sexta-feira, 21 de outubro de 2016

HIPOTIREOIDISMO

O hipotireoidismo é uma condição na qual o corpo não produz a quantidade suficiente de hormônios tireoides, por isso, quem sofre de hipotireoidismo têm um metabolismo lento, sendo a causa mais comum a tireoidite de Hashimoto ou tireoidite autoimune, que é uma inflamação da tireoide, causada pelo sistema imunológico.


SINTOMAS DO HIPOTIREOIDISMO

Os sintomas do hipotireoidismo são: fraqueza, fadiga, aumento de peso ou da dificuldade de perder peso, cabelo seco, perda de cabelo, cabelo e unhasquebradiças, pele pálida, seca e áspera, ciclos menstruais anormais, intolerância ao frio, prisão de ventre, colesterol elevado, câimbras musculares frequentes, perda de memória, depressão, irritabilidade e diminuição da libido.

DIETA ADEQUADA PARA O HIPOTIREOIDISMO

É importante manter um estilo de vida saudável, onde exista uma dieta nutritiva e atividade física regular; bem como técnicas para controlar o estresse e os medicamentos que o médico tenha receitado para a doença.Mesmo que não exista nenhum alimento ou plano de alimentação, que possam curar ou prevenir a doença, os efeitos do aumento do peso podem ser amenizados uma vez que consuma alimentos com poucas calorias e ricos em nutrientes com alto teor de vitaminas e minerais, para aumentar a resposta do sistema imunológico e prevenir outras doenças.
É ideal manter uma dieta  saudável, com alimentos como frutas, verdurascarboidratos complexos – como os cereais integrais, macarrão, batata, hortaliças de raiz, legumes – além de proteínas magras e gorduras saudáveis com moderação.

ÁCIDOS GRAXOS ÔMEGA-3

São muito importantes para a função do cérebro e necessários para mantermos a tireoide saudável.
Além disso, eles podem reduzir a inflamação que causa a função tireóidea lenta. Os alimentos ricos em ômega-3 incluem em óleo de linhaça, salmão e peixe azul, como o atum, bacalhau e cavalinha, e em menor quantidade as nozes.
Caso medicamentos anticoagulantes sejam receitados, fale com seu médico antes de aumentar a ingestão de ômega-3 em sua dieta, já que podem causar aumento de sangramentos.

VITAMINAS DO GRUPO B

As vitaminas do complexo B ajudam a glândula tireoide na produção de energia, em especial a vitamina B12, indicada par anemia e baixa função tireóidea.
Alguns exemplos de alimentos riquíssimos em vitamina B12 são mariscos, vísceras, carne, ovos, leite, cereais enriquecidos, algas e levedura de cerveja.
A vitamina B9 é outra importante vitamina para a função tireóidea e pode ser encontrada em legumes, abacates, laranjas, couve, aspargos, espinafres, couve-flor, gérmen de trigo e em pequenas quantidades nos lácteos.
Espinafre e rico em vitaminas que previnem ou controlam o hipotireoidismo
O espinafre, além de ser uma grande fonte de vitamina C, também é rico em vitamina B.

ALIMENTOS QUE PODEM SER PREJUDICIAIS

Existem compostos que podem interferir na função tireóidea, já que são similares aos hormônios humanos, como o estrogênio, e atuam de forma similar no organismo.
Vários alimentos contêm compostos que geram bócio, por isso, quem apresenta hipotireoidismo deve evitar este tipo de alimento.
Alguns exemplos de alimentos que podem ser prejudiciais à glândula tiroide  são: soja e seus derivados, café, farinhas brancas, por causa do glúten. Todos esses podem afetar negativamente a saúde da tireoide em pessoas suscetíveis.
Fonte: Melhor com saude

Alimentos que pioram a Candidíase

A candidíase é uma condição muito comum que 75% das mulheres passa ao menos uma vez na vida. A infecção, provocada pelo fungo Candida albicans, provoca coceira, ardor e corrimento esbranquiçado. Apesar de o fungo estar presente na superfície da pele e no trato digestivo, ele é inofensivo até encontrar calor e resistência baixa, requisitos fundamentais para sua multiplicação.
Com o tempo quente e úmido do verão, as chances de a vagina se tornar num habitat favorável para a proliferação da candidíase aumentam consideravelmente. As chances podem aumentar mais ainda quando a flora vaginal fica desestabilizada, por causa de medicamentos, infecções, má alimentação ou estresse.
Dentre todos os fatores que permitem a proliferação da Candida, a alimentação é um dos mais contornáveis. Segundo o ginecologista José Bento, dos hospitais São Luiz e Albert Einstein, em São Paulo, o cardápio deve ser revisado quando ocorre o problema. "Em vez de usar os cremes ou óvulos vaginais antifúngicos de rotina, vale a pena revisar seus hábitos com o seu médico", comenta.
Confira na galeria acima alguns dos alimentos que devem ser evitados quando a infecção aparece, e que devem ser controlados para que ela não volte a atacar:

AÇÚCAR

O açúcar altera o pH da vagina de modo a favorecer a proliferação dos fungos, diz José Bento. O açúcar em geral, refrigerantes, mel e sucos de fruta devem ser evitados.

CARBOIDRATOS REFINADOS

Macarrão, pão e arroz branco fazem parte do grupo de carboidratos simples, que elevam a taxa de açúcar no sangue. Troque pelas versões integrais e com fibras.

LATICÍNIOS

Os produtos à base de leite, como queijos e iogurtes, por terem potencial alergênico, podem desequilibrar a flora digestiva.

SOJA

A soja tem potencial alergênico, que pode desequilibrar a flora digestiva.

FRUTAS DE ALTO ÍNDICE GLICÊMICO

As frutas possuem frutose, seu açúcar natural, e podem ser nocivas neste momento. Manga, melancia, caqui e uva não são indicadas, mas frutas de baixo índice glicêmico, como morango, pera, pêssego, maçã e ameixa são absorvidas mais lentamente. Sucos de fruta e frutas secas, nem pensar.

VINHO E CERVEJA

Bebidas são fermentadas pela ação de fungos, por esta razão eles devem ser evitados. Isso pode confundir o sistema imunológico e desequilibrar os microrganismos que vivem naturalmente no intestino, diz Fábio Bicalho, membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional.

VINAGRE

A fermentação do vinagre pode prejudicar a flora intestinal.

GORGONZOLA

O queijo gorgonzola é também fermentado.

CONSERVAS

Produtos como picles e palmito em conserva estimulam a proliferação dos fungos.

EMBUTIDOS

Embutidos também estimulam a proliferação dos fungos.

COGUMELOS

Todos os tipos de cogumelos estimulam a proliferação dos fungos.
Fonte: Boa Forma