sexta-feira, 1 de julho de 2016

Dicas para sua auto estima te ajudar no emagrecimento

1- Aprenda a diferenciar a fome real da fome psicológica: não troque sentimentos por alimentos.
2- Em frente ao espelho, examine detalhadamente: pernas, barriga, seios e bumbum. Ser critica em relação a sua aparência não significa ver apenas as imperfeições, mas sim, verificar os pontos em que você pode melhorar e valorizar suas qualidades. 

18 Dicas Para Perder Peso Usando A Autoestima
18 Dicas Para Perder Peso Usando A Autoestima – Clube Para Emagrecer
3- Procure um grupo de apoio ao emagrecimento, assim você poderá ter novas experiências, tendo também maior motivação.
4- Quando o seu organismo notar que você perdeu peso, poderá pedir-lhe a quantidade de alimento que consumia antes. Não ceda a tentação de comer mais, até que seu organismo se adapte á sua nova silhueta.
5- Compre roupas bonitas e diferentes daquelas que você usava antes de perder peso, assim você se sentirá mais elegante e bonita.
6- Se por algum momento se sentir estressada ou cansada, não coma nada mesmo que esteja no horário de alguma refeição. Tome antes um banho relaxante e se possível, frio, ou pare para descansar por 10 minutos, pois nessas situações de estresse, o organismo libera o hormônio cortisol, que faz você ganhar peso rapidamente.
7- Uma ótima estratégia que tem dado resultado é usar o poder da atração, é isso mesmo! Procure espalhar fotos por sua casa de pessoas magras, bonitas para motivá-la diariamente na sua batalha de perder peso.

8- Uma boa estratégia na hora da alimentação é; deixe sempre uma sobra nos pratos, como fazem os franceses, este método o ajudará em seu autocontrole.
9- Procure ser sempre otimista, aqui querer é sim, uma questão de poder!
10- Outra dica muito importante é, conscientize seu subconsciente, diga a você todos os dias:“eu vou emagrecer”.
11- Acredite sempre em você, diga: eu vou conseguir perder peso e não irei mais recuperá-lo – Xô gorduras indesejadas! Longe de mim…
12- Outra dica muita errada que muitas mulheres colocam sobre meta;
Por exemplo:
vou começar a dieta na segunda-feira. Note que geralmente as mulheres iniciam na segunda-feira, só para poder comer a vontade no domingo. Agir deste modo só irá prejudicar a sua dieta. Mentalize que você irá perder dois quilos ou mais em uma semana. Procure sempre se lembrar, que nas demais semanas, você não irá perder tanta gordura quanto no início.
13- Congele seu peso, diga com a boca vazia: neste inverno eu não vou engordar nenhuma grama. Então, prepare-se para cumprir a promessa, atravessando o inverno sem ganhar aqueles quilinhos indesejáveis.
14- A estratégia da mesa após a alimentação: muitas pessoas falham neste quesito, porque mesmo quando terminam suas refeições elas ainda continuam sobre a mesa, esqueça isso, não caia nesta tentação, após terminar sua alimentação procure se levantar da mesa para não dar ao seu subconsciente que precisa complementar a sua refeição.
15- Procure sempre ao se dirigir ao supermercado, de estar com o estômago cheio, pois agindo assim você não cai na tentação de levar algum item que não esteja de fato relacionado à sua lista de compras.
16- lembre-se que as pessoas obesas são gulosas e costumam periodicamente assaltar a geladeira. Cuidado! Uma ótima dica é usar o poder das fotos, como eu disse anteriormente (pela casa), procure colocar uma foto de uma mulher bem gorda grudada na porta da geladeira, pois toda hora que resolver cair nesta tentação, você se lembrará de que poderá ficar igual a ela, se não manter a sua dieta.
17- Quando você sentir vontade de degustar de algum doce procure optar pelos dietéticos ou tome duas cápsulas de garcínia, que controla a compulsão por doces.
18- Não desanime nunca: nunca deixe ninguém fazer isso com você, seja forte! Quando acreditamos em nossa própria força interior qualquer meta é possível de ser atingida.
Fonte: Clube para emagrecer.com

Ansiedade- Um mal que atormenta as pessoas!

A Ansiedade é um estado físico que deriva da emoção do Medo. Sempre que temos Medo geramos e sentimos os sintomas da Ansiedade, sendo que a sua intensidade varia de acordo com o grau de medo que temos.
Sentimos Medo sempre que prevemos sentir dor ou desconforto da experiência que pensamos realizar. Esta previsão é feita através da análise das experiências que vivemos no passado.
O Medo e a Ansiedade são estados absolutamente normais que nos ajudam a evitar más experiências.
A Ansiedade é um processo físico que nos mantém em alerta, criando no nosso corpo um estado de vigília no qual todo o nosso corpo fica preparado para reagir a agressões exteriores, e o nosso cérebro fica com maior agilidade de raciocínio, numa tentativa de, perante o medo, conseguir encontrar uma solução.

E QUANDO A ANSIEDADE NOS PERTURBA?

Por vezes, a nossa mente inconsciente, condicionada por experiências traumáticas do passado, pretende evitar a repetição destas experiências através da Ansiedade, causando-nos desconforto em experiências nas quais preferíamos sentir-nos motivados. Isto acontece quando as experiências traumáticas do passado dão sinais errados à nossa estrutura emocional. Por exemplo: uma criança vítima de agressões na escola pode desenvolver, em adulto, comportamentos de afastamento social, pois inconscientemente o contacto social é agressor.

MEDO DE FALHAR

Quando as crianças são sujeitas a grande pressão dos seus pais ou tutores, nomeadamente com exigências excessivas para estudar, para cumprirem regras, para se comportarem de determinada forma, entre outras formas de pressão, podem desenvolver em adolescentes e em adultos estados de ansiedade generalizada, podendo até entrar em estados de bloqueio anímico perante a possibilidade de falharem as suas tarefas e de serem criticados pelos outros. Estes adultos são hipervigilantes ao seu próprio erro, nunca sentindo que fizerem bem o suficiente, têm dificuldade em adormecer e em relaxar.
O fenómeno da Ansiedade manifesta-se em perturbações emocionais como:
  • Ataques de pânico
  • Obsessões
  • Fobia social / timidez
  • Fobias
    • Desvios do comportamento alimentar
    • Insónias
    • Fibromialgia

    SINTOMAS DA ANSIEDADE

    • Fadiga
    • Insónia
    • Sensação de falta de ar
    • Picadas nas mãos e nos pés
    • Confusão
    • nstabilidade ou sensação de desmaio
    • Dores no peito e palpitações
    • Afrontamentos, arrepios, suores, mãos húmidas
    • Boca seca
    • Contrações ou tremores incontroláveis
    • Tensão muscular, dores
    • Necessidade urgente de defecar ou urinar
    • Dificuldade em engolir
    • Sensação de ter um "nó" na garganta
    • Dificuldades em relaxar
    • Dificuldades em dormir
    • Tonturas ou vertigem
    • Vómitos incontroláveis
    • Sensação de impotência
    • A Ansiedade é, de facto, um estado perturbador e não um desequilíbrio químico. A causa desta condição é a força emocional das experiências que viveram no seu passado.
    • Experiências como traumas, violência infantil, bullying, divórcios, maus tratos diversos, podem ser vividos com uma intensidade tal, que se torna difícil ultrapassar a dor e o medo que elas nos trazem. Estas emoções que não ultrapassamos, como o medo, a mágoa, a tristeza, ao longo do tempo destroem a nossa qualidade de vida, limitando-nos na nossa liberdade de sermos felizes.
      As pessoas que não conseguem ultrapassar as dificuldades do passado não são as mais fracas, mas sim as que mais sentiram a dor ou o medo dessas experiências.
    • TRATAMENTO
    • O tratamento para ansiedade pode ser feito com uso de remédios, consumo de alimentos calmantes, prática de exercício físico, atividades de relaxamento ou acompanhamento psicológico.
      Alguns medicamentos utilizados no tratamento da ansiedade generalizada são os remédios ansiolíticos, antidepressivos ou calmantes, como:
      • Alprazolam;
      • Diazepam;
      • Fluoxetina;
      • Amitriptilina;
      • Valeriana.
      Os remédios devem ser indicados pelo médico psiquiatra e atuam no sistema nervoso de forma a diminuir a preocupação exagerada, tensão, medo ou pavor de que algo mal possa acontecer, sintomas característicos da ansiedade. Estes remédios ansiolíticos podem ser usados no tratamento para ansiedade e síndrome do pânico, mas não devem ser usados de forma prolongada e descontrolada, pois podem provocar dependência.
    • Tratamento caseiro para ansiedade

      Um bom tratamento caseiro para ansiedade é o suco de amêndoas, gengibre e noz-moscada, que ajuda a relaxar e aumenta a dilatação dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação do sangue e oxigenação do cérebro.
      Ingredientes
      • 10 amêndoas cruas;
      • Gengibre;
      • Noz-moscada;
      • 1 copo de leite.
      Modo de preparo
      Mergulhar as amêndoas durante a noite na água para suavizar e, em seguida, retirar as peles. Colocar as amêndoas no liquidificador juntamente com 1 copo de leite quente, uma pitada de gengibre e uma pitada de noz-moscada. Beber antes de ir dormir para ajudar a relaxar.
      No tratamento para ansiedade e nervosismo podem ser ingeridos alimentos calmantes, como o maracujá, laranja, folhas de alface ou chá de camomila.

      Tratamento natural para ansiedade

      Um bom tratamento natural para ansiedade é praticar Yoga, um tipo de exercício que trabalha com posturas e alongamentos, sendo também uma boa maneira de diminuir a tensão muscular e relaxar a mente. As aulas devem ser feitas pelo menos 1 vez por semana.
      Um outro tratamento natural para ansiedade é o seguinte exercício:
      • Deitar-se confortavelmente numa superfície plana;
      • Respirar profundamente, enchendo a barriga de ar e soltando aos pouquinhos.
      Esta técnica é chamada de respiração diafragmática e ajuda a expandir melhor os pulmões, oxigenando melhor o cérebro.
      A prática regular de exercício físico, como natação, caminhada ou andar de bicicleta são ótimas opções de tratamento para ansiedade e estresse.
    • fONTE: Clinica da mente e Tua Saude