quarta-feira, 30 de julho de 2014

Vitamina B12 e suas fontes alimentares.

Os alimentos ricos em vitamina são especialmente de origem animal, como peixes, carnes, ovos, queijo e leite.
Alguns alimentos de origem vegetal contêm vitamina B12, como o levedo de cerveja e as algas marinhas. Quem consome dietas estritamente vegetarianas, geralmente, tem baixa quantidade dessa vitamina no organismo, a não ser que faça uma suplementação em vitamina B12, que deve ser acompanhada por um profissional de saúde, como o médico ou nutricionista.
Existem também alimentos enriquecidos industrialmente com a vitamina B12. 
A vitamina serve para manter as células vermelhas do sangue saudáveis, atuando na prevenção e no combate da anemia. 

Lista de alimentos ricos em vitamina B12

Alguns exemplos de alimentos fonte em vitamina B12 são:
Alimentos que contêm vitamina B12Peso (g)Quantidade de vitamina B12 (mcg)
Bife de fígado cozido100112
Mariscos no vapor10099
Ostras cozidas10027
Fígado de frango cozido10019
Coração cozido10014
Arenque cozido10010
Caranguejo cozido1009
Truta cozida1005
Salmão cozido1002,8
A vitamina B12 é absorvida no intestino e armazenada, principalmente, no fígado. Portanto, o fígado pode ser considerado uma das principais fontes alimentares de vitamina B12.

Alimentos enriquecidos em vitamina B12

Os alimentos enriquecidos em vitamina B12 devem fornecer em 100 g do produto pronto para o consumo no mínimo 15 a 30% da ingestão diária recomendável. Assim, em 100g de um alimento enriquecido em vitamina B12 existem 0,36 a 0,72 mcg de vitamina B12.
Os alimentos enriquecidos com vitamina B12 podem ser:
  • cereais matinais;
  • produtos à base de soja, geralmente usados como alternativas ao leite;
  • fórmulas infantis não lácteas à base de proteína de soja;
  • cereais para alimentação infantil;
  • achocolatados em pó;
  • creme de amendoim.
Os alimentos enriquecidos em vitamina B12 são especialmente aconselhados para vegetarianos porque não consomem produtos de origem animal, que são as fontes alimentares de vitamina B12. 

Excesso de vitamina B12

O excesso de vitamina B12 no organismo pode provocar pequenas alterações no baço, alteração dos linfócitos e aumento dos linfócitos. Isto não é muito comum, pois a vitamina B12 é bem tolerada pelo organismo, mas pode ocorrer caso o indivíduo tome suplementos de vitamina B12 sem o acompanhamento médico.
Fonte: Tua saúde

Vitamina B12- Deficiência, diagnóstico e tratamento

Deficiência de vitamina B12 é causa de anemia acompanhada ou não por dificuldade para andar e parestesias ou formigamentos de distribuição simétrica, principalmente nas pernas, pés e mãos.
Pode haver ainda palidez, inchaço, hiperpigmentação da pele, icterícia e fraqueza muscular. Inflamações na língua, má absorção de nutrientes, infertilidade e tromboses são menos frequentes.
A vitamina B12 é essencial para a formação, integridade e maturação das hemácias. Em sua ausência, elas aumentam de volume e o tamanho do núcleo fica desproporcional ao do citoplasma. Na medula óssea — local em que são produzidas — o número de células chega a aumentar tanto que o aspecto simula o das leucemias.
É uma vitamina necessária para o desenvolvimento e manutenção das funções do sistema nervoso. Sem ela, a mielina que recobre os nervos (como a capa de proteção faz com os fios elétricos) sofre um desgaste que recebe o nome de desmielinização, processo que ocorre tanto em neurônios de nervos periféricos, quanto naqueles da substância branca do cérebro.
A principal fonte de B12 está nos alimentos de origem animal. Mas, para absorvê-la, o tubo digestivo depende de fatores intrínsecos presentes num grupo especial de células do estômago (células parietais) e de receptores localizados no íleo.
Anemia perniciosa
A causa mais frequente da deficiência de B12 é a perda desse fator intrínseco produzido pelas células parietais, associada a um tipo de gastrite (gastrite atrófica). A anemia resultante é denominada anemia perniciosa, nome inadequado, porque não leva em consideração as manifestações neurológicas.
A anemia perniciosa resulta de um mecanismo autoimune em que a própria resposta imunológica destrói as células parietais do estômago. Como consequência, ocorre perda do fator intrínseco necessário para a ligação com a vitamina B12 ingerida.
Doenças autoimunes, como diabetes do tipo 1, vitiligo e as que afetam a tireoide, aumentam o risco de anemia perniciosa.
A prevalência é de 50 a 4.000 casos em cada cem mil habitantes. É mais comum em descendentes de africanos e europeus do que em asiáticos. É preciso estar atento às formas leves de gastrite atrófica que ocorrem em até 20% das pessoas mais velhas.
Se alimentados exclusivamente com leite materno, filhos de mães portadoras de deficiência de B12 podem apresentar a partir dos quatro meses de idade: anemia, hipotrofia cerebral, retardo de desenvolvimento, hipotonia muscular, perda de apetite, irritabilidade, tremores, letargia e coma.
A reposição de B12 provoca regressão rápida do quadro. Quanto mais prolongada a deficiência, mais lenta e incompleta a recuperação.
Outras causas da deficiência:
1) Cirurgias que reduzem as dimensões do estômago, como as gastrectomias totais ou parciais e as cirurgias bariátricas;
2) Doenças inflamatórias do intestino e as que provocam má absorção;
3) Uso crônico de medicamentos para reduzir a concentração de ácido no suco gástrico (omeprazol, ranitidina, etc.);
4) Uso de metformina no diabetes;
5) Dietas vegetarianas ou pobres em alimentos de origem animal.
 Diagnóstico e tratamento
Embora níveis sanguíneos de B12 muito baixos estejam associados à deficiência, é raro encontrá-los. Resultados na faixa de normalidade não excluem a possibilidade de haver déficit. Exames falso-negativos e falso-positivos são frequentes.
O diagnóstico é feito com base nas dosagens sanguíneas de ácido metilmalônico e homocisteína, que se encontram elevadas em 98% dos casos. Como a reposição vitamínica provoca diminuição progressiva dessas concentrações, a primeira dosagem deve ser pedida antes de iniciar o tratamento.
A reposição começa com uma dose de ataque de oito a dez ampolas de 1.000 microgramas, por via intramuscular; seguidas de uma ampola por mês. A dose por via oral é de 1.000 a 2.000 microgramas diárias.
A anemia geralmente é corrigida em dois meses. O quadro neurológico regride parcial ou completamente em seis meses. O tratamento é mantido por períodos longos ou pela vida toda.
Fonte: Drauzio Varella

Melancia, a fruta que não pode faltar na sua dieta.

Perfeita para para hidratar e limpar o organismo, a melancia faz os rins trabalharem melhor. Tem também vitaminas, minerais e as nossas amigas, as fibras, que aumentam a saciedade – o que nos faz comer menos!
E, por conta da citrulina, a fruta auxilia a remover a amônia e outras toxinas do nosso organismo. Isso porque a citrulina provoca um efeito diurético, ao produzir no nosso corpo a arginina. Este aminoácido essencial tem grande poder cicatrizante e anti-inflamatório. Ao ser acionado, além de ajudar a diminuir os níveis de açúcar no sangue, este processo eleva os níveis de óxido nítrico do sangue, o que faz aumentar a sua circulação.
Que tal contar com toda esta prevenção, da maneira mais gostosa e refrescante possível? Esta é a minha proposta, com a receita de sorbet superfácil de fazer. Sorbet é a mesma coisa que sorvete, só que, ao invés de leite, é feito com água. Confira a seguir.
SORBET DE MELANCIA

Ingredientes

200 ml de suco de melancia
Suco de meio limão
1 colher (café) gengibre ralado
Gelo triturado
1 colher (sopa) de sal

Modo de preparo

Misture o suco de melancia com o suco de limão e o gengibre ralado.
Despeje a mistura em um saco plástico com fecho tipo zip (ou outro que fique bem fechado) e reserve.
Em outro saco maior, junte o gelo triturado com o sal e misture bem.
Em seguida, coloque o saco fechado com o suco de melancia dentro do saco com gelo.
Segure firme com as duas mãos para chacoalhar bem por 5 minutos ou até o suco de melancia virar sorbet.
fONTE: LUCILIA DINIZ

Receita de panqueca sem farinha!

Receita especial para aquelas pessoas que estão optando por alimentação sem farinha.
Experimente e veja que delícia!

Ingredientes

1 banana
2 ovos

Modo de preparo

Bata no liquidificador os ovos e a banana.
Coloque uma concha de massa na frigideira apenas morna.
Em fogo bem baixo, espere um minutinho e vire para assar do outro lado.
Sirva com mel ou uma cobertura de sua preferência.
Fonte: Lucília Diniz