sábado, 14 de novembro de 2015

Criolipólise- o que é?

O que é criolipólise? 

Criada na Universidade de Harvard, a criolipólise é o método mais recomendado atualmente para eliminar gordura localizada sem agulhas e cirurgias plásticas. O tratamento, feito em consultórios e clínicas de estética, promove uma destruição das células de gordura (adipócitos) através do resfriamento controlado.

Procure por aparelhos certificados pela Anvisa e pergunte sobre a manutenção periódica.

Como é feita? 

A dermatologista Carolina Marçon, assessora da diretoria da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que o médico posiciona o aparelho sobre a parte do corpo a ser tratada. Uma manta umedecida é colocada na superfície da pele para protegê-la. A máquina promove então uma sucção a vácuo da pele entre dois painéis.
A pele tracionada é congelada durante cerca de uma hora a uma temperatura aproximada de -5°C a -10°C. A gordura é mais sensível ao frio que os demais tecidos, logo o dano ocorre especificamente nos adipócitos, poupando a pele e músculos.
A gordura sofre cristalização, as células adiposas são destruídas e posteriormente eliminadas pelo sistema imunológico, via sistema linfático. “É um procedimento não invasivo, sem cortes, sem uso de agulhas ou necessidade de anestesia”, esclarece a especialista.

Dói? 

A dermatologista explica que o método não é doloroso, gera apenas desconforto pela tração da pele. “A região tratada pode ficar avermelhada, inchada e dolorida, mas essas reações desaparecem em poucos dias”, conta. O paciente pode voltar para as atividades normais logo após o procedimento. Um discreto desconforto local e alterações de sensibilidade podem permanecer por algumas semanas.

Em que partes do corpo posso fazer?

O dermatologista Luiz Fernando Tovo, coordenador da Sociedade Brasileira de Dermatologia,  explica que a principal indicação da criolipólise é redução de gordura no abdômen e no dorso, o famoso pneuzinho, mas outras áreas também podem ser tratadas. “Existem ponteiras adequadas para todas as regiões de acúmulo de gordura e até tratamento bilateral, feito com duas máquinas”, conta.

Número de sessões 

São indicadas de 1 a 3 sessões com intervalos mínimos de 2 meses e máximo de 3 sessões por ano.

A criolipólise é muito utilizada para reduzir os pneuzinhos.

Tempo de cada sessão 

Cada sessão dura cerca de uma hora. Cada ponteira abrange, em média, uma região de 20 cm quadrados, mas é possível usar mais de uma ponteira ao mesmo tempo.

Aparelhos para fazer criolipólise 

Apenas as máquinas certificadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) podem ser comercializadas e são seguras para a aplicação da criolipólise.

Resultados da Criolipólise 

A dermatologista Carolina Marçom explica que os primeiros resultados aparecem entre 6 e 8 semanas após a aplicação, sendo que a gordura continua a ser eliminada por até quatro meses, dependendo do organismo de cada paciente. A redução esperada da quantidade de gordura é de 18% a 33% por área tratada.
Potencialize os resultados
Carolina Marçon indica que seja feita drenagem linfática durante o tratamento para acelerar o processo de eliminação da gordura e potencializar os resultados.

Criolipólise melhora flacidez e celulite? 

O dermatologista Luiz Fernando Tovo, coordenador da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que o tratamento tem indicação específica para redução de gordura e não aumenta nem diminui flacidez e celulite.

Contraindicações 


Se a prega de gordura for pequena, a criolipólise é contraindicada.
- Sobrepeso ou obesidade;
- Doenças metabólicas descompensadas, como diabetes, dislipidemia, síndrome metabólica;
- Cirurgias há menos de 6 meses;
- Pacientes com hérnia no local a ser tratado;
- Pacientes com implantes metálicos;
- Doenças cardíacas;
- Gestantes;
- Alta sensibilidade ao frio;
- Urticária;
- Prega cutânea menor do que 2 cm (medidos pelo adipômetro);
- Processos infecciosos;
- Neuropatias periféricas;
- Doenças que causam alterações dos fatores de coagulação, como hemofilia, trombocitopenia, deficiência do Fator V de Leiden, entre outros.
- Crioglobulinemia (doença relacionada ao frio).
Criolipólise e obesidade
A criolipólise é um tratamento para gordura localizada, especialmente aquela que não conseguimos perder com o exercício físico. Portanto, ela não é indicada para pessoas que estejam com sobrepeso e obesidade. Nesses casos, o recomendado é buscar outras formas de emagrecimento, como dieta e exercícios físicos. 

Efeitos adversos


O aumento paradoxal de gordura é raro, mas pode acontecer.
Carolina Marçon explica que o tratamento é eficaz e seguro, desde que seja realizado por médico habilitado, com aparelho de boa qualidade e a indicação correta. “É necessária atenção, pois complicações decorrentes do mau uso do método tem se tornado cada vez mais frequentes”, ressalta.
Caso seja realizado de forma inadequada e com aparelhos sem qualidade ou manutenção indevida, o procedimento pode levar a formação de bolhas, inflamação e cicatrizes definitivas.
A especialista dá a dica: “Aparelhos de boa qualidade tem um custo alto, portanto desconfie da discrepância de valores e preços muito baixos”.
Aumento paradoxal da gordura
O dermatologista Luiz Fernando Tovo explica que a Hiperplasia Paradoxal de Tecido Adiposo no Pós-Tratamento é um efeito colateral importante cuja causa ainda não é totalmente conhecida.
“Ocorre o crescimento de uma gordura sólida no local do tratamento alguns meses após o procedimento que é reversível apenas com a lipoaspiração”, conta. “São casos muito pouco frequentes, mas uma complicação bastante indesejável especialmente tratando-se de um procedimento cosmético”.
Posso ficar deformada?
De acordo com a dermatologista Carolina, o risco de ficar com partes do corpo tortas ou deformadas não existe se a criolipólise for feita por um especialista com aparelho e materiais de qualidade e de acordo com os protocolos de segurança estabelecidos.

Profissionais que podem aplicar 

Procure por médicos especialistas dermatologistas ou cirurgiões plásticos de sua confiança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário