quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Dar uma pausa na dieta, ajuda a emagrecer!

Você não consegue seguir sua dieta nos fins de semana? É difícil resistir àqueles pratos e sobremesas deliciosos dos restaurantes ou quando se é convidado por amigos? Então veja os novos estudos a este respeito. 
Uma nutricionista australiana, Amanda Salis e sua equipe fizeram estudos a respeito de uma dieta direta ou com pausas. Eles resolveram fazer uma experiência interrompendo a dieta de cinco em cinco dias e verificaram que estes intervalos traziam  melhores resultados que a dieta direta. 
A experiência já tinha sido realizada primeiramente em ratos para depois ser repetida em seres humanos. 
Amanda Salis, professora da Universidade de Sidney, na Austrália, teve esta ideia porque ela tinha dificuldades em perder peso seguindo uma dieta constante. Ela explica:
"Eu era obesa e parte da minha frustração em perder peso vinha da necessidade de comer menos e de me exercitar mais"!
Ela continua: "Mas não conseguia chegar ao peso que queria, e ficava sempre com uma enorme fome. Conseguia manter a dieta durante duas semanas e perder um pouco de peso, mas não conseguia continuar por mais tempo”,
Ela, então, resolveu fazer uma experiência com ela mesma: "“Quando começamos a perder peso, o nosso corpo responde com uma fome imensa. A perda de peso causa uma reação na parte do cérebro que controla a fome e faz com que sintamos muita fome por alimentos calóricos”. Pensando desta forma, ela resolveu interromper sua dieta antes que esta enorme fome chegasse, não permitindo que seu corpo acreditasse que esta morrendo de fome. 
O resultado foi positivo  e ela conseguiu perder 30 kg.
A equipe resolveu testar esta experiência, em ratos obesos, em dois grupos distintos: o primeiro fez uma dieta saudável, durante 12 semanas sem interrupção e o segundo fazia intervalos de 1 a 3 dias a cada 5 ou 6 dias de dieta.
O resultado foi o mesmo: os dois grupos perderam o mesmo peso, embora o segundo tenha consumido 12% mais alimentos que o primeiro. Também não houve prejuízo para a saúde dos dois grupos: a glicose, a massa gorda e a concentração de insulina se mantiveram iguais.
O resultado foi publicado na PLOS ONE.
"12% é bastante comida, quando estamos em dieta. Poder comer alguma coisa extra, como um sanduíche de queijo e tomate, faz toda a diferença", explica a nutricionista pesquisadora.
“Esta é uma forma sustentável de perder peso, porque a dieta é uma atividade a longo prazo", diz ela, defendendo sua experiencia. 
Mas estes intervalos não dão direito a comermos tudo que tivermos vontade.
“Estamos a falar de uma dieta baseada em frutas, vegetais, hidrocarbonetos integrais e carne magra”, explica Amanda Salis.
Os pesquisadores do grupo da nutricionista vão fazer agora a mesma experiência em seres humanos, em conjunto com outros pesquisadores de outras universidades australianas.
Para isto são necessários 12 meses de estudos. Então, dentro de um ano, vamos saber com certezas se podemos fazer estes intervalos na dieta para comermos alguma coisa diferente, que dê prazer e engane o estômago, evitando que o organismo acumule energias, pensando que está morrendo de fome
Fonte:MSN

Nenhum comentário:

Postar um comentário