domingo, 15 de dezembro de 2013

Almoce no Trabalho sem Comprometer sua Dieta

DICAS
 

 
Se a empresa onde você trabalha não tem restaurante próprio, saia à procura de um restaurante por peso (ou por quilo). Neste tipo de restaurante sempre são oferecidos vários tipos de pratos e você poderá optar pelos menos calóricos.


Nem tudo é perfeito. Esse mesmo restaurante por peso na hora da sobremesa oferece mil doces - mas, muitas vezes, nenhuma fruta. Não tenha dúvida: leve a sua de casa.


Pare para comer! Devorar um sanduíche de olho no computador não é nada saudável e certamente não vai saciar sua fome. Depois de pouco tempo você vai estar beliscando...


Na hora de escolher as guarnições, prefira aquela à base de legumes e verduras, novamente fugindo dos molhos!


Cuidado para não dobrar as calorias do almoço na hora da sobremesa. Corra para as frutas.


Atenção na escolha dos alimentos. A variedade é muito importante para o sucesso de qualquer dieta. Ninguém consegue comer filé de frango grelhado e salada a vida inteira.


Cuidado com os sanduíches naturais. A maioria tem muita maionese no recheio, o que significa muitas e desnecessárias calorias!


Se não tiver jeito e o seu almoço acabar em uma lanchonete cuja a especialidade são gigantescos hambúrgueres, opte pelo mais simples: pão, carne e salada. E fuja dos molhos.


Não adianta você tirar nota dez no almoço e não resistir as mil guloseimas que aparecem do nada durante a tarde. Fuja daquela colega que anda com mil calorias na bolsa, oferecendo para todo mundo.


Outro perigo é compensar na comida a ansiedade e o nervosismo, que muitas vezes fazem parte do trabalho. Um pacote de bolachas não vai resolver seu problema e ainda vai criar outro - sua dieta vai para o espaço e seu trabalho continua do mesmo jeito.


Se você almoça no restaurante da empresa, dê preferência a alimentos sem muita preparação, com molhos e cremes. Escolha aqueles mais simples, especialmente grelhados e cozidos.


E para beber? Água, água, água. Suco de frutas são calóricos. Refrigerantes nem pensar.


Atenção para não ficar um período muito longo sem comer. No máximo a cada 3 horas, coma uma fruta, dois biscoitos ou um copo de leite desnatado ou um iogurte. Assim você chega a refeição seguinte sem muita fome e pode escolher melhor os alimentos.


Ideal, ideal mesmo, é você levar o seu almoço de casa. Se onde você trabalha tem algum lugar para esquentar e comer sua comida, ótimo. Assim você controla ainda mais a sua dieta.


Bebida alcoólica nem pensar! Não combina nem com o trabalho nem com a dieta.


Uma boa opção para variar: levar saquinhos com capuccino diet para misturar com água quente!


Se tiver que apelar para um sanduíche, escolha alguma apenas com um recheio (pão com queijo por exemplo). Vale colocar salada junto. Para tornar sua refeição mais saudável, nesse caso um suco de frutas é um ótimo complemento.


Para o lanche da tarde ou um almoço rápido, que tal um patê light? Misture o queijo cottage com mostarda, salada desidratada e orégano. Coma com pão integral ou qualquer outro de sua preferência. Apenas não exagere na quantidade.


Esse mesmo patê pode acompanhar verduras e legumes crus. Experimente com pepino, cenoura e rabanete.


Uma voltinha no quarteirão depois do almoço também pode ser ótimo. Ajuda na sua digestão, refresca a cabeça e não deixa de ser um exercício.


Se você conseguir fugir para almoçar em casa, excelente! Deixe pronta uma refeição pouco calórica antes de sair para não demorar na hora do almoço. Além de econômico, seu almoço - fora do ambiente de trabalho - vai ser mais relaxante, ajudando você a recuperar as forças para o segundo tempo!


Vale fazer reivindicações! Uma garrafa térmica com água quente pode ser de grande valia. Você pode usar café solúvel, leite em pó, chás. E não se esqueça de usar adoçante para fugir dos cafés normalmente melados das empresas.


Não se esqueça de beber muita água. Às vezes as pessoas ficam tão envolvidas com o trabalho que não levantam nem para tomar um copo dágua. Perda de peso também envolve perda de líquido e a reidratação é super importante. Leve uma garrafinha de água para sua mesa e vá bebendo aos poucos. Além disso, a água forra o estômago, ajudando a tirar aquela sensação de fome.


Se você é o tipo que não pode parar um minuto,muita atenção no caso de pedir comida por telefone no trabalho. Não se empolgue no cardápio e, é claro, opte pelos pratos light. E, se a porção for generosa, evite consumir até o último grãozinho.


Uma opção para carregar iogurte, frutas, queijo light etc. é comprar uma bolsa térmica ou uma embalagem de isopor pequena. Elas ajudam principalmente nos dias quentes.


Se o pedido não for atendido, tudo bem. Leve sua própria garrafa térmica com água quente embaixo do braço!


Muito trabalho não é justificativa para você não fazer exercícios físicos. Se não der para freqüentar uma academia antes ou depois do seu horário de trabalho, tente ir caminhando até o serviço. Deixe o elevador de lado e passe a usar apenas escadas. Lembre-se sempre: qualquer exercício é melhor do que nenhum!


Evite fugidas à lanchonete ou à padaria da esquina. Salgadinhos, doces e refrigerantes podem acabar com sua dieta.


Um almoço de negócios não deve ser motivo para você sair da dieta. Evite o couvert e escolha um filé de frango ou de peixe grelhado, acompanhado por legumes e saladas. Para sobremesa fruta. Além de não sair da dieta, você vai impressionar pelo seu autocontrole e bom gosto!


Uma geladeira e um microondas também podem ser muito úteis. Dá para varias o seu lanche da tarde - e até mesmo o seu almoço. Caso a empresa não possa atender ao pedido, que tal fazer uma vaquinha com os colegas? Afinal, você com certeza passa mais tempo no trabalho do que em casa e esse é um conforto que será de grande incentivo para sua dieta.

Fonte: Modelle Center

Conheça os outros distúrbios alimentares que podem ameaçar sua saúde

Os Transtornos Alimentares também chamados distúrbios da alimentação mais conhecidos pela sociedade são anorexia nervosa e a bulimia nervosa. Infelizmente, existem outros tipos graves de perturbação do comportamento alimentar que causam sofrimento, como os transtornos da compulsão alimentar periódica (TCAP), o picacismo, a ortorexia, a vigorexia, a drunkorexia e o transtorno de ruminação. 
Uma pessoa passa apresentar um destes adoecimentos mentais através da combinação de muitos fatores. Alguns destes podem ser questões sociais como a dinâmica familiar, cultura magreza, mídia que hipervaloriza a beleza, pressões sociais para o sucesso. Outras causas são efetivamente mais psicológicas como dificuldades em lidar com problemas pessoais e alterações doentias dos pensamentos.  
Sempre deve-se lembrar das causas biológicas como a presença de outros transtornos mentais, pois é comum que alguns portadores de depressão, transtorno bipolar e dependência química apresentem doenças alimentares ao mesmo tempo. 
Além disso, em todos estes transtornos podem estar presentes sintomas como redução do sono, diminuição da capacidade de trabalho, falta de disposição para atividades rotineiras e estes sintomas desaparecem com o tratamento adequado. Outro fator comum é a presença do uso de substâncias psicoativas, como a cocaína, álcool e anfetaminas. 
O tratamento, assim como no caso da anorexia nervosa e da bulimia nervosa, é complexo, sendo necessário o acompanhamento por equipe multidisciplinar, sendo essencial a participação do médico psiquiatra para a avaliação médica e solicitação de exames; do psicólogo para avaliação psicológica e psicoterapia individual ou em grupo; do nutricionista para a reeducação alimentar e adequação do peso; do assistente social para o amparo social e familiar; e o terapeuta ocupacional para a reabilitação do indivíduo em suas atividades cotidianas. 
Infelizmente não existem medicações específicas para o tratamento destes adoecimentos ao mesmo tempo psíquico e nutricional. Apesar dos transtornos alimentares serem graves, complexos e causarem grande sofrimento para o portador, é possível a pessoa ter uma vida normal e com qualidade, principalmente se puder contar com a ajuda da família e de amigos. 
A seguir você poderá conhecer um pouco sobre cada um destes chamados transtornos alimentares:         

Transtorno da compulsão alimentar periódica - TCAP

Os sintomas do TCAP estão relacionados a padrões de alimentação alterados e doentios causadores de enorme sofrimento para o portador e para os familiares. A ingestão de alimentos neste transtorno é exagerada em comparação às pessoas próximas, alguns chegam dizer ??como muito mais que todos??, e sem contexto comemorativo. 
Este adoecimento gera grande sofrimento para o portador que geralmente demora a reconhecer ou ter o diagnóstico devidamente encontrado, repercute com grande desconforto físico e psicológico e por consequência leva ao aumento do peso e a obesidade.  
Muitos portadores relatam constrangimento diante de seu comportamento de comer de forma exagerada, sendo que preferem comer de forma solitária, para evitar críticas e desgastes com pessoas do relacionamento mais próximo. 
Vale ressaltar que diferentemente da bulimia nervosa, no TCAP não há o comportamento de purgar e atividades físicas excessivas. Isto é importante compreender, porque muitos comportamentos do TCAP são comuns com os sintomas da bulimia nervosa. 

Picacismo

Pica ou picacismo é nome que representa a ingestão de substâncias que não apresentam nenhum valor nutritivo e o portador continua ingerindo de forma persistente e desassociada a qualquer prática cultural. 
Segundo os psiquiatras brasileiros, Appolinário e Claudino (2000), nestes quadros é comum observar o consumo de terra, barro, cabelo, alimentos crus, cinzas de cigarro e fezes de animais. 
As principais complicações desta doença acontecem no sistema digestivo e podem ocorrer intoxicações.  
Nestes casos é necessário o médico avaliar se o comportamento de pica não se trata de um sintoma de outro adoecimento, como, por exemplo, no caso da esquizofrenia em que a pessoa acaba comendo substâncias sem valor nutritivo pela incapacidade de diferenciar o certo do errado. 
Outra informação que merece destaque é a necessidade de investigação do pica no pré-natal, uma vez que é alta a prevalência de pica entre gestantes, como observou Saunders e colaboradores (2009) em um estudo que revelou que 14,4% entre 227 gestantes apresentavam pica em uma maternidade escola do Rio de Janeiro. 

Ortorexia

A ortorexia nervosa, ainda é um quadro muito discutido nos meios científicos, não sendo contemplado nos manuais de diagnósticos das doenças mentais. Este adoecimento é caracterizado pelo comportamento exagerado, repetido e doentio pela busca da saúde alimentar, qualidade e pureza dos alimentos. Uma das consequências deste hábito alimentar radical e doentio é a restrição, ou até exclusão, de alguns alimentos necessários para a saúde física, o que pode levar à carência de nutrientes e gerando prejuízos para a saúde. 
O tempo produtivo e os comportamentos do indivíduo portador deste adoecimento se voltam quase exclusivamente para o ritual de comer, desde o planejamento, compra e preparo dos alimentos até o ato de ingerir.  
Estes comportamentos somados ao fato do portador sentir necessidade de convencer pessoas próximas a adotarem a mesma dieta, acaba sendo comum o desgaste e dificuldades de relacionamentos, conflitos e finalmente o isolamento social. 

Vigorexia

A vigorexia também é discutida no meio acadêmico dos estudiosos destes assuntos e não foi reconhecida nos manuais de diagnósticos médicos. 
O portador de vigorexia apresenta uma preocupação extrema e contínua em ser forte e musculoso. Devido a sua distorção da imagem corporal, ou seja, não enxergam seus próprios corpos de maneira real, estes indivíduos percebem-se como fracos e pequenos, mesmo quando já possuem um corpo com musculatura acima da média do local onde vivem. 
Assim os portadores realizam atividades excessivas e repetidas para aliviarem seus desconfortos como: exercícios físicos de forma exacerbada, menos atividades aeróbicas pelo medo de perderem a aparência de musculoso; e dietas restritivas e ingestão de suplementos alimentares, que podem gerar diversas complicações à saúde pelo uso de forma inapropriada e sem preocupação com segurança da sua saúde. 
Infelizmente, entre a população de pessoas com esta perturbação da saúde, também é frequente o uso de esteroides e anabolizantes, que são drogas e podem causar dependência, além de complicações físicas, mentais e até morte.  

Drunkorexia

A drunkorexia ainda estar em discussão entre a comunidade médica. Este é o nome proposto para esta associação simultânea dos adoecimentos da dependência de álcool com a anorexia nervosa que traz danos tanto decorrentes do consumo do álcool como pela redução alimentar extrema. O relato das pessoas portadoras da drunkorexia é de que o álcool tira apetite, e de que preferem substituir as calorias dos alimentos pela do álcool, além destas bebidas diminuírem a ansiedade diante do medo da alimentação aumentar o peso e tornar o corpo feio. Ainda hoje não é possível determinar qual doença ocorre primeiro, se o alcoolismo ou a anorexia nervosa. 

Transtorno de ruminação

O transtorno de ruminação é caracterizado por episódios de regurgitação, ou seja remastigação, frequentes. Segundo Appolinário e Claudino (2000): "As principais complicações médicas podem ser desnutrição, perda de peso, alterações do equilíbrio hidroeletrolítico, desidratação e morte". 


Fonte: Artigo elaborado com a colaboração da psicóloga Ana Carolina Schmidt, da Vida Mental Serviços Médicos.

Macarrão com molho e peito de Peru

Ingredientes

·                          250 Grama(s) macarrão tipo talharim
·                          2 Colher(es) de sopa margarina
·                          1 Lata seleta de legumes escorrida
·                          1 Cubo(s) caldo de legumes KNORR
·                          1/2 Xícara(s) leite fervente
·                          150 Grama(s) peito de peru cortado em tira
·                           

Modo de Preparo

·                          1.Cozinhe o macarrão conforme as instruções da embalagem, escorra e reserve.
·                          2.Em uma panela, aqueça a margarina em fogo médio e refogue a seleta de legumes.
·                          3.Dissolva o cubo de caldo de legumes KNORR no leite e despeje na panela.
·                          4.Adicione o macarrão reservado e o peito de peru.
·                          5.Misture e sirva em seguida.
      
     Fonte: MSN