sábado, 31 de maio de 2014

Gelatina: benefícios não só para a dieta

Ela ganhou a fama de ser o alimento número 1 quando o assunto é dieta. Saborosa, refrescante, hipocalórica, que ajuda a combater aquela vontade aguda por doces e guloseimas e ainda, de baixo custo e fácil preparação. Sim, a gelatina é tudo isso. Mas se engana quem pensa que ela deve estar inserida apenas no cardápio das pessoas preocupadas com os ponteiros da balança. Na verdade, os benefícios dessa delícia são bem maiores do que possam imaginar. Duvidam? Pois então vamos desmistificar o que há por trás daquele simples pozinho. 


A gelatina é composta praticamente de aminoácidos (proteínas), que ajudam na síntese e na renovação do colágeno. Dos indispensáveis para o organismo, dez precisam ser adquiridos através da alimentação porque o nosso metabolismo não consegue sintetizá-los. Para ter uma idéia da importância da gelatina, ela possui nove tipos deles, faltando apenas o triptofano (precursor da serotonina), o neurotransmissor que nos deixa feliz.

Se consumida regularmente, ela auxilia na redução dos níveis de colesterol no sangue, triglicérides e controla a glicemia. Por ser rica em proteína, ela fortalece os ossos e previne o organismo de doenças como a osteoporose. Ela promove também uma maior resistência física aos desportistas. E mais: colabora para a manutenção da juventude, deixando cabelo, unhas e pele mais bonitos. Ainda não está convencido do poder da gelatina? Então dá uma olhadinha nos detalhes abaixo.

Por que ela faz bem?
Por ser principal fonte de colágeno substância que tem como função impedir a deformação dos tecidos que fazem parte da estrutura de ossos, pele, cartilagens e tendões , a gelatina tem um papel importante na prevenção e no tratamento de doenças, como artrose e osteoporose. Também é bastante utilizada na recuperação de pessoas submetidas a procedimentos cirúrgicos, pois é um excelente agente cicatrizante. O ideal é ingerir dois potes por dia ou bater no liquidificador uma colher de sopa de gelatina em pó com um pote de iogurte. Pronto, sua manutenção de colágeno está garantida!

Composição: 
A matéria-prima da gelatina é o colágeno, geralmente extraído da pele, tendões, ossos e cartilagens dos mamíferos. Embora os seres humanos sejam mamíferos, não se obtêm colágenos deles. Ideal nas dietas: Um dos benefícios dessa delícia é que ela é isenta de gordura. Das variadas marcas disponíveis no mercado, cada 100g fornecem 380 kcal, estas vindas praticamente dos carboidratos. A mesma quantidade, mas na versão diet , além de ser isenta de carboidratos, fornece aproximadamente 7 kcal, obtidas exclusivamente das proteínas. A diet é isenta de carboidratos. Por isso, se você está de regime opte sempre pela versão sem açúcar. No entanto, é interessante variar os sabores para não enjoar. Outra vantagem dessa delícia é que ela retarda o esvaziamento do estômago, deixando a pessoa saciada e hidratada por mais tempo. E ainda: dificulta a absorção dos carboidratos e das gorduras pelo estômago e pelos intestinos.

Pele mais firme
Você já deve ter ouvido falar que, quando envelhecemos ou emagrecemos, nossa pele vai perdendo elasticidade e firmeza. Isso acontece por conta do enfraquecimento gradativo do colágeno, que exerce essa função estrutural de sustentação e preenchimento da pele. Com uma dieta rica em proteínas (lembre-se, gelatina é proteínas), atividade física e pouca exposição solar é possível melhorar a saúde, como fortalecer unhas, ter um cabelo brilhante e a pele mais saudável. No entanto, é importante salientar: não existem milagres na área da saúde! Ou seja, não basta consumir grande quantidade de gelatina diariamente sem mudar o estilo de vida precário. Portanto, não esperem pelo milagre da gelatina que não vai funcionar.

Na mesa 
Por apresentar facilidade em ser convertida para a forma sólida e líquida por meio do aquecimento, ela torna-se um produto ideal para fazer ou acompanhar sobremesas como gomas, caramelos, iogurtes, mousses, tortas, bolos e sorvetes. Além de ganhar na praticidade em prepará-la, a gelatina pode dar um charme todo especial ao doce por ser colorida e se adaptar facilmente a qualquer formato. Isso, claro, sem contar de todos os benefícios à sua saúde já citados anteriormente.
Um dos benefícios dessa delícia é que ela é isenta de gordura
Em cápsulas
Hoje já é possível encontrar, em farmácias especializadas, as gelatinas em cápsulas. Elas apresentam os mesmos benefícios da gelatina em pó, porém, as versões em cápsulas são mais eficientes para a formação de colágeno por serem pura e sem adição de corantes. Quanto à absorção, as do tipo em pó são absorvidas em maior velocidade. A desvantagem da encapsulada é que para se obter 10g (dose mínima diária) é necessária a ingestão de 20 cápsulas, enquanto na versão em pó, a mesma quantidade é obtida em apenas uma colher de sobremesa. Sempre as utilize com a indicação de um profissional de saúde capacitado, pois a dose pode variar de acordo com a necessidade de cada organismo.

Não existe contra-indicação para o consumo da gelatina, mas os diabéticos devem ter atenção especial para não consumirem as versões não diet . Já para os alérgicos a determinados componentes, o ideal é sempre consultar um especialista antes de consumi-la. O mesmo é recomendado para as pessoas que sofrem de insuficiência renal, para evitar sobrecargas renais.

Garantir a saúde e a beleza do nosso corpo é uma tarefa que requer mais do que o consumo a determinados alimentos. É, sobretudo, a combinação de práticas saudáveis adotadas no nosso dia-a-dia, como alimentação equilibrada, prática de atividades físicas, uso de protetor solar e hidratante e evitar hábitos prejudiciais à saúde como consumir cigarros, drogas e bebidas alcoólicas. Devemos sempre partir da premissa de que só quem ama é que cuida de verdade. Portanto, ame-se e seja feliz! 
Fonte: MSN

Dieta 5/2: conheça os prós e contras desse método para emagrecer

A dieta 5/2 ou dieta dos dois dias é um método de emagrecimento no qual a pessoa fica dois dias da semana, preferencialmente um seguido do outro, comendo apenas 500 calorias, no caso das mulheres, ou 600 calorias, no caso dos homens. Durante os outros dias, os indivíduos podem ingerir até 1500 calorias. 

O método foi criado pelo médico britânico Michael Mosley e conta com variações feitas por outros especialistas. As modificações podem envolver ficar os dois dias em jejum, regime que potencializa os malefícios da versão com poucas calorias, ou reduzir apenas os carboidratos simples nos dois dias e não se preocupar com as calorias. 

Apesar de conseguir proporcionar a perda de peso e de algumas outras pesquisas apontarem benefícios desta dieta para a saúde, o método para perder peso pode ter o efeito contrário e com o tempo levar à perda de peso e desnutrição. Entenda melhor os problemas da dieta 5/2 e por que ela emagrece.  

Por que emagrece

Na realidade não são os dois dias com o consumo limitado de 500 a 600 calorias que irão proporcionar o emagrecimento, mas sim os outros dias de consumo de 1500 calorias. "O consumo médio da população é de 2.500 calorias, a verdadeira privação são justamente os dias em que a pessoa acredita que não há dieta. Os dois dias comendo menos são só um ritual porque essas dietas da moda precisam disso", explica a nutricionista Amanda Epifânio do Centro Integrado de terapia nutricional (CITEN). 

Provavelmente pessoas que já possuem uma dieta balanceada não perceberiam diferenças no peso ao adotar a dieta dos dois dias. Além disso, propor a mesma restrição calórica para todas as pessoas não é recomendado. "Essas dietas da moda tratam todos os corpos da mesma maneira. Eu, por exemplo, tenho uma necessidade de 1600 calorias por dia, se me der 1500 eu não perco nada. Além disso, a dieta precisa se adequar às necessidades da pessoa para que ela consiga mantê-la", conta Epifânio.  

Problemas da falta de calorias

A quantidade de calorias propostas nos dois dias de grande restrição não alcança nem o mínimo de calorias que uma pessoa necessita para o organismo realizar suas funções. "Consumir essa quantidade de energia durante dois dias seguidos não tem um prejuízo grave, talvez possa faltar ânimo, ter dor de cabeça e tontura", constata a nutricionista Daniela Jobst. Uma das recomendações da dieta é continuar se exercitando mesmo nos dias das 500 calorias, porém, com um aporte tão baixo de energia isto pode fazer com que a pessoa passe mal e chegue até mesmo a desmaiar. Porém, após algum tempo os estoques de nutrientes do corpo humano se esgotam e os problemas passam a ficar mais graves. "Por um longo prazo as pessoas sofrem desnutrição mesmo, pois esta dieta não oferece a quantidade necessária de vitaminas e minerais", diz Epifânio.  

Como a dieta afeta o metabolismo

Ao propor a restrição calórica, a dieta 5/2 pode até levar ao emagrecimento, contudo, com o tempo pode prejudicar o metabolismo e favorecer o ganho de peso. "Isto ocorre porque o corpo pensa que você está com um aporte calórico pequeno e, então, faz com que o metabolismo fique lento para reter energia. Depois, o organismo não entende que o consumo aumentou e tende a absorver mais calorias do que necessita", explica Jobst. 

Outro problema é que nos dias de restrição os criadores do regime recomendam que a pessoa fique longos períodos de jejum entre uma refeição e outra. Porém, isto também irá contribuir para que o metabolismo fique ainda mais lento. 

O risco da compulsão alimentar

No dia posterior aqueles das 500 calorias, os riscos de ansiedade e compulsão alimentar são altos. "O problema ocorre porque a pessoa ficou muito tempo sem comer e quer repor isso, o que pode até ser desencadeante para um transtorno alimentar", alerta Epifânio. Esta compulsão por comer mais no dia seguinte também irá contribuir para o ganho de peso. 

A dieta 5/2 previne doenças?

Alguns pesquisas constataram que a dieta dos dois dias ajuda a prevenir diversos problemas de saúde, entre eles o câncer de mama. Porém, pode não ser exatamente este regime específico que proporciona o benefício. "O que causa a prevenção do câncer é emagrecer. O câncer de mama é extremamente estimulado pelos hormônios femininos e o peso em excesso ou muito baixo altera esses hormônios", explica Epifânio. 

Um ponto que pode ser interessante é que algumas versões da dieta propõe diminuir a quantidade de carboidratos consumidos. "O excesso deste nutriente é inflamatório, assim quando o consumo dos carboidratos é reduzido, os riscos de doenças inflamatórias, como colesterol alto e diabetes, diminui", conta Jobst. 

Os estudos apontaram que a dieta 5/2 ajudaria a controlar o colesterol, os níveis de açúcar no sangue e a pressão arterial. "Estes pontos positivos também ocorrem apenas por causa da perda de peso, o benefício de emagrecer é gigante, mesmo quando isso ocorre com uma dieta que não é boa para a saúde", constata Epifânio.  

Alerta para pessoas com diabetes

Apesar da dieta 5/2 poder diminuir os níveis de açúcar no organismo e envolver a restrição de carboidratos, ela não é recomendada para pessoas com diabetes. "Ela é proibida para este grupo, pois seguindo cardápios de 500 calorias, os pacientes correm o risco de sofrer uma hipoglicemia severa", conta Epifânio. 

A dieta correta

A melhor maneira de emagrecer não é com dietas da moda como a 5/2. O correto é fazer uma restrição calórica não tão brusca. "A orientação é comer mais vezes ao dia com menos volume", diz Jobst. Invista em frutas, verduras, vegetais, cereais integrais e em carnes magras, como peixes e frango, e reduza o consumo de alimentos com açúcar refinado, industrializados e aqueles ricos em gorduras saturadas, como a carne vermelha.

Fonte: MInha Vida

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Excesso de refrigerante pode causar obesidade e problemas hepáticos

Com certeza nesta época do ano, devido à temperatura elevada durante o dia, as pessoas começam a consumir mais líquidos. Esse hábito, que deveria ser saudável e só trazer benefícios ao corpo, passa a fazer mal quando entre as bebidas que tomamos está o refrigerante. Geladinhos refrescam na hora certa e podem ser uma delícia. Mas alguns de seus componentes fazem mal ao nosso corpo.

Mesmo que agora não seja a época mais fácil para abandonar esse hábito, vale à pena fazer um esforço para diminuir o consumo desta bebida em nossa família. Digo família porque toda ela está sujeita aos malefícios que o refrigerante pode causar, principalmente as crianças, que tem o paladar mais sensível ao gosto doce dos refrigerantes e por isso acabam ingerindo uma quantidade muito maior do que a indicada como segura.  
Estudos mostram que os adoçantes artificiais usados em refrigerantes também trazem malefícios à saúde.
Mas porque é tão importante ficar de olho no refrigerante? Acontece que doenças hepáticas causadas por bebidas não alcoólicas têm aumentado bastante em todo o mundo. Culpa do crescente consumo de xarope de milho, rico em frutose, encontrado na maioria dos refrigerantes. Esse tipo de xarope já é a principal fonte de calorias dos americanos, e está cada vez mais sendo consumido entre os brasileiros.

Não há dúvidas que o refrigerante, e todos os açúcares contidos nessa bebida ainda contribuem para o crescente número de obesos de todas as idades em todo o mundo. Não pense que os diets sejam a solução. Estudos mostram que os adoçantes artificiais usados em refrigerantes também trazem malefícios à saúde.  
Um exemplo desse problema foi apontado por uma pesquisa publicada na revista especializada em cardiologia Circulation, que pertence a Associação Norte-Americana do Coração. Durante esse estudo foi observado que o hábito de beber mais de um copo refrigerante por dia, mesmo que em versão diet, pode estar associado a um aumento dos fatores de risco para doenças cardíacas.

Os problemas que o refrigerante pode causar não param por ai. O ph de muitos refrigerantes é bastante baixo, o que danifica o esmalte de nossos dentes. Esse fator, combinado com os açúcares do refrigerante, podem causar cáries e outros problemas dentários. 

Mais uma vez a palavra-chave é prevenção. Você só tem a ganhar se diminuir o consumo de refrigerantes. Não precisa chegar ao extremo de cortar a bebida totalmente da dieta, mas pense no preço a pagar pelo prazer de comer e beber sem restrições.

Súper Saúde! 
Fonte: MSN

Crianças que dormem bem evitam a obesidade

Uma boa noite de sono para os pequenos é fundamental para reduzir as chances de desenvolver a obesidade infantil, de acordo com um estudo realizado pela Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos. As crianças, com idade entre 3 e 8 anos, que dormem uma hora a mais do que estão acostumadas normalmente, reduzem suas chances de apresentarem excesso de peso em até 36%.

Segundo os pesquisadores, quando a criança dorme a mais do que seu padrão, seu metabolismo se altera e acaba desregulando a produção de dois hormônios principais: a leptina, substância responsável pela sensação de saciedade, e a Grelina, que estimula a vontade de comer. 

Durante o sono, a produção de leptina aumenta e a de grelina diminui, fazendo com que as crianças sintam menos fome. Dessa forma, se elas dormem melhor, acordam com a sensação de saciedade aguçada, sentem menos necessidade de beliscar guloseimas ao longo do dia e têm menos probabilidade de ficarem obesas.

A especialista em nutrição do MinhaVida, Ellen Simone Paiva, concorda que uma noite bem dormida auxilia na eliminação de gordura, mas que as características genéticas e os maus hábitos alimentares dos pais também influenciam o desenvolvimento da obesidade dos filhos. Trata-se de fatores que passam de geração para geração e interferem no acúmulo de gordura no corpo. "No caso da obesidade, como em outras diversas situações que envolvem a criação dos filhos, o exemplo conta muito. Se os pais são sedentários e comem mal, é pouquíssimo provável que consigam ensinar bons hábitos aos pequenos", avalia.
Fonte: MInha Vida

Armadilhas no quarto podem prejudicar a qualidade do sono

Ter um sono de qualidade é essencial para a manutenção do bem-estar e da saúde, e por isso, quando a qualidade do sono não é das melhores, o nosso corpo logo dá sinais. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, 40% da população brasileira diz ter problemas para dormir ou classificou o seu sono como de má qualidade. Alguns distúrbios, como bruxismo, síndrome das pernas inquietas e apneia do sono podem ser causadores da dificuldade de dormir.

Mas muitas vezes é o nosso descuido na hora de preparar o quarto para dormir que afeta o nosso sono. "Existem doenças que atrapalham o sono, mas na maioria das vezes basta um pouco de cuidado antes de deitar, para dormir bem e recuperar as energias para o dia seguinte", diz o especialista em sono, Daniel Inoue, diretor do Instituto do Sono do Hospital Santa Cruz. Veja alguns erros bastante comuns que são cometidos na hora de dormir. 

Luz acesa

Infográfico Sono
Quando o cômodo em que dormimos está muito claro, o nosso corpo não produz a melatonina, o hormônio responsável pelo sono. "A luz consegue chegar ao nosso globo ocular mesmo quando estamos com as pálpebras fechadas. Sob a influência da claridade, a melatonina é bloqueada e não conseguimos ter uma boa noite de sono. Por isso, quanto mais escuro estiver o quarto, mas rápido uma pessoa dorme e melhor é a qualidade do sono", diz o especialista. 

Barulho

Além de interromper a ação da melatonina devido a claridade, a televisão também atrapalha por fazer barulho de forma não contínua. "O nosso sono é dividido em fases: o sono superficial e o sono profundo. É apenas na segunda fase que o corpo consegue recuperar as energias. Quando há uma alternância entre sons altos e baixos, o organismo fica em estado de alerta e não conseguimos passar para a fase profunda do sono", diz Daniel Inoue. O mesmo acontece com quem tem mania de ouvir músicas agitadas na hora do repouso.

Outro ponto negativo da televisão é que, normalmente quando uma pessoa está com insônia, ela vai logo ver um programa na TV."Isso só nos deixa com menos sono ainda", explica o especialista.  

Temperatura

Dormir com tv ligada
 Deixar o quarto em uma temperatura amena também é importante na hora de dormir. De acordo com Daniel Inoue, o nosso metabolismo fica acelerado quando o cômodo está muito quente e abafado, o que diminui a qualidade do sono. Já um quarto muito frio pode causar tremores e contrações musculares durante a noite, que, assim como a variação do som, faz com que o nosso corpo tenha dificuldade de entrar na fase de sono profundo.

"O ar-condicionado não tem nenhum problema se a pessoa estiver acostumada. Mas ele resseca muito o ambiente. Se realmente for um dia mais seco, em que não houve chuva, aquele lugar vai ter pouca umidade. A dica é colocar alguma vasilha com água ou umidificador e nunca esquecer de que os aparelhos de ar condicionado precisam de manutenção, senão a quantidade de alérgenos e poluentes aumenta", observa o otorrinolaringologista e diretor da Associação Brasileira do Sono, Michel Cahali.

A qualidade do ar

A qualidade do ar dentro do ambiente é outro fator crucial para a melhora da noite dormida. Um ar seco, cheio de poluentes, afeta a respiração e prejudica o sono. A não circulação do ar no quarto pode deixar a pessoa com o nariz congestionado e a garganta irritada. Por conta disso, há a possibilidade de o indivíduo acordar no meio do pernoite e não conseguir mais dormir. 

Travesseiro

Travessreiro
Escolha bem seu travesseiro! Além de causar torcicolos, escolher errado um travesseiro também diminui a qualidade do seu sono. "De maneira geral, o travesseiro deve ficar entre cinco e 10 centímetros de altura, para que a coluna de quem está dormindo fique em uma posição confortável", explica o médico.  

Colchão

Assim como o travesseiro, escolher bem um colchão deve ser prioridade na hora de montar um quarto. "Quando uma pessoa acorda com dores pelo corpo constantemente, é provável que o seu colchão não seja o mais indicado. Pessoas com problemas na coluna devem tomar ainda mais cuidados, já que são mais sensíveis a qualidade do colchão onde dormem", diz o especialista em sono Daniel Inuoe. 

Alimentação

geladeira
Fazer uma boquinha antes de ir dormir pode ajudar ou atrapalhar o sono, dependendo do que você coloca dentro da boca. De acordo com um estudo feito pela Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, comer alimentos gordurosos pouco antes de dormir, além de engordar mais, diminui bastante a qualidade do sono. Isso acontece porque enquanto digerimos os alimentos, o nosso cérebro continua recebendo estímulos, o que aumenta as chances de pesadelos e insônia.

De acordo com o estudo, a própria sensação de peso e o metabolismo funcionando para digerir os alimentos já são motivos suficientes para má qualidade do sono. Comer alimentos leves, como sopas e lanches no mínimo duas horas antes de dormir é o mais indicado.  

Animal de estimação

Dormir com o cachorro ou com o gato na mesma cama pode ser um costume para muitas pessoas, mas isso também atrapalha a qualidade do sono. "Os animais de pequeno porte tem um ciclo de sono mais curto que o nosso, de aproximadamente seis horas. Por isso, eles acordam mais cedo e começam a se mexer, prejudicando a qualidade do sono de quem está dormindo com eles", explica Daniel Inoue.  

Sintéticos

 É aconselhável evitar a utilização de muitos produtos sintéticos na própria mobília e confecção do quarto. A madeira é natural e acumula baixa quantidade de poeira, sendo uma boa opção para a mobília do quarto. A cerâmica no piso também é uma recomendação. Na própria cama, a melhor indicação é a de produtos naturais, como o algodão. Eliminar os sintéticos ajuda no sono e tem influência até no bom humor ao desperta.
Fonte: MInha Vida

r

sábado, 24 de maio de 2014

Receitas de doces sem glúten

Torta de castanha-do-pará e damasco

Ingredientes:
Massa:
- 1 pacote de farinha de arroz (200g) - 1 xícara (chá) de fécula de batata - 4 colheres (sopa) de margarina cremosa sem sal - 2 colheres (sopa) de açúcar - 1 ovo
Recheio:
- 100 g de castanha-do-pará moída - 2 xícaras (chá) de leite - 1/2 xícara (chá) de açúcar - 2 colheres (sopa) de amido de milho - 1 colher (chá) de essência de baunilha - 1/2 xícara (chá) de geléia de damasco (use uma light)
Preparo:
Massa: Misture as farinhas e reserve. Coloque a margarina, o açúcar e o ovo e vá adicionando a mistura de farinhas até ficar uma massa firme que desgrude das mãos. Se necessário, adicione mais um pouco de farinha de arroz. Deixe descansar por 20 minutos. Forre forminhas de empada médias. Fure e leve ao forno médio (180ºC) por cerca de 30 minutos ou até ficar firme e dourada. Reserve.
Recheio: Misture a castanha-do-pará, o leite, o açúcar, o amido e a baunilha, e leve ao fogo até engrossar. Espere amornar e coloque sobre a massa assada. Enfeite com geleia e leve à geladeira por cerca de 1 hora.
Essa torta é uma delícia, vai por mim!

Bolo de cenoura e passas

Ingredientes:- 1 cenoura grande- 2 ovos- 1 xícara (chá) de açúcar- 1/2 xícara (chá) de óleo de canola- 2 colheres (café) de canela em pó- 1 colher (chá) de cravo-da-índia em pó- 1 colher (café) de noz moscada ralada- Casca ralada de meia laranja- 1/2 xícara de passas claras sem sementes- 1 xícara (chá) de creme de arroz- 1 xícara (chá) de farinha de quinoa- 1 colher (sopa) de fermento em pó- ½ xícara (chá) de leite.
Preparo:
Rale a cenoura no ralador com abertura 'grossa' e reserve. Bata as gemas com o açúcar e, sem parar de bater, acrescente o óleo e as especiarias. Retire e misture a cenoura e as passas. Acrescente o creme de arroz, a farinha de quinoa e o fermento dissolvido no leite. Bata as claras em neve até ficarem bem firmes e inclua na mistura. Despeje em forma 'tipo bolo inglês' ou de pão (12 cm X 29 cm) e asse em forno médio (180°C), preaquecido por cerca de 30 minutos. Retire do forno espere amornar, desenforme e deixe esfriar. Se quiser, polvilhe com açúcar e canela em pó.
Hum...
Pavê de abacaxi

Massa - 3 ovos - 4 colheres (sopa) de açúcar - 1 xícara (chá) de farinha de arroz - ½ xícara (chá) de suco de abacaxi - 2 colheres (chá) de fermento em pó
Recheio - 1 abacaxi grande - 6 colheres (sopa) de açúcar
Cobertura - 2 claras - 4 colheres (sopa) de açúcar - 1 xícara (chá) de creme de leite light - 1 colher (chá) de essência de baunilha - Cerejas em calda (opcional) - Raspas de limão
Preparo
Massa Bata as claras em neve, e acrescente as gemas e o açúcar até ficar uma mistura fofa. Alterne a farinha de arroz com o suco de abacaxi e, por último, acrescente o fermento em pó. Coloque em uma assadeira retangular média, untada e polvilhada com farinha de arroz. Asse em forno médio (180ºC) por cerca de 20 minutos. Retire, espere amornar e corte em duas partes. Reserve.
Recheio Descasque o abacaxi e rale no ralador com abertura mais 'grossa'. Coloque em uma peneira para escorrer. Aproveite o suco para fazer o bolo. Coloque em uma panela com o açúcar e leve ao fogo para cozinhar por 10 minutos.
Cobertura Para a cobertura, bata as claras em neve e acrescente o açúcar. Retire e adicione o creme de leite, além da essência de baunilha. Faça tudo bem delicadamente!
Montagem Coloque num prato uma das partes do bolo. Adicione o recheio e inclua a outra parte do bolo sobre o creme. Deixe a cobertura só na parte de cima. Se quiser, enfeite com cerejas em calda dietéticas ou aproveite que ainda é possível encontrar cereja fresca no mercado.
Amo muito esse pavê!

Bombocado de coco com calda de maracujá

Ingredientes
Bombocado - 1 e 1/2 xícara (chá) de leite semidesnatado - 3 ovos - 1 xícara (chá) de açúcar - 3 colheres (sopa) de fubá - 3 colheres (sopa) de farinha de arroz - 1 colher (sopa) de fermento em pó - 100 g de coco ralado desidratado
Calda de maracujá - 1 xícara (chá) de suco de maracujá - 1 xícara (chá) de água - 2 colheres (chá) de amido de milho - ½ xícara (chá) de açúcar - Sementes de maracujá para enfeitar
Preparo
Bombocado Coloque o leite e os ovos no liquidificador e bata bem. Acrescente o açúcar, o fubá e a farinha de arroz. Bata novamente. Retire, coloque em uma tigela e misture o fermento e o coco. Coloque em forminhas de papel próprias para 'muffins' ou 'cupcakes' e leve ao forno médio (180 ºC), preaquecido, por 40 minutos. Retire, espere amornar e cubra com a calda.
Calda Misture os ingredientes e leve ao fogo baixo por cerca de 10 minutos. Retire e misture com as sementes. Regue os bombocados e sirva.
Delícia de comer rezando!

Fonte: MInha Vida

Ideas para lanches light para assistir os jogos da Copa 2014

Meus amigos,

A Copa do Mundo de 2014  no Brasil está se aproximando e temos que preparar nossa despensa para os lanches durante os jogos que provavelmente vamos assistir com amigos e parentes.

Seguem algumas sugestões:

Frutas, sucos naturais, pães integrais e queijos brancos.
Sanduíches:
Pão árabe/peito de peru/alface/tomate/pepino e cebola
Canapé: Pão integral/ pasta de ricota com ervas e lascas de pepino
Canapé: Pão light/queijo mussarela light e presunto de parma

Todos estes lanches devem ser acompanhados de sucos naturais ( limonada, suco de acerola, caju, abacaxi) ou chás ( verde, hibisco, goji berry ou maçã com canela) ou Água de côco ou  coquetel de frutas ou cerveja sem álcool.

Gostaram?

Então experimentem!

Patrícia Mendes

O que fazer para acelerar seu metabolismo!

Se você está com alguns quilos a mais e muita dificuldade em perdê-los, é muito comum colocar a culpa no metabolismo preguiçoso. Mas será ele o verdadeiro culpado? Mais do que isso, o que você realmente pode fazer para acelerar o seu metabolismo?

O que é o Metabolismo? 
O metabolismo é um conjunto de hormônios e enzimas que transformam calorias (comida) em energia, de uma maneira mais ou menos eficiente.

É ele quem estabelece o ritmo no qual você queima as calorias que consome e também o responsável pela velocidade com a qual você gasta ou acumula estas calorias.

O seu metabolismo sofre diversas influências como idade (o metabolismo lentifica cerca de 5% a cada década após os 40 anos), sexo (homens queimam mais calorias do que as mulheres), quantidade de massa magra (músculo) presente (quanto maior, mais rápido o metabolismo) e hereditariedade.

Ocasionalmente, problemas de saúde como o hipotireoidismo ou deficiência de outros hormônios também podem lentificar o metabolismo. 
"problemas de saúde como o hipotireoidismo ou deficiência de outros hormônios também podem ldentificar o metabolismo".
Acelerando o seu "motor" 
Embora existam fatores difíceis de serem modificados, felizmente existem maneiras para acelerar o seu gasto diário de calorias. A melhor forma é a pratica regular de atividade física, que deve incluir exercícios aeróbicos e de fortalecimento muscular, o que vai ajudá-lo a manter o seu ritmo metabólico a longo prazo.

As células presentes nos músculos queimam calorias mais rapidamente do que as células de gordura, mesmo durante o repouso.

Estudos revelaram que cada quilo de massa muscular queima 70 calorias por dia, enquanto cada quilo de gordura queima apenas quatro calorias por dia.

Embora 30 minutos de exercícios aeróbicos queimem mais calorias do que 30 minutos de fortalecimento muscular (musculação), nas horas seguintes ao exercício físico, é a musculatura trabalhada que será a responsável por sustentar o seu aumento no gasto metabólico. Em outras palavras, ter mais músculos significa que você pode comer mais e ganhar menos peso. 
Coma mais vezes e queime mais rápido 
Quanto mais vezes você come, mais rápido queimará calorias. Porções menores e mais frequentes ajudam a manter o seu metabolismo sempre em alerta.

O contrário também vale: se você passa muitas horas sem comer ou "pula" refeições, o seu metabolismo fica muito lento, poupando o gasto de energia.

Outro fator importante é que pessoas que "lancham" entre as principais refeições, tendem a comer uma menor quantidade durante o almoço e jantar, o que leva a uma diminuição expressiva da quantidade de calorias ingeridas diariamente, resultando em um aumento da taxa metabólica e uma diminuição da gordura corporal.

Comidas que aceleram a queima calórica

Proteínas necessitam cerca de 30% a mais de energia para serem digeridas. Então, em teoria, lanches ricos em proteínas são melhores, porém, nada de concreto foi descoberto a cerca de comidas que ajudam a queimar calorias.

Alguns itens como pimenta-vermelha e chá-verde têm propriedade de acelerar a taxa metabólica basal nos 30 minutos seguintes a sua ingesta, mas esses benefícios não são suficientes para gerar uma perda de peso significativa.

Em resumo, para acelerar o seu metabolismo, nada melhor do que aumentar a sua massa muscular, comer uma dieta rica em proteínas em mais vezes e menor quantidade.
Fonte: Minha Vida

Corpo já sente prejuízos após 10 dias sem treino

No assunto de hoje vamos abordar algumas preocupações que todos devem ter após retomar os treinos. Isso pode acontecer após um período de férias, doente, lesionado, viagens, muito trabalho, final do ano e até mesmo o fato de ter saído da academia. Na terminologia do mundo dos esportes e do treinamento físico esse período parado é chamado de "destreinamento". 

Olhando dessa forma tudo é muito lindo. Em qualquer outra situação da vida, o que você conquista é seu, mas com a atividade física é diferente. Ela é ingrata porque assim que você para de realizá-la vai começar a perder os benefícios que a mesma te trouxe e a tendência é ir voltando para o estado inicial. 
Melhoramos nossas condições físicas porque nosso corpo é uma máquina muito inteligente e trabalha com uma evolução através de estimulo, inflamação e adaptação. Em um treino convencional na academia, em casa, no parque ou com um personal trainner normalmente trabalhamos, dentre outras capacidades físicas, a força muscular, flexibilidade e aptidão cardiorespiratória. Ao realizar um exercício (estímulo) estamos na verdade provocando essa capacidade física e obrigando ela a sair da sua zona de conforto (homeostase). Ao fazer isso, vamos praticamente causar um prejuízo (inflamação) para essa capacidade e após esse quadro nosso organismo vai se recuperar, mas irá trabalhar para reforçar sua proteção (adaptação) para que em um novo estímulo sofra menos. 

No geral alguns estudos relacionados a esse tema apontam reduções significativas nessas capacidades a partir de 10 dias sem treinar para pessoas que iniciaram e realizaram por 90 dias um programa de atividade física orientado com a frequência de três vezes por semana. As pesquisas observaram as seguintes alterações após o período sem atividade física: 
Quanto mais tempo ficar parado maior será o prejuízo de tudo que conquistou até chegar ao ponto de partida anterior ou até mesmo piorar além dele. Os prejuízos vão depender de alguns fatores como o tempo que já estava treinando, histórico e estilo de vida associado à atividade física, realização de atividades complementares, individualidade fisiológica, frequência e intensidade de treino e qual era a atividade praticada.  
  • Sistema cardiorrespiratório: redução de até 10% do que foi conquistado após 10 dias parado
  • Força muscular: redução de até 15% do que foi conquistado após 10 dias parado
  • Redução da massa muscular: de até 66% do que foi conquistado em 10 dias parado
  • Flexibilidade: Redução de até 100% do que foi conquistado após 10 dias parado.
Levando tudo isso em consideração fique atento com a sua volta aos treinos e faça pequenos ajustes diminuindo um pouco suas intensidades para evitar riscos. Tenha a certeza que o retorno ao ponto antes da interrupção será muito mais rápido do que quando iniciou, pois já entra em cena a "memória muscular", mas esse é um tema para o próximo artigo. 
Fonte: Msn

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Celulite, acabe com ela antes do verão!

Com o verão chegando perto, o problema volta a assustar. A celulite incomoda a maioria das mulheres e não é à toa: os furinhos causam a maior vergonha. A celulite surge por conta de nódulos de gordura que se formam na região subcutânea. Eles impedem a oxigenação e a nutrição celular, causando o aspecto de casca de laranja na pele. As circulações sanguínea e linfática também ficam prejudicadas, afirma a esteticista Luisa Catoira, de São Paulo.

As alterações hormonais tornam as mulheres mais suscetíveis ao problema que, além do desconforto estético, pode trazer dor, inchaços nas pernas e problemas de ordem psicológica. Os tratamento estéticos, em geral, oferecem ótimo resultados. Mas todos eles precisam ser combinados a uma boa alimentação, prática regular de exercícios físicos e interrupção do tabagismo.

A Sociedade Brasileira de Medicina Estética estima que a celulite atinge oito entre cada dez mulheres ocidentais, deixando ondulações nas pernas, nas coxas, no bumbum e, às vezes, até na barriga. Se você é uma delas, acompanhe abaixo as dicas dos especialistas para chegar ao verão com a pele lisinha. 
Tratamentos para celulite
Celulite de grau 1 
Como é: ela só aparece quando você pressiona a pele. Surgem gominhos que lembram a casca de laranja.
Por que surge: alimentação gordurosa e com pouco líquido, sedentarismo e tendência genética favorecem esse tipo de celulite.
Como tratar: as alterações na dieta costumam surtir efeitos notáveis neste tipo de celulite. Evite bebidas gasosas (não só refrigerantes, mas água com gás também). Sal demais também é prejudicial, porque aumenta a retenção de líquidos e prejudica a circulação do sangue. Cremes à base de centelha asiática também fazem diferença, assim como as sessões de drenagem linfática. Faça, pelo menos, dez sessões seguidas (uma por semana). Mas não adianta drenar o corpo e comemorar num rodízio de pizza , afirma a fisioterapeuta Fernanda Elhiage, dona do Studio Conceitus.  
previna a celulite
Celulite de grau 2 
Como é: a aparência de casca de laranja é suave, mas salta aos olhos sem que haja necessidade de pressionar a pele.
Por que surge: alimentação gordurosa e com pouco líquido, sedentarismo e tendência genética favorecem esse tipo de celulite
Como tratar: além das mudanças na dieta, sessões de carboxiterapia são o melhor antídoto contra este tipo de celulite. O tratamento é dividido por área: o especialista injeta gás carbônico sob a pele, que é renovada. Você precisa de, pelo menos, dez sessões e já nota os resultados a partir da quinta aplicação. Há ainda outras opções de tratamento neste caso:

Massagem modeladora: quebra as moléculas de gordura que estão causando o problema. É seguida por uma drenagem, que elimina essa substância pela urina. A circulação sangüínea também é estimulada, evitando a formação de novas celulites. O mínimo de dez sessões é recomendado.

Eletrolipólise: o método usa agulhas que são estimuladas eletricamente para combater os furinhos. Com isso, há a quebra das moléculas de gordura e a melhora da circulação sangüínea. O mínimo de dez sessões é recomendado.
Biquíni
Celulites de grau 3
Como é: normalmente, as celulites de grau 3 provocam o famoso efeito casca de laranja e causam a sensação de peso nas pernas, além de atingir o bumbum. Surgem, principalmente, nas pessoas que sofrem com o sobrepeso.
Por que surge: o principal causador é o excesso de peso, agravado pelo sedentarismo.
Como tratar: só os tratamentos estéticos não fazem efeito nestes casos, que exigem também uma dieta rigorosa para controle do peso, além d exercícios físicos regulares.

Celulites de grau 4 
Como é: trata-se da mais grave de todas as celulites, provocando disformidade no contorno do corpo e está diretamente associada aos casos de obesidade.
Por que surge: a obesidade é o principal agente causador
Como tratar: você precisa aliar todos os métodos, incluindo dieta balanceada, exercícios físicos e massagens. Reduzindo o peso, os tratamentos começam a dar resultado mais rapidamente. 

Eficácia dos cremes anti celulite e tratamentos

Se a sua celulite é de grau 1 ou 2, os cremes ajudam a amenizar os furinhos. Eles possuem agentes desintoxicantes que melhoram a circulação linfática e têm ação redutora de medidas , afirma a esteticista Luisa Catoira, de São Paulo. No entanto, esses cremes não eliminam de vez a celulite, eles suavizam o problema. É importante cuidar da manutenção do tratamento: depois dos dois primeiros meses usando o produto duas vezes por dia, é preciso manter o uso pelo menos uma vez por dia, senão a celulite pode retroceder , recomenda a especialista.
Alerta 
Estresse, abuso de bebidas alcoólicas, alterações hormonais, consumo de pílula anticoncepcional sem orientação e uso de roupas muito apertadas também agravam as celulites.
Fonte: MInha Vida
 

Obesidade infantil: um risco à saúde do seu filho

O estilo de vida que muitas famílias têm e a cultura consumista contribuem bastante para este caso alarmante. O fato dos pais manterem os filhos dentro de casa com medo da violência, a permanência constante em frente à TV e as horas e horas jogando vídeo game fazem com que as crianças não gastem as calorias necessárias e, portanto, se tornam sedentárias. 
Alguns fatores são determinantes para a obesidade infantil, entre eles, o desmame precoce, a introdução de alimentos inadequados e relação familiar conturbada. As causas também podem ser psicogenéticas, como rejeição materna e falta de afeto, depressão e culpa, angústias, pais superprotetores, pais alcoólatras, crianças imaturas e com problemas orgânicos. O tratamento para a obesidade exige algumas regras a serem seguidas, tais como uma dieta balanceada, exercícios físicos e apoio individual e familiar. Para melhores resultados é fundamental a cooperação dos pais e da escola. Vemos muitos pais e avós que gostam que as crianças estejam gordinhas dizendo que é sinal de saúde mas é justamente aí que 

estão errados, obesidade nunca é sinal de saúde e requer alguns cuidados. Para a escola, além de repensar no cardápio da cantina, é necessário integrar a nutrição à sala de aula, incorporando conceitos de nutrição às crianças. Tendo informações e consciência, o preconceito dos próprios coleguinhas com os "gordinhos" se acaba naturalmente.

Os comportamentos alimentares são facilmente condicionados na criança por quem a alimenta e educa. É preciso usar a criatividade na alimentação, estabelecer limites e oferecer o que é saudável. É necessário também ter paciência, criatividade e ser enérgico. Pais que não impõem limites, não são obedecidos pelos filhos.

Abaixo seguem algumas dicas para manter o peso:
- Gestação controlada;
- Mamar no peito;
- Introdução de frutas, legumes e carnes magras;
- Comer somente na mesa com todos da família;
- Quanto mais colorido o prato, melhor;
- Fazer exercícios;
- Evitar muito tempo em frente à TV, computador ou vídeo game;
- Evitar refrigerantes e bolachas recheadas. 

Fonte: MSN

Pessoas com obesidade podem ter piora no paladar .

Já na Grécia Antiga começou a se supor uma relação entre a percepção de sabor e controle cerebral, mas foi Aristóteles quem definiu os sabores, como doce, amargo, ácido e salgado e, posteriormente, no século II d.C, o médico Galeno identificou os nervos que enervam a língua.
Hoje aceitamos que existem 5 tipo básicos, sendo que os receptores básicos de sabor se localiza, nas papilas linguais que são órgãos sensoriais na cavidade oral. 
Recentemente, pesquisas também demonstraram que existem receptores no trato gastrointestinal para os sabores doce, umami e amargo. 
  • Doce: receptor estimulado por alimentos como carboidratos, açúcar, adoçantes
  • Salgado: estimulado por sal
  • Azedo/ Ácido: estimulado por frutas cítricas, vinagre, soluções carbonatadas
  • Amargo: cafeína, rúcula, jiló
  • Umami: sabor que foi descrito no Japão, em 1908 e significa saboroso, delicioso, em japonês. Estes receptores são estimulados por leite materno, queijos, algas, cogumelo secos e ostras.
As papilas gustativas recebem o alimento que ingerimos e os nervos da língua transmitem o sinal do sabor para o cérebro. O tronco cerebral tem como função: mastigar, salivar e lamber. No tálamo, ocorre o processamento e se registra a memória do sabor, enquanto no córtex gustatório e frontal acontece a decisão do que vamos ingerir e a sensação de conforto gerada pelo o que comemos. 
Todos os sistemas sensoriais são importantes para definição do nosso paladar, incluindo: visão (cor e aparência do alimento), audição (ouvimos o som produzido na mastigação), olfato (sensibilidade aos aromas desprendidos pela comida), o tato (diferentes texturas) e a propriocepção.  
Estudos recentes têm demonstrado que ocorre uma perda da sensibilidade ao sabor e uma piora na discriminação do paladar em pessoas com obesidade, o que é contrário ao que se imaginava. As pessoas comem mais porque tem maior dificuldade de sentir o sabor da comida como satisfatório. O cérebro dos obesos parece demorar mais para codificar a informação dos alimentos.  

Outro ponto interessante é observar como pacientes que emagrecem após cirurgias bariátricas mudam a preferência alimentar escolhendo alimentos menos calóricos em detrimento, por exemplo, de refrigerantes e sorvetes. Isto se deve provavelmente pela alteração dos receptores de sabor localizado no estômago e intestino, o que gera melhora na percepção do sabor e mudanças no paladar. 
Esta perda de capacidade em sentir sabor pode ter inúmeras causas, entre elas, a possibilidade de que uma dieta muito rica em gordura (principalmente na infância) incapacite os receptores de sabor.  
Outra pesquisa publicada no Archives of Diseases in Childhood demostrou que crianças com obesidade tinham menos capacidade de discriminar os sabores quando comparadas com as de peso normal, principalmente em relação ao amargo, salgado e umami.  
A sensibilidade aos sabores parece modular a quantidade de comida que é necessária para gerar saciedade. Deste modo, não sabemos se a criança vai ficando com obesidade pela diminuída capacidade em perceber os sabores ou se a anterior ingestão de alimentos predominantemente ricos em gordura até os 6 anos de idade é a grande culpada.  
Fonte: MInha Vida

domingo, 18 de maio de 2014

Alimentos anti-estresse combatem a depressão e a ansiedade

Mulheres que são mães, donas de casa e profissionais, tudo ao mesmo tempo. Homens bem sucedidos e que praticam esportes como atletas. Crianças que além das provas, ainda possuem muitas atividades após as aulas. Adolescentes em fase de vestibular. Com essa vida corrida é inevitável sentir os efeitos da pressão. No entanto, existem maneiras de amenizar estes sintomas. Que tal aliviar o stress através da alimentação? Existem alguns alimentos que podem ajudá-lo!

Alface: substâncias encontradas principalmente nos talos das folhas como a lactucina e lactupicrina, atuam como calmantes naturais.

Espinafre e brócolis: previnem a depressão. Contêm potássio e ácido fólico, importantes para o bom funcionamento das células, assim como o magnésio, o fosfato e às vitaminas A e C e ao Complexo B, que garantem o bom funcionamento do sistema nervoso. 
Peixes e frutos do mardiminuem o cansaço e a ansiedade, pois contêm zinco e selênio, que agem diretamente no cérebro. Cereais integrais e chocolate (com moderação) também são ótimas fontes de zinco. O selênio também pode ser encontrado no atum enlatado e na carne de peru.

Laranja: promove o melhor funcionamento do sistema nervoso. É um ótimo relaxante muscular, ajuda a combater o estresse e prevenir a fadiga. A fruta é rica em vitamina C, cálcio e vitaminas do Complexo B. A ingestão de vitamina C inibe a liberação de cortisol, principal hormônio relacionado ao estresse no corpo.

Castanha-do-pará: melhora sintomas de depressão, auxiliando na redução do estresse. Também é rica em selênio, um poderoso agente antioxidante. Uma unidade ao dia já fornece a quantia diária recomendada de 350mg. 
Alimentos ricos em vitaminas do complexo B: Quando o estresse está presente, o corpo utiliza a glicose desordenadamente, consumindo então as proteínas do músculo como fonte de energia. O ideal então é se alimentar de alimentos ricos em carboidratos complexos e uma dose extra de proteína magra como: leite em pó, queijo minas, amêndoas e carne que contém vitamina B12; ovo, leite, banana, aveia, batata, ricos em vitamina B6.

Maracujá: Ao contrário do que diz a crença popular, a fruta não é calmante, mas sim suas folhas. As folhas contêm alcalóides e flavonóides, substâncias depressoras do sistema nervoso central (SNC), o conjunto do cérebro com a medula espinal, responsável pela sensibilidade e pela consciência. Por isso, elas atuam como analgésicos e relaxantes musculares. 
Fonte: MSN