sábado, 29 de março de 2014

Conheça mais um método para acabar com a gordura localizada

No consultório, uma das mais recorrentes reclamações femininas é agordura localizada. Muitas não conseguem resultados realmente efetivos com exercícios, dietas ou tratamentos estéticos não invasivos, pois a células de gordura depositadas em determinadas regiões são, de fato, muito difíceis de serem removidas.

Por isso, muitas vezes a única solução para resolver esse problema é recorrer à cirurgia plástica. Uma das técnicas que mais emprego para esses casos é a Hidrolipoclasia Aspirativa Ultrassônica (HLPA), que apresenta ótimos resultados.

Ela surgiu da associação de dois métodos já consagrados no mundo da beleza: a lipoaspiração (com micro-cânulas) e a Hidrolipoclasia Ultrassônica, que oferece o melhor resultado em lipoaspiração já existente no mercado. A grande vantagem do procedimento é a não obrigatoriedade da internação hospitalar, pelo fato de ela retirar pequenos volumes de diferentes regiões do corpo.
Tratamentos para celulite
O procedimento também é chamado de Hidrolipoclasia Aspirativa ou Lipoaspiração sob anestesia local, sendo a HLPA uma opção bastante segura de tratamento para gordura localizada, por combinar a técnica infiltrativa e a utilização de ultrassom estético.

Particularmente, já realizei mais de duas mil cirurgias deste tipo e a HLPA é realmente uma das melhores alternativas. Ela combina a técnica infiltrativa, que diminui consideravelmente o sangramento na região, e o trabalho conjunto de dois médicos em um mesmo local, sendo um deles cirurgião plástico e o outro especialista em estética.
O paciente não precisa ficar internado, podendo retornar às suas atividades normais já no dia seguinte.
Além disso, vale destacar que a HLPA causa menor trauma local, possibilitando assim uma recuperaçãomais rápida. O paciente não precisa ficar internado, podendo retornar às suas atividades normais já no dia seguinte, o que expõe a menos riscos de contrair infecções, por exemplo.

No entanto, deve ser realizada em sala cirúrgica totalmente equipada e preparada para dar ainda mais segurança aos pacientes. A HLPA tem, ainda, outros diferenciais, como a aplicação de anestesia local e a remoção de até 1.500 ml por área tratada. Em geral, se aspira uma área por vez para não ultrapassar a dose tóxica de anestésico no organismo.

Outro dispositivo interessante é a participação ativa do (a) paciente em todo processo, inclusive no final quando ele (a) opina sobre o resultado.
Entretanto, antes de fazer a HLPA são necessárias algumas medidas, como realizar uma anamnese minuciosa, pois a indicação do procedimento é a mesma de uma lipoaspiração clássica de pequeno porte. Também são solicitados exames pré-operatórios e o médico fica encarregado de esclarecer detalhadamente o procedimento ao paciente para que possa estar ciente de todos os aspectos que envolvem o procedimento.

Já no pós-operatório, é preciso utilizar uma cinta elástica compressiva entre, aproximadamente, duas e quatro semanas e o paciente ainda é orientado a iniciar sessões de drenagem linfáticamanual dois dias após o procedimento. A massagem poderá ser realizada de de duas a três vezes por semana por um período de quatro a cinco semanas.
Fonte: MInha Vida

Cirurgia plástica na terceira idade é possível, mas requer cuidados

Com o aumento da expectativa de vida, cada dia cresce mais a porcentagem de pessoas na terceira idade que estão ativas e que buscam não só por atividades e relacionamento que contribuam com a sua saúde, mas também que prezem por seu bem-estar, qualidade de vida e beleza.
Muitas dessas pessoas se deparam com um descompasso entre a sua aparência e seu estado de espírito, elas se olham no espelho e não veem por fora a jovialidade que sentem por dentro. Mesmo com a ajuda de uma dieta balanceada e da prática regular de exercício, os sinais naturais do envelhecimento são inevitáveis com o avanço do tempo. Nesse sentido, a cirurgia plástica se tornou uma escolha para muitos desses senhores e senhoras que buscam alinhar as partes física e mental. 

Existe idade para uma plástica?

Há pessoas que não se considerem aptas à cirurgia plástica única e exclusivamente por conta da própria idade. Mas, na verdade, o limite para a realização de cirurgias plásticas em pessoas mais velhas é a saúde do paciente, não sua idade cronológica. Se o paciente estiver saudável e a cirurgia for compatível com as condições clínicas dele, o cirurgião plástico pode fazer o procedimento. 
No momento dos exames pré-operatórios o médico realiza uma investigação mais criteriosa da saúde do paciente idoso, exigindo não só a lista de exames padrão, mas também outros mais minuciosos, como o Holter e o teste ergométrico. Há casos em que o paciente não consegue fazer o teste ergométrico, o que já demonstra que ele não está apto a passar por um procedimento cirúrgico com fins estéticos. Já no caso de um paciente com problemas de locomoção, que anda muito devagar e com dificuldade, ele não está apto a uma plástica de abdômen ou mama, mas pode se submeter a técnicas de menor porte, como é o caso da blefaroplastia (também chamada de plástica de pálpebras) e do rejuvenescimento facial, ou lifting facial

Cuidados especiais

A cirurgia em um paciente da terceira idade também exige cuidados diferenciados. É possível fazer uma abdominoplastia ou uma plástica para elevação ou redução das mamas em uma paciente idosa? Sim, porém, cada uma delas deve ser realizada de forma separada e ambas com uma técnica cirúrgica mais enxuta, pensada para acontecer mais rápido e com um menor descolamento de pele. A associação de dois ou mais procedimentos numa única cirurgia não é recomendada ao paciente com mais idade. 
Por conta do envelhecimento natural do organismo, há particularidades no paciente da terceira idade. Um exemplo claro é a circulação sanguínea, que se torna mais dificultada com o avanço da idade. O cirurgião plástico não pode fazer grandes retalhos ou descolamentos de pele, já que a recuperação desses tecidos pode ficar comprometida após a cirurgia; e o tempo cirúrgico tem que ser pequeno, o mais reduzido possível, mantendo o paciente por pouco tempo sob o efeito da anestesia. 
O processo pós-cirúrgico depende muito da saúde do paciente idoso e pode variar de caso a caso. A cicatriz no paciente jovem é mais forte, ela fica vermelha, mais grossa e se forma mais rápido porque as células do organismo são novas e mais ágeis. No paciente da terceira idade as células são mais lentas, o resultado final demora mais para aparecer, mas a cicatriz fica mais fina, pois a pele é fina, o que esteticamente resulta em uma cicatriz mais bonita. 
Em geral os pacientes mais idosos têm cerca de 75 anos de idade e buscam por melhorias em seu rosto. A cirurgia acaba contribuindo para a autoestima desse paciente, influenciando positivamente em seu bem-estar nos relacionamentos pessoais e amorosos. O cirurgião plástico irá trabalhar dentro das possibilidades clínicas do paciente, com o objetivo de atender às expectativas da pessoa em relação à cirurgia, sem expor a saúde dele a riscos. 
Fonte: MSN

domingo, 23 de março de 2014

HAPPY HOUR DA SAÚDE NA CLÍNICA E SPA EQUILIBRIUM

Caro paciente,

Estou atendendo também na Clínica de Estética Equilibrium no Centro do Rio de Janeiro. Estamos promovendo um evento importante para você. Venha conhecer nosso trabalho e produtos de nutrição e estética.




A Clinica  e Spa Equilibrium em parceria com algumas empresas, convidam você, um cliente especial, para passar 1 hora na Clínica, no dia 01/04/2014, entre 15h até 19h, para conhecer e degustar vários produtos de  Nutrição estética, saúde e emagrecimento, além de conhecer todos os tratamentos novos da Clínica e  toda sua equipe.
 Terão vários sorteios durante o evento.

Convites limitados.
 Precisamos que confirme sua presença e marque seu horário para a sua participação;
( telefone: 22101076 com Amanda ).

Os horários são:
15 às 16h
16 às 17h
17 às 18h
18 às 19h

As empresas que estarão no evento são: Dermage, Office Lab, Sanavita, Dom Esportes, Lowcucar e Metabólica.

Aguardo você,

Clínica e Spa Equilibrium


( Rua da Assembléia, 41, sobreloja- Centro)            

PATRÍCIA BRIGAGÃO MENDES

NUTRICIONISTA
PATRÍCIA BRIGAGÃO MENDES
CRN/4-1972

A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL MELHORA O CONTROLE DE DOENÇAS PRÉ- EXISTENTES , PREVINE OUTRAS E MELHORA A QUALIDADE DE VIDA.”

Endereços de atendimento:

Copacabana
Av. Nossa Senhora de Copacabana, 664, sala 707, portaria 3. tel: 2255-7835

Atendo alguns planos de saúde ( Bradesco, Golden Cross, Caixa Econômica)


Clientela:Crianças, Adolescentes, Gestantes, Adultos e Esportistas.

Atendimento particular e para vários convênios (Funcef, Bradesco e Golden Cross)

Patologias:Diabetes tipo 1 e 2, diabetes gestacional obesidade, desnutrição, anemia, alergias alimentares, doenças gástricas e cardiovasculares, câncer, orientação nutricional,etc.

.

- Trabalho com Grupo de apoio ao emagrecimento (GAE) em Copacabana , com reuniões quinzenais. Pode estar seguindo dietas de outros profissionais.
 Ligue para maiores esclarecimentos no tel: 998444298

Atendimento como Personal Diet (somente particular)
Informações pelo tel: 998444298 ou por email: patbrigagao@gmail.com

- Atendimento nutricional domiciliar para pacientes acamados, idosos e outros.
(dietas especiais)
- Cardápios , receitas criativas e personalizadas (simples ou sofisticadas) para famílias.
- Orientação para cozinheiras (técnicas de culinária para receitas saudáveis, dicas de congelamento e microondas, orientações sobre compras , organização de despensa, freezer, geladeiras e armários, etiqueta para jantares formais,etc).

10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Atividade Física

cuidados com a saúde


Conheça os benefícios da realização de exercícios no 10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Atividades Físicas. Lembrando que o sedentarismo é uma das principais causas de doenças cardiovascularesdiabetesobesidade e outras doenças crônicas não transmissíveis.

Confira, então, os 10 coisas que você precisa saber sobre atividade física:
  1. prática de exercícios, de intensidade moderada, durante meia hora por dia é suficiente para que o cidadão deixe de ser sedentário. Estes trinta minutos podem ser contínuos ou divididos em três períodos de 10 minutos cada.
  2. Quando se fala em exercícios, o mais importante é que você pratique alguma atividade que se adapte ao seu estilo de vida e que seja do seu agrado. Caso contrário, são muitas as chances de interrupções.
  3. Pequenas modificações no hábito diário – como subir escadas, saltar do ônibus um ponto antes, passear com cachorro, varrer, cuidar do jardim, lavar o carro, etc. – podem ajudá-lo a movimentar mais e servir como um estímulo para o início de uma atividade física diária.
  4. Os efeitos benéficos da atividade física ocorrem para as pessoas que se exercitam com regularidade. Aqueles com IMC entre 25 e 30 (sobrepeso), nestas condições, podem ter um risco menor de desenvolver diabetes e outras doenças metabólicas do que os sedentários.
  5. De acordo com o United States Departament of Health and Human Services, é importante os adultos pratiquem duas horas de atividades anaeróbicas (musculação localizada), por semana, além dos 30 minutos de caminhada intensa por dia. Nos casos de pessoas com diabetes, hipertensão, obesidade e pessoas com problemas no metabolismo ósseo, por exemplo, é preciso ter um cuidado especial na escolha dos exercícios a praticar. Nestes casos, é imprescindível o acompanhamento de um profissional.
  6. 1 minuto de atividade física intensa é compatível com 2 minutos de atividade moderada. Caminhada em ritmo acelerado, hidroginástica, passeio de bicicleta e jogo de tênis em dupla são alguns dos exemplos para atividade moderada. Já a corrida, a natação, o basquete e a corrida de bicicleta são consideradas intensas.
  7. Durante a prática de um exercício físico é possível que haja uma redução na taxa de glicose da pessoa. O indicado, principalmente para pessoas com diabetes, é que carreguem consigo algum tipo de carboidrato de rápida absorção.
  8. As atividades físicas melhoram a sensação de bem-estar, diminuem a ansiedade e a probabilidade de depressão, por liberarem a serotonina (hormônio conhecido como “molécula da felicidade”).
  9. Dentre os benefícios da prática de exercícios estão: a diminuição do apetite, a melhora do humor, a perda de gordura (emagrecimento), o enrijecimento dos músculos, a melhora da imunidade e o retardo do envelhecimento.
  10. Em uma recente pesquisa feita pelo Overseas Development Institute, na Grã Bretanha, mostrou que o número de adultos obesos cresceu quatro vezes nos últimos 30 anos, em países em desenvolvimento, ou seja, são mais de 1 bilhão de pessoas acima do peso.


    Texto: Flavia Garcia
    Fontes: Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde, Programa Agita Mundo e o Departamento de Saúde, Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabolica e Serviços Humanos dos Estados Unidos.
    Fonte: SBEM

    Receitas com Whey protein


    Abaixo seguem algumas receitas com Whey protein que auxiliam no emagrecimento e ganho de massa muscular. Porém, você deve ir ao nutricionista para receber a orientação adequada para o seu caso. Não tome suplementos sem orientação e acompanhamento médico e nutricional.

    Cookies ou barra de proteína
    Ingredientes:
    50 gramas de aveia em flocos finos
    50 gramas de aveia em flocos grossos
    100 gramas de nozes trituradas
    100 gramas de castanhas de cajú moída
    100 gramas de passas sem sementes
    1 colher de cacau sem açúcar
    4 medidas de whey protein
    Modo de preparo:
    Coloque todos os ingredientes em uma bacia pequena.
    Descasque uma maçã e coloque no liquidificador com 300 ml de água. Depois de bater, coloque em um pirex com uma colher de pasta integral de amendoim. Leve ao microondas por 1 minuto.
    Misture todos os ingredientes e cubra a forma com papel alumínio. Espalhe a massa até ficar bastante fina e leve-a ao forno em temperatura de 150 graus.

    Bolo whey protein
    Ingredientes
    30 gramas de aveia
    10 claras de ovos
    1 medida de whey protein
    1 colher de cacau em pó
    1 colher de fermento
    Modo de preparo
    Bater as claras em neve e  acrescentar a whey e o cacau em pó com fermento e bater tudo. Assar no forno elétrico ou no fogão.
    Após ficar pronto, abra o bolo ao meio e acrescente banana amassada com canela.
    Recheio do bolo
    1 colher de pasta de amendoim integral
    1 colher de cacau em pó
    2 medidas de whey protein Acrescente um pouco de água até virar uma cobertura bastante densa e coloque sobre o bolo. Acrescente ainda os morangos e deixe por uma hora na geladeira. Ele deve ser servido gelado.  

    Picolé Protéico

    Ingredientes:
    3 medidas de whey protein de chocolate
    5 gramas de glutamina
    1/2 mamão papaia
    1 colher pequena de goma xantana

    Modo de preparo:Bata todos os ingredientes no liquidificador até formar uma goma bastante densa. Em seguida, coloque a massa nos copos e leve ao freezer. Assim que estiver mais denso, coloque os palitos e espere congelar e servir.

    Omelete doce
    Ingredientes:
    10 claras
    5 cápsulas de BCAA (aminoácidos que ajudam a ganhar massa muscular)
    1 colher de canela
    Recheio para o omelete:
    1 colher de pasta integral de amendoim
    4 medidas de 'whey ISO 3x MedNutrition'
    Modo de preparo
    Misturar a pasta de amendoim e a whey protein com pouca água até formar uma pasta. Colocar o recheio na parte interna do omelete e, depois de pronto, acrescente o blueberry e os morangos. Com uma colher faça o recheio da parte de cima!


    Brownie de whey protein


    Ingredientes:
    100 gramas de aveia flocos finos
    30 gramas de farinha de trigo integral
    1 colher de cacau em pó sem açúcar
    100 gramas de castanha de cajú moída
    100 gramas de nozes quebradas
    1 maçã
    6 claras com 1 gema
    1 colher de sopa de pasta de amendoim integral
    5 medidas de whey protein de chocolate
    Modo de preparo:
    Colocar todos os ingredientes em uma vasilha e bater a maçã com 200 ml de água no liquidificador. Depois, misture tudo na vasilha e mexa bem até formar uma massa bastante densa.
    Cubra a bandeja com folha de alumínio e leve-a ao forno elétrico com temperatura em 100 graus por uns 20 minutos... e pronto!


    Fonte: MInha Vida

    sábado, 22 de março de 2014

    Transforme você em prioridade e melhore a autoestima

    Você mal consegue pensar em si mesmo de tão lotada que sua agenda anda ultimamente. Trabalho, família, relacionamento e compromissos sempre estão na frente de tudo, por mais que você lamente e tenha o desejo de fazer diferente. "A falta desse instante pessoal é um baque para a saúde e a autoestima, seu relógio biológico está sempre em atraso e o corpo vive cansado e sob estresse", afirma a psicóloga Andreia Calçada, especialista em Psicopedagogia Clínica, do Rio de Janeiro. Se você está sentindo na pele o peso de uma rotina atribulada e não vê a hora de dedicar um tempinho para si próprio, aproveite as dicas dos especialistas e aproxime esse momento.



    Planeje o seu tempo
    Procure se organizar no começo de cada semana, separando um momento para você. Contar com a sorte para arranjar um tempinho de sobra, normalmente, é furada. "Planejar as suas atividades deixa você mais preparado até para imprevistos, o que traz mais segurança e certeza de que terá o seu momento exclusivo", afirma a psicóloga Fabiana Albino Diniz, do Centro de Referência em Medicina Preventiva da Unimed Paulistana. 

    Reunião de uma pessoa só
    Não encare o momento para si mesmo como uma janela na sua agenda, que pode ser preenchida se alguma urgência do trabalho aparecer, mas sim como uma reunião com você mesmo, que não pode ser desmarcada. Comece com 15 minutos reservados e tente aumentar aos poucos. Certamente haverá censura de algumas pessoas que precisam de você, ignore. "Se preferir, nem explique o que está marcado, diga apenas que é um compromisso pessoal", afirma Andreia Calçada. "Sem essa pausa, vai chegar a um ponto em que você não vai conseguir mais o mesmo desempenho de sempre, tamanho o estresse."

    Gaste esse momento sem trapacear
    Pare para pensar: o que você realmente gosta de fazer? "Parece ser uma pergunta fácil, mas tem gente que passa tanto tempo sem pensar em si que mal consegue responder", afirma a psicóloga Andreia. Ela também recomenda se olhar no espelho: o que está te incomodando? É hora de cuidar desses pontos, a sua autoestima vai sentir os efeitos. Não vale usar esse tempo livre para quebrar o galho de alguém ou fazer a compra de supermercados da família.

    Livre-se do que ocupa tempo no seu dia
    Se soar absurdo ter um momento para você com tanta correria na rotina, faça uma poda na sua árvore de compromissos: corte as "pontinhas" que não fazem tanta diferença, como o hábito de arrumar todo dia a casa do mesmo jeito impecável, ir ao supermercado diversas vezes por semana, passar horas apenas bisbilhotando as redes sociais ou abrir todos os e-mails da sua caixa de entrada. O tempo poupado vai ser suficiente para você aproveitar do jeito que bem entender e relaxar um pouco.

    Procure identificar o que te faz infeliz
    Você é prioridade, então, repense o que te faz mal na rotina: a insatisfação no ambiente de trabalho, o trânsito, algum desentendimento dentro de casa, os quilos extras ou outro problema qualquer. "Muitas situações difíceis podem ser contornadas se você mantiver a força de vontade e souber o que quer", afirma Andrea Calçada. Pode ser uma mudança bem gradual, mas a simples sensação de que você pode - e vai - deixar as coisas melhores para si já serve de calmante. 

    Diga não aos outros
    Chega de engolir sapos, é impossível agradar todo mundo a todo o momento. "Cada um acha que a sua própria solicitação é mais importante, então é preciso que você avalie se realmente o pedido dos outros é urgente a ponto de você parar o que está fazendo", afirma a psicóloga Milene Rosenthal, do projeto Psicolink. Ter de interromper toda hora o que você está fazendo para atender demandas de outras pessoas pode causar a sensação de que você é incapaz de realizar as tarefas e não tem domínio sobre o seu tempo.

    Peça ajuda quando necessário
    Pare de vestir a capa de super-herói, ninguém dá conta de tudo sozinho. "Tem gente com medo de pedir ajuda e passar a impressão de incompetente, mas certamente outras pessoas já pediram uma mão sua e, nem por isso, você classificou como alguém incapaz", afirma a psicóloga Andreia. Pare de querer perfeição, pois tentar fazer tudo sozinho pode trazer resultados muito piores do que ter ajuda de outras pessoas.

    Pense em... nada!
    Vá para um lugar livre de outras pessoas, fique em silêncio e leve a mente para longe de tudo. O seu corpo merece essa pausa, que pode ser de apenas cinco minutos. "É uma questão de respirar e tentar descobrir o que você está sentindo, o autoconhecimento não deve ser deixado de lado", afirma Andreia Calçada. De quebra, você descarrega o peso do estresse e volta com mais disposição para as tarefas.
    Fonte: Dieta e Saúde

    Comprometimento é fundamental para quem deseja perder de peso

    O processo de perda de peso é mais complexo do que parece, pois envolve não só a reeducação alimentar, mas também a reeducação emocional. Afinal, todo mundo sabe que para poder emagrecer é necessário gastar mais calorias do que consumir. Alcançar tal meta, entretanto, não é nada simples e alguns fatores são fundamentais para que se alcance o sucesso.


    Um passo importante para quem quer começar essa empreitada é procurar profissionais habilitados, como uma nutricionista, um psicólogo e um educador físico, e sempre buscar uma segunda opinião. Ouço diversos relatos de pessoas que foram submetidas a dietas malucas ou que receberam receitas de remédios milagrosos.

    Não faltam no mercado, nas revistas e na internet sugestões e produtos que prometem o emagrecimento fácil, mas sabemos que eles não são efetivos e podem levar ao efeito sanfona ou ao surgimento de transtornos alimentares.

    Quando realmente decidimos perder peso de forma adequada, além dos profissionais citados, é necessário mudar comportamentos e isso implica em comprometimento com o desejo de mudança e consigo mesmo.

    Esse processo depende de organização e disciplina, pois uma das orientações prescritas pelos nutricionistas é alimentar-se a cada três horas, uma medida simples e coerente, mas que pouquíssimos cumprem. Muitos são os fatores que influenciam o real desejo de perder peso ou mantê-lo, alguns até inconscientes.

    Quando assumimos a responsabilidade de perder peso, devemos ter total consciência de que uma orientação adequada resolve apenas parte do problema. A outra é buscar meios de seguir essas diretrizes e isso demanda organização e disciplina.

    Por outro lado, defrontamo-nos com pessoas que não seguem essas orientações e nem sempre por falta de organização. Algumas delas acreditam que adotando outras estratégias, como comer menos, por exemplo, também alcançarão o objetivo de perder peso.

    Esse último grupo segue a máxima do "tudo ou nada", ora comendo em excesso, ora não comendo nada. Nenhuma dessas opções é adequada e isso nos leva a pensar novamente no porque é tão difícil se comprometer consigo mesmo. Sabotagem? Quais são as mudanças que irão ocorrer caso eu emagreça? Como vou me sentir sendo admirada? Vou conseguir manter o peso magro? E se eu tentar e fracassar? Os amigos e a família irão me cobrar? Sentimento de impotência?

    Podemos enumerar vários aspectos, porém cada um tem sua história de vida e a relação entre a comida e as emoções variam de acordo com suas crenças, vivências e formas de lidar com a tristeza, alegria e ansiedade.

    Desta forma, poder passar por um processo de autoconhecimento vai auxiliar no desenvolvimento de uma melhor percepção dos sentimentos, promovendo a aquisição de ferramentas internas e externas que irão possibilitar lidar com as emoções e a comida de forma assertiva.

    A psicologia é um aliado nesse trabalho, pois eleva a autoestima, ampliando, assim, as condições de se realizar mudanças na vida, incluindo a organização e a disciplina que toda reeducação alimentar necessita.

    É fundamental que cada um posso se perguntar o que o impede de alcançar os objetivos, permitindo-se olhar si próprio.
    Fonte: Dieta e Saúde

    Biomassa da Banana Verde, conheça um pouco sobre este assunto!

    O nome é pomposo e correto... e o resultado final é uma massa supersaudável. O aproveitamento é incrível, já que pouquíssimas pessoas comem banana verde (eu não conheço ninguém!). E os benefícios para a saúde são vários e vão do emagrecimento a redução no colesterol. Essa massa nada mais é do que um creme espesso que, claro, se faz com bananas – de preferência, nanicas! – sem estarem maduras.
    Essa preparação é funcional para o nosso organismo, pois a polpa da fruta apresenta uma grande quantidade de amido resistente que se assemelha com a fibra, que não é nem digerida e nem absorvida pelo intestino delgado.
    Por ser tão resistente, a biomassa fermenta e age no intestino grosso como fonte de energia para as bactérias boas do organismo. Desse modo, ela também mantém a mucosa intestinal com um bom funcionamento: absorve os nutrientes e serve como barreira entre o meio externo e interno.
    A biomassa de banana verde também auxilia a flora intestinal, sendo aconselhada até para o tratamento de diarreias ou constipação. Além disso, ela ajuda a controlar o colesterol, uma vez que age no fígado aumentando a eliminação por meio dos ácidos biliares. E o melhor de tudo, reduz a absorção de gordura e de glicose da dieta (oba!).
    Por ser rica em fibras, essa biomassa também oferece sensação de saciedade e pode substituir ingredientes super calóricos nas receitas, como leite condensado, creme de leite ou maionese. Isso porque ela serve como espessante e ajuda no preparo de molhos, pães, bolos, massas e sucos.
    Além disso, a banana é rica em vitaminas (A, B1 e B2) e minerais, como fósforo, magnésio, potássio e sódio. Quer mais? O creme da banana verde carrega esses nutrientes também quando cozido!
    Veja a seguir o passo a passo para fazer essa receita deliciosa e incluir a biomassa de banana verde desde já no seu cardápio!
    Consumo diário
    A biomassa de banana verde pode ser consumida por todos: crianças, homens, mulheres, gestantes, adultos e idosos.
    Por enquanto não há contraindicações, mas deve-se atentar sobre a quantidade diária: recomenda-se consumir de duas a quatro colheres de sopa por dia – cada uma tem apenas 25 calorias!

    RECEITA DO CREME DE BANANA VERDE QUE AJUDA A EMAGRECER:

    Ingredientes
    Molho de tomate com polpa de banana verde. Cozinhar em uma panela:
    - 1 quilo de tomate
    - 3 dentes de alho
    - 1 cebola
    - ½ alho poro
    - 1 maço de manjericão
    - 1 maço de cheiro verde
    - 1 cenoura
    Tempero
    Use um pouco de sal e pimenta, desligue o fogo e deixe esfriar. Bata no liquidificador somente o sólido e adicione 2 colheres de sopa de polpa de banana verde.

    Como preparar a biomassa de banana verde
    O preparo é simples: corte as pontas de 10 bananas nanicas bem verdes, sem deixar aparecer a polpa.
    Cozimento da banana
    Coloque a água para ferver em uma panela de pressão: a quantidade de água deve cobrir as bananas.  Quando ferver, adicione as bananas à panela para dar um choque térmico.
    Tampe e espere pegar pressão. Desligue o fogo e deixe-as cozinhando no vapor por 20 minutos mais ou menos.
    Separe a casca da polpa, e passe imediatamente para o processador ou liquidificador.
    Cuidado: a polpa tem que estar bem quente! Para não queimar o liquidificador, coloque 100ml de água a cada 5 bananas.
    Etapa final
    Triture até a massa ficar homogênea e, se necessário, adicione mais água para dar cremosidade.
    Se não for usar imediatamente, guarde na geladeira por até 5 dias ou congele pelo período de até 3 meses (em vasilhas de vidro). 

    Fica a dica!
    Você pode preparar “N” coisas com a biomassa: bolos, pães, sucos e até molho de tomate.

    fONTE: MINHA VIDA

    quinta-feira, 20 de março de 2014

    Ingerir água nas refeições não engorda, mas bebidas açucaradas sim!

    A ciência de nutrição nunca ganhou tanto destaque como nos dias atuais. Temas sobre alimentação e nutrição são tão recorrentes em programa televisivos ou mídias impressa e online, que já fazem parte das discussões populares. Na fila do banco sempre se encontra alguém que tem uma receita nutricional para controlar a pressão arterial. Nas feiras livres em cada banca uma receita para saúde. No salão de beleza as dicas são para emagrecer... Tanto se fala sobre este assunto que ao invés de esclarecer o que há de verdadeiro no poder dos alimentos, cria-se dúvidas, muitas dúvidas. 

    Em alguns casos, determinadas informações são tantas vezes repetidas ao longo do tempo que se tornam verdadeiros mitos nutricionais. São informações passadas de geração a geração e ganham tanta força na cultura popular que são tidos como verdades absolutas. O líquido junto com a refeição é um desses mitos. Não tem uma pessoa que não tenha uma informação formada sobre isso. O que mais se diz é que "líquido junto com a refeição engorda", "aumenta a barriga", "deixa o estômago alto", "causa anemia". Vamos tentar esclarecer algumas dessas afirmações e aquelas não respondidas ficarão à serviço da imaginação popular. 
    As questões mais importantes com relação ao líquido junto com a refeição dizem respeito às alterações nutricionais. O líquido pode diluir o suco gástrico, tornando a digestão alimentar mais lenta e influenciando a liberação de alguns nutrientes como o ferro. Mas na prática clínica, é raro encontrar pessoas com deficiência nutricional por consumir líquidos com a refeição. O bom senso recomenda cuidar das porções. Um copo com 250 ml de líquidos acompanhando à refeição não causará problemas nutricionais relevantes. Sim, podemos tomar líquidos com a refeição! 
    O líquido no estômago junto com a refeição pode mesmo aumentar o volume abdominal. Mas isso não significa ganho de peso ou aumento da barriga. Trata-se apenas uma distensão gástrica, a parede abdominal volta ao normal após o tempo necessário para a digestão. Apesar disso, essa distensão, se for constante, pode sim aumentar o tamanho do estômago. Essa dilatação vai exigir mais volume alimentar para que a resposta de saciedade seja adequada, e consequentemente, causar ganho de peso. Consumir água não aumenta o peso, comer muito, sim! 
    Várias são as alegações de líquidos junto com a refeição associados ao peso corporal. Àquelas associadas ao emagrecimento estão diretamente relacionadas à resposta de saciedade. Parte da resposta fisiológica de saciedade do corpo humano diz respeito à distensão da parede gástrica, causada pela presença do alimento. Isto justifica as alegações de que beber água antes das refeições poderia ajudar no emagrecimento. Poderia ser verdadeiro se a saciedade fosse uma resposta causada apenas pelo preenchimento do estômago. Infelizmente não é assim. 
    A qualidade do nutriente presente no estômago esta diretamente relacionada à resposta adequada de saciedade. Alimentos ricos em proteínas e gorduras são os que mais tempo ficam no estômago e são os mais fortemente relacionados à plenitude gástrica. 
    Os líquidos têm uma pausa gástrica curta causando uma falsa sensação de saciedade. As consequências podem ser perigosas, a fome pode voltar muito cedo, conduzindo para a busca maior de alimentos fora dos horários das refeições, e inevitavelmente, causar ganho de peso. Mas nada tem a ver o líquido com a refeição, apenas com a ineficiência em enganar o corpo humano e maior consumo alimentar. Líquido junto com a refeição não ajuda a emagrecer
    No que diz respeito ao aumento de peso a partir de líquidos, uma única informação basta: açúcar! A maior parte dos líquidos consumidos atualmente é rica em açúcar e o consumo exagerado dessas bebidas, sim, causa ganho de peso. A questão mais importante nesse caso não é beber junto com a refeição, mas quantas calorias contém o líquido que acompanha a refeição. Sucos, águas aromatizadas adoçadas com açúcar, refrigerantes, águas tônicas, bebidas energéticas. Todos estão no topo dos produtos que mais causam ganho de peso. Não há nada relacionado à ocupação gástrica do líquido, mas sim ao teor calórico dessas bebidas. Sim, bebidas com açúcar causam ganho de peso! 
    Os refrigerantes ou bebidas gaseificadas mereceriam uma capitulo a parte, tamanha a quantidade de malefícios associados às bebidas. De fato, são as piores. Potencializam os efeitos de má absorção dos nutrientes; influenciam a saúde dos dentes; aumentam ainda mais distensão abdominal; irritam a mucosa gástrica. Refrigerantes ou bebidas gaseificas sem açúcar, conhecidas como light ou zero, essas bebidas não causam ganho de peso. Refrigerante zero açúcar ou light não engorda! 
    E o que diz a ciência? A ciência da nutrição é a favor de não consumir líquidos junto com a refeição. Essa é a recomendação de saúde. Quando não for possível, recomendamos o consumo de pequenos volumes. A prioridade deve ser sempre para a água. Sucos de frutas naturais deve sempre ser a segunda opção. Esses devem ser diluídos em água e prioritariamente sem adição de açúcar. Comer a fruta é a recomendação de saúde. Sucos de fruta e de soja artificiais e os refrigerantes são bebidas que devem ser evitas ou consumidas eventualmente. Essa é a recomendação de saúde! 
    Fonte: MSN

    Nova resolução da ANVISA ajuda pessoas a escolherem melhor os alimentos

    Recentemente uma nova resolução da ANVISA alterou as normas sobre a Informação Nutricional Complementar (INC) das embalagens de alimentos. A INC é a alegação nutricional do produto, por exemplo, se ele é light, baixo em gordura, rico em fibras, fonte de vitaminas, não contém açúcar, entre outros.  

    Essa nova regulamentação teve como objetivo adequar as normas brasileiras às regras do Mercosul, facilitar a fiscalização e principalmente melhorar o acesso do consumidor às informações nutricionais importantes dos rótulos de alimentos. Dessa forma, as pessoas podem escolher melhor os alimentos que vão consumir e a padronização das informações não leva o consumidor ao engano ao comparar diferentes marcas de produtos.  
    Antes as alegações eram feitas com base em 100 gramas ou 100 ml do produto e agora são feitas de acordo com a porção do alimento. Dessa forma, as informações ficam mais claras e de acordo com a tabela de valor nutricional que já é calculada sobre a porção do alimento. 
    Para a alegação light, o produto deve reduzir em 25% o valor energético (calorias) ou de algum nutriente, por exemplo, gorduras, sódio, colesterol ou açúcar. Nesses casos, deve ser veiculada a informação sobre a quantidade de redução do nutriente em questão ou do valor energético. Exemplo: uso da alegação light em sódio, seguida da informação "menos 30% de sódio". 
    Antes, além desse critério, produtos com baixo valor energético ou de algum nutriente também podiam ser considerados lights sem que houvesse redução comparado com um alimento de referência. Por exemplo, poderia existir um peito de peru light, sem que houvesse redução de calorias em relação a algum outro peito de peru existente. Ou gerar comparações entre produtos diferentes como comparar maionese com azeite. 
    Já para que um alimento seja considerado fonte ou rico, ele deve apresentar uma quantidade mínima desse nutriente na porção do alimento pronto para o consumo. Por exemplo, para ser fonte de vitaminas e minerais, o alimento precisa conter no mínimo 15% do valor diário (VD) /porção e para ser rico pelo menos 30% do VD/porção. 
    Além disso, no caso das proteínas, o alimento além de precisar apresentar no mínimo 12 gramas por porção para ser considerado rico, ele ainda precisa atender as quantidades mínimas de aminoácidos essenciais. Isso para garantir que a proteína contida seja de alto valor nutricional. E no caso das fibras, vai ser importante para o consumidor ter mais ferramentas na hora da escolha, já que muitos produtos considerados integrais apresentam muitas vezes mais ingredientes refinados que integrais e acabam não contendo uma quantidade adequada de fibras. Para ser fonte de fibras o alimento precisa conter pelo menos 2,5 gramas de fibras/porção e para ser rico mínimo de 5 gramas/porção. 
    É importante lembrar que nem todo alimento que possua uma dessas alegações nutricionais é mais saudável que outro. Isto porque as propriedades nutricionais não são obrigatórias nas embalagens. Além disso, um produto pode alegar ser isento de açúcar, mas conter altos teores de gordura saturada, por exemplo. Ou ser considerado light em calorias, mas conter muito sódio e aditivos artificiais.  
    Esse tipo de confusão é muito comum entre pessoas que desejam perder peso. Elas acabam trocando todos os alimentos pela versão light sem conhecer a composição dos nutrientes presentes e sem levar em conta a qualidade nutricional do produto.  
    Consumir somente esses produtos não garante uma alimentação adequada. É imprescindível que o consumo de produtos com alegação nutricional seja feito dentro de uma dieta contendo alimentos frescos, naturalmente ricos em nutrientes e fitoquímicos e isentos de aditivos.
    Fonte: MSN

    Índice de massa muscular tem relação com maior expectativa de vida

    Quanto mais músculos adultos mais velhos têm, menor o risco de morte, de acordo com um novo estudo da Universidade da Califórnia (EUA). O estudo foi publicado online em março no American Journal of Medicine.


    Os pesquisadores analisaram dados de mais de 3.600 adultos que participaram do U.S. National Health and Nutrition Examination Survey entre 1988 e 1994. Os participantes incluíram homens com 55 anos ou mais e mulheres de 65 ou mais.

    Como parte da pesquisa, os participantes foram submetidos a testes para determinar seu índice de massa muscular, o que é a quantidade de músculo em relação à altura. Anos depois, em 2004, os cientistas levantaram quantos desses participantes tinham morrido de causas naturais, para então relacionar o índice de massa muscular com o risco de morte.  

    Pessoas com altos níveis de massa muscular foram significativamente menos propensas a morrer por qualquer causa do que aqueles com níveis mais baixos de massa muscular. No entanto, o estudo mostra apenas uma associação, e não uma relação de causa e efeito.

     Segundo os autores, os resultados mostram que a composição total do corpo é uma medida melhor para avaliar nossa saúde do que somente o índice de massa corporal (IMC), que faz uma estimativa de gordura corporal com base no peso e altura. Eles afirmam que os médicos precisam se concentrar em maneiras de melhorar a composição corporal, equilibrando músculos e gorduras, em vez de analisar o IMC isoladamente. 

    Comece a atividade física já!
    Para entender porque os músculos ficam mais fracos com o passar da idade, é importante saber que eles  crescem somente até os 20 anos e sua densidade aumenta até os 35 anos, começando a perder-se progressivamente a partir disso. O mesmo acontece com os músculos: a partir dos 65 anos de idade, nossa massa muscular vai sendo perdida, cerca de 1% a cada ano. Pessoas que praticaram exercícios durante a juventude e mantiveram hábitos que contribuíram para o fortalecimento desses órgãos possuem um "pico" de massa óssea e muscular maior do que as pessoas que não mantiveram bons hábitos, e por isso demoram mais a apresentar problemas nesses sistemas. "No entanto, pessoas que não possuíam altos picos de massa muscular e óssea tendem a sofrer de problemas como osteoporose e sarcopenia mais rapidamente", explica o geriatra Roberto Dischinger, responsável pelo residencial para a terceira idade Lar Sant'ana, em São Paulo. O especialista afirma que praticar exercícios já na idade avançada ajuda a impedir a perda, prevenindo essas doenças, mas a pessoa não conquistará mais massa óssea ou muscular do que já tem. Por isso, confira os primeiros cuidados para começar a praticar exercícios e não fique mais parado:

    Faça uma avaliação médica

    A avaliação médica não é apenas um pré-requisito para que aluno e professor trabalhem em segurança, mas a melhor maneira de descobrir os limites do seu corpo e o exercício ideal para vencê-los. "Também é fundamental realizar uma avaliação física. Por meio dela é possível determinar a porcentagem de gordura corporal do indivíduo e ter uma ideia de seu alongamento e da sua resistência", afirma o personal trainer Ricardo Custódio, da Companhia Atlethica do Estádio do Morumbi, em São Paulo.

    Reabitue seu corpo aos exercícios

    "A principal meta de quem começa a treinar após ter ficado muito tempo parado deve ser reabituar o corpo à prática regular de exercícios", explica Adriano. Segundo o personal trainer, emagrecer ou ganhar tônus muscular devem ser objetivos secundários nesse retorno. Isso porque o retorno ao treino, na maioria das situações, traz os mesmos desafios de uma primeira experiência com exercícios

    "O aluno terá que começar do zero, mesmo tendo sido atleta regular no passado. Não respeitar essa progressão pode sobrecarregar os músculos e articulações, ocasionando lesões", diz o especialista. A diferença entre uma pessoa que já treinou e outra, que nunca se mexeu, é o tempo de resposta aos movimentos: quem já fez exercícios tende a recuperar o condicionamento mais rapidamente.

    Comece por atividades de baixo impacto

    Voltar a treinar e já partir para atividades de grande impacto aumenta e muito o risco de lesões. Decidir correr logo no primeiro dia de treino, por exemplo, poderá sobrecarregar os músculos e articulações dos membros inferiores, afirma o médico do esporte Ricardo Nahas, do Centro de Referência em Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho. Ele explica que, em uma caminhada, cerca de 20% do peso corporal fica concentrado nas articulações e essa porcentagem dobra numa corrida. "Por isso, é essencial realizar a readaptação muscular, articular e cardíaca", diz o médico.

    Escolha um exercício que te dá prazer

    Exercícios físicos não se resumem a musculação e esteira. Por isso, se a academia não te atrai, busque fazer outras atividades, como esportes coletivos, ginástica ou circuito. "Treinar por prazer mantém o aluno motivado e reduz o risco de abandonar o programa", afirma Ricardo Custódio. O exercício perfeito, de acordo com o personal, é aquele que consegue equilibrar as necessidades do seu corpo com as suas preferências.

    Respeite seus limites

    O condicionamento físico não aparece do dia para a noite. "Pegar muito peso de uma vez ou caminhar uma distância muito longa só vai causar dores nos músculos e nas articulações", afirma o personal Adriano Braga. Estar disposto a melhorar sempre é fundamental, mas isso deve ser feito de maneira segura. "Do contrário, há risco de uma lesão mais séria e você é obrigado a ficar sem treinar justo quando estava mais engajado".

    Aumente a intensidade aos poucos

    O aumento da dificuldade do treino faz parte do programa - além de tornar a atividade mais interessante, o desafio ajuda seu corpo a ganhar condicionamento. "Isso pode significar aumento da carga, aumento da velocidade, redução do intervalo entre um exercício e outro ou aumento do número de repetições", afirma o personal Adriano Braga. Seguir um plano para aumentar a intensidade significa abandonar o sedentarismo de maneira gradual e saudável.

    Faça alongamento e aquecimento

    "Aquecer é aumentar a temperatura corporal, o que eleva a frequência cardíaca e prepara o corpo para a prática de exercícios", afirma o médico do esporte Ricardo. O alongamento, por sua vez, pode ajudar a prevenir lesões - esse tipo de movimento estimula a liberação do líquido sinovial, que lubrifica as articulações. "Esses minutinhos de preparação são valiosos porque informam o organismo sobre o que deve ser priorizado no momento, deixando atividades, como a digestão, em segundo plano".

    Fonte: MSN