segunda-feira, 27 de abril de 2015

Petiscos light 2015

Barquete de Tapioca com Guacamole
Ingredientes:
– 1/2 abacate (aquele grandão, não o avocado tá? Se usar o pequeno, use inteiro)
– 1/2 cebola roxa média picada em cubinhos
– 1/2 limão espremido
– 1 tomate picado (sem semente. Normalmente usam sem a casca, mas tava com preguiça de tirar)
– sal à gosto
– tabasco à gosto (muita gente usa a pimenta dedo de moça, mas andei tomando um drink que vinha com a tal dentro e não tô nem podendo sentir o cheiro! Fiquei bem traumatizada! Foi horrível! Nunca caiam na besteira de experimentar isso)
– 1 pitadinha de alho em pó (eu vi uma receita que ia alho e como não sou fã, usei um tico do em pó)
Modo de fazer:
Amasse o abacate com um garfo e vá acrescentando os outros ingredientes e mexendo! Dai regula o sal e a pimenta para o seu gosto! Sóooo! Fácil né???
Uma dica importante: se for demorar muito para receber os convidados, sirva a barquinha vazia e deixe que eles coloquem o recheio. Como a guacamole tem líquidos e é molenga, com o tempo acaba amolecendo a barquinha, se levar muito tempo para comer.
Onde comprar as barquinhas
Quem morar no nordeste, acho que não terá muita dificuldade de encontrar o produto. Principalmente na Bahia, essas barquinhas são bem comuns, mas são servidas com queijo.
Em outros Estados, acho que o lugar ideal é onde vende produtos nordestinos.
Horti fruti ou Cobal costumam ter também.
Ahhh, essa é uma entradinha vegetariana e sem glúten!
Bolinho de Mandioca com Carne seca assado

Ingredientes:
– 3 mandiocas
– 250 g de carne seca
– sal
– pimenta tabasco
Modo de fazer:
– Em uma panela coloque as mandiocas para cozinhar na água. Deixe uns 30 minutos ou até as mandiocas ficarem bem molinhas.
mandioca cozida
– Em uma outra panela, refogue a carne seca.bolinho de carne seca com aipim

Tá pronto!!!
bolinho de carne 10
Se quiser pode colocar mais mandioca e menos carne seca, pódjeee! Eu acabei fazendo ao contrário.
Acho que quem tiver air fryer pode colocar os empanadinhos e “fritar”que devem ficar mais crocantes, quase croquetes! ;)
“Taca” a pimentinha e seja feliz!
Coxinha de frango Fit- sem glúten e sem lactose
– cebola picada em cubinhos
– frango desfiado
– sal
– pimenta do reino
– tomate cortadinho bem pequenininho sem semente
(se quiser, acrescente creme de ricota light ou cream cheese light e azeitona verde)
Ingredientes massa:
– 400 g de mandioquinha (batata salsa, batata baroa, cenourinha amarela…cada lugar tem um nome)
– 3 cs de farinha sem glúten (olhe aqui se tiver dúvida)
– 1 cs de farinha de quinua (se não achar, coloca 1 a mais da sem glúten)
– um pouquinho sal
– 1 gema
– 100 ml de leite de arroz
3 cs de farinha sem glúten para dar o ponto com o fogo desligado. E quanto baste para deixar no ponto para modelar!
Para empanar:
quinua em flocos batida no liquidificador
Modo de fazer o recheio
Refogue a cebola e depois acrescente o o frango desfiado. Deixe refogar tudo junto. Coloque sal e pimenta do reino de acordo com seu gosto. Não uso cebolinha, salsinha… mas se quiser, coloque.
No final, se quiser, acrescente o creme de ricota e a azeitona verde picada (se quiser)
Reserve.
.Cozinhe a mandioquinha descascada até ficar bemmm molinha.
Depois amasse com o garfo ou o espremedor de batatas, até ter um purê bem lisinho.
2. Na panela coloque a gema, o o leite e as farinhas. Misture tudo com o fouet. Acrescente a mandioquinha amassada e misture tudo. Deixe no fogo, até desgrudar da panela.
Passe para um bowl ou travessa de vidro e espere esfriar um pouquinho. Agora vá jogando mais um pouco de farinha sem glúten, até obter uma massa bem lisinha e que não grude nas mãos. Coloquei umas 3 ou 4 para dar o ponto.
Montagem
1. Abra a massa. Nessa hora, se precisar, use mais farinha, até desgrudar da mão e a massa ficar igual massinha de modelar!
2. Acrescente o recheio.
3. Feche a bichinha! Faça o formato de coxinha… ou “coxona”, vai do seu gosto!
4.Empanei na quinua em flocos.
coxinha sem glúten sem lactose
5. Agora é só colocar no forno (tinha deixado pré-aquecendo no máximo). Coloquei as coxinhas e deixei em fogo alto uns 22 minutos. Abaixei um pouco a temperatura e deixei mais uns 5!
coxinha 6
6. Rendeu 5 coxinhas bem grandes e uma pequenininha que fiz pra testar o ponto! Tava com preguiça de ficar fazendo mini coxinha.
coxinha fit 8
Ficou maravilhosaaaa! Super aprovada AND recomendo que façam!
SONY DSC
Pequeno muro das lamentações:
– Se preferir, pode trocar o leite de arroz pelo normal de vaca.
– Eu empanei com farinha de quinua, mas deve ficar bom se empanar com uma farofa pronta light (ela não contém glúten e é bem saborosa. Cabecinha de gorda já viajando) OU farinha de rosca sem glúten.
– Recheio: você pode variar. Algumas usei um pouco de creme de ricota light e azeitona junto. Claro que se você tiver intolerância à lactose, não vai por creme de ricota no recheio.
- Pode usar batata doce ou batata normal- Acho que se usar farinha de arroz no lugar da sem glúten, também dá certo.
– Pode fritar na Airfryer? Quem tiver, não só pode, como deve! Meu sonho é a tal da airfryer!
Fonte: Projeto Mestre Cuca

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Saiba como o cortisol pode influenciar na dieta!

Situações de estresse podem levar a um aumento do hormônio cortisol. Quando se encontra em um nível normal, esse hormônio prepara nosso organismo para enfrentar situações de perigo, já que mantem sob controle a pressão arterial e diminui a queima calórica, poupando energia em caso de risco. O ruim é que o organismo não sabe diferenciar uma situação de risco real, de uma imaginária, e libera o cortisol. Se situações de estresse são constantes, ocorre uma hiperestimulação da produção do hormônio.
O excesso de cortisol aumenta o risco de diabetes, hipertensão arterial e depressão. Em casos extremos, a Síndrome de Cushing, que causa a atrofia muscular. Além disso, o hormônio também propicia o acúmulo de gordura abdominal, pois aciona o glicogênio, que vem a ser uma espécie de açúcar guardado no fígado, que vira açúcar quando entra na circulação sanguínea. Como não é utilizado, acaba se depositando no abdômen.
O endocrinologista é o profissional hábil para verificar se há excesso desse hormônio no organismo. Neste caso, algumas mudanças na dieta alimentar podem ajudar a equilibrar a situação e promover o emagrecimento. O ideal é passar a consumir alimentos ricos em fenilalanina, aminoácido que é precursor da dopamina, o neurotransmissor que promove a recompensa cerebral, levando a pessoa a sentir bem estar e diminuindo a vontade de ingerir gordura e açúcar. Frango, ovos, arroz integral, brócolis, abóbora, couve manteiga, agrião e alcachofra são alimentos ricos em fenilalanina.
Esse hormônio aumenta o estresse e a gordura abdominal: A dieta para equilibrar o hormônio cortisol A dieta para equilibrar o hormônio cortisol
Soja, oleaginosas, carne, ovos, leite e derivados possuem triptofano, que ajudam a reduzir o estresse. Damasco, amêndoa, leite, salmão, gérmen de trigo e farinha de aveia também ajudam a regular o cortisol
Fonte:MSN

terça-feira, 21 de abril de 2015

Sopa Detox

Ingredientes


5 inhames médios sem casca
1 colher (café) de gengibre em cubos
1 cebola média picada
2 dentes de alho
1 xícara (chá) de espinafre picado
2 colheres (sopa) de farinha de linhaça dourada
200 ml de água
1 colher (chá) de tomilho e alecrim triturados
Pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Refogue o alho e a cebola em panela antiaderente.
Junte o inhame e a farinha de linhaça.
Tempere com pimenta-do-reino a gosto.
Acrescente a água.
Ao levantar fervura, coloque o gengibre.
Quando o inhame estiver macio, amasse-o com a concha.
Adicione o espinafre e ferva por mais dois minutos, até as folhas amolecerem.
Sirva no prato e acrescente o tomilho e alecrim triturados.
Fonte:Lucilia Diniz

Tapioca Colorida- Sabe fazer?

Ingredientes

Tapioca verde

4 colheres (sopa) de farinha de tapioca pronta
1 folha de couve manteiga
½ xícara (chá) de água
Recheio
2 fatias de presunto light
2 fatias de muçarela light
1 tomate sem sementes e cortado em cubos
1 colher (café) de orégano
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo

Bata a folha de couve no liquidador com a água e coe.
Em um bowl, junte este suco da couve com a tapioca.
Mexa com as mãos até formar um pó com pequenos flocos.
Aqueça uma frigideira pequena em fogo médio.
Com a ajuda de uma peneira, preencha toda a superfície da frigideira.
Deixe dourar de um lado.
Vire e deixe dourar do outro.
Retire e coloque uma colher do recheio no centro.
Dobre e sirva.
Fonte: Lucilia Diniz

sábado, 18 de abril de 2015

Temperos que ajudam na dieta

Adicionar determinados temperos nas comidas, além de torná-las mais saborosas ainda pode contribuir para a perda de peso. Isto porque esses condimentos possuem diversas ações que ajudam na queima de calorias mais acelerada, na perda de gordura e que ainda melhoram o organismo de forma geral. No entanto, para obter tal benefício é preciso ter uma dieta balanceada, praticar atividades físicas e consumir estes temperos regularmente.
Saiba como a pimenta, a canela, o gengibre, a cúrcuma, o azeite, o vinagre de maçã, a salsa, o alho e o orégano podem ajudar na dieta e ainda proporcionar benefícios para a sua saúde.  

Pimenta
As pimentas contribuem para o emagrecimento. "Isto se deve a capsaicina, composto que contribui para o aumento da termogênese e consequentemente ajuda a reduzir o peso corporal", explica a nutricionista e fitoterapeuta Maria Angélica Fiut, membro do Conselho Diretor da Associação Brasileira de Fitoterapia (ABFIT).
Quanto mais ardida a pimenta, maior será a sua capacidade emagrecedora. Este tempero pode ser adicionado em carnes vermelhas, frango, no arroz com feijão e até na salada. "O importante é ingerir a pimenta constantemente, pois isso irá fazer com que o metabolismo fique mais acelerado", diz a nutricionista e chef Carina Boniatti, da Colherada Gourmet. As pimentas malagueta, jalapeno, dedo de moça, entre outras, são benéficas para a perda de peso. A únicas pimentas que não apresentam esse benefício são a pimenta biquinho e a cambuci, pois não apresentam capsaicina.
Canela
canela é uma aliada para a perda de peso por ser um alimento termogênico. Isto significa que ela é capaz de aumentar o gasto calórico do organismo durante a digestão e o processo metabólico. "Este tempero também diminui a vontade de comer doce e ajuda no controle de glicemia", observa Boniatti.
Este alimento vai muito bem com frutas. Um prato muito saudável pode ser a banana amassada com chia e polvilhada com canela. Você não resiste a um doce? então a canela pode ser sua aliada. Um estudo publicado no The American Journal of Clinical Nutrition observou que incluir três gramas de canela no arroz doce promove a redução dos níveis de insulina logo após a refeição e o aumento do GLP-1, hormônio que estimula a secreção de insulina. Esse processo ajuda a controlar as taxas de açúcar no sangue.
Gengibre
gengibre possui o gengirol, substância que aumenta o gasto calórico em torno de 10%. "Na comida japonesa o gengibre está facilmente disponível. No dia a dia o gengibre vai bem para temperar carnes vermelhas, frango e peixe. Ele também pode ser ralado em frutas e na forma de chá. O calor não irá fazer com que o gengibre perca seus nutrientes", conta Boniatti.
Cúrcuma
A cúrcuma possui uma série de benefícios para a saúde. "Ela tem a curcumina, substância que é um poderoso anti-inflamatório. Pessoas com obesidade e com sobrepeso se encontram em um quadro inflamatório devido ao excesso de gordura. Ao ajudar a reduzir a inflamação a cúrcuma faz com que o corpo fique mais adequado para a perda de peso", explica Boniatti.
Este tempero também é um aliado do fígado. "Ele tem ação no metabolismo das gorduras, diminui o colesterol e lipídios totais, eleva o colesterol HDL e diminui o triglicérides", afirma Fiut.
A curcumina se degrada em grandes temperaturas. Por isso, cozinhe os alimentos no tempo certo. Este tempero vai muito bem com o peixe e a versão em filé só precisa de 20 minutos no forno. Caso vá preparar um arroz com cúrcuma coloque o tempero no final. A cúrcuma também combina com filé de frango. Apenas uma colher de café do tempero é o suficiente.
Azeite
Uma pesquisa feita pela Universidade de Viena, Áustria, e Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, concluiu que o azeite de oliva contribui para a perda de peso. O estudo apontou os compostos de aroma deste óleo como os responsáveis pelo emagrecimento, pois eles são capazes de regular a saciedade.
Após uma refeição, o tempo que a sensação de saciedade dura depende de uma série de fatores, porém o nível de açúcar no sangue influencia significativamente. Quanto mais rápido ele cai, ou seja, quanto mais rápido as células absorverem a glicose do sangue, mais cedo a pessoa começa a sentir fome. A pesquisa concluiu que o azeite de oliva possui substâncias de aroma que reduzem a absorção de glicose do sangue para as células do fígado. Porém, o óleo não faz milagres, para perder peso é importante ter uma dieta balanceada e praticar atividades físicas. 
Os especialistas divergem sobre o aquecimento do azeite. Alguns acreditam que ao ser aquecido este óleo irá saturar e assim causar todos os malefícios das gorduras saturadas. Outros defendem que o azeite pode ser aquecido na preparação de pratos. Porém, isto só irá proporcionar sabor para a comida, pois os nutrientes deste óleo se perdem. "É preciso consumi-lo cru, nas saladas por exemplo, para obter todas as suas propriedades", diz Boniatti.
Vinagre de maçã
Uma pesquisa da Universidade do Arizona e publicada na revista Diabetes Care observou que após ingerirem duas colheres de sopa de vinagre de maçã diluídos em água antes do almoço e do jantar, os participantes perderam em média dois quilos em um mês.
Isto ocorre porque o alimento ajuda a reduzir picos de insulina e o nível de glicose após refeições ricas em carboidratos. Os picos de insulina são inimigos do emagrecimento porque quando o carboidrato é absorvido rapidamente pelo sistema digestivo, o nível no sangue sobe subitamente. Assim o pâncreas libera muita insulina que, por sua vez, irá baixar drasticamente os níveis de glicose no sangue, levando a uma hipoglicemia reativa e consequente sensação de fome.
Além disso, o ácido acético presente no tempero é um bloqueador natural da absorção de amidos e açúcar. Quando estas enzimas são bloqueadas, os carboidratos passam direto através do trato digestivo, comportando-se como fibras insolúveis, que não podem ser digeridas. Assim são eliminadas muitas calorias, que se fossem absorvidas, certamente iriam dificultar a perda de peso.
O vinagre de maçã pode ser adicionado em saladas e para temperar carnes brancas. "Principalmente aves, pois o gosto ácido do vinagre ressalta o sabor do alimento. Basta uma colher de chá. A propriedades do vinagre não se perdem com o aquecimento", conta Boniatti.
Salsa
A salsa contribui para a perda de peso por ser diurética. "Ela também ajuda a 'limpar' o organismo de 'toxinas'", observa Fiut. Este alimento pode ser acrescentado na alimentação de diversas formas. "Adicione no final da preparação do arroz, legumes, carnes ou molhos. A salsinha combina com todos os tipos de alimentos, pois o sabor dela é neutro e não se sobressai", explica Boniatti.
A salsa também pode ser utilizada na preparação de chás, separe um maço da planta para um litro de água e faça a infusão. Outra alternativa é adicionar o alimento em sucos, como o suco verde.
Alho
O alho proporciona uma série de benefícios para o organismo. "Trata-se de um dos alimentos que mais tem propriedades saudáveis. É antiviral, antioxidante, anti-inflamatório, protege o coração, melhora nossa glicemia e controla a pressão arterial. Como ele tem amplas funções, ajuda a restaurar o equilíbrio do organismo e assim contribui para a melhor queima de gordura", afirma Boniatti. 
A melhor maneira de aproveitar os nutrientes do alho é consumindo-o cru. Por isso, ao fazer comidas como arroz, a dica é refogar metade do alho que pretende utilizar para elaborar o alimento e adicionar a outra parte quando o arroz já estiver pronto. Assim, o próprio calor do alimento irá abrandar o forte sabor do alho e suas propriedades serão mantidas.
Orégano
O orégano é um aliado de quem quer emagrecer por duas razões. "Ele estimula a digestão e tem ação diurética, por isso interessante para quem quer perder peso", explica Fiut.
O orégano vai bem com carnes e legumes, tanto nas versões refogadas na panela quanto assadas no forno. Uma opção que pode ajudar a matar a vontade da pizza é adicionar o orégano no tomate e assá-lo.
Fonte: MSN

Alho Poró- Conheça como pode ajudar na sua saúde

O alho-poró é um vegetal da família das cebolas e do alho. Tem um sabor mais suave que o das cebolas e é muito usado na cozinha francesa. 
Como a maioria dos vegetais, o alho poro é pobre em calorias. Em 100 g, temos 60 calorias. Ele é fonte de vitamina A, devido à presença de carotenoides, vitamina C, vitamina K,vitamina B6 e ácido fólico e tem boas quantidades de minerais como ferro e manganês. 
© Fornecido por Minha Vida
O ácido fólico ajuda a manter o equilíbrio da homocisteína no sangue prevenindo doenças cardiovasculares. E as vitaminas A e C tem função importante no sistema imune. 
O alho-poró também possui compostos como a alicina, que tem efeito antibacteriano, antiviral, antifúngico e antioxidante, neutralizando os radicais livres produzidos pelo corpo. 
O alho-poró ainda possui flavonoides como o kaempferol, assim como o brócolis e a couve. Esse composto auxilia na prevenção de problemas de saúde relacionados com aumento do stress oxidativo e inflamação crônica de baixo grau, como alguns tipos de câncer, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, obesidade e artrite. 
Ele é muito versátil e fácil de ser preparado. Na hora da compra, prefira os menores e menos fibrosos com folhas verdes escuras e a parte branca não pode estar amarelada. Chegando em casa, embrulhe em papel toalha e mantenha na geladeira. No momento do preparo, retire a parte verde e descarte (ela pode ser usada para fazer caldo de legumes). Retire as folhas mais externas da parte branca, corte ao meio no sentido do comprimento, lave em água corrente e fatie. Pode ser consumido cru em saladas ou refogado junto com peixes, carnes, frango, ovos ou em sopas. 
Não existe uma recomendação de consumo diário de alho-poró. O ideal é consumir cerca de 400 gramas de vegetais frescos por dia, variando os tipos entre frutas, verduras e legumes. 
Fonte:MSN

sexta-feira, 17 de abril de 2015

A importância do exercício para crianças.

Em tempos em que os celulares, tablets e computadores são mais atrativos do que as atividades ao ar livre (como amarelinha, futebol e pega-pega), muitas crianças desenvolvem o sobrepeso e obesidade infantil, em consequência do sedentarismo. Mas, se enganam aqueles que pensam que as atividades são indicadas só pra combater o que eu acabei de citar acima. Na verdade, exercícios físicos realizados regularmente são fundamentais para o crescimento físico, desenvolvimento social e intelectual e para a coordenação motora das crianças.
Os exercícios devem ser estimulados de acordo com cada fase do seu filho, mas sempre defendo que a atividade para os maiores de dois anos tem que ser escolhida pela criança e não pelos pais, pois a prática tem que causar prazer e alegria e não ser uma obrigação.
A partir de certa idade nossos filhos começam a ser mais exigidos na escola, pois é assim a base do currículo escolar brasileiro. Por isso, concilie bem os estudos, as atividades esportivas e artísticas do seu filho/a. Sobrecarregá-lo com uma agenda extenuante pode desencadear estresse, o que não é benéfico para os estudos, os esportes e nem para as artes.
Entre as atividades que mais trazem benefícios para os pequenos, estão:
© Fornecido por Minha Vida
-Natação;Ginástica Artística;Balé;Judô;Bicicleta;Atletismo. 
Após os seis anos, outras atividades podem ser realizadas, sobretudo as que exigirão um pouco mais de força e resistência física, como o futebol, tênis e vôlei. No geral, esportes coletivos são ideais para incrementar a interação com outras crianças e a coordenação motora. 
Já a musculação e os treinos de força não são indicados para crianças menores, mas a partir da pré-adolescência, sim. Os pequenos não possuem estrutura para carregar peso e os danos podem ser de lesões musculares a fraturas nos ossos. 
Incentive seu filho à prática esportiva. Desde pequeno, leve-o a um parque para andar de bicicleta, correr, jogar bola e aproveitar o tempo livre e também garantir a diversão em família. 
Fonte:MSN

Os 10 alimentos industrializados vilões da alimentação infantil

Nuggets, refrigerantes, sucos de caixinha, biscoitos recheados, salsicha ou hambúrguer congelado: qual criança não se derrete por essas guloseimas e qual pai e mãe, na correria do dia a dia, não costuma oferecer a elas os alimentos acima? O problema, explicam nutricionistas ouvidas pelo Tempo de Mulher, é que esses alimentos industrializados muitas vezes são ricos em sódio, gordura e açúcares refinados, considerado os grandes vilões da alimentação quando consumidos com muita frequência.
"Os nuggets, preparados com carnes processadas, contêm muito conservantes e têm alto teor de gordura. Por isso devem ser substituídos por peito de frango empanado caseiro", recomenda Ana Carolina Terrazan, especialista em Nutrição Materno-Infantil e Doutoranda em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Já o refrigerante não traz qualquer benefício para a saúde. "São bebidas com altíssimo teor de sacarose, sódio e muitos corantes. As versões light e zero possuem adoçantes não indicados para crianças", adverte Ana Carolina.
Os biscoitos recheados, alimentos rotineiros na dieta infantil, não agregam valor nutricional significativo à alimentação da criança e carregam gordura saturada, gordura trans, corantes e elevado teor de açúcar. "Um pacote de biscoito recheado apresenta 30 gramas de gordura e 50g de açúcar, equivalendo a 8 pães franceses", adverte Karoline Basquerote, especialista em Nutrição Clínica e Doenças Crônicas do Hospital Moinhos de Vento e Pós-graduanda em Nutrição em Pediatria pelo Instituto de Pesquisas Ensino e Gestão em Saúde(IPGS).
O grande problema é que, em muitas casas, o alimento industrializado está 100% presente no dia a dia, enquanto os alimentos in natura ou as preparações caseiras não fazem parte da rotina alimentar.
"Em se tratando de alimentação infantil temos um número crescente e alarmante no consumo de alimentos ricos em sódio, gordura e açúcares refinados e estes são prejudiciais quando consumidos rotineiramente. Há muito com o que se preocupar quando temos consumo desenfreado de produtos cujos ingredientes principais são estes acima citados", adverte Ana Carolina.
A nutricionista explica ainda que a gordura presente nestes alimentos raramente é um tipo de gordura "saudável", sendo normal encontrar altos teores de gordura trans ou saturada em pequenas porções com uma quantidade de sódio (utilizado como conservante) que, muitas vezes, ultrapassa os limites de consumo aceitáveis para um dia inteiro.
Alguns produtos apresentam muito mais açúcar em sua composição
"A quantidade de açúcares também vai além da conta e, muitas vezes, os produtos apresentam muito mais açúcar em sua composição do que o alimento/nutriente natural, como, por exemplo, os sucos de caixinha em relação à fruta. O fato é que muitas famílias oferecem estes alimentos em demasia e ignoram os problemas que podem vir a enfrentar no futuro", adverte a especialista em Nutrição Materno-Infantil, Karoline Basquerote.
Ela alerta que devemos evitar os alimentos industrializados com grande quantidade de conservantes e aditivos químicos em sua composição porque, além de serem pobres em nutrientes, prejudicam a absorção das vitaminas e minerais fundamentais ao nosso organismo.
E faz um alerta: o consumo excessivo desses tipos de alimentos está fortemente relacionado ao surgimento da obesidade infantil e, consequentemente, de doenças crônicas como diabetes, hipertensão e dislipidemias (níveis elevados de gordura no sangue).
"Com o crescente aumento da obesidade infantil, diversos estudos têm apontado a alimentação inadequada, baseada em alimentos industrializados, como um dos principais vilões a desencadear doenças crônicas cada vez mais precocemente. Doenças que um tempo atrás eram encontradas apenas em adultos e idosos agora já apresentam casos espantosos na população infantil", afirma Karoline.
No entanto, nada de radicalismos na hora de riscar estes alimentos de uma hora para outra da rotina alimentar dos filhos.
"Tenho duas filhas, estudo e trabalho com alimentação infantil e posso afirmar que a palavra "radical" não se encaixa com educação alimentar. A alimentação é um momento de confraternização e deve ser prazerosa, não incluindo o "proibido". Sou a favor do eventual e da moderação. Se uma criança é educada desde pequena a uma alimentação adequada e saudável, automaticamente o consumo desses alimentos será moderado e não precisará ser restrito", observa Karoline Basquerote.
Estabeleçam metas para consumo desses alimentos
Para as crianças que já consomem as "guloseimas" é possível estabelecer metas. O ideal, aconselha Ana Carolina Terrazan, é nunca cortar tudo de uma só vez. "Levar as crianças ao supermercado ou às feiras é sempre uma boa alternativa para colocar a criança em contato com os alimentos e instigar a curiosidade por outros sabores", recomenda.
"Pais e mães devem estar cientes que, para que as crianças tenham bons hábitos alimentares, eles também precisam ter. Crianças normalmente se espelham nos pais e fica difícil para elas entenderem que um alimento não é saudável se os pais comem todos os dias esses alimentos. Uma dica para aqueles que oferecem esse tipo de alimento diariamente é reduzir a oferta para algumas vezes na semana inicialmente e seguir as orientações do nutricionista para a reeducação alimentar", completa Karoline.
As nutricionistas explicam como o consumo excessivo desses alimentos industrializados podem estimular a obesidade infantil.
Fonte: Minhavida