sábado, 22 de novembro de 2014

OBSESSÃO POR DIETA SAUDÁVEL PODE SER DISTÚRBIO


Você tem fascínio por manter uma dieta sempre saudável? Recusa terminantemente qualquer alimento que considere fora do seu rigoroso padrão alimentar? Morre de culpa se ingere uma guloseima sem querer? É uma pessoa tão preocupada com o que come diariamente que restringe ao máximo sua alimentação? Então, fique atento. Esta obsessão por ingerir apenas comidas saudáveis pode indicar que você sofre de um tipo novo de distúrbio alimentar, a ortorexia nervosa.

Segundo o Dicionário Brasileiro de Nutrologia, pessoas com este problema apresentam uma preocupação excessiva com a qualidade da alimentação, limitando, inclusive, a variedade dos alimentos. Assim, acabam excluindo certos grupos como carnes, laticínios, gorduras e carboidratos, sem fazer a substituição adequada. Rigidez e inflexibilidade na alimentação, comer sem prazer, o isolamento ao se afastar socialmente por conta da dieta rigorosa e um emagrecimento que essas pessoas não reparam (por isso há um déficit de nutriente) são sinais de alerta.

"Isso pode levar a quadros de carências nutricionais ou a um quadro completo de distúrbio da conduta alimentar", alerta a médica Maria Del Rosario, diretora científica do Departamento de Transtornos do Comportamento Alimentar da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e professora no curso de pós-graduação em Nutrologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP).Como é a dieta do ortoréxico?

Essa dieta não tem um padrão único. As pessoas com tendência ortoréxica evitam os alimentos considerados impuros como corantes, conservantes, gorduras trans, açúcar, sal, bem como aqueles que possuem agrotóxicos e pesticidas, ou ainda alimentos transgênicos, entre muitos outros. Além disso, se preocupam com a forma de preparo (verduras cortadas de determinada forma) e os utensílios usados na preparação da comida (só de madeira ou de cerâmica).

Comer fora de casa também pode ser um problema. Por isso, evitam reuniões sociais e jantares para "não cair na tentação" de ingerir outro tipo de alimentos. Sem contar que eles sentem uma sensação confortável ao fazer um prato elaborado exclusivamente com alimentos considerados "puros" em casa, com produtos orgânicos ou ecológicos. Dessa forma, acabam se isolando para conseguir se alimentar de maneira saudável e evitam a todo custo comer em restaurantes porque não sabem qual a preocupação dos estabelecimentos com a qualidade dos alimentos.

"Podem até deixar de sair com os amigos ou parceiros. A dieta dos ortoréxicos toma conta da vida dessas pessoas e tira até mesmo a liberdade deles. Além disso, sentem muita ansiedade, culpa e vergonha quando transgridem os limites. E depois, para compensar, decidem fazer restrições alimentares bem mais rigorosas. O problema é que as pessoas ortoréxicas acabam excluindo muitos alimentos e restringindo até os grupos de alimentos considerados importantes para uma nutrição adequada", afirma a médica.


Há casos de ortorexia registrados no Brasil?Segundo Maria Del Rosario não existe relato de caso publicado no Brasil, mas ela conta já ter atendido paciente com o distúrbio alimentar no seu consultório. Ela lembra a história de um paciente de 17 anos com características ortoréxicas e que foi levado para a consulta pela mãe, que acreditava que existia "algo de errado" na alimentação do filho.

O paciente havia perdido 35 kg durante uma restrição de alimentos à procura de uma dieta saudável e ideal. No exame físico e consulta nutrológica foi possível detectar sinais de falta de nutrientes diagnosticados a partir de alguns exames. "Ele precisou repor as vitaminas e minerais, realizar a suplementação alimentar, adequar a alimentação e corrigir várias situações sociais, como ficar isolado em casa, conectado à internet o dia inteiro e competir com um grupo de ortoréxicos", relata a médica.
Fonte: MSN

Nenhum comentário:

Postar um comentário