segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Dieta DASH


Existem evidências de que a hipertensão está associada com resistência à insulina. Em indivíduos com hipertensão essencial, existe uma maior prevalência de resistência à insulina do que nos normotensos. A prevenção, a detecção, a avaliação e o tratamento da hipertensão, como definidas no JAMA de maio de 2003, geralmente não discutem o impacto destas intervenções na resisência à insulina. As intervenções do Joint são a perda de peso para os obesos, o aumento da atividade física, a redução da ingesta de sódio e a diminuição da ingesta de álcool.

De acordo com os resultados do estudo DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension), publicado na revista Diabetes Care de fevereiro de 2004, a adoção do modelo dietético DASH associado a uma intervenção no estilo de vida pode aumentar a sensibilidade à insulina. Este estudo adicional foi conduzido em um dos centros, denominado PREMIER, um trial clínico multicêntrico, randomizado, onde foram examinados os efeitos de três intervenções no estilo de vida em reduzir a pressão arterial elevada, 52 indivíduos foram avaliados. O grupo A recebeu apenas recomendações;

o grupo B inclui redução do peso, redução da ingesta de sódio, aumento da atividade física e consumo moderado de álcool; o grupo C recebeu todas as intervenções do gupo B e o modelo dietético DASH.

A dieta DASH é mais rica do que a dieta típica americana espaço em frutas, vegetais (ou seja, em fibras) e laticínios light, com teor baixo de gordura total, gordura saturada e colesterol. É repleta de nutrientes associados com a melhora da sensibilidade à insulina, incluindo magnésio, cálcio e proteínas. Uma pesquisa publicada em 1997 na revista Hypertension, concluiu que 1,500 mg/dia de cálcio suplementar melhora a sensibilidade à insulina em pacientes com hipertensão essencial usando o clamp euglicêmico-hiperinsulinêmico. Outro estudo publicado em 1992 no

American Journal of Clinical Nutrition evidenciou que a suplementação de magnésio melhora a ação da insulina em pacientes idosos.

Os grupos B e C tiveram diminuição semelhantes no total de calorias, percentagem de calorias provenientes de gorduras e ingesta diária de sódio, bem como quantidade similar de gasto energético e perda de peso. Comparado com os outros grupos, o grupo C, como esperado pela dieta DASH, teve um maior consumo de proteínas, potássio, cálcio e magnésio e uma melhora na sensibilidade à insulina de 1.96 para 2.95 (p=0.47). Apesar do grupo B também ter tido uma queda significativa nos níveis glicêmicos em jejum, a sensibilidade à insulina não foi estatisticamente diferente da do grupo controle.

A limitação do estudo inclui insuficiente capacidade de determinar a importância, o impacto dessa alteração de sensibilidade da insulina no grupo B (seria já o bastante?) e o uso de dois recordatórios dietéticos não consecutivos para estimar a ingesta de nutrientes.

Conforme publicado na revista pelo autor do estudo, da University Medical Center da Carolina do Norte, “baseados nos resultados deste estudo, a inclusão do modelo da dieta DASH como parte básica de um plano dietético hipocalórico pode levar a uma melhora significativa de mais de 50% na sensibilidade da insulina.” Esta combinação de alimentos e nutrientes, segundo ele, deve ter um efeito em vários alvos celulares que promovem as mudanças na composição corporal durante a perda de peso, resultando em um impacto favorável na ação da insulina. Diabetes Care. 2004;27:340-347.

Este achado pode trazer à classe médica evidências adicionais para a necessidade de recomendar este modelo dietético como parte do tratamento da hipertensão, sendo as intervenções de modificação de estilo de vida fundamentais e compreensíveis no tratamento e na redução de todas as condições de risco cardiovascular.

Cabe a nós, médicos, nutricionistas e educadores físicos: termos o bom senso de orientar nossos pacientes sobre o que viemos discutindo há longa data quanto menos gordura (eu disse menos, não ausência) em nossos pratos, melhor não só para o nosso coração, nosso colesterol e nossa pressão alta, mas também para o controle da glicemia e possivelmente para a prevenção do diabete em longo prazo. Além de que menos gorduras, mais cálcio, mais proteínas, mais fibras, mais atividade física e perda de peso por si só já melhoram qualquer fator de risco cardiovascular.


Fonte: ABESO

Receitas da dieta Dukan

Docinhos de Cenoura

Rendimento 40

Ingredientes

  • 1 cenoura pequena ralada ( (100 g) - eu ganhei 3 pequenininhas 140 g e usei todas)
  • 1 xícara de chá de água (240 ml)
  • 1 xícara e meia de leite em pó desnatado
  • 3 colheres de sopa de amido de milho (ou maizena)
  • 10 sachês ou colher dosadora de adoçante (usei o sucralose, mas pode ser o de forno)
  • 1 colher de chá de cacau em pó

Optional

  • pouco de coco ralado (somente na fase 3)
  • pouco de nozes moída (somente na fase 3)

Fases

FASE 2 / FASE 3 / FASE 4
O percentual de tolerados vai depender de quantas bolinhas render sua receita e qual quantidade você pretende consumir em cada porção.


Modo de Fazer

1. Bata no liquidificador a cenoura com a água.
2. Coloque em uma panela, junte o leite em pó e o amido de milho.
3. Leve ao fogo baixo mexendo até aparecer o fundo da panela (a massa fica como a de doce comum, grossa e soltando o fundo da panela. Eu cheguei a pensar que iria empelotar, rs)
4. Retire do fogo, junte o adoçante e misture bem.
5. Coloque em um prato e deixe esfriar. 
6. doce de cenoura 2
Nessa hora decidi separar uma parte da massa para testar com o cacau em pó e obter meu brigadeiro. - Separei um pouco da massa e coloquei uma colher de chá de cacau em pó. Eu deveria ter colocado mais um sachê de adoçante, pois meu cacau não tem açúcar, por isso meu marido achou que faltou um “docinho” no brigadeiro(fiz minha defesa, rs).
7. doce de cenoura 3
Com as mãos untadas ou ligeiramente molhadas, faça as bolinhas e passe no que desejar. (Essa é a parte que eu não gosto, acho que tenho TOC e preciso lavar as mãos mil vezes, rs)
8. doce de cenoura 5
Para os docinhos brancos usar coco ralado sem carboidrato
9. doce de cenoura 4
Você pode envolver em nozes moída também

Meu marido adorou o docinho de cenoura envolvido em nozes moída(fiz um pouco para ele).
Eu adorei o docinho de cenoura envolvido no coco ralado sem carboidrato(depende da fase da dieta e do quanto você se sente segura para usar).
Quanto a parte em que acrescentei o cacau(meu brigadeiro), já disse que a opinião masculina disse que faltou um sabor mais doce, e eu digo que tenho um cacau em pó de péssima qualidade e sabor. Vou comprar o achocolatado Gold já que o meu amado Cacau em Pó Garoto saiu de linha. ;)
Minha mãe sempre dizia: ” Gosto e nariz cada um tem um”, certinha ela!

Dica: Coloque em forminhas de papel com tapetinho plástico, assim dá até para congelar.
Se fizer volte para me contar o que achou, ;)
Fonte: Adoçante Finn


Recheio do Suflê de Alho Poró

Ingredientes

  • 1/4 cebola picada
  • 1 talo de alho poró em rodelas finas
  • 1 dente de alho moído
  • 1 queijo tipo polenguinho light (tolerado)
  • Sal e pimenta branca (ou escura, especiarias a gosto)

Modo de Fazer

1. Numa panela, ou frigideira anti aderente, pingue uma gota de azeite e refogue a cebola, o alho e o alho poró.
2. Salpique sal a gosto e se precisar acrescente duas colheres de água para facilitar o cozimento.
3. Reserve!

Ingredientes

  • 3 ovos (claras em neve)
  • 2 colheres de sopa de leite em pó desnatado
  • 3 colheres de sopa de requeijão 0% gordura (ou light como tolerado)
  • 1 colher de sopa de fermento em pó

Modo de Fazer

1. uma dica: eu tiro o requeijão da geladeira antes!
2. Separe as claras das gemas. Bata as claras em neve, reserve.
3. Use o mixer para bater as gemas, o leite em pó, e o requeijão.
4. Incorpore as claras em neve com delicadeza e acrescente o fermento sem bater a massa.
5. Despeje a metade da massa numa refratária para suflê, previamente untada com uma gota de azeite.
6. Distribua o recheio de alho poró e os pedacinhos de polenguinho por cima da massa.
7. Espalhe a outra metade da massa por cima do recheio e leve para assar em forno moderado(200°) até que doure completamente, cerca de 35 minutos.
8. sufle alho poro 3
Se quiser salpique queijo ralado light por cima. Pronto! É só servir. 
 
Fonte: Dukan receitas