quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

10 motivos para ir numa Nutricionista

Você pensa que ir ao nutricionista é só para emagrecer?

Em crianças entre 5 e 9 anos de idade e entre adolescentes, a frequência do excesso de peso praticamente triplicou nos últimos 20 anos, alcançando entre um quinto e um terço dos jovens. Em adultos, o excesso de peso vem aumentando continuamente desde meados da década de 1970 e, no momento, é encontrado em cerca de metade dos brasileiros. Nos últimos seis anos,  a frequência de pessoas com excesso de peso aumentou em mais de um ponto percentual ao ano, o que indica que, em cerca de dez anos, o excesso de peso poderá alcançar dois terços da população adulta do Brasil, magnitude idêntica à encontrada na população dos Estados Unidos.
Já é bem sabido que o excesso de peso pode provocar o aparecimento de doenças crônicas, como Diabetes, Hipertensão Arterial e Doenças cardiovasculares.
Mas não é só isso! Existem inúmeros benefícios em seguir uma alimentação adequada. Listamos abaixo dez bons motivos para você procurar um nutricionista, mostrando o poder da Nutrição a todos que buscam qualidade de vida e bem estar.

1) Imunidade em alta

O Sistema Imune é alvo de diversos fatores que, desde a vida intrauterina, podem comprometer nosso estado de saúde. Ele age com a finalidade de defender nosso organismo de agentes infecciosos que existem no ambiente (vírus, bactérias, fungos, parasitas, protozoários e corpos estranhos) que podem nos causar doenças.
Uma alimentação balanceada, rica em nutrientes com propriedades anti-inflamatórias e que promovam o aumento da resposta imune, é fundamental para nos proteger contra infecções. Se as pessoas tivessem o hábito e a preocupação de procurar um nutricionista para montar um cardápio saudável, teriam muito menos incidência de doenças causadas por vírus e bactérias.

2) Criança bem alimentada

A partir dos 6 meses, seu filho já deverá receber uma alimentação complementar, que contribuirá para o fornecimento de energia, carboidratos, proteínas e micronutrientes necessários para seu crescimento saudável. Um nutricionista pode ajudar diretamente no seu desenvolvimento! Todas as fases da vida têm suas particularidades nutricionais que devem ser priorizadas e alguns nutrientes, como o cálcio e o ferro, por exemplo, são fundamentais nesse processo. Cada criança tem sua individualidade e alimentação equilibrada, sem excessos de gordura e açúcar, é primordial na prevenção de problemas futuros.

3) Em paz com a balança

Se o excesso de peso é o problema, o acompanhamento com um nutricionista pode eliminar a gordura extra e ensinar você a comer direito, elaborando um Programa de Reeducação Alimentar Individualizado de forma que você nunca volte a engordar, evitando aquele efeito sanfona proveniente de dietas “da moda”. Maus hábitos alimentares geram excesso de peso e são a maior ameaça à saúde pública mundial. A obesidade é considerada a doença do milênio, constituindo a principal causa de mortes no mundo. O nutricionista é o profissional capacitado para fazer uma avaliação individualizada e recomendar a dieta ideal para cada caso, colaborando para evitar o aparecimento de doenças crônicas não transmissíveis.

4) Gestação saudável, bebê saudável

A gravidez é um período único na vida de uma mulher e requer necessidades nutricionais adequadas para uma gestação segura tanto para a futura mamãe quanto para o bebê que está por vir. O estado nutricional materno pode interferir no crescimento e desenvolvimento do feto. A adequação de nutrientes e o ganho de peso adequado são fundamentais para uma evolução positiva da gestação, evitando o surgimento de doenças, como a obesidade, o diabetes gestacional e a má formação do feto.

5) Energia a todo vapor

Está se sentindo cansado ou sem pique para realizar as atividades do dia a dia? Dê uma olhada na geladeira, nos armários da cozinha e, por fim, no seu prato de comida. Uma simples garfada carrega a resposta para o desânimo, como uma quantidade certa de carboidratos, que na dose certa, não oferecem risco para a dieta. Através de uma alimentação balanceada, nos tornamos mais produtivos no trabalho, com mais disposição para executar as tarefas cotidianas, sem estresse. A autoestima também melhora a partir do alcance do peso desejado. Isso acontece porque suprimimos determinados nutrientes, que podem causar cansaço, desânimo e até depressão. O nutricionista ajuda você a desfrutar da alimentação em todo momento, obtendo simultaneamente: nutrição, segurança e prazer.

6) Mexa-se

Outro benefício das técnicas de nutrição está totalmente relacionado à prática de atividades físicas. O corpo colhe resultados quando há uma alimentação equilibrada em nutrientes. Praticantes de atividades físicas ou atletas conseguem atingir um melhor desempenho e condicionamento físico quando recebem orientação nutricional. Cada modalidade esportiva requer um programa individualizado, com o objetivo de suprir as necessidades calóricas e nutricionais, visando sempre ótimo desempenho físico e manutenção da saúde.

7) Comendo bem sem culpa

Tem medo que sua alimentação fique restrita e sem graça consultando um nutricionista? Ele indicará refeições que combinam com seu perfil, auxiliando na mudança do comportamento alimentar. Caso você tenha alguma restrição alimentar por conta de alguma doença, o nutricionista o ajudará a fazer as melhores opções de substituição, com receitas práticas, saudáveis e prazerosas. Se você é do tipo que não gosta de cozinhar, prefere comer na rua e não quer se preocupar com comida, o nutricionista irá orientá-lo como usufruir deste prazer sem culpa ou estresse!

8) Intestino funcionando com um relógio

Seu intestino funciona regularmente? Costuma ter gases frequentemente? Todos nós temos em nosso intestino bactérias boas e ruins. As bactérias boas devem estar em maior quantidade, para uma boa defesa imunológica, produção de serotonina e ótima absorção de nutrientes provenientes da dieta ou da suplementação. Porém, a maior das pessoas tem disbiose, um, desequilíbrio nas bactérias intestinais, podendo provocar constipação, diarreia e o aparecimento de doenças infeciosas. Um nutricionista poderá ajuda-lo a melhorar estes distúrbios, fortalecendo seu sistema imunológico e deixando seu intestino funcionando como um reloginho!

9) Pele, cabelos e unhas fortes e saudáveis

Sua pele tem tendência à acne ou é ressecada? Seus cabelos caem com frequência? E suas unhas, são frágeis, quebram muito? Pele, cabelos e unhas necessitam de cuidados especiais para se tornarem saudáveis. Os cabelos, por exemplo, necessitam de diversas vitaminas e minerais para crescerem bonitos e sedosos, como a Biotina, a vitamina D, o Cálcio, o Zinco e o lodo. Você já ouviu falar em Silício? O Silício orgânico estimula a síntese das fibras de sustentação da pele – tais como o colágeno e a elastina – proporcionando tonicidade aos tecidos.
As unhas também refletem o estado nutricional do indivíduo. Unhas quebradiças podem ser por deficiência de cálcio. Tratamentos realizados por esteticistas ajudam, mas não resolvem a causa do problema. Se não houver uma alimentação adequada, sob orientação de um nutricionista, o resultado pode não ser o esperado.

10) Melhor idade e longevidade

A longevidade saudável é, sem dúvida, um trunfo. A melhor idade pode aproveitar ainda mais seus benefícios através de uma nutrição adequada para melhorar a qualidade de vida. Alterações fisiológicas inerentes ao processo de envelhecimento ocorrem de maneira particular em cada indivíduo. Perda de peso e massa muscular, fadiga e sistema imune vulnerável são situações comuns, mas podem ser bastante atenuadas por meio de alimentação balanceada, onde a suplementação com antioxidantes poderá ser necessária. O envelhecimento ativo e saudável é o grande objetivo nesse processo e o nutricionista com certeza será um grande aliado.
Fonte: Funcionalli

Atividade física em excesso causa acúmulo de radicais livres

Radicais livres: mais uma salada de letras que assombra aqueles que se preocupam com a boa saúde e tem na atividade física regular um meio de obtê-la. 

Radicais livres são frações de moléculas, fragmentos, que resultam de todo o processo da produção de energia pelo tecido muscular. Eles são extremamente instáveis e sua ativação causa lesão do tecido muscular. 
Embora o metabolismo exigido na produção de energia para atividade física termine na formação desses radicais, além de outras moléculas, somente o excesso de exercícios, atividade física intensa e prolongada, faz com que o seu acúmulo seja prejudicial à saúde. Excluindo carências nutricionais e doenças, basta que a atividade física seja de intensidade moderada em seu volume semanal para prevenir o problema. 
A atividade física intensa consiste em um consumo máximo de oxigênio e é algo extenuante. Envolve realizar um treino por um período maior do que aquele com o qual estava habituada. Outras características são fazer um treino mais extenuante do que o normal e realiza-lo mais de três vezes por semana. 
No entanto, se por qualquer razão você for obrigado a se submeter a um treinamento intenso, esteja preparado para os efeitos nocivos como consequências do acúmulo desses radicais que vão desde dor devido ao processo inflamatório que se estabelece até grandes destruições de tecido muscular. 
Entre os fatores que desencadeiam a lesão muscular pelo efeito nocivo dos radicais livres, o estresse mecânico vinculado ao excesso, é um dos mais relevantes, principalmente se resultado de exercícios musculares excêntricos. Tratam-se daqueles que vão além da capacidade do músculo de produzir energia e assim ele realiza um movimento contrário a sua ação. Um exemplo disso é o cotovelo que se abre para fora quando a pessoa carrega muito peso. 
Como consequência, há fadiga e perda de força que é maior do que a produzida pelos trabalhos concêntricos, movimento a favor da contração do músculo, embora estes em excesso possam trazer efeito semelhante. 
É fácil perceber que a persistência da alta intensidade dos exercícios de maneira continuada e prolongada leva a danos ao tecido muscular. Estes danos podem ser permanentes e se agravam com a perda natural da força e resistência ocorrida com o passar dos anos. 
Outro ponto principal a ser esclarecido é a ação do oxigênio, ou da falta dele. A atividade física intensa e prolongada impede o adequado aporte de oxigênio, mais uma causa de estresse na produção de energia pelo músculo. Este fenômeno leva a uma menor produção de antioxidantes como as vitaminas A, E, C e de elementos como o zinco e magnésio, essenciais no bloqueio da indesejada ação dos radicais livres. 

Como prevenir o problema

Ficou com má impressão lendo este artigo? Então vamos desfazê-la: pratique atividade física moderada e regular que seus radicais livres serão naturalmente combatidos pela produção adequada de antioxidantes e você continuará usufruindo tudo o que de bom o exercício traz para o nosso organismo. Além disso, mantenha uma dieta balanceada com grande variedade de alimentos.
Fonte: MSN

Corpo já sente prejuízos após 10 dias sem treino

No assunto de hoje vamos abordar algumas preocupações que todos devem ter após retomar os treinos. Isso pode acontecer após um período de férias, doente, lesionado, viagens, muito trabalho, final do ano e até mesmo o fato de ter saído da academia. Na terminologia do mundo dos esportes e do treinamento físico esse período parado é chamado de "destreinamento". 


Olhando dessa forma tudo é muito lindo. Em qualquer outra situação da vida, o que você conquista é seu, mas com a atividade física é diferente. Ela é ingrata porque assim que você para de realizá-la vai começar a perder os benefícios que a mesma te trouxe e a tendência é ir voltando para o estado inicial. 
Melhoramos nossas condições físicas porque nosso corpo é uma máquina muito inteligente e trabalha com uma evolução através de estimulo, inflamação e adaptação. Em um treino convencional na academia, em casa, no parque ou com um personal trainer normalmente trabalhamos, dentre outras capacidades físicas, a força muscular, flexibilidade e aptidão cardiorespiratória. Ao realizar um exercício (estímulo) estamos na verdade provocando essa capacidade física e obrigando ela a sair da sua zona de conforto (homeostase). Ao fazer isso, vamos praticamente causar um prejuízo (inflamação) para essa capacidade e após esse quadro nosso organismo vai se recuperar, mas irá trabalhar para reforçar sua proteção (adaptação) para que em um novo estímulo sofra menos. 

No geral alguns estudos relacionados a esse tema apontam reduções significativas nessas capacidades a partir de 10 dias sem treinar para pessoas que iniciaram e realizaram por 90 dias um programa de atividade física orientado com a frequência de três vezes por semana. As pesquisas observaram as seguintes alterações após o período sem atividade física: 
Quanto mais tempo ficar parado maior será o prejuízo de tudo que conquistou até chegar ao ponto de partida anterior ou até mesmo piorar além dele. Os prejuízos vão depender de alguns fatores como o tempo que já estava treinando, histórico e estilo de vida associado à atividade física, realização de atividades complementares, individualidade fisiológica, frequência e intensidade de treino e qual era a atividade praticada.  
  • Sistema cardiorrespiratório: redução de até 10% do que foi conquistado após 10 dias parado
  • Força muscular: redução de até 15% do que foi conquistado após 10 dias parado
  • Redução da massa muscular: de até 66% do que foi conquistado em 10 dias parado
  • Flexibilidade: Redução de até 100% do que foi conquistado após 10 dias parado.
Levando tudo isso em consideração fique atento com a sua volta aos treinos e faça pequenos ajustes diminuindo um pouco suas intensidades para evitar riscos. Tenha a certeza que o retorno ao ponto antes da interrupção será muito mais rápido do que quando iniciou, pois já entra em cena a "memória muscular", mas esse é um tema para o próximo artigo.
Fonte: MSN