quinta-feira, 23 de abril de 2015

Saiba como o cortisol pode influenciar na dieta!

Situações de estresse podem levar a um aumento do hormônio cortisol. Quando se encontra em um nível normal, esse hormônio prepara nosso organismo para enfrentar situações de perigo, já que mantem sob controle a pressão arterial e diminui a queima calórica, poupando energia em caso de risco. O ruim é que o organismo não sabe diferenciar uma situação de risco real, de uma imaginária, e libera o cortisol. Se situações de estresse são constantes, ocorre uma hiperestimulação da produção do hormônio.
O excesso de cortisol aumenta o risco de diabetes, hipertensão arterial e depressão. Em casos extremos, a Síndrome de Cushing, que causa a atrofia muscular. Além disso, o hormônio também propicia o acúmulo de gordura abdominal, pois aciona o glicogênio, que vem a ser uma espécie de açúcar guardado no fígado, que vira açúcar quando entra na circulação sanguínea. Como não é utilizado, acaba se depositando no abdômen.
O endocrinologista é o profissional hábil para verificar se há excesso desse hormônio no organismo. Neste caso, algumas mudanças na dieta alimentar podem ajudar a equilibrar a situação e promover o emagrecimento. O ideal é passar a consumir alimentos ricos em fenilalanina, aminoácido que é precursor da dopamina, o neurotransmissor que promove a recompensa cerebral, levando a pessoa a sentir bem estar e diminuindo a vontade de ingerir gordura e açúcar. Frango, ovos, arroz integral, brócolis, abóbora, couve manteiga, agrião e alcachofra são alimentos ricos em fenilalanina.
Esse hormônio aumenta o estresse e a gordura abdominal: A dieta para equilibrar o hormônio cortisol A dieta para equilibrar o hormônio cortisol
Soja, oleaginosas, carne, ovos, leite e derivados possuem triptofano, que ajudam a reduzir o estresse. Damasco, amêndoa, leite, salmão, gérmen de trigo e farinha de aveia também ajudam a regular o cortisol
Fonte:MSN

Nenhum comentário:

Postar um comentário