em fontes de magnésio pelo menos duas vezes ao dia, presente em vegetais folhosos, banana e soja.
5. Você adora um refrigerante diet
De acordo com um estudo publicado no periódico americano Obesity, pessoas que bebem refrigerante sem açúcar acabam com mais gordura na região abdominal por acharem que podem compensar as calorias da bebida no prato. Portanto, atenção: se você faz parte desse grupo, fique de olho nas calorias totais da sua refeição.
Fonte: Boa Forma

Soluções para o fim de semana não atrapalhar sua dieta!

Toda segunda, você renova as esperanças na dieta e, dia após dia, avança rumo ao seu objetivo. Até que entra em um portal chamado fim de semana” e vê o resultado de todo o esforço desaparecer. Aprenda a não deixar os sábados e domingos sabotarem sua perda de peso.

Você encara a dieta como o expediente: de segunda a sexta-feira, é funcionária exemplar. Capricha nas porções de frutas e legumes, evita alimentos gordurosos, recheia a gaveta de lanchinhos saudáveis, faz as melhores escolhas no restaurante por quilo e controla bravamente a vontade de sobremesa. Tudo isso, claro, sem furar o treino. Mas chega a sexta-feira e você fica louca para ver o relógio marcar a hora de largar o batente e se jogar no fim de semana – e em todas as delícias que ele reserva.
Happy hour à noite, balada no sábado, almoço com a família no domingo… É como se a lista de compromissos abduzisse você da rotina regrada de alimentação e exercício adotada nos dias úteis. “Muita gente pensa: ‘Estou me dedicando à dieta a semana inteira e emagrecendo, então eu mereço’ [comer e beber mais]. Essa ideia coloca em jogo a disciplina necessária para um programa de perda de peso”, diz Fábio Trujilho, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem).
O padrão é comprovado por pesquisas. A maioria das pessoas afina durante a semana e engorda aos sábados e domingos, de acordo com um estudo da Universidade Cornell, nos Estados Unidos. Use o nosso guia para fugir das ciladas comuns nesses dias de “folga”.
1. Armadilha: pular a academia da sexta-feira 
Para quem malha à noite, o treino de sexta vive na berlinda. Festas, encontro com o boy e viagens são ocasiões para enforcar a academia. Se você emendar o sábado e o domingo, pronto, lá se vão dias longe da malhação. É como se avançasse quatro casas e voltasse três em um jogo de tabuleiro.
“O metabolismo necessita de estímulo constante para ativar a perda de peso e o ganho de massa muscular”, afirma a personal trainer Cau Saad, de São Paulo. Já a falta de regularidade no exercício prejudica o objetivo desejado.
Solução
Romper o padrão de que a gente precisa mexer o corpo apenas durante a semana. “No fim de semana, normalmente temos mais tempo livre, o trânsito é menos intenso e os parques estão cheios de pessoas se exercitando”, diz Cau.
Use isso como incentivo. Para deixar a malhação mais divertida, convide uma amiga para conhecer a academia do seu prédio. Se você prefere um programa outdoor – com o bônus de estimular os músculos de um jeito diferente do usual –, a personal sugere andar de patins ou tentar atividades lúdicas como pular corda (boa para fazer com as crianças).
2. Armadilha: correr atrás dos filhos e se esquecer de si mesma
Se você é mãe, sabe muito bem que o fim de semana orbita em torno das crianças: levar e buscar um no clube, acompanhar o outro na festa de aniversário do amiguinho, passear junto no shopping. A preocupação com a alimentação e a diversão dos pequenos faz com que você fique em segundo plano – até a dieta regrada de segunda a sexta vai para o espaço. Afinal, não dá para resistir ao bolo e ao brigadeiro da festinha nem ao hambúrguer da praça de alimentação.
Solução
Tenha na bolsa snacks saudáveis como castanhas e frutas secas, que, embora calóricos, são
ricos em nutrientes e dão saciedade. Adote a lei da compensação. “Exagerou em uma festa no sábado? No domingo, prepare a refeição em casa para ter mais controle do que come”, recomenda a nutricionista Maria Edna de Melo, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). Aproveite também para programar uma ida ao parque para pedalar, andar de skate ou jogar bola com as crianças. Elas vão amar!
3. Armadilha: querer compensar as noites maldormidas
Os compromissos de segunda a sexta são tantos que quem paga o pato é o sono: nunca sobram oito horas seguidas para dormir em uma noite. Exausta, você tenta tirar o atraso no fim de semana. Não levanta antes das 11 da manhã, fora as sonecas ao longo do dia. A bagunça no horário de acordar e deitar interfere no ritmo circadiano, o relógio biológico que ajuda a regular a leptina e a grelina, os hormônios da fome. Além disso, fica mais difícil engrenar na rotina a partir da segunda-feira.
Solução
Tente ir para a cama mais cedo todos os dias. Diversos estudos atestaram a relação entre dormir pouco e distúrbios como obesidade e diabetes. Se
chegar ao fim de semana descansada, não vai sentir a necessidade de recuperar o sono perdido. O ideal é manter o mesmo horário da semana para deitar e acordar. “Quanto mais cedo você levanta e toma o café da manhã, mais energia gasta para metabolizar o alimento. Então deixe o despertador programado também para o domingão.
4. Armadilha: confundir socializar com comer ou beber 
Chope com o pessoal do trabalho, espumante no date, coquetéis na noitada com as amigas… O álcool está presente em quase todos esses eventos e as brasileiras aderiram totalmente à ideia, segundo o Vigitel 2016. Esse levantamento feito pelo Ministério da Saúde sobre os hábitos da população que podem causar doenças como obesidade, diabetes e hipertensão revelou que as mulheres estão bebendo mais. Nos últimos dez anos, o índice com um padrão de consumo abusivo (quatro ou mais doses em uma única ocasião) saltou de 7,8 para 12,1%. É muito!
Solução
Você não precisa cortar a cerveja de vez. Mas limite a quantidade. “É importante as pessoas entenderem que o prazer dessas ocasiões também está em encontrar os amigos”, diz Fábio Trujilho. A Organização Mundial da Saúde recomenda beber somente uma dose em um evento – acima disso, você já coloca seu bem-estar em risco, além de engordar! “Estudos comprovam que, quanto mais você bebe, mais come, como consequência da desinibição causada pelo álcool”, afirma Maria Edna de Melo. Sem falar que o álcool é bem calórico: 1 grama tem 7 calorias, quase o dobro que a proteína
e o carboidrato oferecem na mesma porção.
5. Armadilha: fazer maratona de seriados
Começar a assistir ao seriado do momento e emendar um capítulo atrás do outro, mal parando para fazer as refeições, até acabar a temporada: quem sempre? Com a proliferação dos serviços de streaming, é uma tentação passar o fim de semana na frente da TV ou do computador – beliscando sem parar. Uma pesquisa da Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, revelou que se exercitar por meros 20 minutos aos sábados e domingos ajudou pessoas com sobrepeso a perder 1,6% da taxa de gordura em um ano.
Solução
Sim, o fim de semana é para descansar. Mas daí a passar dois dias estirada no sofá são outros quinhentos. A cada três episódios do seriado, faça uma caminhada ou leve o cachorro para passear. Prepare as refeições com calma e sente-se à mesa para mastigar. As imersões na televisão tendem a ser acompanhadas de assaltos à despensa? Então evite ter petiscos calóricos em casa. Pipoca pode! Mas estoure o milho com um pouco de água: 78 calorias em 1 xícara de chá – a versão com manteiga para micro-ondas contém 128.
Fonte: Boa Forma

sexta-feira, 28 de julho de 2017

14 Dicas para acabar com gripe e resfriado



Você está com sintomas de gripes e resfriado?

Resultado de imagem para gripes e resfriados

Infelizmente poucas pessoas podem responder que não a essa pergunta. Porque estávamos atravessando os meses frios que aumenta ainda mais os casos da doença que é espalhada pelo ar.
Porém existem dicas que pode ajudar a prevenir e ainda tratar rapidamente a gripe e resfriados.
Os bons hábitos de saúde, como cobrir a boca quando for tossir e a lavagem das mãos muitas vezes podem ajudar a parar a propagação de germes e prevenir doenças respiratórias como a gripe.
A melhor maneira de prevenir a gripe sazonal é se vacinar todos os anos.
Bons hábitos de saúde como pequenas mudanças em sua vida diária e você pode fazer ajudarão a reduzir as chances de você pegar um resfriado ou gripe.
Existem também medicamentos antivirais da gripe que podem ser usados ​​para tratar e prevenir a gripe.
Estes variam de simplesmente lavar as mãos mais frequentemente e dormir melhor.
Muitas pessoas não sabem, mas é preciso cuidar da gripe nas primeiras horas em que ela se instala.
Quanto antes você agir mais rápido você vai se recuperar, por isso invista em bons remédios caseiros para gripe e resfriado e cuidados de saúde.

Veja essas dicas simples para ajudá-lo a evitar a gripe ou o resfriado.

Resultado de imagem para gripes e resfriados

Os benefícios da prevenção

É útil saber o que você deve fazer quando tiver resfriado, o que comer e o que os remédios naturais podem ajudar, mas às vezes a melhor maneira de lidar com resfriados e gripe é evitar pegá-los em primeiro lugar!

01. Evite o contato próximo
Evite o contato próximo com pessoas que estão doentes. Quando estiver doente, mantenha a distância dos outros para protegê-los de ficar doente também.

02. Fique em casa quando estiver doente.
Se possível, fique em casa fora do trabalho, escola e reuniões quando estiver doente. Isso ajudará a prevenir a propagação de sua doença a outros.

03. Cubra a boca e o nariz.
Resultado de imagem para gripes e resfriados
Cubra sua boca e nariz com um tecido quando tossir ou espirrar. Isso pode impedir que aqueles ao seu redor fiquem doentes.
Estes são ótimos para prevenir a propagação de resfriados e gripe, mas lembre-se de que podem abrigar vírus e contaminar qualquer superfície com a qual eles entrem em contato.

04. Lave as mãos.
Os vírus da gripe e do resfriado são espalhados por contato direto. Evite pessoas com resfriados ou a gripe - os vírus se espalham das mãos para as alças das portas, o telefone ou o teclado e podem viver por horas nessas superfícies.
A próxima pessoa a tocar o mesmo objeto irá pegar esses vírus, lavar as mãos muitas vezes irá ajudá-lo a proteger os germes. Se o sabão e a água não estiverem disponíveis, procure sempre andar com álcool em gel.

05. Evite tocar os olhos, o nariz ou a boca.
Os germes são frequentemente espalhados quando uma pessoa toca algo que está contaminado com germes e depois toca seus olhos, nariz ou boca.

06. Pratique outros bons hábitos de saúde.
Limpe e desinfete as superfícies frequentemente tocadas em casa, trabalho ou escola, especialmente quando alguém está doente. Durma bastante, seja fisicamente ativo, gerencie seu estresse, beba bastante líquido e coma alimentos nutritivos.

07. Beber bastante líquido
Evite se tornar desidratado - um adulto típico e saudável precisa de cerca de 1,5 litros de água por dia. A água potável esvazia seu sistema e ajuda a manter o seu sistema imunológico forte.

08. Controle o estresse
É bem sabido que o estresse pode enfraquecer o seu sistema imunológico e pode fazer com que você fique mais propenso a pegar um resfriado do que suas contrapartes mais calmas.

09. Coma bem
Uma dieta rica em frutas e vegetais pode ajudá-lo a evitar muitos problemas de saúde. Alimentos ricos em vitaminas A e C, como frutas cítricas, frutos escuros e vermelhos, mangas, damascos, cenouras e beterraba, suportam o sistema imunológico.

10. Evite álcool
Sabemos que isso parece chato, mas beber quantidades excessivas de álcool é ruim para as células imunes, que ficam desorientadas e confusas, assim como nós!

11. Evite fumar
Assim como o álcool fumar pode ser muito prejudicial. Isso é irritante para os tecidos delicados do trato respiratório e aumenta sua susceptibilidade a vírus que causam resfriado e gripe.

12. Obter abundância de ar fresco
Evite ficar preso em uma sala cheia de pessoas com ar sem circulação. Encontre ar fresco e respire profundamente. Isso ajuda o sistema linfático a mover células imunes protetoras ao redor do corpo.

13. Dormir mais
Conseguir um sono reparador todas as noites, 8 horas ajuda o corpo a reparar-se e a construir o sistema imunológico.

14. Mantenha-se aquecido
Quando você está se sentindo um pouco vulnerável à infecção, fique fora do ar frio da noite e evite o fluxo direto de ar em você, ou seja, feche a janela.

Fonte: Colaboradora Rosi Feliciano

Link:http://gripes e resfriado

terça-feira, 25 de julho de 2017

Dicas para lanches infantis para a escola!


Atualmente a obesidade infantil tem preocupado muito os pais e profissionais de saúde. Os pais são muito importantes na formação de hábitos saudáveis dos filhos e, além da alimentação de casa, é importante que se tenha cuidado na escolha do lanche da escola. É claro que existem exceções, mas normalmente as opções das cantinas contêm excesso de gorduras e carboidratos (coxinha, pão de queijo, pizza, hot dog, etc.).

As bebidas, sucos e refrigerantes, geralmente, contêm excesso de açúcar. Por isso, enviar uma garrafinha de água ou água de coco no lanche de todo dia é a melhor opção. Para que ela chegue fresca na hora do lanche, coloque congelada na lancheira pela manhã.
É melhor incentivar o consumo da fruta in natura, ao invés do suco, que tem poucas fibras e não ajuda na saciedade da criança.
Vegetais como brócolis, tomate cereja, mini cenouras podem sim ser consumidos no lanche, é tudo uma questão de hábito. Não precisam ser consumidos apenas na hora do almoço ou jantar.
Eventualmente, levar algo não muito nutritivo não é um problema. Negocie com a criança um dia da semana para este lanche.
É importante que o lanche esteja bem conservado e para isso existem as lancheiras térmicas, que, de acordo com o fabricante, podem garantir a conservação por até 4 horas.
Sugestões: de lanches saudáveis
Iogurte + bolo caseiro integral + mini cenoura
leite fermentado + biscoito integral + banana
pão com queijo + fruta + água geladinha
milho cozido + água de coco + melancia picadinha
Fonte:ABESO

O que não se deve fazer com as crianças na hora da comida!

  1. Dizer Sempre Sim: A criança sem limites vai abusar das calorias e das guloseimas. Devemos ter um dia por semana e situações em que podemos ser mais liberais.
                             
  1. Lanches Fora de Hora: Já dissemos que o ideal são 6 refeições diárias e evitar as beliscadas fora desses horários.
  2. Oferecer Comida Como Recompensa: “ Coma toda a sopa para ganhar a sobremesa”. Passa a idéia de que tomar sopa não é bom e que a sobremesa é que é o máximo.
  3. Ameaçar Castigos para Quem Não Cumpre o Combinado: “ Se não comer a salada, não vai ganhar presente”. Isso somente vai aumentar o ódio que a criança sente das saladas.
  4. Brincadeiras na Mesa: Hora de comer é hora de seriedade, evitar fazer aviãozinho. Muito mimo é sinônimo de muita manha.
  5. Ceder ao Primeiro Não Gosto Disso: a criança tem uma tendência a dizer que não gosta de uma comida que ainda não provou. Cada um pode comer o que quiser, mas pelo menos, experimentar não custa nada.
  6. Substituir Refeições : Não quer arroz e feijão, então toma uma mamadeira. Esse erro é muito comum, e se a criança conseguir uma vez, vai repetir essa estratégia sempre.
  7. Tornar a Ida a Uma Lanchonete, Um Programão : A comida de casa fica meio sem graça.
  8. Servir Sempre a Mesma Comida : A criança só toma iogurte, então passa o dia todo tomando iogurte. Vai enjoar, vai faltar nutrientes, vai faltar fibras.
  9. Dar o Exemplo: Não adianta mandar tomar sucos e somente beber refrigerantes.
Fonte:ABESO

sábado, 22 de julho de 2017

NOVIDADE!!! NOVO MEDICAMENTO PARA DIABETES TIPO 2

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira um novo remédio para o tratamento de diabetes tipo 2. O Soliqua, nome comercial do medicamento da farmacêutica Sanofi, será uma alternativa para o controle glicêmico de diabéticos.
A terapia é composta por uma combinação de duas moléculas em uma mesma formulação: a insulina glargina e a lixisenatida, um agonista do receptor do GLP-1, que estimula a secreção de insulina quando a glicose está alta. O medicamento é injetável, aplicado por uma caneta.
O novo método poderá ser indicado para adultos que não tenham o controle adequado da glicemia, apesar do uso de remédios já disponíveis no mercado.
Atualmente, são 14 milhões de pessoas com diabetes no Brasil — cerca de 9% da população. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, metade delas ainda não foi diagnosticada.
Fonte:MSN

Hepatite C pode levar a diabetes tipo 2

Embora pouca gente saiba, pessoas com hepatite C têm uma probabilidade quatro vezes maior de desenvolver diabetes tipo 2, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hepatologia. Por outro lado, a resistência à insulina, sintoma característico do diabetes, também agrava o desenvolvimento da hepatite.
O mais crítico dessa relação é que a hepatite C é uma doença sistêmica e silenciosa: 70% das pessoas infectadas não sabem que têm a doença, já que, em 90% dos casos, não há sintoma inicial de infecção, segundo dados do Ministério da Saúde. Isso significa que a doença pode evoluir de forma crônica ao longo de 25 a 30 anos no fígado, sem que o portador perceba sua presença. Nessa fase avançada, as consequências mais conhecidas da infecção são cirrose e câncer de fígado. No entanto, esses não são os únicos males que ela pode causar.

Relação dupla

O vírus é capaz de interferir na efetivação dos níveis de insulina, substância que controla o açúcar no sangue, dificultando o metabolismo da glicose. Essa alteração faz com que o corpo entenda que precisa produzir mais insulina para manter o nível normal de açúcar. Isso significa que, aos poucos, os portadores vão desenvolvendo resistência à insulina e, depois, intolerância à glicose, fase em que a pessoa se torna propensa ao diabetes.
Segundo Edison Parise, professor de gastroenterologia na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), vários estudos populacionais nos Estados Unidos mostraram maior resistência à insulina em portadores de hepatite. A resistência à insulina também aumenta o o acúmulo de gordura no fígado (esteatose), o que acaba piorando a progressão da hepatite C, em uma reação em cadeia entre as duas doenças.
O grande problema é que, como a maior parte das pessoas não sabe que tem o vírus, muitos dos que recebem diagnósticos da alteração metabólica não sabem que ela pode ter sido desencadeada pela hepatite C, dificultando o tratamento. A população mais vulnerável, segundo Fabio Marinho, diretor da Sociedade Brasileira de Hepatologia, está na faixa etária entre  40 e 60 anos, já que, até 1989, quando o vírus foi descoberto, sua transmissão por transfusão sanguínea era comum.

Importância do diagnóstico

“Tratar a hepatite C reduz as chances de diabetes tipo 2 e, caso a pessoa já tenha desenvolvido a doença, diminui as complicações, acelera o tratamento e economiza recursos, ao reduzir a necessidade de transplante”, afirma Parise.
“Fazendo um diagnóstico mais precoce, a gente consegue instituir um tratamento mais precoce. O próprio governo dispõe de um arsenal [de medicamentos] importante para a cura”, reitera Sérgio Cimerman, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia.

Tratamento

É importante que o diabético saiba se tem o vírus C para poder prevenir possíveis complicações renais e cardiovasculares. No ranking de países com mais portadores de diabetes, o Brasil está em quarto lugar. E o número de portadores pode aumentar dentro dos próximos 25 anos.

Hepatite C

Estima-se que o Brasil tenha dois milhões de pessoas com a doença. Entre elas, menos de 15% são diagnosticadas e menos de 10% foram tratadas. Entre os países que representam 80% dos casos de hepatite C no mundo, o Brasil está em oitavo lugar – atrás dos Estados Unidos, com a China liderando o ranking.
Apesar da doença ter 95% de chance de cura com um tratamento que dura entre três e seis meses, a taxa de mortalidade se aproxima da tuberculose e já ultrapassou a do HIV, segundo a OMS. Considerando as possíveis complicações da doença, esses dados podem piorar. De acordo com Luiz Turatti, presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes, o desconhecimento é a principal causa de morte.
Atualmente, o grande desafio contra a doença é encontrar seus portadores. Pensando nisso, a OMS criou o plano de erradicação da hepatite C – NOhep – que visa informar a população, aumentar as taxas de tratamento e eliminar a doença até 2030.

Exame anti-HCV

No Brasil, a campanha ‘Na Ponta do Dedo’, promovida pela empresa biofarmacêutica Gilead, busca conscientizar os brasileiros sobre a importância do exame anti-HCV, que detecta o vírus. “O teste anti-HCV é rápido, pode ser feito com apenas uma gota de sangue, e está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS)“, disse Turatti. “Todo indivíduo acima de 40 anos deve pedir o teste.” Para ser feito, o exame precisa ser solicitado por um médico. No entanto, também pode ser feito de forma espontânea em Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) do SUS.
Fonte:MSN

terça-feira, 18 de julho de 2017

Como desidratar frutas no microondas!

As frutas secas possuem um público fiel que ama o sabor delicioso desses alimentos ricos em vitaminas e benefícios para a saúde! Pois é, mesmo sendo pequenininhas, as frutas secas são extremamente saborosas e fazem sucesso nas dietas por serem uma excelente opção de lanche saudável e fáceis de transportar e armazenar!
Se você também é um verdadeiro fã dessas frutinhas ricas em nutrientes, que tal aprender a desidratar suas próprias frutas em casa e sem muito esforço? Não precisa de máquina especializada em desidratar alimentos, não! Nós  vamos te ensinar a desidratar frutas utilizando apenas o micro-ondas! Dá só uma olhadinha no passo a passo:
O primeiro passo é escolher quais frutas você deseja desidratar e lavá-las muito bem em água corrente. Depois de lavá-las, coloque as frutas em um local seco e deixe-as secando.
Agora, com muito cuidado, retire a casca e os caroços de todas as frutas. Esse processo é muito importante, já que eles dificultam o processo de desidratação das frutas.
Depois disso, corte as frutas em pequenos pedaços. Quanto menores as frutas, mais fácil será o processo de desidratação!
Agora, pegue 1 xícara de água e adicione 1 colher (sopa) de suco de limão espremido na hora! Se você preparar um grande número de frutas secas, aumente a quantidade do suco. Para cada xícara de água, adicione 1 colher (sopa) de limão.
Acomode as frutas já cortadas em um refratário e banhe todas elas com a solução de limão preparada. Esse processo também é essencial, já que o limão vai ajudar a conservar as frutas por muito mais tempo!

Antes de começar o processo de desidratação das frutas, com um pano limpo, comece a limpar o micro-ondas por dentro para retirar qualquer resquício de alimentos.
Distribua as frutas no próprio prato do micro-ondas com um bom espaço entre elas. Lembre-se: as frutas não podem ficar juntinhas!
Aperte a opção “descongelar” do micro-ondas e programe para 30 minutos. A cada 10 ou 5 minutos, pause o micro-ondas e verifique a consistência da fruta. Algumas podem secar com maior facilidade, por isso, é preciso ter atenção!
Assim que as frutas desidratarem, coloque-as em um recipiente com tampa e armazene na geladeira por até duas semanas! Prontinho!
Fonte: Tudo Gostoso

Truque psicológico pode ajudar a perder peso sem nenhuma mudança na alimentação

A mente é sua aliada número um e agente fundamental para o processo de perda de peso. Por isso, mesmo sem mudar nada no cardápio, trocar apenas um hábito pode fazer com que você coma menos e, consequentemente, emagreça. 
 É claro que todo este esforço precisa ser acompanhado por um profissional médico e também é preciso buscar o conselho de um nutricionista para conseguir emagrecer seguindo uma alimentação equilibrada e saudável

Emagrecer com hábito simples

Está comprovado que o tamanho e a cor do prato em que se come determina em grande parte a quantidade de comida que será servida. Assim, os pratos escuros e grandes demais acabam estimulando as pessoas a servirem mais do que o necessário.
Por outro lado, os pratos brancos e menores criam uma ilusão visual que nos faz botar menos comida no prato.
Uma dica é trocar o prato grande e raso pelo prato de sobremesa. Assim, você restringe o tamanho das porções na hora da refeição sem perceber. Ao ver um prato pequeno cheio sendo progressivamente esvaziado, o cérebro receberá, através do estímulo visual, o recado de que está obtendo uma grande e satisfatória quantidade de comida.

Atrele à prática o hábito de mastigar devagar, atitude que fornece tempo para que a mensagem de saciedade chegue.
Usando um prato menor que o habitual, você continua fazendo as refeições com sua família, desfrutando do mesmo cardápio que ela. Conseguindo, porém, reduzir as quantidades sem sofrer.
Fonte:MSN

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Diverticulite- conheça tudo sobre este assunto!

A diverticulite é uma inflamação da parede interna do intestino,geralmente no intestino grosso. A doença se caracteriza pelas dores abdominais, saliências no abdômen e dificuldades em ir no banheiro.  Esse processo inflamatório é resultante de formação de hérnias das glândulas presentes no intestino, apesar de também em qualquer local do trato digestivo.
A diverticulite é uma doença silenciosa e assintomática no início. A medida que o processo inflamatório chega a estágios mais preocupantes os sintomas começam a aparecer vagarosamente podendo resultar em crises de dor. A avaliação dos sintomas é fator importante para ajudar no diagnóstico. Saiba aqui o necessário para saber se você possui essa doença e o que deve ser feito para tratar adequadamente.

SINTOMAS DA DIVERTICULITE

  • Sensibilidade na parte esquerda do abdômen
  • Inchaço do abdômen
  • Febre
  • Dores abaixo do umbigo
  • Dor no lado esquerdo da barriga
  • Calafrios
  • Náusea
  • Vômito
  • Gases
  • Falta de apetite, sensação de saciedade
  • Alimentação pobre
  • Dificuldades de ir ao banheiro (prisão de ventre)
  • Sangue nas fezes
  • Dores na parte inferior
  • CAUSAS DA DIVERTICULITE

    Embora não tenham comprovações científicas de todas as possíveis causas da diverticulite acredita-se que a explicação mais provável é  uma alimentação desregulada e pobre em fibras, estas favoreceriam o desregulamento de glândulas do intestino e a a formação de hérnias.
  • Doutores como o conhecido Dráuzio Varella explicam essa relação. Para ele, por meio do site, diz que o intestino grosso é cheio de glândulas que produzem muco que protege o intestino contra corpos estranhos.
    Neste mesmo local ficam importantes enzimas que atuam na digestão e produção de anticorpos. A mucosa do intestino grosso é irrigada por muitos vasos sanguíneos que atravessam o músculo em uma fina camada de pele, essa transferência cria uma região de fragilidade. Ali há uma passagem.
    Em alguns casos as veias que cortam o músculo podem criar uma hérnia do tamanho de uma ponta de dedão (o que é nomeado de divertículo). Como há uma passagem do intestino para esse divertículo ( bolsa) fezes acabam acumulando criando um reduto de impurezas. Sendo assim, a região torna-se propícia a infecções desde pequenas à graves e então é que começam os sintomas da diverticulite.
    Estes divertículos podem se formar em mais de uma região do intestino ou do sistema digestivo como um todo. Quando essas “bolsas internas” não inflamam é um caso de diverticulose. Mas se inflamarem, passam a se enquadrar como um caso de diverticulite.
    Acredita-se  que a obesidade, maus hábitos alimentares e a prática do tabagismo deixam o corpo mais vulnerável ao desenvolvimento da diverticulite. Afinal, as substâncias e alimentos que ingerimos mudam os aspectos e substâncias nas fezes que, no caso da diverticulite, ficam presos nos divertículos.  Uma dieta com alta toxidade coloca faz com que as chances de uma inflamação aumentem em muito.
  • COMO FAZER O DIAGNÓSTICO

    O reconhecimento dos sintomas da diverticulite é o primeiro passo. Em casa você pode realizar o teste médico de apalpação. Aperte a barriga nas regiões que sente dor, se houver reação do organismo como espasmo ou intensa vontade de retirar a mão é um sinal de que ali pode haver um processo inflamatório. Neste caso, você deve ir à um médico.
    Na consulta explique seus sintomas, provavelmente o médico lhe encaminhará para exames laboratoriais. O mais comum é a tomografia computadorizada ou um pequeno procedimento cirúrgico em que se coloca uma câmera na ponta de um tubo afim de averiguar irregularidades dentro do intestino. Dependendo do caso pode ser necessário realizar incisões.
    Exames de rotina podem identificar a diverticulite, mesmo que não haja sintomas. Fazê-los também é uma forma de prevenção,  para detectar a doença logo no início quando é mais fácil de ser tratada. Não é possível determinar um quadro de diverticulite somente pelos sintomas, por isso os exames são imprescindíveis para o diagnóstico.
    Em caso de suspeita de diverticulite  ou sintomas da diverticulite o seu médico irá fazer exames físicos apalpando o abdômen em busca de regiões sensíveis à dor. Um exame de sangue também ou de fezes também poderá ser solicitado para analisar sinais de infecção.
    Se o exame de sangue mostrar altos índices de glóbulos brancos (leucócitos) significa que o organismo tem um caso de inflamação.












PORQUE A FALTA DE FIBRAS PODEM CAUSAR DIVERTICULITE

Agora que já entendemos como os divertículos são causados podemos explicar a relação da falta de fibras tem com o desenvolvimento da doença. Acontece que  uma alimentação pobre em fibras produz menor volume de fezes e faz com que a pressão dentro do intestino aumente, o que facilita a criação das hérnias.
Quando se têm uma alimentação equilibrada e rica em fibras o volume de fezes é maior, as bactérias são eliminadas juntamente com a evacuação e a pressão interna diminui o que impede que criem hérnias.
As diferenças da alimentação ocidental e oriental servem de prova de como a alimentação interfere no surgimento de doenças do divertículo. Estudos da Organização mundial da Saúde apontam que 18% dos japoneses que vivem no Japão e tem uma alimentação prioritariamente oriental ( a base de peixe, arroz, algas e soja) apresentavam a doença. Já os que migraram para regiões ocidentais e mudaram seus alimentares 50% tinham diverticulite.

TRATAMENTO DA DIVERTICULITEdiverticulite-alimentacao-300x225

O tratamento da diverticulite só é recomendado para pacientes que tem sintomas. Nestes casos, é somente indicado uma mudança alimentar, incluindo alimentos ricos em fibras e óleos essenciais para que a parede do intestino grosso ou do intestino delgado possa se restabelecer sozinhas eliminando as fezes acumuladas nos divertículos.
De 80% dos casos que somente adaptam-se a uma dieta leve evoluem para cura espontânea sem necessidade da tomada de remédios e nem mesmo intervenções curgicas. Os sintomas da diverticulite desaparecem logo nos primeiros meses de dieta.
A longo o prazo a diverticulite pode causar sangramento retal, ruptura do cólon, bolsões cheios de pus (abcessos), Fístula, Peritonite, problemas na cavidade abdominal. No entanto, existem pessoas que não desenvolvem problemas, estas podem conviver com a doença pelo resto da vida somente fazendo exames periódicos para o controle.
Casos graves podem pedir intervenções cirúrgicas para retirada de pontos de inflamação ou pedaços da cavidade intestinal que foram muito lesionadas. Em outros é feito a limpeza dos divertículos para eliminar as fezes que ficaram presas.
A medicação com anti-inflamatórios não esteroides ( NimesulidaIbuprofeno, etc)  e analgésicos pode ser recomendada dependendo do caso que apresentar o paciente.

O QUE PODE E O QUE NÃO PODE COMER NA DIVERTICULITE

A alimentação é o tratamento mais eficaz contra a diverticulite pois atua ao mesmo tempo na eliminação da inflamação e prevenção de novos casos. Deve-se ingerir alimentos com fibras, vitamina C e anti-inflamatórios naturais como o gengibre, por exemplo.  Outros alimentos podem ser benéficos na recuperação como por exemplo o
  • Espinafre
  • Agrião
  • Acelga e alface
  • Cereais integrais
  • Aveia, arroz integral, fibras no geral
  • Maça, laranja, pera, ameixa, banana
  • Beber de 2 a 3 litros de água por dia
Por outro lado, tem também os alimentos que devem ser evitados, confira o que não pode comer na diverticulite:
  • Pipoca
  • Sementes no geral
  • Carnes vermelhas e gordurosas
  • Alimentos ricos em açúcares
  • Alimentos embutidos
  • Cafeína em excesso
A prevenção a diverticulite ainda é a melhor forma de enfrentar a doença. Pessoas acima de 40 anos, idosos, sedentários, prática de tabagismo, obesidade e histórico familiar (relação genética) estão entre os fatores de risco. Ao se enquadrar nesta forma pense em adotar estilo de vida mais saudável para prevenir a diverticulite e muitas outras doenças relacionadas a má alimentação e falta de exercícios físicos.
Fonte:Nursing
Preparei um e-book para você: "Sucesso na Prevenção e Controle da Diverticulite" contém todas as informações completas do que você precisa saber e fazer para prevenir e controlar a diverticulite. Inclui sugestões de cardápios para os vários estágios, desde sua prevenção até o controle da doença, acrescido de várias dicas importantes para se manter saudável! Clique no link abaixo e adquira já seu exemplar e ganhe um livro bônus de receitas:



Aproveite também o livro bônus com 10 receitas funcionais deliciosas que você receberá junto com a compra deste livro.



PATRÍCIA BRIGAGÃO MENDES

Acesse o link e adquira o seu ebook agora:

lINK: HTTP://https://go.hotmart.com/S5175144N