sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Sal na comida - Controlar?

Você sabe qual é a quantidade de sal que sua família consome diariamente? Se não faz a mínima ideia, fique atento. Afinal, são inúmeros os estudos, nacionais e internacionais, que demonstram que adultos e crianças consomem, rotineiramente, sal em excesso. Segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2008-2009), crianças de 10 a 13 anos de idade, consomem, em média, 2,8 gramas de sódio por dia, ou seja, acima da recomendação de 1,5 gramas de sódio por dia (o que equivale a 3/4 de colher de chá de sal por dia) e pior, acima da ingestão máxima de 2 gramas/dia recomendada pela Organização Mundial da Saúde. 

Para as crianças de 4 a 8 anos de idade, recomenda-se 1/2 colher de chá de sal por dia (1,2g de sódio/dia) e para crianças de 1 a 3 anos, a recomendação é de 1 colher de café de sal por dia (1g de sódio/dia). Entre 7 meses e 1 ano, o consumo diário de sal deve ser menor que 500 mg de sódio, que são facilmente atingidas através dos alimentos sem acrescentar sal na preparação das papinhas.  
Ingerir sal em excesso, favorece a retenção de líquido pelo organismo e aumenta o volume de sangue, que por sua vez, elevam a pressão arterial. Também aumenta o risco de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral (AVC). O excesso de sódio tem potencial efeito adverso no colesterol sanguíneo, na função renal e nos ossos. 
A seguir, algumas estratégias para você manter o consumo de sal de seu filho sob controle: 
1- Nas primeiras sopas e papinhas, você não precisa colocar sal, porque o paladar do bebê é melhor para os alimentos adocicados, como cenoura, beterraba e mandioquinha. Na papinha de legumes natural, se quiser, use caldo de carne ou de frango caseiro, e não há necessidade de adicionar mais sal. Saiba que caldos industrializados (em pó, cubo ou lata) têm quantidades exageradas de sal e não devem ser utilizados.  

3- Elimine o sal de mesa. Isso evita que os parentes que fazem as refeições a mesa com seu filho diminuam ou eliminem o hábito de adicionar sal no alimento já preparado. Lembre-se que a criança forma os hábitos alimentares através da observação do comportamento familiar.  
2- Desconfie da quantidade de sal se, após a refeição, o seu filho reclamar de sede, mesmo depois de beber água. 
4- Experimente temperos naturais como: alho, cebola, orégano, cheiro verde, manjericão, louro, alecrim e muitas outras. As ervas frescas e secas conferem sabor especial aos pratos e muitas vezes o sal pode ser eliminado da preparação. 
5- Compre esporadicamente alimentos industrializados. Isso vale tanto para o salgadinho de pacote quanto para a sopa pronta, temperos concentrados, enlatados, macarrão instantâneo, embutidos, sucos de caixinha, refrigerantes, congelados e muitos outros. Além do alto teor de sódio, eles geralmente também são ricos em açúcares, gordura saturada e gordura trans.
Fonte: Minha Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário