segunda-feira, 25 de maio de 2015

Carência de Ácido Fólico- O que causa?

O ácido fólico é uma vitamina importante exigido pelo nosso corpo para o seu funcionamento. A falta de ácido fólico pode dar origem a problemas de saúde. A seguir mencionadas são sintomas de deficiência de ácido fólico, juntamente com suas causas e tratamento.
O ácido fólico também é conhecido como vitamina B9, folato, ácido pteroylglutamic e folacina. O termo fólico é derivado da palavra latina folium, o que significa ‘folha’. Benefícios do ácido fólico são abundantes, como eles ajuda na divisão celular e crescimento, e ajudam na produção de glóbulos vermelhos saudáveis. Ingestão suficiente do nutriente ajuda na luta contra a anemia, – uma condição estimulada quando o ácido fólico é deficiente no corpo. Um adulto requer mínimos 400 microgramas de ácido fólico por dia, para o bom funcionamento do corpo. Vamos discutir os sintomas, antes de navegar para as causas e tratamento da mesma.
Os sintomas
  • O sintoma mais comumente observado é a irritação. O ácido fólico mantém o sistema nervoso central saudável, no entanto, a falta de ácido fólico provoca a depressão, lentidão, e fraqueza.
  • É devido à deficiência de ácido fólico que algumas pessoas relatam uma freqüência elevada de humor. Quando o ácido fólico não é encontrado nas recomendadas  quantidades adequadas, que tem o potencial de causar distorções de memória, e processos de pensamento inculcando depressivos.
  • A falta de ácido fólico pode levar à perda de libido em machos.
  • A deficiência de ácido fólico durante a gravidez pode afetar o feto de forma negativa. Assim, as mulheres grávidas e as que estão tentando engravidar devem consumir ácido fólico suficiente, e seus suplementos. Deficiência de ácido fólico é uma das principais causas de aborto, e da  elevada taxa de mortalidade infantil. A ingestão de quantidade suficiente de ácido fólico auxilia no desenvolvimento normal da coluna vertebral do bebê, e do cérebro. A deficiência de folato dificulta a taxa de crescimento em crianças e em certos casos, resultando em ligeira a deformidades irreversíveis.
  • A diminuição do apetite, diarréia, problemas gastrointestinais e perda de peso também são sintomas comumente observados de deficiência de ácido fólico. Para as pessoas que carecem de ácido fólico também é difícil de se concentrar, e se concentrar por muito tempo em uma coisa particular. Eles também aparecem pálidas.
  • Diferentes tipos de cancros têm sido associados com deficiência de ácido fólico.
  • Outros sintomas que são menos observados são os seguintes: dor abdominal, dor no peito, lábios rachados (especialmente nas bordas), batimentos cardíacos irregulares, falta de ar, e língua dolorida e lisa.
  • A falta de ácido fólico também pode causar uma pigmentação da pele acinzentada marrom. Ela também pode causar má circulação, queda de cabelo e fadiga.
Causativos
  • Durante a gravidez e lactação, a necessidade de ácido fólico aumenta, no entanto, se não for cumprida, pode levar à deficiência.
  • O consumo de álcool pode também ser uma causa da deficiência de ácido fólico. O álcool aumenta a taxa de degradação de ácido fólico e também interfere com o metabolismo do folato.
  • Doenças de má absorção  como  doença celíaca e doenças gástricas levam  a ácido do estômago para  baixa,  que pode causar deficiência.
Tratamento sintomático
  • Identifique a razão para a falta de deficiência de ácido fólico em seu corpo, e trabalhe para repor o mesmo, em conformidade. A fim de aumentar o ácido fólico, você pode comer alimentos ricos em ácido fólico tais como verdura, legumes (espinafre e feno-grego).
  • Aumente  a ingestão de salmão, soja e laranja. O consumo de feijão fresco  e seco ajuda a nivelar o conteúdo de ácido fólico. Nabo, alface, aspargo e sementes de girassol são de uma rica fonte de ácido fólico. Aumente o teor de ácido fólico de alimentos como grãos, cereais e pães enriquecidos.
  • Você também pode consumir suplementos de ácido fólico. Estes suplementos podem ser tomados uma vez, ou duas vezes por dia, como prescrito pelo médico.
Se você consome  uma dieta saudável, o seu nível de ácido fólico  permanece  consistente. Depois de ser informado sobre a deficiência, tenho certeza que você vai fazer um esforço para aumentar o seu consumo. Assim, consome  uma dieta rica em fólico, fique  feliz  e de boa saúde!
Fonte: Saúde e Fitness

Anemia Ferropriva- Como tratar?

A anemia ferropriva é causada por deficiência de ferro no organismo. Ela gera sintomas como fraqueza, desânimo, palidez cutânea e nas mucosas, sensação de desmaio e nos casos mais graves irritabilidade e ansiedade.
Seu tratamento é feito com a suplementação de 60 mg de ferro por dia, durante aproximadamente 4 meses e uma dieta rica em ferro.

Sintomas da Anemia Ferropriva

Os sintomas da anemia ferropriva incluem:
  • cansaço;
  • fraqueza generalizada;
  • sono;
  • incapacidade de praticar exercícios;
  • tontura;
  • sensação de desmaio;
  • palidez cutânea e das mucosas;
  • dificuldade em concentração;
  • lapsos da memória;
  • dor de cabeça;
  • unhas fracas e quebradiças;
  • pele seca;
  • dor nas pernas;
  • inchaço nos tornozelos;
  • queda de cabelo;
  • falta de apetite;
  • acidente vascular cerebral (quando muito grave) e
  • infarto do miocárdio (maior o risco quanto maior for sua gravidade)

Causas da Anemia Ferropriva

Ela pode ser causada pela alimentação pobre em ferro, perdas sanguíneas ou devido a pouca absorção de ferro pelo organismo. Além disso, é facilmente diagnosticada através de um hemograma específico para analisar a ferritina.
Outra possível causa da anemia ferropriva é a presença de sangue nas fezes, que pode ser gerada, dentre outros motivos, por uma hemorragia digestiva.
A anemia ferropriva, ao contrário do que se crê popularmente, não pode gerar leucemia.

Diagnóstico da Anemia Ferropriva

O diagnóstico da anemia ferropriva é feito através de exames laboratoriais como o hemograma, onde devem ser avaliadas especificamente a hemoglobina e a ferritina.
É considerado anemia quando hemoglobina é menor que:
  • 11g/dl para mulheres grávidas e crianças entre os 6 meses e os 6 anos de idade,
  • 12g/dl para mulheres adultas e
  • 13g/dl para homens adultos

Tratamento para Anemia Ferropriva

O tratamento da anemia ferropriva inclui a toma de 60 mg de ferro diariamente e a ingestão de alimentos ricos em ferro como lentilha, salsa, feijão e carnes.
A ingestão de nutrientes ricos em vitamina C potencializa a absorção do ferro. Em contrapartida, existem alguns alimentos que prejudicam a absorção do ferro como, por exemplo, os taninos e a cafeína encontrados no café e o oxalato presente no chocolate.
Fonte: Tua Vida

Anemia por baixa Vitamina B12

VITAMINAS

DEFICIÊNCIA DE B12

Drauzio Varella
Deficiência de vitamina B12 é causa de anemia acompanhada ou não por dificuldade para andar e parestesias ou formigamentos de distribuição simétrica, principalmente nas pernas, pés e mãos.
Pode haver ainda palidez, inchaço, hiperpigmentação da pele, icterícia e fraqueza muscular. Inflamações na língua, má absorção de nutrientes, infertilidade e tromboses são menos frequentes.
A vitamina B12 é essencial para a formação, integridade e maturação das hemácias. Em sua ausência, elas aumentam de volume e o tamanho do núcleo fica desproporcional ao do citoplasma. Na medula óssea — local em que são produzidas — o número de células chega a aumentar tanto que o aspecto simula o das leucemias.
É uma vitamina necessária para o desenvolvimento e manutenção das funções do sistema nervoso. Sem ela, a mielina que recobre os nervos (como a capa de proteção faz com os fios elétricos) sofre um desgaste que recebe o nome de desmielinização, processo que ocorre tanto em neurônios de nervos periféricos, quanto naqueles da substância branca do cérebro.
A principal fonte de B12 está nos alimentos de origem animal. Mas, para absorvê-la, o tubo digestivo depende de fatores intrínsecos presentes num grupo especial de células do estômago (células parietais) e de receptores localizados no íleo.
Anemia perniciosa
A causa mais frequente da deficiência de B12 é a perda desse fator intrínseco produzido pelas células parietais, associada a um tipo de gastrite (gastrite atrófica). A anemia resultante é denominada anemia perniciosa, nome inadequado, porque não leva em consideração as manifestações neurológicas.
A anemia perniciosa resulta de um mecanismo autoimune em que a própria resposta imunológica destrói as células parietais do estômago. Como consequência, ocorre perda do fator intrínseco necessário para a ligação com a vitamina B12 ingerida.
Doenças autoimunes, como diabetes do tipo 1, vitiligo e as que afetam a tireoide, aumentam o risco de anemia perniciosa.
A prevalência é de 50 a 4.000 casos em cada cem mil habitantes. É mais comum em descendentes de africanos e europeus do que em asiáticos. É preciso estar atento às formas leves de gastrite atrófica que ocorrem em até 20% das pessoas mais velhas.
Se alimentados exclusivamente com leite materno, filhos de mães portadoras de deficiência de B12 podem apresentar a partir dos quatro meses de idade: anemia, hipotrofia cerebral, retardo de desenvolvimento, hipotonia muscular, perda de apetite, irritabilidade, tremores, letargia e coma.
A reposição de B12 provoca regressão rápida do quadro. Quanto mais prolongada a deficiência, mais lenta e incompleta a recuperação.
Outras causas da deficiência:
1) Cirurgias que reduzem as dimensões do estômago, como as gastrectomias totais ou parciais e as cirurgias bariátricas;
2) Doenças inflamatórias do intestino e as que provocam má absorção;
3) Uso crônico de medicamentos para reduzir a concentração de ácido no suco gástrico (omeprazol, ranitidina, etc.);
4) Uso de metformina no diabetes;
5) Dietas vegetarianas ou pobres em alimentos de origem animal.
 Diagnóstico e tratamento
Embora níveis sanguíneos de B12 muito baixos estejam associados à deficiência, é raro encontrá-los. Resultados na faixa de normalidade não excluem a possibilidade de haver déficit. Exames falso-negativos e falso-positivos são frequentes.
O diagnóstico é feito com base nas dosagens sanguíneas de ácido metilmalônico e homocisteína, que se encontram elevadas em 98% dos casos. Como a reposição vitamínica provoca diminuição progressiva dessas concentrações, a primeira dosagem deve ser pedida antes de iniciar o tratamento.
A reposição começa com uma dose de ataque de oito a dez ampolas de 1.000 microgramas, por via intramuscular; seguidas de uma ampola por mês. A dose por via oral é de 1.000 a 2.000 microgramas diárias.
A anemia geralmente é corrigida em dois meses. O quadro neurológico regride parcial ou completamente em seis meses. O tratamento é mantido por períodos longos ou pela vida toda.
Fonte: Drauzio Varella

Banana Verde e seus benefícios


Além de ser saborosa, a banana verde ainda pode ajudar na redução de peso e do colesterol, além de controlar a quantidade de açúcar no sangue (glicemia). Rica em amido, a fruta também fornece energia para o organismo, regulando o intestino e ajudando na digestão.
A banana ainda possui potássio, primordial no funcionamento celular, pois participa de todos os processos musculares do organismo, inclusive os do coração. Também previne a perda de cálcio, ajudando na prevenção de osteoporose. Outro nutriente da fruta é o fósforo, que integra a composição de ossos e dentes e participa da digestão dos carboidratos. Já o magnésio encontrado na banana é responsável pela produção da energia celular e relaxamento muscular, sendo especialmente indicado para pessoas estressadas.
Quando encontrada na forma de farinha ou biomassa, a banana verde mantém os mesmos nutrientes e calorias. Nesse caso, o amido fica mais resistente e age no organismo da mesma maneira que uma fibra insolúvel: aumenta o volume fecal e a capacidade do corpo de liberar e diminuir as toxinas potencialmente cancerígenas.

FARINHA DE BANANA VERDE

A farinha é rica em minerais, pode ser utilizada no dia-a-dia e comprada em lojas de produtos naturais ou mercearias. Nas receitas convencionais, substitua a farinha comum por metade da farinha de banana verde. O alimento ajuda na absorção lenta da glicose, evitando um estímulo desnecessário de insulina pelo corpo. A longo prazo isso previne o surgimento da diabetes e contribui com um estilo de vida mais saudável.
A farinha de banana tem um gosto neutro e pode ser utilizada na substituição parcial ou total da farinha de trigo. Outra opção é polvilhar o farelo nas refeições, em frutas, no iogurte ou até na água. Boa alternativa para o lanche da tarde, no horário que bate aquela fome.
Recomendo a ingestão de 2 colheres de sopa ao dia, podendo começar com 1 colher de sobremesa ao dia. Além disso, é importante caprichar no consumo de água para ter os efeitos desejados. Caso contrário, pode haver constipação intestinal, o incômodo "intestino preso".

BIOMASSA DE BANANA VERDE

Possui as mesmas propriedades da farinha de banana verde e pode ser comprada na forma industrializada (congelada) ou feita em casa. Veja abaixo a receita:
Ingredientes:
  • Cerca de meia panela de água (a quantidade suficiente para cobrir as bananas)
  • 12 bananas verdes (preferir orgânicas)
Material utilizado: panela de pressão, liquidificador, garfo, fôrma para gelo e pote de vidro.
Preparo: lave as bananas verdes sem tirar o cabo da fruta. Encha a panela de pressão com metade de água e leve ao fogo para esquentar. Quando a água estiver borbulhando, coloque as bananas e tampe a panela. Espere chiar por 10 minutos e deixe a pressão passar naturalmente.
Depois disso, escorra a água da panela e tenha muito cuidado ao abrir as bananas, para não se queimar. Se preferir, utilize um garfo. Coloque a polpa da fruta - sem as cascas - para bater no liquidificador (pode ser necessário um pouco de água quente). Coloque a mistura em fôrmas de gelo e a outra metade em um pote de vidro, por até 7 dias.
Quando utilizar a biomassa congelada, retire do congelador no dia anterior e coloque na geladeira, ou coloque no microondas, em um pote de vidro, por 1 minuto.
Modo de utilização: batido em vitaminas, sucos, caldo de feijão, sopa, patês, massa de pão e bolo, etc.

RECEITAS PARA O DESJEJUM

Vitamina de abacate (porção para uma pessoa)
Bata no liquidificador:
  • 1 copo de leite ou leite de arroz ou leite de aveia
  • 1 colher de sobremesa de biomassa ou 1 pedra de gelo, caso use biomassa congelada
  • 1 colher de sopa cheia de abacate (ou avocado)
  • Adoce a gosto
Vitamina de morango e banana (porção para uma pessoa)
Bata no liquidificador:
  • 1 copo de leite ou leite de arroz ou leite de aveia
  • 1 colher de sobremesa de biomassa ou 1 pedra de gelo, caso use biomassa congelada
  • 1/2 banana nanica e 5 unidades de morango
Adoce a gosto, mas cuidado, pois a mistura já fica naturalmente doce.
Vitamina de polpa de frutas (porção para uma pessoa)
Bata no liquidificador:
  • 1 copo de leite ou leite de arroz ou leite de aveia
  • 1 colher de sobremesa de biomassa ou 1 pedra de gelo, caso use biomassa congelada
  • ½ polpa de frutas
Adoce a gosto.
Fonte: Personare