quinta-feira, 17 de julho de 2014

Salada de Quinua com frango

Ingredientes

2 tomates italianos pequenos
50g de peito de frango, cozido
50g de palmito pupunha fresco, cozido desfiado
2 colheres (sopa) quinoa, cozida no sal
1 colher (sopa) de arroz 7 cereais, cozido no sal
1 xícara (chá) de rúcula
1 xícara (chá) de alface, rasgada
Sal a gosto

Modo de fazer

Corte os tomates em fatias finas e coloque no centro do prato formando um círculo.
No meio, coloque a quinua misturada com o arroz.
Em volta, coloque o palmito cozido e desfiado, o frango cozido e desfiado, a rúcula e o alface.
Fonte: Blog da Lucilia Diniz

Como lidar com o estresse


Ultimamente, o que mais se tem ouvido das pessoas é "Estou estressado..." esta parece ser a palavra de ordem para todos os tipos de problema, o estresse.
Uma crise emocional normalmente surge em decorrência de um estresse que atua em vários níveis.
O estresse não é uma doença e sim a tensão física, mental e emocional, habitual na vida de todas as pessoas.
O estresse passa a ser prejudicial quando é o indivíduo está submetido a ele por longos períodos ou quando a carga(física ou mental)  é muito grande para a pessoa.

 As reações individuais diante de situações de estresse podem mudar consideravelmente e algumas dessas reações não são desejadas.
De um modo geral a reação mais comum das pessoas, quanto estão sob situações de estresse é ficar ansiosas.
Em contra-partida, das reações indesejadas quando se está com estresse, ficar ansioso é a pior delas, veja porque: quanto mais estressado o indivíduo está, mais ansioso ele fica e quanto maior a  ansiedade maior o estresse. Isto vira uma bola de neve que vai aumentando até um ponto que a pessoa não agüenta mais e acaba adoecendo.

 Mas é possível evitar e identificar quando sua vida pode ser prejudicada por uma crise nervosa.
Preste atenção aos seguintes sintomas:
Mãos frias, cansaço, problemas com a memória, boca seca, mau desempenho no trabalho, pesadelos, dor de estômago, enxaqueca, mudança de apetite, diarréia, problemas sexuais, músculos tensos, insônia, hipertensão, tédio, tontura e taquicardia.
Ufa!!! Parece que esta lista não tem mais fim!
Claro que ninguém sente tudo isto ao mesmo tempo.
Mas se tiver pelo menos 5 deles, não deixe procurar um médico.
Você deve estar se perguntando "Será que existe remédio para acabar com o estresse?"

O melhor remédio é fazer do descanso uma prioridade em sua vida. Tire férias, visite amigos, namore, pratique esportes, enfim, divirta-se.
Nos momentos de tensão procure conversar com alguém em que você confie ou descarregue a raiva numa  atividade física e não nas pessoas que estão a sua volta.

É impossível eliminar a pressão externa de nossas vidas, afinal todos enfrentam desafios e tensões em seu cotidiano profissional e pessoal.
Mas sempre podemos evitar que isso se torne excessivo. Caso contrário, você estará prejudicando o seu organismo como um todo, pois o estresse é capaz até de enfraquecer as defesas mais fortes do corpo, tornando as pessoas mais vulneráveis a infecções.
  1. Mudança ou pressão no trabalho e hoje sabe-se que a mulher sofre muito mais com isto pois além do trabalho muitas delas são donas de casa e mães.
  2. Problemas conjugais. São problemas que não se resolvem e estão sempre presentes no dia a dia;
  3. Briga com o filhos. Há pais que são muito sensíveis a isto;
  4. Morte de alguém querido. Isto trás muita tristeza, o que não quer dizer estresse, mas quando esta tristeza não tem fim é motivo para procurar ajuda médica;
  5. Gravidez. Ansiedade e alterações hormonais são uma constante na vida das grávidas;
  6. Dívidas. A preocupação em quitar dívidas assumidas pode levar algumas pessoas ao descontrole quando não conseguem cumpri-las.
  7. Mudanças de hábito (parar de fumar por exemplo);
  8. Dificuldades sexuais; 
  9. Trânsito;
  10. Planejar festas ou férias. Por incrível que parece isto acontece e não raramente.
  1. Aprenda a relaxar com técnicas como relaxamento muscular, respiratório ou meditação;
  2. Discuta as preocupações com um amigo e tente enxergar as dúvidas de uma outra perspectiva;
  3. Planeje o trabalho sempre em etapas
  4. Aprenda a lidar com sua raiva
  5. Saia de férias de tempo em tempos, mas não torne as férias um inferno;
  6. Seja realista e aprenda a priorizar os compromissos;
  7. Evite se auto-medicar ou beber para aliviar a tensão;
  8. Durma e se alimente bem;
  9. Faça alguma atividade física regularmente;
  10. Procure ajuda médica quando você não se sentir bem.
Como vimos relaxar e ter auto-controle são fatores importantíssimos para prevenir e para livrar-se do estresse, assim as terapias de contato devem tornar-se parte integrante do cotidiano das pessoas por serem reconhecidamente um ingrediente valioso da saúde preventiva para quem recebe a massagem.
Além disto o fato de ser tocado traz ao paciente uma sensação inconsciente  de estar tendo seus problemas compartilhado com o terapeuta. Daí a importância de existir uma "simpatia", vamos chamar assim, entre o terapeuta e o paciente.
Fonte: POnto Zen

Descubra os benefícios da drenagem linfática e suas contra-indicações


Nesta matéria, procuramos explicar de maneira simplificada o que é o sistema linfático, quais os efeito da drenagem linfática manual sobre o organismo, seus benefícios e contra-indicações.

SISTEMA LINFÁTICO
O sistema linfático serve como via secundária de acesso do corpo humano por onde os líquidos do interstício (líquido que está localizado entre os tecidos) são devolvidos ao sangue. As funções do sistema linfático se baseiam no retorno de líquido intersticial (entre os tecidos) e principalmente de proteínas à circulação, além de importantes funções imunológicas e absorção de lipídeos.

As células, químicas e outros componentes do sangue estão suspensos no plasma que circula pelos vasos sanguíneos. Um fluido similar também preenche os espaços que existem entres os tecidos.
Os nutrientes que chegam às células são carregados até estas através deste fluido, além disto, este fluido carrega os resíduos de produtos que saem das células para os capilares.

Uma das funções do sistema linfático é coletar e retornar esta fluido para o sistema circulatório via vasos linfáticos. Quando este fluido está dentro do sistema linfático ele é chamado de linfa.
Além de drenar o excesso de linfa, os capilares do sistema linfático também transportam alguns resíduos assim como células mortas existente entre os tecidos, organismos patogênicos no caso de infecções e células malignas durante o crescimento do câncer.

A linfa é transportada, via capilares linfáticos, para os vaso linfáticos, os quais possuem válvulas que operam em apenas uma direção, similares às válvulas existentes nas veias que existem no sistema circulatório.  Finalmente dutos mais largos transportam a linfa para as veias subclaviculares esquerda e direita.

A linfa é colocada em movimento pelo mesmos movimentos de massagem que fazem o sangue circular no sistema venoso. A grande diferença é que o sistema por onde o sangue circula possui uma "bomba", o coração,  que bombeia o sangue fazendo com que este circule. Já no sistema linfático não existe esta  "bomba" para que a linfa possa circular como o sangue, portanto para que a linfa se movimente dentro do sistema linfático ela deve ser estimulada por movimentos dos tecidos e dos órgãos do corpo. Daí a massagem de drenagem linfática ser de grande valia para o organismo pois através de movimentos coordenados e precisos, a linfa é colocada em movimento trazendo vários benefícios que veremos mais adiante.

Existem também alguns órgão linfáticos tais como as amídalas, a glândula de nome timo localizada na região retroesternal e o baço (que entre outras coisas produz linfócitos, filtra o sangue e armazena células sanguíneas). Estes órgãos produzem leucócitos que ajudam o organismo a combater as infecções.
Como se vê o bom funcionamento do sistema linfático é importantíssimo para a saúde das pessoas e uma das forma de estimulá-lo é através da massagem de drenagem linfática.

O QUE É DRENAGEM LINFÁTICA?

O método de drenagem linfática manual foi desenvolvido em 1932 pelo terapeuta dinamarquês Vodder que trabalhava junto com sua esposa na Riviera Francesa.
Vodder observou que a maioria de seus pacientes sofria de constipação, retenção de líquidos e apresentavam os gânglios linfáticos alterados. Ele passou a tratar estes pacientes intuitivamente com massagens que estimulavam estes gânglios atingindo grandes êxitos com diversos pacientes.
Seu método foi desenvolvido e se tornou muito eficaz. Hoje em dia, a drenagem linfática manual é usada na estimulação da circulação linfática que ajuda o corpo a eliminar toxinas e na nutrição dos tecidos. A estagnação dos gânglios linfáticos pode causar dor. Embora todos os tipos de massagem  estimulem a corrente linfática, a técnica de Vodder é focada na drenagem do excesso linfático.
A drenagem linfática é basicamente composta de dois processos ou procedimentos que visam transportar e remover esse líquido de edema de volta à circulação sanguínea, são eles:
Evacuação: é o processo que se realiza em gânglios (ou linfonodos) e em outras vias linfáticas com o objetivo de descongestioná-los.
Captação: é a drenagem propriamente dita que é realizada principalmente dos locais de edema em direção à desembocadura mais próxima. 
As manobras da drenagem linfática manual são basicamente  as seguintes:
Círculos com os dedos ou com as mãos;
Círculos com o polegar;
Movimentos combinados;
Pressão em bracelete.
Ação Fisiológica das Manobras de Drenagem
  • Dinamização do peristaltismo dos coletores e, consequentemente, aumento do ritmo natural que se prolonga por horas após a drenagem.
  • Desentupimento sistemático das vias de acesso à região afetada
  • Suaviazação e "desfibragem" minuciosa da organização conjuntiva.
  • Solicitação máxima da reabsorção
  • Eliminação progressiva nas principais zonas de drenagem da estase (estagnação) dos tecidos e de todos os resíduos tóxicos resultantes do traumatismo.
Efeitos Positivos
  • Melhor oxigenação
  • Melhora a defesa e ação antiinflamatória
  • Aumento do potencial reparador
  • Dinamização de todos os processos catalisadores de uma boa cicatrização

EDEMAS PERSISTENTES
Geralmente, quando ocorre lesão mais extensa, ou, em casos de infecção importante que venha a prejudicar a formação de novos vasos linfáticos, pode instalar-se um quadro de edema persistente.
A circulação sanguínea realiza um "circuito fechado". A circulação linfática de sua rede é imensa, constituída por "lagos" ou sinus no interior dos tecidos e dos órgãos, seguidos por vasos de diversos tamanhos , a rede linfática é duas vezes mais extensa que a rede sanguínea.
É uma circulação lenta. Perde velocidade com qualquer alteração nos tecidos que esmaguem os delicados vasos, como edemas, hematomas, contrações musculares, baixa pressão  e outras alterações.
É bastante ramificada ao nível de sua rede superficial, dérmica, que se interconecta com sua rede profunda, quanto ao nível de suas múltiplas conexões ganglionares.
A imunidade adquirida é conseqüência do tecido linfóide, localizado principalmente nos linfonodos, como também no baço, nas áreas submucosas do aparelho gastrintestinal, na medula óssea.
Devido à distribuição do tecido linfóide pelo corpo, os organismos invasores ou toxinas são identificados antes que passem a se espalhar muito pelo corpo.
Os linfonodos são estruturas imunologicamente ativas e estão organizadas em grupos no trajeto dos vasos linfáticos.
Quando a linfa passa pelos linfonodos, ela é filtrada de toda a substância estranha que fica "presa" no linfonodo.
A composição da linfa é bastante variável, pois ela vai coletando substância ao longo do seu trajeto pelo corpo.

INDICAÇÕES DA DRENAGEM LINFÁTICA
A drenagem linfática manual é indicada nos seguintes casos:
  • Linfedemas
  • Lipedemas
  • Fleboedemas
  • Edemas pós-operatórios e pós-traumáticos
  • Edemas cíclicos idiopáticos, pré-menstruais, intra gestacionais e outros
  • Tratamento ou prevenção de diversos distúrbios, sequelas ou patologias que envolvem as áreas de angiologia, oncologia, ortopedia e traumatologia, reumatologia, ginecologia e obstetrícia, pré e pós cirurgias, ortomolecular, stress, esporte, estética, dentre tantas outras.
  • Pré e pós-cirurgia plástica
  • Tratamentos de revitalização facial
-Sempre que se desejar aumento do retorno do linfático.

CONTRA-INDICAÇÕES DA DRENAGEM LINFÁTICA
A drenagem linfática manual é contra-indicada nos seguintes casos:
-Infecções agudas;  insuficiência cardíaca descompensada; flebites; tromboses; tromboflebites; síndrome seno carotídeo;  hipertensão; certos tipos de afecções da pele; câncer, asma brônquica e bronquite asmática; hipertiroidismo; parte do corpo inchada, dolorida, avermelhada, sensação de mal-estar. 

Fonte: Ponto Zen

Cuide de sua Coluna! Evite certos movimentos.

Cuidados necessários

Pessoas que tem problemas na coluna precisam consultar um médico ortopedista ou fisiatra antes de iniciar os exercícios. "Eles vão orientar qual tipo de atividade pode ser feita e com qual finalidade. Também é importante a avaliação clínica e cardiológica para prevenir complicações de uma possível doença cardíaca assintomática", explica o ortopedista Alexandre Podgaeti, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Coluna. 

Quando for praticar o exercício é importante fazer um alongamento geral ou específico para grupos musculares que serão exigidos naquele exercício antes de iniciar a atividade e também após terminá-la. 

Durante a atividade fique atento a algumas questões. "Evite o levantamento de 
objetos com peso superior a 10-15% de seu peso corporal e não abaixe, mas sim agache", diz Podgaeti. 

No dia a dia procure 
manter o peso corporal dentro do ideal, sente-se corretamente, renove o colchão sempre que ele começar a afundar, durma de lado e de preferência com o travesseiro na altura do ombro e, por fim, procure um médico sempre que houver dor intensa ou persistente. Esses cuidados cotidianos são essenciais para não iniciar ou agravar a dor nas costas 
 

Quem não pode fazer exercícios

Apesar de serem benéficos para quem tem problemas na coluna, para algumas pessoas as atividades físicas podem não ser recomendadas. "Existem pessoas que são sedentárias e começam a ter dores na coluna e neste momento decidem praticar exercícios. Não é uma boa hora para se fazer isso, mas sim de ir ao médico, ser examinado, fazer exames para o diagnóstico e aí receber as recomendações para a prática de atividades físicas", conta Podgaeti.

Há outras situações em que não se recomenda as atividades, como diminuição de força causada por compressão de algum nervo na coluna. Neste caso, pode ser que necessite inclusive de cirurgia, dependendo do caso. Pessoas em tratamento de fratura vertebral ou na presença de tumor que comprometa a estabilidade da coluna também não podem praticar atividades. É importante ressaltar que cada caso deve ser avaliado por um médico, pois eles possuem diferentes restrições. 
 

Treino aeróbico

É preciso tomar cuidado com a escolha dos exercícios aeróbicos. "No geral aqueles que causam maior impacto, como a corrida não são tão bons", constata o médico do esporte Roberto Ranzini. 

Desta forma, atividades que normalmente são orientadas são a caminhada, o transport e abicicleta ergométrica
. "Porém, tudo irá depender do problema que a pessoa tem. A bicicleta ergométrica, por exemplo, é ótima, mas se a pessoa tem uma complicação no cóccix, o exercício já passa a não ser recomendado", observa a educadora física Fernanda Andrade. 

Exercícios na água

Outas opções de aeróbicos de baixo impacto são os exercícios na água. "Eles são uma alternativa porque aliviam o peso do corpo sobre a coluna", afirma Ranzini. 

As melhores alternativas na água são a hidroginástica e a natação. "Vale destacar que para alguns 
problemas de coluna o nado de peito e o de borboleta não são orientados, o primeiro devido à maneira como a abertura de pernas é feita e o segundo por causa do movimento de subir e abaixar", conta Andrade. Caso a complicação seja na cervical, o nado crau não é indicado, pois o movimento do pescoço pode gerar inflamações. 
 

Exercícios na musculação

A musculação é muito boa para quem tem problemas na coluna. "Ela irá ajudar a fortalecer a musculatura do core, abdômen, quadril e lombar. Essas três musculaturas precisam estar fortes para que a coluna fique bem estável", explica Andrade. 

É melhor fazer os exercícios nas máquinas, pois assim irá garantir a 
melhor execução dos movimentos. "Procure fazer um treino com bastante equilíbrio, nada de exercitar mais um grupo muscular do que outro", conta Andrade. Também é importante tomar cuidado com o aumento de carga, ele precisa ser ainda mais gradativo do que quando a pessoa não tem problemas na coluna.  

Exercícios abdominais

Fortalecer o abdômen é essencial para quem tem problemas de coluna. "Caso o esta região esteja fraca a curvatura da coluna fica mais acentuada. Com um abdômen forte há uma barreira que deixa a coluna estável", observa Andrade.  

Contudo, há diferentes tipos de abdominais orientados para cada problema. Em algumas situações é recomendado que a amplitude do movimento seja menor, em outros casos a pessoa pode fazer apenas abdominais na região inferior. Por isso, é sempre importante ter a orientação do médico e do educador físico. 
 

Exercícios de equilíbrio

Os exercícios que treinam o equilíbrio são ótimos para a coluna. "Eles melhoram a propriocepção, noção de posição dos membros para o cérebro, o que irá ajudar a pessoa a se posicionar melhor", explica Ranzini. 

Além disso, o esforço para se manter equilibrado 
faz com que a musculatura profunda do corpo, que é responsável pela estabilidade, seja fortalecida. Assim, as articulações, tendões e ligamentos são beneficiados pois ficam próximos dessas musculaturas e as chances de problemas, especialmente na coluna, diminui. Boas alternativas de exercícios de instabilidade são os feitos com a fit ball, aquela bola grande utilizada nas academias e no pilates, e o slack line, esporte que envolve andar e se equilibrar em cima de uma fita apropriada. 

Fonte: MInha Vida