segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Como os alimentos podem influenciar na Psoríase

Os alimentos dividem-se em dois grupos: alcalinizantes e acidificantes. Cerca de 90% da alimentação regular de quase toda a população é constituída por alimentos acidificantes: churrasco, bifes, batatas fritas, feijoada, cerveja, refrigerante, doces, gelados, omeletas, pizzas, biscoitos, cachorros quentes, queijo amarelo, etc..

A composição destes alimentos introduz excesso de proteínas, gorduras (maioritariamente, saturadas), açúcares, deficiências de vitaminas, sais minerais e fibras, provocando o desequilíbrio sanguíneo e stress a nível cutâneo. Estes alimentos contêm, também, grande parte de substâncias cancerígenas, como os nitratos e os nitritos, que vão exigir esforço das células para se livrarem do estímulo da formação do cancro, que ocorre a todo o momento. Para o efeito, as células necessitam de fitoquímicos[1], que estão presentes na alimentação alcalinizante.

O sangue tem um pH ótimo que varia entre os 7.35 e os 7.40 (levemente alcalino). Se os alimentos ingeridos contribuírem para alterar o pH do sangue, há um maior dispêndio de energia para compensar a diferença, originando um stress químico. Para manter uma pele sã, a alimentação deve ser constituída em, pelo menos, 70% de alimentos alcalinizantes (frutos e vegetais), para equilibrar os 30% de alimentos acidificantes que são ingeridos.

Quanto mais vegetariana for a alimentação, mais condizente com a natureza dos tecidos orgânicos é. A alimentação e a psoríase Existe uma grande parte dos doentes de psoríase que sofre com a alimentação: uma grande percentagem dos doentes de psoríase com excesso de peso, que está intimamente associado a problemas graves, faz parte de um conjunto designado por síndrome metabólico.

Este síndrome é constituído por uma associação de doenças, por exemplo, a diabetes, o colesterol elevado, a tensão arterial desregulada (principalmente elevada). Pelo menos uma destas costuma estar presente num doente com psoríase e contribui para complicar a sua situação. A alimentação desempenha um papel muito importante em manter um bom estado de saúde pois as pessoas com excesso de peso, além de terem várias doenças associadas à sua condição necessitam de recorrer a medicação para controlar os desequilíbrios provocados pelas diversas doenças. Esta situação é péssima numa pessoa com psoríase.

Portanto, antes de selecionar os alimentos que podem melhorar a psoríase, o doente deve-se comprometer a regular o seu peso. Para o conseguirem, devem adaptar uma dieta equilibrada. Segundo a Dra. Renata Ramalho (nutricionista) não há uma “dieta milagrosa” para a psoríase. Existe apenas um conjunto de alimentos que ajuda a controlar o estado da psoríase.

* Quais são os alimentos que de facto beneficiam a psoríase?

§ Os peixes gordos (salmão, sardinhas gordas, etc.) e óleos de peixe que diminuem a inflamação;

§ As frutas e os legumes, pois são ricos em vitaminas e antioxidantes, estes devem ser frescos e consumidos de forma variada;

§ Os cereais integrais (pães integrais, pães de sementes, arroz integral, massa integral, etc;

§ Os frutos gordos (nozes, amêndoas, avelãs, pinhões, etc.) já que ajudam no controlo da inflamação e são ricos em gorduras monossaturadas[2]. É importante que o seu consumo seja em quantidades moderadas;


§ Caso o leite e os iogurtes façam parte da alimentação praticada, devem ser magros, não só para ajudar no controlo do peso mas também para evitar a entrada de gorduras para a corrente sanguínea;

§ A bebida de eleição dos doentes deve ser a água, pois é necessária uma boa hidratação. Os sumos de fruta naturais podem ser, por vezes, outra opção. Por sua vez, também existe um conjunto de alimentos que devem ser evitados pois prejudicam a psoríase. * Quais os alimentos a evitar?


§ As carnes vermelhas; § Os alimentos condimentados (pimentos, etc.) uma vez que aumentam a sensação de comichão;

§ Os enchidos, visto que grande parte possui condimentos;

§ Os açúcares e os doces, dado que dificultam o controlo de peso;

§ A fast-food e as bebidas alcoólicas devem ser eliminadas; O álcool em particular pode aumentar o prurido, o risco das crises e torna a condição mais resistente ao tratamento, pois altera o metabolismo de determinados medicamentos, aumentando a sua toxidade;

§ Se o doente apresentar sensibilidade ao níquel, o tomate é algo a evitar pois é extremamente rico em níquel. Associado à alimentação encontra-se, por vezes, o tabaco, já que grande quantidade de pessoas tem o hábito de fumar após a refeição.

É bastante importante que um doente de psoríase não fume.

São químicos ou nutrientes produzidos naturalmente por vegetais, frutas, grãos, legumes e sementes (também são encontrados na soja e no chá verde) para protege-los(as) contra vírus, bactérias e fungos. Quando ingeridos, os fitoquímicos trazem vários benefícios à nossa saúde. Ajudam na prevenção de alguns tipos de cancro e outras doenças crônicas. Os fitoquímicos incluem centenas de substâncias como carotenóides, flavonóides, isoflavonas, licopeno e outras. São gorduras consideradas saudáveis

FONTE: http://esg_psoriase.blogs.sapo.pt/3134.html/ Rondoniaaovivo


Nenhum comentário:

Postar um comentário