sábado, 26 de julho de 2014

Temperos funcionais que ajudam no emagrecimento.

Os cubos de couve e os temperos funcionais são ideais para desintoxicar o organismo e auxiliar na redução do peso. São simples e fáceis de preparar. Confira:
Cubos de couve
1 maço de couve manteiga ( de preferência orgânico)
Pique as folhas no liquidificador com 100 ml de água. Deixe bater bastante até ficar numa consistência de suco grosso. Atenção: não é necessário acrescentar mais água.
Coloque nas forminhas de gelo e deixe gelar no congelador ou freezer. Depois, é só adicionar nas preparações do dia a dia: água do arroz, feijão e sopas.
Combine também os cubinhos de couve com  sucos de laranja, limão e outros sabores. Evite o açúcar comum na preparação dos sucos. Use açúcar mascavo ou adoçantes.
Tempero funcional
2 colheres (sopa-cheia) de hortelã
3 colheres (sopa-cheia) de sálvia
2 pacotes (12g) de alecrim
3 pacotes (180g) de alho desidratado
3 pacotes (90g) de cebola desidratada
4 pacotes (120g) de orégano
2 pacotes (100g) de açafrão da Terra (cúrcuma)
2 colheres (sopa-cheia) de pimenta
2 pacotes (12g) de cheiro-verde
1 pacote (5g) de cebolinha desidratada
3 colheres (sopa-cheia) de páprica doce
1 pacote (4g) de louro
Fonte: Dieta e Saúde

O que causa a gordura no fígado?

A esteatose hepática, vulgarmente conhecida como acumulação degordura no fígado, é uma doença única, mas com múltiplas causas possíveis. Seja qual a origem da doença, esta irá manifestar-se geralmente da mesma maneira. Neste artigo iremos apresentar as diversas causas para a gordura no fígado. Leia também o artigo principal sobre Gordura no fígado.
foto de gordura no fígado


Como referimos atrás, existem muitas causas para este problema, havendo no entanto algumas que são mais frequentes. Assim, as principais causas para a esteatose hepática estão associadas a 
hipertensão arterial, aumento do colesterol e triglicerídeos, diabetes, obesidade, alcoolismo, distúrbios metabólicos (síndrome metabólica) e a toma de alguns medicamentos.

Quais são as causas de esteatose hepática?

As causas para esta condição clínica podem ser divididas em 3 grupos: causas químicas, causas nutricionais e causas hormonais.

Causas químicas

Neste grupo podemos incluir como possíveis causas da esteatose hepática componentes químicos, fármacos e drogas, tais como o álcool, cortisona, tetracloreto de carbono, ou tetraciclinas, entre outros. De todos os elementos mencionados, a substância com o efeito mais prejudicial é claramente o álcool. Normalmente, a gordura no fígado originada por estas causas irá manifestar-se através de um inflamação associada com febre, fadiga e icterícia. 

Causas nutricionais

Uma das causas mais frequentes para a esteatose hepática está ligada a carências e a distúrbios nutricionais. Obesidade, carência proteica, jejum prolongado e até, uma cirurgia de bypass intestinal (bypass gástrico). Como em muitos destes casos, sobretudo na obesidade, estamos a falar de causas que perduram no tempo, é habitual a esteatose evoluir até à lesão hepática, com inflamação associada.

Causas hormonais

Nestas situações, seja devido a uma doença, como a diabetes mellitus (doença metabólica), seja devido a uma condição ocasional, como a gravidez, há repentinamente uma acumulação de uma grande quantidade de gordura no fígado. Nesta situação, o volume do fígado irá aumentar, provocando dessa forma dor na zona superior direita do abdomen.
Fonte: Especialista 24

Como diminuir a gordura no seu fígado?

A gordura no fígado (esteatose hepática) tem diversas causas, entre as quais a obesidade e a diabetes, que implicam uma terapia nutricional como forma de tratamento. Assim, neste artigo iremos abordar qual a dieta mais apropriada para um quadro clínico de gordura no fígado. Antes de seguir com a leitura era interessante ler primeiro o artigo principal sobre Gordura no fígado.
Dieta para Gordura no Fígado

Antes de mais, qualquer dieta tem como princípio básico ser equilibrada e saudável. Assim, e partindo desta base, uma dieta para a gordura no fígado terá de ter como objetivo atingir o peso ideal, sem implicar alterações nas necessidades nutricionais diárias.

Alimentação para Gordura no Fígado

Assim, uma dieta apropriada deverá ser pobre em hidratos de carbono simples, e rico em vegetais e frutas, alimentos integrais, e ainda, em gorduras essenciais, como os ácidos graxos (mono e polinsaturados). A distribuição dos nutrientes deverá diminuir a percentagem lipídica, ocupando apenas 25% do número de calorias total, mantendo no entanto as mesmas percentagens proteicas e de hidratos de carbono. Se a causa que está na origem do problema é o álcool, a maior mudança passa pela total exclusão desta bebida da dieta.

Hidratos de carbono

Relativamente a estes nutrientes, deverá ser dada prioridade aos hidratos de carbono complexos, vindos de alimentos integrais. Como exemplos temos o pão integral, farelos, leguminosas, biscoitos integrais. Qualquer fonte de hidratos de carbono que tenha associado fibras. Quanto aos hidratos de carbono simples, presentes sobretudo em alimentos ricos em açúcar, como por exemplo os doces, devem ser evitados ao máximo, pois o seu consumo regular irá aumentar os níveis de glicose no sangue, excesso esse que é transformado em triglicerídeos, tipo de gordura que está na origem da esteatose hepática. Da mesma maneira, no consumo de frutas devem ser privilegiadas aquelas com menor índice glicémico, pois as mais ricas em açúcar irão resultar também no aumento dos níveis de concentração de glicose no sangue.

Fibras

As fibras, especialmente as fibras solúveis, têm um papel importante no controlo e no tratamento da esteatose hepática. Estas fibras, ao associarem-se no trato digestivo com a glicose e com as gorduras, irão dificultar a absorção de gorduras para o sangue, diminuindo dessa forma os níveis de concentração destes nutrientes.

Gorduras

Como foi referido em cima, a ingestão deste nutriente deve ser reduzido, e deve ser privilegiado o consumo de gorduras essenciais – os ácidos graxos (polinsaturados e monoinsaturados). Este tipo de gordura irá ter um efeito protetor da função cardíaca e influenciar no perfil lipídico sérico. Contudo, é bom lembrar que não deixam de ser gorduras, e como tal, o seu consumo deve ser controlado, já que são normalmente alimentos muito calóricos. Como exemplos de alimentos ricos em gorduras essenciais temos o azeite, frutos secos, atum, sardinha, salmão, e ainda, cereais como a quinoa e a linhaça. Há ainda a hipótese de tomar suplementos de ómega-3, um dos ácidos graxos mais importantes para o nosso organismo. Relativamente a leites e seus derivados, deve procurar ingerir os produtos desnatados e magros.
De seguida apresentamos alguns conselhos para tornar a sua dieta mais saudável, e promotora do tratamento da esteatose hepática. Estes conselhos devem ser seguidos durante o tratamento, mas também após, de forma a evitar novas recaídas, e também por aqueles que nunca sofreram, servindo de prevenção do problema.
- diminuir ou eliminar o consumo de bebidas alcoólicas;
- preferir o consumo de alimentos saudáveis, tais como legumes, vegetais, frutas ou carnes magras;
- beber bastante água entre as principais refeições do dia;
- utilizar preferencialmente o azeite como gordura, especialmente na salada. Não exagerar nas quantidades;
- evitar o consumo de alimentos ricos em hidratos de carbono simples ou em gorduras, tais como as sanduíches, as pizzas, os hambúrgueres, etc.;
- ter uma dieta diária rica em fibras e vitaminas.
Não existe melhor remédio caseiro e tratamento natural do que seguir corretamente uma dieta equilibrada de acordo com os princípios aqui referidos. Se o fizer conseguirá eliminar uma parte significativa da gordura existente no fígado, e também eliminar a barriga ao fim de um período aproximado de dois meses. No entanto, é importante referir que o exercício físico (recomenda-se) irá tornar todo este processo ainda mais saudável, eficaz, e por isso, mais rápido.

Alimentos que limpam o fígado

alho figadoAlho

Apenas uma pequena quantidade deste bulbo branco pungente tem a capacidade de ativar as enzimas do fígado que ajudam o seu corpo a eliminar as toxinas. O alho também contém grandes quantidades de alicina e selênio, dois compostos naturais que ajudam na limpeza do fígado.

Toranja

Rica em vitamina C e antioxidantes, a toranja aumenta os processos naturais de limpeza do fígado. Um pequeno copo de suco de toranja recém-espremido ajuda bastante a aumentar a produção de enzimas de desintoxicação do fígado que ajudam a eliminar substâncias cancerígenas e outras toxinas.

Beterraba e cenoura

Ambas são extremamente ricas em flavonóides e beta-caroteno. Incluir beterraba e cenoura na sua alimentação pode ajudar a estimular e melhorar as funções gerais do fígado.

Chá Verde

Esta é uma bebida excelente para o fígado, devido aos antioxidantes nela contidos, conhecidos como catequinas, compostos que ajudam no bom funcionamente da função hepática. O chá verde não é apenas um chá delicioso, é também uma ótima maneira de melhorar a sua dieta em geral.

Vegetais de folhas verdes

Um dos nossos mais poderosos aliados na limpeza do fígado. As folhas verdes podem ser usadas cruas, cozidas ou em sumo. Extremamente ricos em clorofila estes vegetais têm a capacidade distinta paraneutralizar os metais pesados, os produtos químicos e pesticidas, fazendo deles um poderoso mecanismo protector para o fígado.
Tente incorporar estes vegetais tais como, abóbora amarga, rúcula,dente de leão, espinafre, mostarda e chicória na sua dieta. Isso ajudará a melhorar o fluxo da bile.

Abacate

Rico em nutrientes o abacate ajuda o corpo a produzir glutationa, um composto necessário para o fígado purificar as toxinas prejudiciais.

Maçã

Ricas em pectina, as maçãs seguram os componentes químicos necessários para o corpo limpar e libertar toxinas a partir do tracto digestivo. Isto, por sua vez, vai fazer com que seja mais fácil para o fígado limpar todas as tóxicas, durante o processo de limpeza.

Azeite de oliva

O azeite de oliva é óptimo para o fígado, quando usado com moderação. Ajuda o corpo, fornecendo uma base lipídica que pode aspirar as toxinas existentes no corpo.

Grãos Integrais

Os grãos, como o arroz integral, são ricos em vitaminas do complexo B, nutrientes conhecidos como benéficos para a metabolização da gordura total, função hepática e do descongestionamento do fígado. Se possível, não coma alimentos com farinha branca.

lima limãoLimão e lima

Estes citrinos contêm quantidades muito elevadas de vitamina C, que auxiliam o corpo a sintetizar materiais tóxicos em substâncias que podem ser absorvidas pela água.Beber suco de lima ou limão recém-espremido na parte da manhã ajuda a estimular o fígado.

Nozes

As nozes asseguram ao organismo quantidades elevadas de arginina, um aminoácido que ajuda na conversão da amônia, substância tóxica neutralizada pelo fígado e convertida pela Arginina em uréia. As nozes também são ricas em glutationa e ácidos graxos ômega-3, que ajudam na limpeza do fígado. Certifique-se de mastigar bem as nozes (até que sejam liquefeitas) antes de engolir.

Repolho

Bem como os brócolos e a couve-flor, comer  repolho ajuda a estimular a ativação de duas enzimas desintoxicantes do fígado cruciais que ajudam a eliminar as toxinas. Tente comer mais kimchi (prato tradicional Coreano), salada de repolho, sopa de repolho e couve.

Curcuma

Tempero favorito para o fígado. Tente adicionar um pouco desta bondade desintoxicante no seu próximo prato de lentilhas (salada, sopa, arroz, etc) ou prato vegetariano. Existem outros alimentos que desintoxicam o fígado e incluem: alcachofra, aspargos, couve de Bruxelas.

Sintomas

A doença é normalmente silenciosa, não produzindo qualquer sintoma, especialmente no início. Com o avanço da doença, se não for detectada e tratada, normalmente após alguns anos ou décadas, irão surgir os primeiros problemas, tais como: Fadiga, perda de peso ou perda de apetite, fraqueza, náusea, confusão, dificuldade de raciocínio, ou dificuldade de concentração.
Estes sintomas também podem estar presentes:
Dor no centro ou na parte superior direita do abdômen
Aumento do fígado
No caso de doença hepática alcoólica, os sintomas podem agravar-se após períodos de consumo excessivo de álcool. Se desenvolver uma cirrose, o fígado perde a capacidade de funcionar. A cirrose pode provocar sinais e sintomas, tais como: retenção de líquidos, perda de massa muscular, hemorragia interna, icterícia (amarelamento da pele e olhos) e insuficiência hepática. Saiba mais sobre os Sintomas de gordura no fígado.

Causas

A esteatose hepática é mais frequentemente em pessoas de meia-idade e com sobrepeso ou obesos. Essas pessoas têm muitas vezes níveis elevados de colesterol ou triglicéridos e diabetes ou pré-diabetes (resistência à insulina). Outras possíveis causas de doença incluem: Medicamentos, hepatite viral como a hepatite Ahepatite B, C, D, E e F (Leia: Hepatite – Tipos, Virais (A, B, C, D, E, G), Tóxica e Auto Imune), Doença hepática auto-imune ou hereditária, Perda de peso rápida e Subnutrição.
Fonte: Especialista 24

Pancreatite- Orientações na dieta.

A dieta para pancreatite é fundamental para o sucesso do tratamento. Na dieta alimentar para pancreatite é recomendado:
  • Não ingerir bebidas alcoólicas;
  • Não ingerir alimentos que contenham gordura;
  • Evitar refeições volumosas.
O objetivo da dieta para pancreatite é fornecer uma alimentação pobre em gorduras (40 a 60g de gordura/dia) e inibir a produção de enzimas pancreáticas, diminuindo assim os sintomas de dor, náuseas e vômitos.
Para facilitar a digestão o médico poderá receitar a toma de um medicamento semelhante à enzima produzida pelo pâncreas, chamado pancreatina, antes das principais refeições.

Dieta para pancreatite

Esta dieta com 40 g de gordura pode ser considerada um exemplo de alimentação que pode ser aplicada em casos de pancreatite.
Quantidade AlimentoConteúdo aproximado de gordura
2 xícaras leite desnatado0
170 gramascarne magra, peixe ou aves18
3/ semanaovo inteiro ou gema de ovo2
3 porções vegetais (incluir verde escuro e amarelo intenso)0
3 porçõesfrutas (ao menos 1 cítrica)0
quanto bastepães e cereais sem gordura0
1 colher de chámargarina20 -25 
 gordura total38 - 43 

Pancreatite aguda

Nas crises de pancreatite aguda a alimentação dever ser interrompida e a hidratação endovenosa é uma forma importante para deixar o paciente estável. Outra solução quando a crise não for muito grave é uma dieta liquida, clara e quase sem gordura, e de acordo com a tolerância do paciente, que deve ser monitorada através da diminuição dos sintomas de dor, náuseas ou vomito evoluir com alimentos de fácil digestão sempre com pouca gordura.

Pancreatite crônica

Na pancreatite crônica a dor, vomito e diarreia que geralmente são provocados pelas refeições  dificulta a manutenção de um bom estado nutricional devido a ma digestão, ma absorção das proteínas e gordura, nestes casos a reposição enzimática são importantes assim como a suplementação da vitaminas B12 e a manipulação do pH intestinal. Uma estrategia viável para promover o ganho de peso e introduzir na dieta MCTtriglicerídeo de cadeia media), que e uma gordura de melhor absorção e menor necessidade de digestão.

Alimentos permitidos na pancreatite

  • leite desnatado, queijo branco ou ricota;
  • clara de ovo;
  • cereais integrais, grãos, pipoca; (sem gordura)
  • carnes magras como peixe de frango e filé de peixe;
  • geleia, gelatina, merengues, biscoitos integrais;
  • bolo simples, sem recheio ou cobertura;
  • arroz, macarrão, batata, pão; (sem gordura)
Alimentos proibidos na pancreatite
  • chocolate,
  • bebidas alcoólicas,
  • carnes gordurosas, manteiga, queijos amarelos,
  • alimentos prontos congelados, hambúrguer, fast food em geral; (geralmente são muito gordurosos)
  • frituras, embutidos como salame e salsicha.
Estes são somente alguns exemplos de alimentos permitidos e proibidos na dieta para pancreatite. Uma boa dica é sempre que for consumir algum alimento verificar no rótulo se o produto contém gordura saturada ou hidrogenada e caso tenha, não consumir, tendo sempre sob controle a quantidade total de gordura que vai se ingerindo durante o dia, nunca ultrapassando a recomendação dietética.
A orientação individualizada para criar uma dieta que funcione é essencial para o tratamento da pancreatite.
Fonte: Tua saúde