quarta-feira, 24 de junho de 2015

Disfagia ou dificuldade de deglutição ou engasgos!

         Se você perceber que uma pessoa tem dificuldade ao engolir, sensação de algo parado na garganta, tosse ou engasgos freqüentes,  causados  por alimentos ou pela saliva, notar cansaço, febre ou rouquidão ou restos de comida na boca após a alimentação, cuidado! Você pode estar diante de uma DISFAGIA.
        O Fonoaudiólogo   é o profissional que trabalha a musculatura responsável pela DEGLUTIÇÃO.
        O que é DISFAGIA ? É  um distúrbio ao engolir  saliva e alimentos.

        Por que ocorre o engasgo?
        Quando engolimos saliva ou alimentos, alguns músculos contraem e fecham a passagem para o nariz e para os pulmões.  Esse mecanismo de proteção é comandado pelo cérebro. Por isso, algumas doenças neurológicas ( AVC, Esclerose, Parkinson, Paralisia Cerebral ) podem  afetar  esta função.
        O Fonoaudiólogo utiliza exercícios que fortalecem esta musculatura  e manobras ao  engolir, que compensam as limitações causadas por  estas doenças.
        Através de poucos  atendimentos, o FONOAUDIOLOGO  treina o indivíduo  sobre quais  cuidados ele deve ter com cada tipo de alimento,  qual a quantidade a ser colocada na boca, como triturar bem e a consistência  ( líquidos e farofas podem causar mais engasgos).
        O acontece durante o engasgo?
        A comida vai para os pulmões ( laringe) ao invés de ir para o esôfago.
        Em conseqüência, nosso corpo desencadeia a TOSSE, que é um mecanismo de proteção, que força o alimento ou saliva a sair  e  voltar para a boca.
       Infelizmente, pode ocorrer de o indivíduo não conseguir tossir, e ir ficando roxo. Se não  for feito  o socorro  a tempo, a pessoa  pode sofrer asfixia e  morrer.

O envelhecimento não ocorre igualmente em todo ser humano. Alguns apresentam maiores dificuldades neste processo. Contudo, com o avançar da idade, todos necessitam de atenção e  cuidados específicos para que isso ocorra de forma saudável. Envelhecer não é adoecer.
        É fundamental oferecer orientações   aos idosos, suas famílias e à sociedade   como um todo sobre os cuidados que esta   fase da vida requer. Todos precisam  aprender a envelhecer com saúde, com      qualidade de vida.
        Buscando essa qualidade, a alimentação é um ponto a ser acompanhado de perto. Mais do que uma necessidade, alimentar-se é também um ato de socialização, que une pessoas, da amamentação aos jantares de negócios ou reuniões em família, isso sem falar na  satisfação do prazer de comer.
        São sensações que não precisam ficar apenas na lembrança do idoso. Com algumas dicas é possível continuar a  alimentação de forma adequada, reconhecer alterações neste processo e procurar o tratamento adequado.

Fonte: Ana Maria Casaca

Nenhum comentário:

Postar um comentário