quarta-feira, 29 de outubro de 2014

10 DICAS INFALÍVEIS PARA VOCÊ ENTRAR NO JEANS O ANO INTEIRO

Chega dessa história de só se preocupar com o seu visual durante o verão. Tudo bem que essa é a estação em que seu corpo mais fica à mostra. Porém, é essencial que você mantenha a boa forma durante todo o ano. Afinal, mais do que curvas perfeitas, isso pode significar mais saúde e vitalidade. Por isso, preparamos uma lista com 10 dicas básicas para acabar de vez com o terrível efeito sanfona!

1 – Troque os refrigerantes pelos sucos naturais. Lembre-se de que algumas frutas são tão docinhas que você nem precisará adoçar o seu suco! 

2 – Além de comer moderadamente, você deverá fazer a sua refeição com muita calma e tranqüilidade. A pressa pode fazer com que você coma mais do que o necessário.

3 – Tudo bem que fruta faz bem à saúde. Mas, até mesmo na hora de escolher a que você vai comer é preciso cautela. Tente optar por aquelas que tenham menos calorias, como abacaxi, mamão, maça, entre outras. Uvas e abacates, por exemplo, podem colocar as suas curvas em risco! 

4 – Café doce, pode esquecer! Açúcar branco é sinônimo de muitas calorias que, para serem metabolizadas pelo organismo, roubam proteínas, vitaminas e sais minerais.

5 – O mesmo vale para o sal, que retém líquido, causa inchaços, causa celulite...

6 – Engane o seu estômago de vez em quando. Uma ótima opção é bater três colheres de sopa de gelatina diet com uma fatia pequena de melancia e um copo (250 ml) de água. Isso te deixará saciada por algumas horas. Mas, não vá substituir uma refeição por essa receita. Ela serve para você tapear aquela fome que tanto incomoda fora de hora.

7 – Por mais que o seu regime tenha desandado no final de semana, nada de desistir! O mais importante é você levantar a cabeça e seguir em frente na segunda-feira.

8 – Saladas não combinam com molhos! Esse prato é muito saudável e pouco calórico, desde que servido de forma correta. A dica é que você coma bastante salada antes de partir para o prato principal. Porém, ela deve ser temperada com vinagre, um pouco de azeite e apenas uma pitadinha de sal.

9 – Jejum é a mais absoluta besteira! O seu corpo tem que estar muito bem alimentado. Por isso, nada de loucuras. O que você tem que fazer é comer bem e optar por alimentos saudáveis.

10 – Pratique exercícios! Essa dica, além de te ajudar a ficar com um corpo mais bonito, irá melhorar a sua qualidade de vida. Lembre-se de que saúde e beleza têm que caminhar juntas!

Doces de cascas de frutas

Você já está cansada de escutar que as cascas dos alimentos podem e devem ser aproveitadas. Mas, você sabe como fazer isso? Uma boa maneira é investir nas farinhas à base destes alimentos. No entanto, algumas receitas simples e saudáveis também podem fazer parte do seu cardápio.
Confira duas sugestões de receitas à base da casca das frutas:
Doce de casca de maracujá
Ingredientes
- Cascas de 6 maracujás
- 1 xíc. (chá) de açúcar light ou sucralose forno e fogão
- 2 xíc. (chá) de água
- 2 xíc. (chá) de suco de maracujá
- 2 canela em pau
Modo de fazer
Retire a parte externa das cascas. Deixe a parte branca de molho de um dia para o outro. Escorra e corte em gomos. Junte o açúcar, a água, o suco de maracujá e a canela. Cozinhe em fogo médio até a calda engrossar e as cascas ficarem macias, juntando mais água se necessário.
Bolo de casca de banana
Ingredientes
- 2 xíc. (chá) de casca de banana madura picada
- ½ xíc. (chá) de água
- 4 gemas
- 5 col. (sopa) rasas de margarina
- 2 e ½ xíc. (chá) de açúcar ou sucralose
- 3 xíc. (chá) de farinha de trigo
- 2 col. (sopa) de fermento em pó
- Canela para polvilhar
- 4 claras em neve
Modo de fazer
Bata no liquidificador as cascas de banana com a água. Reserve. Na batedeira, coloque as gemas, a margarina e o açúcar. Bata até ficar homogêneo. Misture as cascas de banana batidas, a farinha de trigo e o fermento em pó. Por último, incorpore as claras em neve, mexendo suavemente. Coloque a massa em uma assadeira untada e polvilhada com farinha. Salpique canela em pó sobre a massa e leve para assar em fogo médio por 30 a 35 minutos ou até a massa ficar assada.
Fonte:MSN

Lichia ajuda a conquistar a barriga perfeita

Você consegue perder peso, definir as pernas, ver diferença nos braços, mas, quando se trata da sua barriga, parece que a dieta e a rotina de exercícios não estão surtindo efeitos. Isso acontece com muitas mulheres. Além de apostar na água e numa combinação perfeita de atividades, é preciso investir nos alimentos certos. A lichia, por exemplo, pode ser uma aliada para chapar a sua barriga.


De origem chinesa, esta é uma das frutas menos calóricas, tendo cada uma apenas 6 calorias. Porém, a leveza não é o único argumento a seu favor. Um estudo da Universidade de Hokkaido, no Japão, analisou a perda de gordura abdominal em voluntários que receberam extrato de lichia. Ao final de dez semanas, eles derreteram 15% a mais de gordura na região da barriga do que os participantes tratados com placebo.

Isso é consequência da cianidina, uma substancia presente na lichia. É ela o pigmento que tinge a casca de vermelho e, apesar da brancura da polpa, também se faz presente nela, ainda que em quantidades bem menores. A sua ação contra as gorduras é simplesmente invejável. Outro encanto da lichia é ser uma fonte de vitamina C: com apenas seis frutas, você já alcança a recomendação de ingestão diária do nutriente de um jeito doce.
Fonte:MSN

Conheça melhor a lichia:


Em uma porção de 100 g (aproximadamente dez unidades sem casca)

Valor energético...........66 cal
Carboidratos..............16,53 g
Proteínas......................0,83 g
Gorduras......................0,44 g
Fibras..............................1,3 g
Cálcio..............................5 mg
Fósforo..........................31 mg
Ferro..........................0,31 mg
Potássio.....................171 mg
Vitamina C................71,5 mg
Tiamina.....................0,01 mg
Ribofl avina..............0,065 mg
Niacina........................0,6 mg

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

DIETA DO MEDITERRÂNEO


A Dieta do Mediterrâneo é uma nova e popular maneira de se alimentar que combina técnicas culinárias e alimentos de culturas da região do Mar Mediterrâneo. A dieta provou ser uma das mais saudáveis existentes e muitos médicos a elogiam por suas qualidades ligadas à saúde do coração e capacidades de estimular a perda de peso.

Plano de Dieta Fácil de Seguir

O cardápio da dieta do Mediterrâneo envolve o consumo de muito azeite de oliva, bem como um copo ou dois de vinho tinto por dia. Isso cria um plano de dieta gostoso e fácil de seguir que irá transformar seu corpo e melhorar sua aparência e sentimentos. Estudos mostraram que adultos que seguem as dicas da Dieta  Mediterrânea apresentam baixo risco de contrair doenças sérias, incluindo câncer, doenças cardíacas, Alzheimer e Parkinson. As orientações alimentares, pelo mundo, estão se alterando agora, para se tornarem mais similares à Dieta Mediterrânea.

Como Funciona a Dieta do Mediterrâneo

Exercícios – os países mediterrâneos incluem inúmeras cidades onde caminhar é rotina. Você se exercita mais ao estacionar o carro mais longe da entrada ou ao ir de bicicleta ao invés de carro. Você pode também adotar corrida ou natação para perda de peso.
Consumir muita fruta, vegetais, legumes e integrais. Evite as fileiras do meio do supermercado.
Utilizar gordura saudável, como azeite de oliva, ao invés de manteiga. A manteiga está no cardápio apenas para bolos e massas. A parte disso, azeite de oliva faz a diferença.
Utilizar ervas para adicionar sabor ao invés de sal. Ervas não somente adicionam mais sabor, elas também são mais saudáveis (vide a quantidade diária de sódio que você deve consumir). Você pode plantá-las em casa ou comprá-las desidratadas.
Limitar o consumo de carne vermelha. A carne vermelha é um fenômeno Americano. Foque em consumir carne vermelha apenas duas vezes por mês e não mais que isso.
Comer mais peixe e aves. Inicie adicionando peixe ao sua cardápio no mínimo uma vez por semana.
Consumir vinho tinto moderadamente. Moderação é a palavra chave aqui. Se você fica tonto ou bêbado, está tomando demais.
Uma das dicas da Dieta do Mediterrâneo é enfatizar as refeições compartilhadas com amigos e familiares. Fazer isso diminui a quantidade de comida que é ingerida e aumenta o prazer. A socialização é uma parte da saúde que muitas pessoas negligenciam em função dos avanços tecnológicos.

De Acordo com a Verdadeira Dieta do Mediterrâneo

Os nascidos na área do Mediterrâneo comem menos carne e, em média, consomem, diariamente, 9 ou mais porções de frutas ou vegetais. Isso é drasticamente diferente da média da dieta Americana. Adicionalmente às proteínas saudáveis e mais frutas e vegetais, você também deveria incorporar castanhas, que são grandes fontes de vitaminas e minerais.

Carboidratos são permitidos

A Dieta Mediterrâna também permite o consumo de carboidratos, para a alegria dos amantes de massas. Ao invés de comer sua massa favorita na manteiga, tente temperá-la com azeite de oliva e ervas, para uma sensação de paladar inteiramente nova, sem nenhuma parte ruim da manteiga.

Moderação é essencial

Tenha em mente que fazer a Dieta do Mediterrâneo não significa correr para o seu restaurante italiano preferido e chutar o balde. Os verdadeiros pratos Mediterrâneos são leves, saudáveis e cheios de sabor. Os molhos são frescos, finos, ao invés de cremosos, e são reforçados com quantidades de sabor, em oposição a pesados molhos à base de laticínios. As pessoas que se adaptam à Dieta Mediterrânea raramente voltam às sua dieta antiga porque não se sentem insatisfeitos ou enganados. Tente ver hoje como funciona a dieta e veja o que a alimentação saudável pode fazer por você.

Alimentos Que Você Pode Comer

Se está considerando experimentar a Dieta do Mediterrâneo, você provavelmente está procurando como funciona, algumas informações adicionais e dicas antes de entrar de cabeça. Uma das maiores questões que você provavelmente tenha é o que você pode comer. Essa é uma consideração muito importante, porque o sucesso da dieta depende de sua habilidade de se ater ao plano de alimentação.

Carnes e Frutos do Mar Saudáveis

Prato de Frutos do Mar
Como diz o nome, a Dieta do Mediterrâneo foca-se em se alimentar como os nativos da área do Mediterrâneo se alimentam. Gregos, italianos e outros povos de tez morena, são todos mediterrâneos e todos têm dietas similares. Uma das coisas principais que você notará é que a Dieta Mediterrânea inclui menos carne vermelha do que provavelmente você está acostumado. Carne bovina não é grande parte do estilo Mediterrâneo de vida. Ao contrário, peixes, aves, cordeiros e, numa certa extensão, carne de porco, são as principais escolhas de proteína para o cardápio desta dieta.

Sem Carne Vermelha

Reduzir a carne vermelha tem mostrado altos índices de redução do risco de doenças do coração, ataques cardíacos e outros tipos de doença. A carne vermelha é substituída por porções menores de outras proteínas, ricas em vitaminas e nutrientes, incluindo ácidos graxos tipo ômega, encontrados em certos tipos de peixe.

Tipos de Proteínas

Além da redução em proteínas e alteração dos tipos de proteínas, a Dieta do Mediterrâneo enfatiza o consumo de alimentos frescos e crus. As refeições tendem a ser simples, porém contendo ingredientes de alta qualidade, que adicionam sabor e atrativos ao prato. Você comerá melhor, sem sacrificar paladar ou apelo visual.

Azeite

Azeite
Adicionalmente, os nativos da área do Mediterrâneo são conhecidos por utilizarem azeite de oliva ao invés de óleo vegetal. Azeite de oliva é uma gordura saudável que pode ser utilizada no preparo ou no tempero de alimentos, do mesmo modo que o óleo vegetal. O óleo de canola também pode ser utilizado, mas a maioria dos Mediterrâneos preferem o azeite de oliva.

Frutas e Vegetais

O centro da sua dieta consistirá de frutas e vegetais, ambos saudáveis e deliciosos. Tente sair um pouco de sua zona de conforto e experimentar novos sabores como alcachofras, alho-poró e cogumelos. Sua feira local é o melhor lugar para encontrar barganhas em produtos frescos, juntamente com receitas e dicas úteis de culinária.

Menos Laticínios

A Dieta do Mediterrâneo coloca ênfase mínima em laticínios. Uma quantidade baixa a moderada desses alimentos deve ser consumida e a opção por escolhas de baixa ou zero gordura sempre que possível são as dicas.

Vinho Tinto é Permitido

Outra coisa pela qual a Dieta Mediterrâna é conhecida é por permitir um copo de vinho por dia. O vinho tinto é repleto de oxidantes que têm mostrado reduzir riscos de certas doenças, incluindo câncer e doenças cardíacas.

Nunca Cansa

A Dieta do Mediterrâneo é um jeito divertido e saboroso de se alimentar melhor e viver mais. O cardápido da dieta é fácil de seguir e permite uma imensa quantidade de variação, portanto você nunca desanima. Tente viver um estilo de vida Mediterrâneo hoje e veja o quão melhor você pode se sentir.

Café da Manhã na Dieta Mediterrânea

Damasco com Iogurte
Se você decidiu mergulhar na Dieta do Mediterrâneo, você pode não saber por onde começar. Como funciona o café da manhã? O café da manhã é uma refeição importante e é fácil de ser adaptado a esta nova forma de se alimentar. Mudar seu café da manhã pode ajudá-lo a se adaptar à dieta de modo mais fácil e menos estressante para seu organismo.

Alimentos Frescos

A dieta enfatiza comer muitos alimentos frescos. Isso funciona tanto para café da manhã quanto para almoço e jantar. Ao invés da sua usual refeição rápida de donuts ou barras de proteína, por que não tentar algo um pouquinho mais saudável e muito mais saboroso. A Dieta do Mediterrâneo oferece muitas opções de café da manhã que proporcionam energia necessária para toda a manhã.

Apostando no Confiável

Você pode apostar no confiável por simplesmente substituir seu cereal matinal por algo feito de integrais. Iogurte é outra opção de café da manhã. Para aqueles mais aventureiros, um outro tipo de fruta ou uma receita especial de café da manhã pode ser exatamente o que seu médico prescreveu. Se escolher frutas para o café da manhã, escolha as com pigmentos mais escuros como ameixas, figos, toranjas e mirtilos.

Vitaminas e Minerais Essenciais

As frutas com pigmentação mais escura contêm níveis essenciais mais altos de vitaminas e minerais que auxiliam na prevenção de uma série de doenças, tais como câncer e doenças cardíacas. Os nativos do Mediterrâneo são conhecidos por terem taxas baixíssimas destas doenças, que são praticamente uma epidemia na América. A escolha de carboidratos complexos irá não apenas proteger seu organismo, como também proporcionar energia e melhorar a digestão.

Várias Sugestões de Alimentos

Um exemplo de café da manhã Mediterrâneo é um damasco aberto no meio, coberto com iogurte e mel. Você pode adicionar pistaches se quiser. Isto também pode ser comido com alguma torrada de trigo. Se este não é o do seu cardápio, você pode tentar aveia com leite quente, canela e amêndoas. Frutas secas são outras grandes opções de cobertura. Para comer no caminho, um sanduíche de pão integral, queijo, tomate e manjericão proporcionam muito energia, num pacote bacana. Omeletes com espinafre e queijo são escolhas fabulosas, se tiver mais tempo para cozinhar.

Geléias e Compotas

Ao invés de mergulhar seus alimentos de café da manhã em manteiga, tente adicionar sabor e atrativo com geléias e compotas. Há tipos feitos sem adição de açúcar que permitem que a doçura natural da fruta se destaque.

Café da Manhã é Importante

O café da manhã é uma importante parte do dia a dia, portanto aproveite-o ao máximo, comendo um café da manhã Mediterrâneo. Você ficará chocado com a diferença que vai sentir e com quanta energia vai ter. Uma vez que inicie a dieta, será fácil converter mais refeições e fazer mais progressos.

A Dieta do Mediterrâneo de Baixo Carboidrato

A Dieta Mediterrânea é conhecida por seus efeitos únicos na saúde e na vitalidade. E como funciona? A dieta promove alimentação natural, alimentos não industrializados, carnes com baixo teor de gordura e escolha consciente de gorduras, tal como o azeite de oliva para cozinhar e temperar. Contrariamente a comuns enganos, é possível fazer uma Dieta do Mediterrâneo de baixo carboidrato. A maioria das pessoas pensa em massas e grãos quando pensam em culinária Mediterrânea. Não é o caso. Apesar dos mediterrâneos gostarem de grãos como massas, por exemplo, há muito mais na Dieta do Mediterrâneo do que apenas esse único alimento. Adicione um dia por semana derealimentação para evitar entrar em modo de fome.

Dieta Mediterrânea Cetogênica

A Dieta do Mediterrâneo de baixo carboidrato é também conhecida como Dieta Mediterrânea Cetogênica. Esse plano de dieta é uma versão com baixo carboidrato de uma dieta normal, que não só promove benefícios de saúde como também é uma excelente forma de perder peso, de modo saudável.

Treinando Seu Metabolismo

Seu organismo consegue energia tanto de carboidratos quanto de gorduras. Quando você consome uma dieta de baixo carboidrato, você treina seu metabolismo a passar a queimar gorduras ao invés de carboidratos, o que ocasiona perda de gordura e perda de peso. Quando a gordura se quebra, ela libera cetonas na corrente sanguínea, razão pela qual a dieta é chamada de Cetogênica. Seguir uma dieta de 6 refeições por dia é crucial também para o aumento de seu metabolismo.

Baixos Carboidratos e a Dieta do Mediterrâneo

Então, você deve estar se perguntando por que a dieta de baixos carboidratos e a Dieta do Mediterrâneo funcionariam bem juntas. A resposta é simples. A Dieta do Mediterrâneo e a dieta de baixos carboidratos compartilham vários componentes importantes. Ambas colocam ênfase em ingerir frutas frescas e vegetais em seu cardápio, bem como proteínas magras (como carnes magras, que também são indicadas pela Dieta do Índice Glicêmico), queijos, gorduras saudáveis e castanhas.

Todos Os Aspectos de uma Dieta do Mediterrâneo Tradicional

De modo simples, a Dieta do Mediterrâneo de Baixos Carboidratos inclui todos os aspectos da Dieta do Mediterrâneo tradicional, excluindo componentes com muitos carboidratos, como massas e arroz. A Dieta Mediterrânea de Baixos Carboidratos incorpora os aspectos saudáveis da Dieta Mediterrânea, com a metodologia de uma dieta de baixos carboidratos, de modo a criar um estilo único de alimentação, que resulta em perda de peso e aumento geral da saúde.

Benefícios à Saúde

Escolher uma Dieta do Mediterrâneo de Baixos Carboidratos reduz seus riscos de câncer, diabetes, derrames e doenças cardíacas. Utilizando a dieta por curto ou por longo prazo, os numerosos benefícios fazem valer a pena o esforço necessário para se manter na dieta.

Efeitos Colaterais

Se você experimentar qualquer efeito colateral desconfortável ao fazer a Dieta do Mediterrâneo de Baixos Carboidratos, você deve interrompê-la e buscar assistência de um profissional treinado. Muitas pessoas passaram pela dieta com muito sucesso, mas como em qualquer tipo de dieta, há riscos. Certifique-se de entender os riscos potenciais e os benefícios, antes de iniciar a dieta.
FONTE: MUNDO BOA FORMA

DIETA DO ATUM, CONHECE?

Como funciona a Dieta do Atum?

Dieta do Atum
A origem da dieta do atum é indeterminada, mas pode também ser conhecida como a dieta dos três dias ou ainda como dieta americana. A dieta possui um cardápio de baixa consumo de calorias (aproximadamente 1.000 calorias/dia).
Durante esse período de três dias, são realizadas apenas as três principais refeições (café da manhã, almoço e jantar) onde se deve incluir o atum enlatado. Nos outros quatro dias da semana, a alimentação não possui nenhum tipo de restrição, permitindo ingerir qualquer tipo de alimento, desde que em quantidades moderadas.

Vantagens da Dieta do Atum

A dieta é baseada na ingestão de atum, alimento rico em ácidos graxos poli-insaturados, que possui benefício cardiovascular, propriedades anti-inflamatórias, reduz o LDL (colesterol ruim) e os triglicérides, reduz a pressão arterial, entre outros benefícios para a saúde. Outro ponto positivo é a curta duração da dieta, facilitando a adesão para pessoas que não conseguem fazer dietas por períodos longos.

Desvantagens da Dieta do Atum

A dieta propõe apenas três refeições por dia, o que a torna uma dieta não balanceada, por restringe o consumo adequado de vários alimentos importantes para a manutenção de uma boa saúde. Além disso, não promover a reeducação alimentar, já que o cardápio montado para a dieta é o mesmo para todas as pessoas, sendo um cardápio monótono. Vale ainda ressaltar que a dieta realizada em apenas três dias não é suficiente para causar uma perda eficiente de peso. Pensando no consumo de alimentos em apenas três refeições por dia, sabe-se que é prejudicial para a perda de peso uma vez que, longos períodos sem se alimentar leva a fome exagerada no período entre elas.

Dieta do Atum x Dieta e Saúde

  • Aprenderei a me alimentar corretamente?
    Dieta do Atum: Nos três primeiros dias, a Dieta do Atum recomenda realizar apenas as três principais refeições (café da manhã, almoço e jantar) onde se deve incluir o atum enlatado. Nos outros quatro dias, a alimentação não possui nenhum tipo de restrição, permitindo consumir qualquer tipo de alimento em quantidades moderadas. Ou seja, você não aprende a se alimentar com qualidade e equilíbrio.
    Dieta e Saúde: Com o Dieta e Saúde você aprende que consumir todos os tipos de alimentos é essencial para uma boa alimentação. Além disso, você aprende o valor desses alimentos na sua dieta e aprende a balancear as quantidades consumidas.
  • É fácil de seguir?
    Dieta do Atum: Seguir essa dieta pode parecer fácil, afinal você terá que realizar apenas três refeições e incluir o atum em todas elas. Porém, fazer três refeições ao dia pode prejudicar a saciedade e favorecer o consumo de grandes quantidades de alimentos. Deixar de realizar refeições que está acostumado pode também interferir na sua rotina e ainda influenciar seu humor e saúde, devido ao acumulo do sentido de fome.
    Dieta e Saúde: Você aprende de forma mais fácil e natural a controlar sua alimentação, respeitando e adaptando a sua rotina. Sem mudanças radicais e proibições, o que garante um emagrecimento saudável e duradouro. Você reeduca de verdade sua alimentação porque consegue ver seus erros e seus acertos e esse aprendizado é a para a vida toda.
  • O que terei a minha disposição?
    Dieta do Atum: Ao seguir uma dieta restrita, a perda de peso ocorre porém não de forma saudável. Além disso, ao interromper a dieta como não houve mudança de hábitos você pode recuperar os peso perdido, entrando no temido efeito sanfona. Seguir uma dieta da moda é abrir mão de ferramentas e recursos que podem te auxiliar no processo do emagrecimento e favorecer a perda de peso definitiva.
    Dieta e Saúde: Diversas ferramentas que irão auxiliar no seu processo de emagrecimento. Por exemplo, o Contador de Pontos, a Análise Nutricional, aComunidade e o Suporte Nutricional, assim você acompanha se está emagrecendo do jeito certo, ou seja, com saúde!.
  • Farei a dieta sozinho?
    Dieta do Atum: A dieta possui algumas orientações e sugestões de cardápios em revistas e sites na internet o que o deixa livre para seguir a dieta sozinho.
    Dieta e Saúde: Com o Dieta e Saúde você não está sozinho. Somos a maior Comunidade online de emagrecimento do país. Você compartilha experiências, dicas, dificuldades com outras pessoas que têm o mesmo objetivo que você, tornando o processo de emagrecimento motivador.
  • Quem irá me acompanhar?
    Dieta do Atum: As dietas da moda não são reconhecidas por profissionais por isso ao segui-las você não conta com suporte de nutricionistas ou médicos para esclarecer duvidas e passar orientações importantes, o mesmo acontece com a Dieta do Atum.
    Dieta e Saúde: Nossa Dieta dos Pontos é feita por pessoas para pessoas. Você poderá contar com nosso suporte via chat ou e-mail com especialistas nas áreas de nutrição e atividade física.
  • O que vou comer?
    Dieta do Atum: Não há indicação precisa de alimentos, você tem somente que incluir o atum às três refeições da primeira fase e moderar o consumo de alimentos nas demais.
    Dieta e Saúde: Nada de dar adeus aos seus pratos preferidos! Com a Dieta dos Pontos do Dieta e Saude você é quem decide o que vai comer. Por meio dos pontos dos alimentos, você saberá fazer sempre as melhores escolhas.
  • fONTE: DIETA E SAÚDE

domingo, 26 de outubro de 2014

Aniversário

Meus queridos blogueiros, pacientes, amigos e parentes,

Quero compartilhar este dia com vocês!

Obrigado por lerem sempre minhas  postagens que seleciono sempre com muito carinho.
Meu blog foi feito para ajudar os meus pacientes a estarem sempre informados, receberem receitas para mudarem seus cardápios, aprenderem sobre saúde e  com isto conseguirem mudar seus hábitos ruins e alcançarem uma melhor qualidade de vida. Isto também, é claro, que foi estendido a muitas pessoas.
Aproveitem sempre e degustem um pedacinho do meu bolo virtual!

Hoje é meu aniversário!
Um grande beijo a todos!

Patrícia Mendes

Nutrigenômica, o que é isto?

A ciência sempre está evoluindo nos estudos.
A Nutrigenômica é uma área encantadora para o futuro.
Vejam que agora já existe um exame para avaliar  a sua dieta , metabolismo e suas possíveis doenças.


O Painel Genético Nutrigenômica é um teste genético rápido que se baseia em um painel de polimorfismos cuidadosamente selecionados por apresentarem uma forte correlação estatística entre a dieta, o metabolismo e a genômica.
 
O Painel Genético Nutrigenômica faz parte de uma estratégia para a implementação de medidas preventivas e medicina personalizada que envolve periodicidade de realização de exames de rastreamento e intervenção precoce baseando-se nas mais avançadas descobertas científicas relacionadas com o código genético.
 
Os resultados do Painel Genético Nutrigenômica não significam que o paciente tenha no presente ou irá desenvolver no futuro as patologias investigadas. O exame avalia apenas o risco relativo (RR) baseado no genótipo do paciente para determinados polimorfismos com embasamento em trabalhos publicados em jornais científicos.
Para uma perfeita análise de sua necessidade consulte um nutrólogo de sua confiança .

A nova divisão de genômica nutricional do Laboratório Franco do Amaral e  do Centro Genomas avalia as variações genéticas associadas à alimentação, comportamento alimentar, e risco do desenvolvimento de doenças crônicas:
Perfis identificáveis:
1. Genes associados à obesidade
2. Regulação do metabolismo lipídico
3. Risco do desenvolvimento de Diabetes Melitos 2
4. Hipertensão arterial sistêmica
5. Metabolismo do folato (vitamina B9)
6. Metabolismo da vitamina D
7. Intolerância à lactose
8. Metabolismo da cafeína
9. Modulação da resposta inflamatória, estresse oxidativo e desintoxicação
10. Metabolismo de Vitaminas
11. Intolerância ao glúten/Doença Celiaca
Exames:
Nutrijunior :  são avaliados  40 polimorfismo
Nutri Geral ( a partir dos 16 anos ) são avaliados 109 polimorfismos

A Genômica Nutricional é um campo emergente nas ciências da saúde e é considerada a próxima fronteira da era pós-genoma. É composta por duas sub-disciplinas distintas, mas que se complementam, para estudar na nutrição personalizada: a nutrigenômica e a nutrigenética. A Nutrigenômica considera a influência de nutrientes específicos ou dietas complexas na expressão gênica, por outro lado a Nutrigenética  estuda como a variabilidade genética interfere na resposta individual à dieta.

Nosso estado de saúde depende muito de nossos genes, nossas condições ambientais e nossos hábitos nutricionais.Apesar de nossa constituição genética ser fixa, nossa nutrição e estilo de vida que influenciam a expressão nossos genes, são variáveis. Assim, eles podem ser adaptados ao nosso retrospecto genético e necessidades exclusivas (Nutrigenética).

Ao atuar na expressão dos genes, déficits relacionados a constituição genética individual podem ser contrabalanceados e sua repercussão negativa na saúde pode ser reduzida, postergada ou mesmo prevenida. (Nutrigenômica).
É uma disciplina moderna sendo a interface entre a genética, a nutrição e a medicina, que  combinadas permitem a prática de uma  medicina personalizada.

O que acham destas novidades?
Vão chegar mais informações desta área em breve!

Patrícia Brigagão Mendes

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

7 mitos e 5 verdades sobre o diabetes

No Brasil, cerca de sete milhões de pessoas, acima de 18 anos, têm a doença. Um estudo recente da Sociedade Brasileira de Diabetes, aponta que mais de 60% deles não sabem que têm a doença. Disfunção metabólica crônica decorrente de uma deficiência de insulina - hormônio produzido pelo pâncreas - que pode ser causada por fatores genéticos ou em decorrência de maus hábitos de vida como sedentarismo e uma dieta desequilibrada, recheada, principalmente de açúcar. 

O problema pode trazer perda ou aumento de peso, é fator de risco para problemas cardiovasculares e, nos casos mais graves, provocar falência de órgãos (rins, olhos) e até a morte. Apesar dos perigos, é completamente controlável.

"É uma doença crônica e deve ser tratada como tal, mas com informação e mudança de hábitos, dá para ser controlada e ter qualidade de vida", explica a nutricionista Patrícia Ramos, coordenadora do Hospital Bandeirantes. Pensando nisso, o MinhaVida conversou com especialistas para descobrir os mitos e verdades do diabetes para facilitar a vida de quem convive com a doença.  
O diabetes é uma doença crônica, mas com informação e mudança de hábitos, dá para ter qualidade de vida
1.Diabetes é contagioso

Mito: o diabetes não passa de pessoa para pessoa. É preciso acabar com essa discriminação de que o diabético não pode ter emprego, amigos e vida social. O que acontece é que, em especial no tipo 1, há uma propensão genética para se ter a doença e não uma transmissão comum. "Temos exemplos de mães diabéticas que tem filhos totalmente saudáveis", explica a nutricionista. 

2.Canela ajuda a controlar o diabetes
Mito: não tem nenhum estudo científico que comprove isso. Existem alguns estudos em relação à canela, porém são estudos preliminares, que merecem mais esclarecimentos para provar esse efeito satisfatório. "É melhor não seguir nada que não seja comprovado, afinal, trata-se de um problema crônico e qualquer descuido pode piorar a situação", diz a nutri.  
Diabetes: 5 cuidados especiais
3.Diabético pode consumir mel, açúcar mascavo e caldo de cana sem problemas

Mito: apesar de naturais, estes alimentos tem açúcar do tipo sacarose, maior vilã dos diabéticos. "Hoje, os padrões internacionais já liberam que 10% dos carboidratos ingeridos podem ser sacarose, mas sem o controle e a compensação, os níveis de glicose podem subir e desencadear uma crise", explica Patrícia. "O diabético até pode consumir, mas ele deve ter noção de que não pode abusar e compensar com equilíbrio na dieta", continua. 

4.Alguns alimentos ajudam a controlar os níveis de glicose no sangue auxiliando o tratamento do diabetes 

Verdade:
 Sim. Isso por conta do Índice Glicêmico (IG) dos alimentos. Quando um alimento tem o índice glicêmico baixo, ele retarda a absorção da glicose pelo sangue e, portanto estabiliza a doença. Mas, quando o índice é alto, esta absorção é rápida e acelera o aumento das taxas de glicose no sangue. "Alimentos integrais, iogurtes sem açúcar, maçã, pera, feijão, lentilha e manga, podem ser considerados indutores deste controle, por isso ajudam a amenizar os sintomas da doença, já os de alto índice, como batata e demais carboidratos, aumentam o problema", continua 
Diabetes
Diabetes
5.A aplicação de insulina causa dependência química

Mito:
 a aplicação de insulina não promove qualquer tipo de dependência química ou psíquica. O hormônio é importante para permitir a entrada de glicose na célula, tornando-se fonte de energia. "No caso dos pacientes com diabetes tipo 1, não tem jeito eles são insulino-dependentes, e não porque ela cause esta dependência, mas pelo fato de sua deficiência ser crônica desde o nascimento", explica Patrícia.

"Não se trata de dependência química e sim de necessidade vital. Você precisa da insulina para sobreviver, mas não é um viciado na substância", explica o endocrinologista e presidente da Associação Nacional de Apoio ao Diabético (Anad), Fadlo Farige.  
6.Deve-se substituir o açúcar dos alimentos por adoçante

Verdade
: os adoçantes foram feitos exatamente para os diabéticos ou para quem está de dieta, porém, para pessoas que não têm nenhuma disfunção, existe um limite para seu uso. "O valor diário recomendado de aspartame, por exemplo, é 40 mg por kg, já no ciclamato, este número é bem menor, 11 mg", explica a nutricionista.  

7.Dá para evitar a insulina se você não ingere carboidratos

Diabetes
Diabetes

Mito:
 neste caso, depende. O carboidrato eleva a glicemia com mais rapidez, por isso sua ingestão deve ser controlada. "No diabetes Tipo 1, é necessária a aplicação de insulina diariamente, já que o pâncreas não produz este hormônio. Portanto, mesmo que não coma carboidratos, precisará aplicar insulina. No caso do diabetes Tipo2, a ingestão da insulina vai depender do nível de glicemia. Se estiver controlado, pode-se parar o uso, porém, só um médico poderá fazer esta avaliação", explica Patrícia.  



8.Não é permitido ingerir bebidas alcoólicas 

Verdade:
 "o consumo é permitido, mas com alguns cuidados: de forma moderada e sempre junto a uma refeição, pois o consumo isolado pode levar a hipoglicemia (baixa nas taxas de glicose sanguínea) ou dificultar a recuperação de uma crise hipoglicêmica, já que o uso de insulina e de outros medicamentos para controlar o diabetes é feito para baixar a glicemia, e o álcool tende a diminuir ainda mais estas taxas, o que pode levar a um quadro crônico", explica a nutricionista. 

Também é importante fazer o monitoramento de glicemia antes e depois de consumir bebidas alcoólicas. Para Fadlo Fraige, apenas as bebidas destiladas são permitidas (e com muita moderação), pois, segundo ele, não são feitas à base de carboidratos e o álcool tem baixo índice glicêmico. Já sobre as fermentadas, à base de glicose, o endocrinologista recomenda: "Cuidado com cervejas e bebidas doces ou à base de carboidratos. Elas têm alto índice glicêmico e podem trazer problemas. Ao contrário do que se imagina, as bebidas sem álcool são piores, pois, têm o carboidrato e não têm o álcool que ajuda a baixar a glicemia", explica o presidente da Anad.  
Bebida alcóolica -diabetes
Bebida alcóolica -diabetes
9.Bebida alcoólica pode porque o remédio para diabetes tem álcool e não faz mal 

Mito:
 A taxa de álcool presente nos remédios são mínimas e, por isso, não dá para fazer esta comparação. "Bebidas alcoólicas são permitidas com restrições", diz a nutricionista.

10.Quem tem diabetes deve fazer somente exercícios leves 

Verdade:
 diabéticos devem ser estimulados a fazer atividades físicas, respeitando contra-indicações, se houver. "De uma forma geral, os exercícios melhoram os níveis glicêmicos, porém, quando o gasto calórico é maior do que a reposição de nutrientes após o treino, pode haver um quadro de hipoglicemia, por isso, deve-se fazer um monitoramento", diz a nutricionista.  
11.Estresse ajuda a descontrolar o diabetes 
Verdade:
 quando uma pessoa fica nervosa, a sua taxa de glicose sanguínea sobe. "Mas isso não acontece só com diabéticos", diz Patrícia.

12.Diabéticos podem usar sauna e fazer escalda pés 
Mito:
 Por ser uma disfunção metabólica o diabetes altera a circulação e compromete os vasos sanguíneos, dificultando o processo de cicatrização e pode causar problemas em diversas outras funções como problemas renais e o comprometimento da visão. "Em função desta alteração circulatória, os riscos de exposição à altas temperaturas e aos choques térmicos podem agravar ou desencadear quadros de angiopatias e outros problemas cardíacos", finaliza a Patrícia. 
Fonte:MInha Vida