sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Atração por alimentos mais calóricos pode ter explicação na genética

Você não resiste a alimentos com alto teor de gordura e açucarados? Sua genética pode ser a culpada.
Pesquisadores dizem ter identificado um par de variantes genéticas que interagem para reforçar respostas de recompensa do cérebro a alimentos ricos em gordura e açúcar.
Eles acreditam que as descobertas podem levar a novos tratamentos para a obesidade.
As duas variantes genéticas estão localizadas perto do gene FTO, que está associado com aumento do risco de obesidade, e o gene DRD2, disseram os pesquisadores.
O estudo, realizado por pesquisadores da Imperial College London, foi apresentado na Obesity Week 2015.
"Pela primeira vez, nós também descobriramos que a ativação de uma parte do cérebro, chamada striatum, foi aumentada quando as pessoas com a variante FTO olharam para alimentos de alto teor calórico, mas isso dependia de qual variante do gene DRD2 possuíam ", disse o líder da equipe de pesquisa, Tony Goldstone, em um comunicado à imprensa, na Obesity Society. "A variante DRD2 altera a forma de resposta da dopamina no cérebro."
Os resultados sugerem que, por alguma razão, as pessoas com a variante FTO são mais propensas a serem obesas porque os sinais de dopamina no seu cérebro impulsionariam a vontade de ingerir estes alimentos quando se está diante deles.
"É possível que as pessoas com estas variantes genéticas específicas possam responder de forma diferente a certos tratamentos para a obesidade", disse Goldstone.
Os pesquisadores utilizaram ressonância magnética funcional para avaliar as respostas do cérebro dos participantes enquanto eles viam imagens de qualquer alimento com alto teor calórico ou de baixa caloria. Os participantes também foram solicitados a classificar como atraente ou não cada uma das imagens. Todos tiveram seu DNA analisado.
As descobertas, segundo especialistas, podem ajudar os pesquisadores a entender melhor a base biológica de comportamentos que podem predispor algumas pessoas à obesidade e sugerir abordagens mais individualizadas para tratamento.
Os dados e conclusões apresentados em encontros são geralmente considerados preliminares até publicado em uma publicação científica.
FONTE: The Obesity Society, comunicado de imprensa, 05 de novembro de 2015

Estresse dos pais pode estar relacionado à obesidade dos filhos

Os pesquisadores compararam as taxas de obesidade de crianças hispânicas em Chicago, Miami, Nova York e San Diego com os níveis e estresse dos pais, em casa e no trabalho.

A taxa de obesidade das crianças aumentou de acordo com a quantidade de estresse que seus pais enfrentaram.
Após o ajuste para outros fatores, tais como: idade, sexo, local de nascimento e vizinhança, os pesquisadores concluíram que os pais com três ou mais fontes crônicas de estresse tinham o dobro da probabilidade de ter crianças obesas do que aquelas sem stress.
Os resultados devem ser apresentados na sexta-feira na reunião anual da Obesity Society, em Los Angeles. A pesquisa apresentada nas reuniões é preliminar.
"Obesidade e estresse crônico foram ambos prevalentes entre população latina, com mais de um quarto (28%) das crianças entre 8 a 16 com a obesidade, e quase um terço (29%) de seus pais com relatos de altos níveis de estresse.
Isasi disse que o estudo, um dos primeiros a identificar o estresse dos pais como fator de risco para a obesidade infantil entre os hispânicos, contribui para a compreensão das influências familiares sobre o peso dos jovens.
"Esta pesquisa deve encorajar os médicos e de cuidadores de saúde a considerar altos níveis de estresse como um sinal de alerta para desenvolver obesidade não só no paciente adulto, mas também na família inteira do paciente", consideram os especialistas.
As descobertas sugerem "que atenção especial deve ser dada aos pacientes adultos que relatam ter altos níveis de estresse na população. Os médicos devem ser encorajados a considerar o aconselhamento comportamental como uma medida de prevenção e tratamentos de obesidade, dizem os pesquisadores.
Mais pesquisas são necessárias para determinar como o estresse dos pais aumenta o risco de uma criança de desenvolver obesidade e trabalhar medidas preventivas para identificar e examinar essa ligação a outros grupos raciais/étnicos, disseram os pesquisadores.
Fonte:ABESO

RECEITAS DE SALMÃO



SALMÃO COM ERVAS FINAS 



Ingredientes
2 postas de salmão sem pele (250g cada)
Sal a gosto 
Suco de ½ limão 
3 colheres (sopa) de manteiga sem sal 
Ervas finas a gosto (salsa, estragão, cebolinha verde
Modo de preparo
Tempere as postas do salmão (já sem a pele) com sal, a gosto, e deixe-as descansar por cerca de três minutos. Unte uma frigideira grande ou uma chapa com manteiga. Em seguida, coloque a manteiga e ervas finas em uma panela e deixe a mistura aquecer até espumar. As postas de salmão devem ser grelhadas na frigideira ou chapa, sendo viradas e pressionadas. Em seguida, adicione o molho de ervas finas, da panela, sobre as postas de salmão. Sirva com creme de espinafre, legumes ou arroz branco.

CEVICHE DE SALMÃO


*Receita da Salmón de Chile
Ingredientes400 gramas de filé de salmão
Suco de 2 limões
Raspas de 1 limão
Sal grosso e pimenta a gosto
½ pimentão vermelho picado
½ pimentão verde
½ ramo de salsinha picada finamente
1 cebolinha (parte branca) picada finamente
1 colher de mostarda forte
4 colheres de azeite de oliva
Molho
½ ramo de coentro
1 xícara de azeite de oliva

Modo de preparo
Cortar o salmão em cubos pequenos. Numa vasilha, juntar o salmão, suco de limão, sal e pimenta. Acrescentar a cebolinha picada, pimentão vermelho e verde picados, colocar a mostarda e o azeite de oliva. Misturar bem e reservar na geladeira por 10 minutos. Para servir, em cada prato, dispor algumas folhas de alface e sobre elas colocar o ceviche. Polvilhar com raspas de limão e servir.
SALMÃO EM PAPILOTE

Ingredientes
1 pedaço de filé de salmão
4 ou 5 colheres de sopa de azeite de oliva extra-virgem
Pimenta da sua preferência
Sal
6 ou 7 colheres de sopa bem cheias de suco de limão ou vinho branco
1 cebola roxa cortada ao meio (opcional)
Modo de Preparo
Corte um pedaço de papel alumínio que seja suficiente para embrulhar a fatia de peixe com folga. É muito importante que sobre espaço dentro do papillote, para que os vapores circulem e cozinhem a carne. Unte com um fio de azeite de oliva e acomode o peixe. Regue com o restante do azeite e com o limão ou o vinho. Se quiser, você pode substituir o azeite por manteiga e o vinho por suco de maracujá ou laranja. Acomode as metades de cebola ao lado do peixe, tempere-as com sal e pimenta e feche o papillote. Não deixe nenhum buraquinho aberto no papel alumínio. Asse em forno médio por cerca de 20 ou 30 minutos. Faça um papillote para cada pedaço de peixe. Sirva o salmão com a cebola caramelizada e com os líquidos que ficaram no papel.
fONTE: msn

Canelloni de berinjela

Ingredientes
– 400 gr de carne de novilho picada
– Queijo ralado
– 1 berinjela
– 1 cebola
– 1 dente de alho
– 1 ramo de salsa
– 1 fio de azeite
– 1 dl de vinho branco
– Molho de tomate
– Bechamel
– Sal e pimenta
Preparação
Em primeiro lugar, corte a berinjela em fatias finas. Depois corte também a cebola e o alho em pedaços pequenos.
Coloque uma frigideira ao lume e regue-a com um fio de azeite. De seguida, junte a cebola e o alho picado.
Deixe refogar um pouco e acrescente a carne picada (já anteriormente temperada com sal, pimenta e 1 dl de vinho). À carne adicione o ramo de salsa para que seja libertado o sabor desta erva, e deixe cozinhar em lume brando.
Adicione o molho de tomate, deixando a refogar junto à carne mais um pouco.
De seguida, enrole pequenas quantidades de carne picada nas fatias de berinjela, colocando depois rolo a rolo no tabuleiro.
Por fim, cubra os rolos com molho bechamel e queijo ralado.
Ligue o forno e deixe aquecer um pouco à temperatura de 220º C. Após verificar que o forno já se encontra quente, coloque o tabuleiro no forno durante 30 minutos.
Fonte:Minha Vida

O café da manhã é importante, por quê?

Algumas pessoas ‘pulam’ esta refeição mas os especialistas não se cansam de destacar a sua importância.
Os estudos apontam que o hábito de tomar um bom café da manhã é capaz de aumentar em até 30% o seu rendimento diário, já que se alimentar bem antes de sair de casa garante energia, ajuda a controlar a fome e evitar exageros no almoço e durante a tarde, contribuindo para a sua saúde, para a dieta e para a boa forma física.

Além disso, esta refeição ajuda a reduzir e a controlar os níveis de stress, estimula o bom funcionamento do metabolismo e contribui para uma melhor concentração e capacidade de aprendizagem.
O site Bolsa de Mulher destaca que nunca se deve esquecer de que passou várias horas dormindo e sem alimentar o seu corpo.
A falta de glicose no organismo, além de alterar o seu humor, faz com que as reservas de energia comecem a ser queimadas, podendo provocar problemas no funcionamento de certas funções orgânicas.
Fonte:MSN