quarta-feira, 21 de maio de 2014

Celulite, acabe com ela antes do verão!

Com o verão chegando perto, o problema volta a assustar. A celulite incomoda a maioria das mulheres e não é à toa: os furinhos causam a maior vergonha. A celulite surge por conta de nódulos de gordura que se formam na região subcutânea. Eles impedem a oxigenação e a nutrição celular, causando o aspecto de casca de laranja na pele. As circulações sanguínea e linfática também ficam prejudicadas, afirma a esteticista Luisa Catoira, de São Paulo.

As alterações hormonais tornam as mulheres mais suscetíveis ao problema que, além do desconforto estético, pode trazer dor, inchaços nas pernas e problemas de ordem psicológica. Os tratamento estéticos, em geral, oferecem ótimo resultados. Mas todos eles precisam ser combinados a uma boa alimentação, prática regular de exercícios físicos e interrupção do tabagismo.

A Sociedade Brasileira de Medicina Estética estima que a celulite atinge oito entre cada dez mulheres ocidentais, deixando ondulações nas pernas, nas coxas, no bumbum e, às vezes, até na barriga. Se você é uma delas, acompanhe abaixo as dicas dos especialistas para chegar ao verão com a pele lisinha. 
Tratamentos para celulite
Celulite de grau 1 
Como é: ela só aparece quando você pressiona a pele. Surgem gominhos que lembram a casca de laranja.
Por que surge: alimentação gordurosa e com pouco líquido, sedentarismo e tendência genética favorecem esse tipo de celulite.
Como tratar: as alterações na dieta costumam surtir efeitos notáveis neste tipo de celulite. Evite bebidas gasosas (não só refrigerantes, mas água com gás também). Sal demais também é prejudicial, porque aumenta a retenção de líquidos e prejudica a circulação do sangue. Cremes à base de centelha asiática também fazem diferença, assim como as sessões de drenagem linfática. Faça, pelo menos, dez sessões seguidas (uma por semana). Mas não adianta drenar o corpo e comemorar num rodízio de pizza , afirma a fisioterapeuta Fernanda Elhiage, dona do Studio Conceitus.  
previna a celulite
Celulite de grau 2 
Como é: a aparência de casca de laranja é suave, mas salta aos olhos sem que haja necessidade de pressionar a pele.
Por que surge: alimentação gordurosa e com pouco líquido, sedentarismo e tendência genética favorecem esse tipo de celulite
Como tratar: além das mudanças na dieta, sessões de carboxiterapia são o melhor antídoto contra este tipo de celulite. O tratamento é dividido por área: o especialista injeta gás carbônico sob a pele, que é renovada. Você precisa de, pelo menos, dez sessões e já nota os resultados a partir da quinta aplicação. Há ainda outras opções de tratamento neste caso:

Massagem modeladora: quebra as moléculas de gordura que estão causando o problema. É seguida por uma drenagem, que elimina essa substância pela urina. A circulação sangüínea também é estimulada, evitando a formação de novas celulites. O mínimo de dez sessões é recomendado.

Eletrolipólise: o método usa agulhas que são estimuladas eletricamente para combater os furinhos. Com isso, há a quebra das moléculas de gordura e a melhora da circulação sangüínea. O mínimo de dez sessões é recomendado.
Biquíni
Celulites de grau 3
Como é: normalmente, as celulites de grau 3 provocam o famoso efeito casca de laranja e causam a sensação de peso nas pernas, além de atingir o bumbum. Surgem, principalmente, nas pessoas que sofrem com o sobrepeso.
Por que surge: o principal causador é o excesso de peso, agravado pelo sedentarismo.
Como tratar: só os tratamentos estéticos não fazem efeito nestes casos, que exigem também uma dieta rigorosa para controle do peso, além d exercícios físicos regulares.

Celulites de grau 4 
Como é: trata-se da mais grave de todas as celulites, provocando disformidade no contorno do corpo e está diretamente associada aos casos de obesidade.
Por que surge: a obesidade é o principal agente causador
Como tratar: você precisa aliar todos os métodos, incluindo dieta balanceada, exercícios físicos e massagens. Reduzindo o peso, os tratamentos começam a dar resultado mais rapidamente. 

Eficácia dos cremes anti celulite e tratamentos

Se a sua celulite é de grau 1 ou 2, os cremes ajudam a amenizar os furinhos. Eles possuem agentes desintoxicantes que melhoram a circulação linfática e têm ação redutora de medidas , afirma a esteticista Luisa Catoira, de São Paulo. No entanto, esses cremes não eliminam de vez a celulite, eles suavizam o problema. É importante cuidar da manutenção do tratamento: depois dos dois primeiros meses usando o produto duas vezes por dia, é preciso manter o uso pelo menos uma vez por dia, senão a celulite pode retroceder , recomenda a especialista.
Alerta 
Estresse, abuso de bebidas alcoólicas, alterações hormonais, consumo de pílula anticoncepcional sem orientação e uso de roupas muito apertadas também agravam as celulites.
Fonte: MInha Vida
 

Obesidade infantil: um risco à saúde do seu filho

O estilo de vida que muitas famílias têm e a cultura consumista contribuem bastante para este caso alarmante. O fato dos pais manterem os filhos dentro de casa com medo da violência, a permanência constante em frente à TV e as horas e horas jogando vídeo game fazem com que as crianças não gastem as calorias necessárias e, portanto, se tornam sedentárias. 
Alguns fatores são determinantes para a obesidade infantil, entre eles, o desmame precoce, a introdução de alimentos inadequados e relação familiar conturbada. As causas também podem ser psicogenéticas, como rejeição materna e falta de afeto, depressão e culpa, angústias, pais superprotetores, pais alcoólatras, crianças imaturas e com problemas orgânicos. O tratamento para a obesidade exige algumas regras a serem seguidas, tais como uma dieta balanceada, exercícios físicos e apoio individual e familiar. Para melhores resultados é fundamental a cooperação dos pais e da escola. Vemos muitos pais e avós que gostam que as crianças estejam gordinhas dizendo que é sinal de saúde mas é justamente aí que 

estão errados, obesidade nunca é sinal de saúde e requer alguns cuidados. Para a escola, além de repensar no cardápio da cantina, é necessário integrar a nutrição à sala de aula, incorporando conceitos de nutrição às crianças. Tendo informações e consciência, o preconceito dos próprios coleguinhas com os "gordinhos" se acaba naturalmente.

Os comportamentos alimentares são facilmente condicionados na criança por quem a alimenta e educa. É preciso usar a criatividade na alimentação, estabelecer limites e oferecer o que é saudável. É necessário também ter paciência, criatividade e ser enérgico. Pais que não impõem limites, não são obedecidos pelos filhos.

Abaixo seguem algumas dicas para manter o peso:
- Gestação controlada;
- Mamar no peito;
- Introdução de frutas, legumes e carnes magras;
- Comer somente na mesa com todos da família;
- Quanto mais colorido o prato, melhor;
- Fazer exercícios;
- Evitar muito tempo em frente à TV, computador ou vídeo game;
- Evitar refrigerantes e bolachas recheadas. 

Fonte: MSN

Pessoas com obesidade podem ter piora no paladar .

Já na Grécia Antiga começou a se supor uma relação entre a percepção de sabor e controle cerebral, mas foi Aristóteles quem definiu os sabores, como doce, amargo, ácido e salgado e, posteriormente, no século II d.C, o médico Galeno identificou os nervos que enervam a língua.
Hoje aceitamos que existem 5 tipo básicos, sendo que os receptores básicos de sabor se localiza, nas papilas linguais que são órgãos sensoriais na cavidade oral. 
Recentemente, pesquisas também demonstraram que existem receptores no trato gastrointestinal para os sabores doce, umami e amargo. 
  • Doce: receptor estimulado por alimentos como carboidratos, açúcar, adoçantes
  • Salgado: estimulado por sal
  • Azedo/ Ácido: estimulado por frutas cítricas, vinagre, soluções carbonatadas
  • Amargo: cafeína, rúcula, jiló
  • Umami: sabor que foi descrito no Japão, em 1908 e significa saboroso, delicioso, em japonês. Estes receptores são estimulados por leite materno, queijos, algas, cogumelo secos e ostras.
As papilas gustativas recebem o alimento que ingerimos e os nervos da língua transmitem o sinal do sabor para o cérebro. O tronco cerebral tem como função: mastigar, salivar e lamber. No tálamo, ocorre o processamento e se registra a memória do sabor, enquanto no córtex gustatório e frontal acontece a decisão do que vamos ingerir e a sensação de conforto gerada pelo o que comemos. 
Todos os sistemas sensoriais são importantes para definição do nosso paladar, incluindo: visão (cor e aparência do alimento), audição (ouvimos o som produzido na mastigação), olfato (sensibilidade aos aromas desprendidos pela comida), o tato (diferentes texturas) e a propriocepção.  
Estudos recentes têm demonstrado que ocorre uma perda da sensibilidade ao sabor e uma piora na discriminação do paladar em pessoas com obesidade, o que é contrário ao que se imaginava. As pessoas comem mais porque tem maior dificuldade de sentir o sabor da comida como satisfatório. O cérebro dos obesos parece demorar mais para codificar a informação dos alimentos.  

Outro ponto interessante é observar como pacientes que emagrecem após cirurgias bariátricas mudam a preferência alimentar escolhendo alimentos menos calóricos em detrimento, por exemplo, de refrigerantes e sorvetes. Isto se deve provavelmente pela alteração dos receptores de sabor localizado no estômago e intestino, o que gera melhora na percepção do sabor e mudanças no paladar. 
Esta perda de capacidade em sentir sabor pode ter inúmeras causas, entre elas, a possibilidade de que uma dieta muito rica em gordura (principalmente na infância) incapacite os receptores de sabor.  
Outra pesquisa publicada no Archives of Diseases in Childhood demostrou que crianças com obesidade tinham menos capacidade de discriminar os sabores quando comparadas com as de peso normal, principalmente em relação ao amargo, salgado e umami.  
A sensibilidade aos sabores parece modular a quantidade de comida que é necessária para gerar saciedade. Deste modo, não sabemos se a criança vai ficando com obesidade pela diminuída capacidade em perceber os sabores ou se a anterior ingestão de alimentos predominantemente ricos em gordura até os 6 anos de idade é a grande culpada.  
Fonte: MInha Vida