quinta-feira, 17 de julho de 2014

Como lidar com o estresse


Ultimamente, o que mais se tem ouvido das pessoas é "Estou estressado..." esta parece ser a palavra de ordem para todos os tipos de problema, o estresse.
Uma crise emocional normalmente surge em decorrência de um estresse que atua em vários níveis.
O estresse não é uma doença e sim a tensão física, mental e emocional, habitual na vida de todas as pessoas.
O estresse passa a ser prejudicial quando é o indivíduo está submetido a ele por longos períodos ou quando a carga(física ou mental)  é muito grande para a pessoa.

 As reações individuais diante de situações de estresse podem mudar consideravelmente e algumas dessas reações não são desejadas.
De um modo geral a reação mais comum das pessoas, quanto estão sob situações de estresse é ficar ansiosas.
Em contra-partida, das reações indesejadas quando se está com estresse, ficar ansioso é a pior delas, veja porque: quanto mais estressado o indivíduo está, mais ansioso ele fica e quanto maior a  ansiedade maior o estresse. Isto vira uma bola de neve que vai aumentando até um ponto que a pessoa não agüenta mais e acaba adoecendo.

 Mas é possível evitar e identificar quando sua vida pode ser prejudicada por uma crise nervosa.
Preste atenção aos seguintes sintomas:
Mãos frias, cansaço, problemas com a memória, boca seca, mau desempenho no trabalho, pesadelos, dor de estômago, enxaqueca, mudança de apetite, diarréia, problemas sexuais, músculos tensos, insônia, hipertensão, tédio, tontura e taquicardia.
Ufa!!! Parece que esta lista não tem mais fim!
Claro que ninguém sente tudo isto ao mesmo tempo.
Mas se tiver pelo menos 5 deles, não deixe procurar um médico.
Você deve estar se perguntando "Será que existe remédio para acabar com o estresse?"

O melhor remédio é fazer do descanso uma prioridade em sua vida. Tire férias, visite amigos, namore, pratique esportes, enfim, divirta-se.
Nos momentos de tensão procure conversar com alguém em que você confie ou descarregue a raiva numa  atividade física e não nas pessoas que estão a sua volta.

É impossível eliminar a pressão externa de nossas vidas, afinal todos enfrentam desafios e tensões em seu cotidiano profissional e pessoal.
Mas sempre podemos evitar que isso se torne excessivo. Caso contrário, você estará prejudicando o seu organismo como um todo, pois o estresse é capaz até de enfraquecer as defesas mais fortes do corpo, tornando as pessoas mais vulneráveis a infecções.
  1. Mudança ou pressão no trabalho e hoje sabe-se que a mulher sofre muito mais com isto pois além do trabalho muitas delas são donas de casa e mães.
  2. Problemas conjugais. São problemas que não se resolvem e estão sempre presentes no dia a dia;
  3. Briga com o filhos. Há pais que são muito sensíveis a isto;
  4. Morte de alguém querido. Isto trás muita tristeza, o que não quer dizer estresse, mas quando esta tristeza não tem fim é motivo para procurar ajuda médica;
  5. Gravidez. Ansiedade e alterações hormonais são uma constante na vida das grávidas;
  6. Dívidas. A preocupação em quitar dívidas assumidas pode levar algumas pessoas ao descontrole quando não conseguem cumpri-las.
  7. Mudanças de hábito (parar de fumar por exemplo);
  8. Dificuldades sexuais; 
  9. Trânsito;
  10. Planejar festas ou férias. Por incrível que parece isto acontece e não raramente.
  1. Aprenda a relaxar com técnicas como relaxamento muscular, respiratório ou meditação;
  2. Discuta as preocupações com um amigo e tente enxergar as dúvidas de uma outra perspectiva;
  3. Planeje o trabalho sempre em etapas
  4. Aprenda a lidar com sua raiva
  5. Saia de férias de tempo em tempos, mas não torne as férias um inferno;
  6. Seja realista e aprenda a priorizar os compromissos;
  7. Evite se auto-medicar ou beber para aliviar a tensão;
  8. Durma e se alimente bem;
  9. Faça alguma atividade física regularmente;
  10. Procure ajuda médica quando você não se sentir bem.
Como vimos relaxar e ter auto-controle são fatores importantíssimos para prevenir e para livrar-se do estresse, assim as terapias de contato devem tornar-se parte integrante do cotidiano das pessoas por serem reconhecidamente um ingrediente valioso da saúde preventiva para quem recebe a massagem.
Além disto o fato de ser tocado traz ao paciente uma sensação inconsciente  de estar tendo seus problemas compartilhado com o terapeuta. Daí a importância de existir uma "simpatia", vamos chamar assim, entre o terapeuta e o paciente.
Fonte: POnto Zen

Nenhum comentário:

Postar um comentário