domingo, 30 de outubro de 2016

Alimentos que ajudam a melhorar o humor!


ALFACE
Nada pior do que ficar mau humorado, principalmente nos momentos de descanso. Hábitos saudáveis como ter uma boa noite de sono e praticar exercícios físicos são amigos conhecidos no combate ao estresse.
O que poucos sabem é que também é possível usar a alimentação para diminuir o nervosismo, a ansiedade e o cansaço. De acordo com a nutricionista , alguns alimentos tem o poder de estimular o funcionamento do sistema nervoso, diminuindo a irritação e espantando a tristeza, entre outros benefícios. Confira essa lista e veja o que a especialista nos conta sobre cada alimento.
Ótima para amenizar a irritação. O talo da alface possui uma substância chamada lactucina, que funciona como calmante. Além disso, é rica em fosfato, a falta deste mineral pode causar depressão, confusão mental e cansaço.
BANANA
Esta fruta diminui a ansiedade e ajuda a garantir um sono bem mais tranqüilo. Tudo isso graças à boa quantidade de carboidratos, potássio, magnésio e biotina. A banana também dá o maior pique, pois possui vitamina B6, um dos responsáveis por produzir energia.
FRUTOS DO MAR
Os alimentos vindos do mar são ricos em zinco e selênio que agem no cérebro, diminuindo ansiedade e cansaço. Também são boas fontes de ômega 3 (gordura que auxilia na diminuição de colesterol ruim LDL na corrente sanguínea) e proteínas, ambos essenciais para o bom funcionamento do coração.
LARANJA
Ajuda o sistema nervoso a trabalhar adequadamente, isso devido as boas concentrações de vitamina C, cálcio e vitaminas do complexo B. Essa fruta ainda é energética, previne a fadiga e hidrata.
MEL
Esse alimento tem o poder de estimular a produção da serotonina, neurotransmissor responsável por nos dar uma sensação de bem-estar e prazer.
UVA
A vitamina C e os flavonóides (antioxidantes), retardam o envelhecimento da pele e ajudam a combater o colesterol ruim. Tem boas doses de vitaminas do complexo B, que ajudam o bom funcionamento do sistema nervoso.é rica em glicose, por isso é um bom energético.
OVOS
As substâncias que garantem o bom humor são a tiamina e a niacina (vitaminas do complexo B), ácido fólico e acetilcolina. A carência delas pode causar apatia, perda de memória e ansiedade.
JABUTICABA
É rica em carboidratos, que fornecem energia ao nosso organismo. Também é repleta de ferro não heme e vitamina C, que ajuda a aumentar as defesas do organismo e suas vitaminas do complexo B agem como antidepressivos.
ESPINAFRE
Contém potássio e ácido fólico, que ajudam na prevenção da depressão. E ajuda a estabilizar a pressão arterial, além de garantir um bom funcionamento do sistema nervoso, graças as vitaminas A, C e do complexo B, fosfato e magnésio

Então, Comece a incluir estes alimentos no seu dia a dia e veja como vai melhorar seu humor e relacionamento com as pessoas!

Depois me conte!

Patrícia Mendes
Nutricionista

Fonte:MSN
Link:http://hábitos saudáveis, depressão, ansiedade

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Fitoterapia- conheça mais sobre este assunto!

Existem fitoterápicos tão eficientes que são distribuídos pela rede pública de saúde do país, mas algumas regras rigorosas dificultam o registro e o reconhecimento de muitos desses medicamentos. Por conta disso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) levantou uma discussão, na semana do dia 4 de março, sobre a possibilidade de criar uma nova regra para os fitoterápicos no Brasil. A ideia é que seja criada uma categoria de "produto tradicional fitoterápico". Nesse grupo, seriam aceitas substâncias que comprovem a segurança pelo uso tradicional - sem precisar de comprovação científica - desde que cumpram as condições adequadas de higiene para fabricação. Para conhecer melhor o efeito e os cuidados com esses medicamentos, confira as explicações de especialistas no assunto:


1. O que são fitoterápicos? De acordo com a Anvisa, fitoterápicos são medicamentos que têm como princípio ativo drogas vegetais, popularmente conhecidas como plantas medicinais. "Esses compostos agem sobre o organismo proporcionando ações específicas como melhora de enjoo e náuseas, aumento da saciedade, melhora do funcionamento intestinal etc.", explica a nutricionista Alessandra Coelho, do Conselho Regional de Nutricionistas de São Paulo. "Na fitoterapia, os medicamentos são produzidos a partir de partes das plantas, não possuindo apenas uma substância isolada e sim uma série delas", explica Célia Von Linsingen, Gerente de Marketing Institucional e Consumo do Herbarium, empresa de fitoterápicos. Essa ação conjunta torna o tratamento mais suave e reduz os efeitos colaterais.
2. Fitoterápicos são enquadrados na classe de medicamentos? Sim, eles são considerados medicamentos assim como os remédios convencionais, chamados alopáticos. Por conta disso, os fitoterápicos precisam apresentar estudos científicos e outros critérios para comprovar a qualidade, a segurança e eficácia do uso. No entanto, muitos medicamentos fitoterápicos são bem antigos e não possuem esses estudos, não sendo reconhecidos pela Anvisa.
3. O fitoterápico pode substituir medicamentos alopáticos? Segundo Caroly Mendonça, coordenadora do curso de Fitoterapia Clínica do Centro de Pós-Graduação das Faculdades Oswaldo Cruz, o fitoterápico pode substituir um medicamento alopático dependendo da doença. "Em alguns casos, o efeito é até melhor do que de um medicamento alopático", diz a professora. Tratamentos de gastrite, por exemplo, podem ser feitos com espinheira santa. "Mas lembre-se de que nenhuma medicação deve ser substituída sem a indicação e consentimento do profissional responsável", alerta a nutricionista Alessandra.
4. Fitoterápicos podem trazer perigos à saúde? O mau uso de fitoterápicos pode ocasionar problemas à saúde, como qualquer outro medicamento. A Anvisa exemplifica alguns dos possíveis problemas: alterações na pressão arterial e problemas no sistema nervoso central, fígado e rins, que podem levar a internações no hospital e até morte, dependendo da forma de uso irregular. Por isso, é fundamental usar fitoterápicos seguindo orientações de um profissional da área de saúde capacitado.
5. Fitoterapia é o mesmo que medicina ortomolecular? Não. "A fitoterapia é uma terapia usada com extratos vegetais que vem de uma prática mais antiga e tradicional", explica Marcelle Machado, professora do curso de Naturologia da Anhembi Morumbi, em São Paulo. Nessa técnica, todos os compostos ativos são de origem vegetal, mas não há uma substância ativa isolada.Já a medicina ortomolecular possui como terapia a utilização de substâncias biológicas ou sintéticas, como vitaminas e minerais, de maneira isolada. "Esse uso é feito para corrigir alguma deficiência ou até mesmo para combater doenças, no caso da prescrição de antioxidantes", explica a nutricionista Alessandra.
6. Quem pode receitar fitoterápico? A nutricionista Alessandra forneceu uma lista divulgada pela Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais com os profissionais que podem prescrever fitoterápicos, entre eles:- Médico, desde que seja especializado na área de fitoterapia; - Nutricionista e cirurgião dentista (apenas produtos com indicação relacionada ao seu campo de conhecimento); - Farmacêutico (apenas medicamentos isentos de prescrição médica para doenças de baixa gravidade); - Enfermeiro (desde que faça pós-graduação); - Terapeutas (técnicos em acupuntura, podólogos, técnicos em quiropraxia e terapeutas holísticos) e naturólogos podem recomendar fitoterápicos de venda livre, que não sejam manipulados; - Psicólogos e fisioterapeutas podem recomendar fitoterápicos de venda livre apenas quando forem especializados em acupuntura.
7. Quais cuidados é preciso ter com o uso de fitoterápico? A Anvisa lista alguns cuidados que são os mesmos destinados aos outros medicamentos: - Buscar informações com os profissionais de saúde;- Informar ao seu médico sobre qualquer reação desagradável enquanto estiver usando plantas medicinais ou fitoterápicos; - Observar cuidados especiais com gestantes, lactantes, crianças e idosos; - Informar ao seu médico se está utilizando plantas medicinais ou fitoterápicos, principalmente antes de cirurgias; - Adquirir fitoterápicos apenas em farmácias e drogarias autorizadas pela Vigilância Sanitária; - Seguir as orientações da bula e rotulagem;- Observar a data de validade e nunca usar medicamentos vencidos; - Seguir corretamente os cuidados de armazenamento; - Ter cuidado ao associar medicamentos, pois isso pode diminuir os efeitos ou provocar reações indesejadas; - Desconfiar de produtos que prometem curas milagrosas.Fitoterápicos que trazem benefícios à saúde Há por volta de 66 fitoterápicos reconhecidos pela Anvisa. 
Fonte: MSN

Receitas de bolos funcionais

Bolo de aniversário diet





Ingredientes

½ xícara de tâmaras sem caroço colocadas de molho por 4 horas
1 xícara (chá) de água quente (250ml)
4 ovos
1 xícara de achocolatado em pó 70% cacau e sem açúcar (193g)
½ xícara de óleo de coco
2 xícara de farinha de arroz (280g)
2 colher (sopa) de semente de linhaça
1 colher (sopa) de fermento em pó

Modo de preparo
No liquidificador, misture as tâmaras com a água quente e reserve. Em seguida, bata os ovos na batedeira até dobrar de volume. Acrescente o achocolatado e o óleo. Então, desligue a batedeira e, aos poucos, acrescente a farinha e a mistura de tâmaras. Quando estiver bem homogêneo, volte a bater em velocidade baixa.
Desligue a batedeira, acrescente a semente de linhaça e o fermento. Depois, unte a forma com óleo de coco e enfarinhe com alfarroba ou canela em pó. Coloque em forno médio preaquecido a 180°C por 25 a 30 minutos. Prontinho! Se quiser, prepare uma cobertura de sua preferência (sem açúcar, ok?) e turbine o sabor.

Bolo de laranja com gengibre e quinua

Ingredientes:
– 1 col. (chá) de gengibre ralado
– 4 col. (sopa) de óleo de coco
– 1 xíc. (chá) de açúcar de coco
– 1 xíc. (chá) de farinha de arroz (integral melhor)
– 1 xíc de chá de farinha ou farelo de quinua
– 1 col. (sopa) de fermento em pó
– 1 xíc. (chá) de suco de laranja
– 1 xíc. De leite de arroz (ou outro vegetal)
– 3 ovos
Modo de fazer:
Bata as claras em neve e reserve.
Bata por 5 minutos o açúcar de coco, o óleo de coco e as gemas na batedeira ou liquidificador.
Sem parar de bater, acrescentar as farinhas, o suco de laranja e o leite vegetal.
Acrescente as claras em neve `a massa.
Mexa delicadamente até formar uma massa homogênea.
Despeje em assadeira  untada e polvilhada.
Asse em forno médio pré-aquecido por 35 minutos.
Caso queira uma calda, coloque na panela o suco de 4 laranjas com 2 col. de sopa de açúcar de coco e deixe engrossar. Jogue por cima do bolo e coloque raspas de laranja. Vai ficar lindo!
Bolo de abóbora com castanha do pará e especiarias

Ingredientes
– 2 ½ xícara de chá de abóbora crua e sem casca
– 1 ½ colheres de sopa de açúcar de coco (para cozinhar a abóbora)
– 2 lascas de canela em pau
– 3 ovos
– 3 col. de sopa de óleo de coco
– 1 e 1/2 xícaras de farinha de arroz (integral melhor)
– 1 xíc de chá de açúcar de coco
– 1 col. de sopa de fermento em pó
– 1 xíc de chá de castanha do Pará picada
– 1 col. de sob de canela em pó
– 1 pitada de sal rosa
– ½ col. de chá de noz moscada ralada
Modo de fazer:
Numa panela, junte a abóbora, a 1 e ½ col. de sopa de açúcar, a canela e água suficiente para cozinhá-la.
Assim que a abóbora estiver macia, escorra, retirando a canela.
Bata a abóbora, o óleo e os ovos no liquidificador.
Junte a farinha, o açúcar de coco restante, a canela, noz moscada e a castanha picada em uma tigela. Acrescente aos poucos a mistura de abóbora e misture bem, sem bater. O fermento vai por último.
Despeje em assadeira  untada e polvilhada.
Coloque no forno a 180o pré aquecido e asse até dourar (de 30 a 40 minutos).
Aproveitem estas delícias!
Patrícia Mendes



domingo, 23 de outubro de 2016

Cuidados com a dieta após a cirurgia bariátrica!

ENTENDA MELHOR AS FASES NUTRICIONAIS DO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA BARIÁTRICA


Aprender a se alimentar de forma consciente é fundamental para o tratamento cirúrgico da obesidade.
Aprender a se alimentar de forma consciente é fundamental para o tratamento cirúrgico da obesidade.
A reeducação e a suplementação alimentar são fundamentais para o paciente que opta pelo tratamento cirúrgico da obesidade. Sem isso é possível que o resultado seja comprometido.

Os cuidados nutricionais garantem que o paciente realize a adequação de nutrientes e calorias para ter uma boa recuperação no pós-operatório, preserve massa magra durante o emagrecimento e também minimize problemas como o refluxo, a saciedade precoce e o Dumping, além de readequar o organismo a sua nova realidade.

Por isso, os pacientes devem passar por quatro fases antes de voltar a ter uma alimentação regular. Em geral, este período pode variar de 8 a 10 semanas.

É importante ressaltar que cada caso é único e pode haver variações nas fases nutricionais de acordo com a técnica cirúrgica utilizada e também com a realidade pessoal do paciente. Nunca tome nenhuma decisão sem antes conversar com seu cirurgião ou membros da equipe multidisciplinar.

Conheça cada uma abaixo:

Dieta líquida clara
Neste estágio a alimentação deve ser totalmente líquida e isenta de açúcar, com o mínimo de valor calórico. Eles devem ser ingeridos em temperatura ambiente. Esta fase pode durar de 24 a 48 horas, de acordo com avaliação da equipe multidisciplinar. O volume de líquido ingerido deve ser de 1800 ml a 2000 ml por dia. Os alimentos sugeridos para este período são água, chá, gelatina sem açúcar, água de coco e suplemento proteico líquido.

Dieta totalmente líquida
A redução de peso nesta fase, que pode durar entre 2 e 4 semanas, é intensa. Os alimentos ingeridos devem continuar sendo totalmente líquidos e isentos de açúcar, mas eles já tem mais textura que na fase anterior. As preparações devem ser liquidificadas e coadas. Iogurte líquido sem gorduras e sem açúcar, suco de frutas natural coado, bebidas de soja e suplemento proteico líquido. As refeições devem ser frequentes e totalizar 2 litros por dia. Se houver intolerância a lactose, ela deverá ser excluída da dieta.

A água é um dos alimentos indicados durante a dieta líquida clara.
A água é um dos alimentos indicados durante a dieta líquida clara.
Dieta pastosa
A transição para este estágio, que pode durar de 2 a 4 semanas, deve ser feita de acordo com a tolerância do paciente e suas necessidades individuais. O objetivo é treinar a mastigação e o tempo de refeição.

Os alimentos devem ter consistência semelhante a de um pudim mole, purê ou vitaminas de leite com frutas. Nesta fase podem ser adicionados ovos mexidos moles, atum ralado sem gordura e queijos macios, tipo cottage e com baixo teor de gordura. Frutas e vegetais também podem ser incluídos na alimentação.

É essencial que durante a dieta pastosa a preferência deve ser por alimentos ricos em proteínas e a suplementação proteica deve continuar.

Dieta branda
Esta fase deve ser constituída de alimentos com textura modificada, que requerem o mínimo de mastigação e que teoricamente poderão passar facilmente pela bolsa gástrica. A dieta branda é uma fase de transição em que os alimentos devem ser amassados, misturados ou na forma de purê, bem macios.

Dieta regular
É o período em que o paciente, sempre seguindo as orientações de sua equipe multidisciplinar, poderá voltar a ter uma alimentação regular. Deve haver restrição de açúcar e fibras, além de suplementação nutricional e acompanhamento constante.

Fonte: A Atuação Multidisciplinar na Cirurgia Bariátrica – A visão da COESAS-SBCBM

Torta de Quinua com escarola


INGREDIENTES

4 ovos
1 xícara de quinoa
2 xícaras de água
1/2 maço de escarola
1 dente de alho
1 fio de azeite
1 cebola pequena cortada em pétalas
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto
orégano a gosto

MODO DE PREPARO
COZINHE A QUINOA EM FOGO BAIXO NA ÁGUA COM SAL A GOSTO ATÉ SECAR (QUANDO ESTÁ COZIDA, FICA TRANSPARENTE POR FORA), RESERVE
AQUEÇA O AZEITE E JUNTE O ALHO, MEXA POR ALGUNS SEGUNDOS E ACRESCENTE AS FOLHAS DE ESCAROLA CORTADAS EM TIRAS GROSSAS
REFOGUE ATÉ MURCHAR, RESERVE
COMO ESCAROLA SOLTA MUITA ÁGUA, ESCORRA EXCESSO ANTES DE JUNTE À RECEITA
BATA BEM OS OVOS E TEMPERE COM SAL, PIMENTA E ORÉGANO
JUNTE A CEBOLA CRUA, A QUINOA E A ESCAROLA E MISTURE BEM
COLOQUE NUMA ASSADEIRA ANTIADERENTE, OU OUTRA UNTADA COM AZEITE E ENFARINHADA COM A FARINHA FINA DA SUA PREFERÊNCIA
ASSE POR 25 MINUTOS NO CENTRO DO FORNO, A 200° C
A ESCAROLA PODE SER SUBSTITUÍDA POR FOLHAS DE ESPINAFRE (MEIO MAÇO)

Fonte:Tudo gostoso

Compulsão por doce? Como controlar?

Começar a fazer dieta quase sempre não é fácil. Só de ter que maneirar em alguns alimentos já vem o desânimo, principalmente quando o assunto são os doces. Uma dieta equilibrada permite que você coma tudo o que quiser, mas sem nenhum exagero. E as besteirinhas, como doces e balas, são os maiores vilões quando a meta é não passar da conta.
Muita gente acredita que não conseguirá manter uma dieta sem a sensação de relaxamento e bem-estar que as guloseimas proporcionam", afirma. Mas, já que para tudo na vida dá-se um jeito, é possível se livrar dessa compulsão por açucarados. Siga as dicas da nutricionista e acabe já com esse mau hábito:

Faça um diário alimentar:
"Muitas pessoas não se dão conta daquilo que comem", diz a nutricionista . Portanto, se você acha que está exagerado nos doces, que tal montar uma lista com tudo o que você come durante o dia e em quais horários? "Quando você vê o total ingerido em uma lista, percebe que pode haver muitos nutrientes faltando na dieta", completa a especialista. Se, ao fazer a lista, você notar que tem açúcar de sobra, corra atrás do prejuízo!

PARE DEFINITIVAMENTE OU GRADUALMENTE:

Isso não é uma regra. Algumas pessoas preferem ser radicais e excluir os doces da dieta por completo para, depois de superado o hábito, inseri-lo na rotina alimentar aos poucos novamente. Outras preferem o caminho contrário: parar com os doces aos poucos. Segundo a nutricionista, existem casos em que a pessoa sofre de uma espécie de abstinência, ficando nervosa, enjoada ou com dores de cabeça se não comer doces. "Nessas situações, a forma gradual é melhor, pois a seleção de alimentos é naturalmente feita", aconselha.

PROCURE SUBSTITUIÇÕES INTELIGENTES:

É importante comer bem do café da manhã até a janta. A nutricionista conta que manter índice glicêmico em níveis normais diminui a vontade por doces. "Ter picos glicêmicos e depois o rebote, ou seja, ficar com o índice glicêmico muito baixo, aumenta a vontade de comer açúcares", diz. Hoje, é possível incluir alimentos doces em sua dieta sem apelar para os bolos e tortas pouco saudáveis. Frutas frescas ou desidratadas, chocolate amargo combinado a uma fruta, leite com aveia, mel e canela, geleia light com torrada e cookies integrais são algumas opções que a nutricionista sugere. É sempre importante manter uma alimentação rica em fibras, pois elas aumentam a saciedade e estabilizam o índice glicêmico. De acordo com a nutricionista , as barras de cereais são uma boa fonte de fibras e aumentam a saciedade. "Contudo, vale ressaltar que as barras cobertas com camada de chocolate devem ser evitadas já que são mais calóricas e ricas em gorduras", completa.

FUJA DO JEJUM:

A fim de perder os quilinhos a mais ou driblar as calorias adquiridas pelos doces, muitos optam por pular refeições ou ficar horas em jejum. Essa é a maior das ciladas. Longos períodos em jejum fazem com que nosso índice glicêmico fique extremamente baixo, nos deixando com mais fome, principalmente por carboidratos e açúcares. "É necessário alimentos com mais qualidade e os doces em menor quantidade, em vez de se acabar no açúcar e depois pular refeições", explica a especialista. "Isso só trará malefícios à saúde do paciente".

NÃO SUBSTITUA UMA REFEIÇÃO POR DOCES:

Na mesma linha do jejum, algumas pessoas procuram comer menos no almoço ou no jantar para poder saborear uma sobremesa sem culpa. Essa orientação, porém, está totalmente errada. "Não posso deixar de comer proteína, arroz e feijão só para comer uma torta de morango depois", diz a nutricionista.  Muitas pessoas fazem essa troca pensando em calorias, mas 100 calorias de arroz e feijão estão longe de ser equivalente a 100 calorias de bolo de chocolate, já que as respostas metabólicas são diferentes. "O aproveitamento de nutrientes que o seu corpo terá com o arroz e feijão é muito maior", esclarece. Por isso, nada de saborear um doce prejudicando uma refeição saudável e equilibrada, que é tão importante para o seu rendimento físico e mental.

ELIMINE OS DOCES DA SUA DISPENSA:

Nada de passar vontade ou conviver com as tentações ao alcance da mão. Evite comprar doces e estocá-los nos armários, geladeiras, gavetas e até mesmo no trabalho. "Muitas vezes, a pessoa alega que compra doces para o filho ou outro membro da família, quando, na verdade, compra pra si", conta a nutricionista.Portanto, é hora de tomar coragem e parar de comprar besteiras. É óbvio que nenhum alimento é proibido, mas o ideal é não comprar aos montes um alimento que você sabe ser inadequado, pois sempre pode surgir um momento de fraqueza. "O fato de possuirmos doces em casa aumenta a tentação em ingeri-los", diz a nutricionista , que afirma que ocomportamento saudável deve começar na compra e perdurar no dia-a-dia.

SE A VONTADE FOR INCONTROLÁVEL...

Prefira comer o docinho no período da tarde. Evite ao máximo os doces pela manhã, pois nosso corpo está se desintoxicando e ingerir muito açúcar nesse período dá mais trabalho para nosso metabolismo. Prefira o doce no lanche da tarde em vez de comê-lo na sobremesa, já que o seu organismo está satisfeito da refeição. Por isso, opte por horários entre 17h30 e 18h30.
Fonte:Minha Vida

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

HIPOTIREOIDISMO

O hipotireoidismo é uma condição na qual o corpo não produz a quantidade suficiente de hormônios tireoides, por isso, quem sofre de hipotireoidismo têm um metabolismo lento, sendo a causa mais comum a tireoidite de Hashimoto ou tireoidite autoimune, que é uma inflamação da tireoide, causada pelo sistema imunológico.


SINTOMAS DO HIPOTIREOIDISMO

Os sintomas do hipotireoidismo são: fraqueza, fadiga, aumento de peso ou da dificuldade de perder peso, cabelo seco, perda de cabelo, cabelo e unhasquebradiças, pele pálida, seca e áspera, ciclos menstruais anormais, intolerância ao frio, prisão de ventre, colesterol elevado, câimbras musculares frequentes, perda de memória, depressão, irritabilidade e diminuição da libido.

DIETA ADEQUADA PARA O HIPOTIREOIDISMO

É importante manter um estilo de vida saudável, onde exista uma dieta nutritiva e atividade física regular; bem como técnicas para controlar o estresse e os medicamentos que o médico tenha receitado para a doença.Mesmo que não exista nenhum alimento ou plano de alimentação, que possam curar ou prevenir a doença, os efeitos do aumento do peso podem ser amenizados uma vez que consuma alimentos com poucas calorias e ricos em nutrientes com alto teor de vitaminas e minerais, para aumentar a resposta do sistema imunológico e prevenir outras doenças.
É ideal manter uma dieta  saudável, com alimentos como frutas, verdurascarboidratos complexos – como os cereais integrais, macarrão, batata, hortaliças de raiz, legumes – além de proteínas magras e gorduras saudáveis com moderação.

ÁCIDOS GRAXOS ÔMEGA-3

São muito importantes para a função do cérebro e necessários para mantermos a tireoide saudável.
Além disso, eles podem reduzir a inflamação que causa a função tireóidea lenta. Os alimentos ricos em ômega-3 incluem em óleo de linhaça, salmão e peixe azul, como o atum, bacalhau e cavalinha, e em menor quantidade as nozes.
Caso medicamentos anticoagulantes sejam receitados, fale com seu médico antes de aumentar a ingestão de ômega-3 em sua dieta, já que podem causar aumento de sangramentos.

VITAMINAS DO GRUPO B

As vitaminas do complexo B ajudam a glândula tireoide na produção de energia, em especial a vitamina B12, indicada par anemia e baixa função tireóidea.
Alguns exemplos de alimentos riquíssimos em vitamina B12 são mariscos, vísceras, carne, ovos, leite, cereais enriquecidos, algas e levedura de cerveja.
A vitamina B9 é outra importante vitamina para a função tireóidea e pode ser encontrada em legumes, abacates, laranjas, couve, aspargos, espinafres, couve-flor, gérmen de trigo e em pequenas quantidades nos lácteos.
Espinafre e rico em vitaminas que previnem ou controlam o hipotireoidismo
O espinafre, além de ser uma grande fonte de vitamina C, também é rico em vitamina B.

ALIMENTOS QUE PODEM SER PREJUDICIAIS

Existem compostos que podem interferir na função tireóidea, já que são similares aos hormônios humanos, como o estrogênio, e atuam de forma similar no organismo.
Vários alimentos contêm compostos que geram bócio, por isso, quem apresenta hipotireoidismo deve evitar este tipo de alimento.
Alguns exemplos de alimentos que podem ser prejudiciais à glândula tiroide  são: soja e seus derivados, café, farinhas brancas, por causa do glúten. Todos esses podem afetar negativamente a saúde da tireoide em pessoas suscetíveis.
Fonte: Melhor com saude

Alimentos que pioram a Candidíase

A candidíase é uma condição muito comum que 75% das mulheres passa ao menos uma vez na vida. A infecção, provocada pelo fungo Candida albicans, provoca coceira, ardor e corrimento esbranquiçado. Apesar de o fungo estar presente na superfície da pele e no trato digestivo, ele é inofensivo até encontrar calor e resistência baixa, requisitos fundamentais para sua multiplicação.
Com o tempo quente e úmido do verão, as chances de a vagina se tornar num habitat favorável para a proliferação da candidíase aumentam consideravelmente. As chances podem aumentar mais ainda quando a flora vaginal fica desestabilizada, por causa de medicamentos, infecções, má alimentação ou estresse.
Dentre todos os fatores que permitem a proliferação da Candida, a alimentação é um dos mais contornáveis. Segundo o ginecologista José Bento, dos hospitais São Luiz e Albert Einstein, em São Paulo, o cardápio deve ser revisado quando ocorre o problema. "Em vez de usar os cremes ou óvulos vaginais antifúngicos de rotina, vale a pena revisar seus hábitos com o seu médico", comenta.
Confira na galeria acima alguns dos alimentos que devem ser evitados quando a infecção aparece, e que devem ser controlados para que ela não volte a atacar:

AÇÚCAR

O açúcar altera o pH da vagina de modo a favorecer a proliferação dos fungos, diz José Bento. O açúcar em geral, refrigerantes, mel e sucos de fruta devem ser evitados.

CARBOIDRATOS REFINADOS

Macarrão, pão e arroz branco fazem parte do grupo de carboidratos simples, que elevam a taxa de açúcar no sangue. Troque pelas versões integrais e com fibras.

LATICÍNIOS

Os produtos à base de leite, como queijos e iogurtes, por terem potencial alergênico, podem desequilibrar a flora digestiva.

SOJA

A soja tem potencial alergênico, que pode desequilibrar a flora digestiva.

FRUTAS DE ALTO ÍNDICE GLICÊMICO

As frutas possuem frutose, seu açúcar natural, e podem ser nocivas neste momento. Manga, melancia, caqui e uva não são indicadas, mas frutas de baixo índice glicêmico, como morango, pera, pêssego, maçã e ameixa são absorvidas mais lentamente. Sucos de fruta e frutas secas, nem pensar.

VINHO E CERVEJA

Bebidas são fermentadas pela ação de fungos, por esta razão eles devem ser evitados. Isso pode confundir o sistema imunológico e desequilibrar os microrganismos que vivem naturalmente no intestino, diz Fábio Bicalho, membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional.

VINAGRE

A fermentação do vinagre pode prejudicar a flora intestinal.

GORGONZOLA

O queijo gorgonzola é também fermentado.

CONSERVAS

Produtos como picles e palmito em conserva estimulam a proliferação dos fungos.

EMBUTIDOS

Embutidos também estimulam a proliferação dos fungos.

COGUMELOS

Todos os tipos de cogumelos estimulam a proliferação dos fungos.
Fonte: Boa Forma

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Petit Gateau de tapioca sem lactose!


Ingredientes

1 clara
2 colheres (sopa) de tapioca
2 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (café) de fermento em pó
1 colher (sopa) de doce de leite sem lactose

Modo de preparo

Unte duas canecas com manteiga.
Misture todos os ingredientes, com exceção do doce de leite.
Despeje metade da massa no fundo da caneca.
Coloque o doce de leite.
Complete com o restante da massa.
Leve as canecas ao micro-ondas por 40 segundos.
Delícia! Prove e vai amar!
Fonte: Lucília Diniz