domingo, 21 de junho de 2015

Causas da Enxaqueca

A ENXAQUECA é uma doença neurológica crônica, incapacitante, que afeta 15% da população no Brasil.


Os sintomas são: dor latejante, de um lado da cabeça (pode ser dos dois), de moderada a forte intensidade, incômodo com a luz e o barulho, enjôo. Pode ocorrer alterações na vista como pontos luminosos, escuros, linhas em zig zag que antecedem ou acompanham as crises de dor.
Muitos são os desencadeantes possíveis mas abordaremos os 10 mais importantes:
1. Preocupações excessivas. Ansiedade, tensão, estresse, preocupações excessivas, antecipação de fatos do futuro negativos, ameaçadores. Quando se antecipa uma tragédia do futuro (que normalmente não acontecem) aquele acontecimento passa a acontecer e é percebido como real para o organismo, o cérebro, então ele dispara seus sistemas de defesa, como o sistema de dor, desta forma começam muitas crises de enxaqueca.
2. Ficar sem comer. O jejum é o aspecto alimentar mais importante para desencadear dores de cabeça, o ficar sem comer pode gerar uma baixa no açúcar do sangue, com a produção de substâncias que causam dor. O segredo é comer algo a cada 3 ou 4 horas, e também não exagerar na comida quando passar longo tempo em jejum.
3. Dormir mal. Bom sono é uma condição fundamental para o bem estar de uma maneira geral, e também para o equilíbrio das enxaquecas e outras dores de cabeça. Dormir pouco, dormir muito, demorar para pegar no sono, acordar no meio da noite, roncar e ter sonolência de dia, ir dormir e acordar muito tarde são todos possíveis desencadeantes de dor de cabeça.
4. Ciclo hormonal. A temida TPM carrega consigo crises de cefaleia, as enxaquecas na mulher tendem a ser mais concentradas no período menstrual ou pré-menstrual. Irregularidades menstruais, endometriose, ovários policísticos, reposição hormonal, podem ser fatores por trás de agravamentos de enxaquecas, mas por outro lado, quando os hormônios se equilibram, quer seja na gravidez (quando a placenta produz níveis contínuos de hormónios), na menopausa, ou com a prescrição de anticoncepcionais contínuos, as crises tendem a amenizar.
5. Irritação e alterações do humor. A irritabilidade aparece normalmente junto como uma crise de enxaqueca, mas também pode ser um motivo gerador de novas dores. Altos e baixos no humor, pavio curto, passar muito raiva (guardando ou explodindo, tanto faz), impaciência, irritação são combinações explosivas para desencadear uma enxaqueca. Tudo o que for feito no sentido de relaxar, acalmar, treinar a paciência é util.
6. Excesso de cafeína. Tomar muito café, bebidas cafeinadas (coca-cola, chás pretos), chocolates, e até mesmo analgésicos que contenham cafeína são provocadores de enxaqueca. A conta que deve ser feita é pela quantidade de cafeína em cada produto ingerido, um café expresso tem cerca de 80 mg, um café coado 50 mg, permitimos até uma ingesta de 200 mg de cafeína por dia, evitando o uso após as 18 hs. Parar repentinamente o café também não é bom, ocorre a abstinência de cafeína, normalmente comum em quem toma cafezinhos aos montes no meio da semana e no final de semana não toma nada, ou muito menos, pode ter a enxaqueca no final de semana por conta disto.
7. Exercícios físicos, ou melhor, a falta deles, é também elemento importante. Realizar exercícios evita que venham as crises de dor de cabeça, o organismo produz endorfinas, regulariza a produção de neurotransmissores como a serotonina, melatonina, o organismo se torna mais saudável, mais resistente a dor. Mas não adianta querer começar ja correndo uma maratona, tem que ter a determinação para realizar com frequência.
8. Uso excessivo de analgésicos. Conceito fundamental para todos terem: analgésicos não tratam a enxaqueca, só aliviam a intensidade e duração das crises, depois é claro que ela já se instalou, e quando as crises são frequentes, o uso de analgésicos pode vir a cronificar, piorar, agravar a enxaqueca, tornando-a mais resistente, mais frequente. O tratamento da enxaqueca preventivo com remédio e/ou sem remédio deve ser instituído.
9. Outros alimentos como o chocolate, frutas cítricas, alimentos muito gelados (sorvetes), nozes, alimentos gordurosos, condimentados, ricos em glutamato monossódico, muito presente em salgadinhos, em molhos (aji-no-moto), adoçantes podem agravar as enxaquecas. Em quem tem intolerância `a lactose, leite, queijo e derivados devem ser evitados, ou a suplementação da lactase, a enzima que transforma a lactose (o açucar do leite) em glicose.
10. Genética. Nada a fazer a não ser reconhecer rapidamente a enxaqueca na infância, adolescência, início da vida adulta em filhos de pessoas que sofrem com a enxaqueca, para que ela possa ser tratada adequadamente, preventivamente, evitando que as crises apareçam e que a enxaqueca se desenvolva até um estágio crônico.
 Fonte: Sociedade Brasileira de Cefaléia

Dieta Ravenna, conhece?

Desenvolvida pelo psicanalista argentino Máximo Ravenna, a Dieta Ravenna é baseada em três pilares essenciais- corte, medida e distância. O método conta não só com acompanhamento nutricional, como também de psicólogos e educadores físicos, todos trabalhando em conjunto no espaço chamado de centro terapêutico. O primeiro pilar se refere ao corte do excesso alimentar, da compulsão e do número de refeições por dia. A medida é um conceito relacionado tanto à quantidade da porção ingerida quanto a redução de medidas corporais. Já a distância prima por afastar o indivíduo da comida enquanto uma forma de compensação, eliminando a compulsão alimentar. Quer entender melhor como essa dieta funciona? Esclareça suas dúvidas com os especialistas: 
A Dieta Ravenna faz restrição de algum grupo alimentar?
A dieta Ravenna inclui todos os grupos alimentares - carboidratosproteínasgorduras,vitaminas e sais minerais - porém exclui os alimentos feitos com farinha e açúcares refinados, também conhecidos como carboidratos simples (pães, massas, bolos). De acordo com a nutricionista Camila Avileis, do Centro Terapêutico Máximo Ravenna, em São Paulo, durante o período de emagrecimento, não é permitido o consumo desses alimentos por conta de seu alto índice glicêmico. "Os carboidratos simples são convertidos em energia rapidamente em nosso sangue, levando a produção exagerada de insulina, podendo nos deixar com fome mais cedo do que o normal", diz.
A nutricionista Fernanda Amorim, do Centro Universitário Celso Lisboa, no Rio de Janeiro, completa afirmando que os carboidratos simples não agregam tantos nutrientes à dieta, podendo ser excluídos sem prejuízos. "No lugar desses serão ingeridos os carboidratos complexos, ricos em fibras, que melhoram o funcionamento do intestino e dão saciedade", diz. Exemplo de carboidratos complexos são os grãos integrais, cereais, frutas e verduras. 
Existe uma promessa de perda de peso definida?
A média de perda de peso é diferente para homens e mulheres, sendo que eles podem perder uma média de 7% a 10% do seu peso no primeiro mês, enquanto as mulheres perdem de 5% a 7% do peso em média no mesmo período. Dessa forma, um homem com peso de 80 Kg pode chegar a perder até 8 kg no primeiro mês. Já uma mulher com 80 Kg perderia até 5,6 kg no mês. Mas esses valores podem variar de pessoa para pessoa. 
Quanto tempo dura a dieta?
A duração depende de quantos quilos o paciente precisa perder. A Dieta Ravenna é dividida em duas etapas: a de redução e a de manutenção. No primeiro momento acontece a restrição de carboidratos e toda a perda de peso, levando o tempo necessário de acordo com o metabolismo de cada um. "Já o período de manutenção dura o resto da vida, e consiste na reintrodução de todos os alimentos, porém com acompanhamento nutricional e reeducação alimentar", explica a nutricionista Camila.  
Quantas calorias são permitidas por dia?
Esses valores variam conforme a avaliação clínica de cada paciente, mas a média é de 800 calorias por dia. Apesar de ser uma quantidade muito abaixo do recomendado normalmente em uma dieta, esse número tem um propósito: "A ingestão baixa de calorias fará com que nosso metabolismo se altere, passando a queimar gordura em vez de glicose para produzir energia", declara a nutricionista Camila. Um dos maiores problemas dessa inversão é que, ao queimar gorduras, nosso corpo passa a produzir os chamados corpos cetônicos, que em altos níveis podem ser prejudiciais às células. "Mas o fato de a dieta não ser baseada apenas na ingestão de proteínas e gorduras faz com que a produção de corpos cetônicos seja baixa, não afetando o organismo", ressalta Camila Avileis.
De acordo com a nutricionista Fernanda, dietas hipocalóricas que tem menos de 1000 calorias por dia não são consideradas saudáveis pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pois podem não atingir a recomendação diária de nutrientes que uma pessoa necessita para se manter saudável. "Para manutenção da saúde, o ideal é que a demanda de energia não seja inferior à Taxa Metabólica Basal (TMB - necessidade básica de energia do organismo)", diz. Porém, segundo a nutricionista Camila, o metabolismo basal de casa indivíduo também é levado em conta na hora de montar a dieta Ravenna, e por isso a restrição calórica varia para cada indivíduo.  
É necessário o uso de suplementos alimentares?
Sim, justamente porque a restrição de calorias pode fazer com que a pessoa não atinja as quantidades adequadas de vitaminas e sais minerais por dia apenas com a alimentação. "Os cardápios da Dieta Ravenna são montados de forma equilibrada e incluem todos os grupos alimentares nas refeições, mas quantidades ingeridas de alimentos não alcançam as recomendações diárias para alguns nutrientes", explica a nutricionista Camila. "Dessa forma, é receitado para cada paciente uma determinada quantidade de suplemento, que pode variar para mais ou menos conforme o andamento da dieta", completa. A especialista ressalta que a suplementação usada é de linha mercado, não havendo manipulação própria.  
São feitas quantas refeições por dia?
O cardápio da dieta Ravenna respeita quatro refeições diárias, divididas em café da manhã, almoço, café da tarde e jantar. O método não parte do princípio usual da reeducação alimentar de que é importante se alimentar a cada três horas, somando assim seis refeições ao longo do dia. "Quando há um número grande de refeições em um espaço curto de tempo, existe a chance do exagero alimentar, principalmente nos lanches", explica a nutricionista Camila. As refeições estabelecidas seguem um ritual bem definido. "No almoço e jantar, por exemplo, primeiro é servido um caldo quente que tem a função de frear a ansiedade, depois é servida uma salada verde para dar saciedade, a seguir vem o prato principal, que inclui uma proteína e um acompanhamento, e por último a sobremesa", ensina a nutricionista Camila. Ela explica que todas as refeições são precedidas de um líquido quente, justamente para acalmar o indivíduo no momento da refeição e dar início ao processo de saciedade. "A principal finalidade desse ritual é tornar a refeição prazerosa e parte do dia, eliminando da rotina o estilo fast food, que fazem a pessoa perder a noção do que come."
Como funcionam os grupos terapêuticos?
Junto com o auxílio nutricional, a dieta Ravenna também conta com grupos terapêuticos, que são acompanhados por um psicólogo especializado em obesidade e transtornos alimentares. "O aporte de um profissional ajuda a pessoa a entender sua relação com a comida e eliminar qualquer vínculo compulsivo que possa estar impedindo seu emagrecimento", afirma a nutricionista Camila. Os encontros podem ser semanais, quinzenais ou mensais, tudo vai depender do quadro clínico de cada paciente. Dependendo do caso, a terapia pode identificar algum vício específico, como a fissura por chocolate ou queijos, e restringir esse alimento da dieta de forma controlada, de forma que a compulsão seja contida e ele entenda que a alimentação tem função nutricional, e não emocional. "Além disso, os grupos também compartilham seus sucessos e falhas, se ajudando e buscando motivação para manter o tratamento."
Qual a importância da atividade física nesse método?
Os exercícios físicos são incluídos na rotina para ajudar na redução das medidas e fortalecimento dos músculos, como parte de uma vida saudável. Por se tratar de uma dieta hipocalórica, a frequência e quantidade de atividade física é avaliada caso a caso. "São oferecidas várias opções de exercícios no centro terapêutico, e o praticante escolhe o que mais combina com seu gosto e horários", explica a educadora física Stella Zanca, do Centro Terapêutico Máximo Ravenna, em São Paulo. "É preciso ir experimentando até encontrar algo que dê prazer e tornar a prática de atividade física um prazer, em vez de obrigação."
Fonte:MSN

Quentão Light

Quentão Light

Rendimento4 porções
Tempo de Preparo15 min
FonteCook Lovers
Quentão Light
 

INGREDIENTES

  • 5 xícaras (chá) de chá de hortelã
  • 1 colher (sopa) de gengibre ralado
  • casca de meia laranja
  • 1 canela em pau
  • 3 cravos-da-índia
  • 2 cardamomos abertos
  • 1 colher (sopa) de suco limão
  • 1 medida (sopa) de adoçante culinário
  • 1 maçã cortada em cubos pequenos

PREPARAÇÃO

  • 1Coloque em uma panela o chá, o gengibre, a casca de laranja, a canela, os cravos, os cardamomos, o suco de limão e o adoçante. Leve ao fogo e deixe ferver por 5 minutos. Passe pela peneira, reserve o caldo e misture a maçã. Sirva quente.