domingo, 8 de dezembro de 2013

Dieta contra o câncer


Dicas para prevenir:
- Diminua o consumo de carne vermelha, pois ela está relacionada com o câncer de mama, cólon e próstata. Dieta com o alto teor de gordura saturada favorece ao câncer;
- Consuma uma grande variedade (cinco ou mais porções) de frutas e verduras de diferentes cores, pois são ricas em antioxidantes;
- Mantenha o peso equilibrado ajustado com o consumo de calorias e o gasto calórico. Obesidade pode ser um fator de risco para o câncer;
- Evite alimentos em conserva, defumados ou salgados, que apresentam nitrosaminas e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, substâncias altamente cancerígenos;
- Evitar o consumo de álcool e de tabaco;
- Consuma alho e cebola, pois são ricos em substâncias anticarcinogênicas, que agem contra o câncer de estômago, pulmão e fígado;
- Coma mais tomate, que é rico em licopeno. Quanto mais maduro, mais rico em licopeno ele é. Possui ação anticarcinogênica principalmente no câncer de próstata. Para prevenir este câncer se recomenda consumir de 5 a 10mg diariamente (1 tomate tem 10mg de licopeno);
- Evitar bebidas e comidas muito quentes;
- Reduzir o consumo de frituras e de alimentos ricos em gordura saturada e trans (batata frita, bolacha recheada, bolos, pizza...);
- Consuma diariamente vegetais verde escuros, pois são ricos em ácido fólico, betacaroteno e magnésio, que combatem o câncer;
- Consuma mais soja, principalmente o missô e o tofu. São ricos em fitoesteróides, que aumentam a imunidade e inibem a divisão e a proliferação celular;
- Consuma chá verde, pois é fonte de catequinas que são poderosos anticancerígenos;
- Aumente o consumo de frutas cítricas, pois elas são ricas em antioxidantes e melhoram a imunidade de pacientes que utilizam a quimioterapia;
- Consuma mais gorduras saudáveis, como o ômega 3 (peixes, óleo de fígado de bacalhau e linhaça) e ômega 9 (azeite de oliva). Elas auxiliam na diminuição do efeito do estrogênio na célula;
- Evite o consumo excessivo do açúcar, pois ele diminui o tempo de trânsito intestinal, aumentando a quantidade de ácidos biliares fecais relacionados com o risco de câncer colorretal, além de aumentar a insulina que pode potencializar o efeito estrogênico, estimulando o câncer de mama;
- Aumente o consumo de fibras da dieta, pois elas aumentam a remoção de compostos cancerígenos pela as fezes.
Melhores alimentos para prevenir tipos diferentes de câncer:
Fibras vegetais: Possuem efeito protetor sobre o câncer de cólon, pois permitem maior velocidade do trânsito intestinal e aumentam o volume fecal, impedindo a absorção de substâncias cancerígenas.
Frutas e vegetais: Pela sua ação antioxidante protegem contra o câncer de pulmão, mama, cólon, próstata, cavidade oral, estomago, bexiga, ovário, útero e pâncreas.
Vitamina A e betacarotenos: Protegem contra o câncer de pulmão, laringe, bexiga, boca e próstata.
Vitamina C: Seu efeito antioxidante reduz o risco de câncer de boca, esôfago, laringe e estomago.
Selênio e vitamina E: Diminuem o risco de câncer de pulmão e estomago.

As vitaminas mais protetoras:
Vitamina A: Controla a diferenciação celular e favorece a resposta imunológica.
Fontes: Leite e derivados, gema de ovo, carne, fígado, peixes, frutas e vegetais de coloração amarela e laranja (ricos em betacaroteno que é precursor da vitamina A).
Vitamina C: Bloqueia a formação de nitrosaminas (compostos com ação cancerígena). Também ajuda a conservar os estoques de vitamina E e A. Fontes: Acerola, goiaba, laranja, limão, pimentão vermelho, morango, kiwi, melão, tangerina e manga.
Vitamina E: Retarda o envelhecimento celular, impede a oxidação dos componentes graxos, da vitamina A, do selênio e de aminoácidos sulforados. Protege os pulmões contra contaminações e potencializa a ação da vitamina A. Fontes: Amêndoa, castanha, avelã, gérmen de trigo, espinafre cozido, damasco seco, azeite de oliva, abacate e aveia.
Fatores de risco para a doença:
- Genética;
- Fumo;
- Sal em excesso;
- Consumo de álcool;
- Vírus (HPV e Helyobacter pylory);
- Contaminação por substâncias químicas;
- Alimentação rica em gorduras, açúcar simples e pobre em fibras.

Fonte: Só Nutrição

Como ganhar músculo e perder gordura

Quando pensa no consumo de proteínas, pouca gente se lembra dele, mas o ovo é uma alternativa bastante saudável para repor os aminoácidos essenciais ao funcionamento do organismo. "As proteínas são de extrema importância para o nosso organismo por sua função construtora e reparadora, além de participarem da formação de hormônios, enzimas e anticorpos", afirma a nutricionista Lucyanna Kalluf, do Centro Brasileiro De Nutrição Funcional.


A variedade de opções no preparo (cozido, mexido ou em omeletes) conta a favor de inclusão do ovo na dieta, que ainda ganha reforço de vitaminas, minerais e lipídios (presentes em grandes quantidades na gema). "Mais de 50% da vitamina B2 do ovo está na clara, de fácil digestão e ideal para quem treina e quer desenvolver músculos", afirma a especialista. "Nunca coma ovos crus, prevenindo a salmonela (bactéria que traz infecção intestinal).

Entre a turma da academia, o xodó é a albumina: esta proteína tem alto valor biológico, excelente biodisponibilidade (é facilmente aproveitada pelo organismo e fácil digestão. A albumina possui os nove aminoácidos necessários para o processo de anabolismo (aumento de massa muscular), contribui para a regeneração de tecidos musculares, unhas, pele e cabelo (faz crescer cabelos), revitaliza funções orgânicas devido ao seu valor energético e impulsiona o sistema imunológico. A albumina está contida, principalmente, na clara. "A clara também dispõe de leucina, um aminoácido que ajuda a manter os músculos e diminui a massa gorda (gordura).

A gema, por sua vez, é rica em ômega 3, gordura excelente para o cérebro e que estimula o equilíbrio da insulina com a glicose, mais um fator para regular a compulsão e a resistência insulínica, que é o maior fator de risco para a Síndrome Metabólica. Ela também age no combate da anemia. "O ovo combate não apenas a anemia por deficiência ferro, mas também a chamada anemia perniciosa graças à presença de vitamina B 12", diz a nutricionista.

Consumo diário
Para contar com esses benefícios, o ideal é incluir ao menos um ovo (de galinha) por dia na sua alimentação o de codorna é ainda mais rico em colesterol comparado com o de galinha. Em cada 50 gramas (o equivalente a cinco ovinhos), há 422 miligramas da substância. Mas não é só: ele também tem maior quantidade de fósforo e ferro do que seu concorrente e só perde no quesito vitamina A.

Apesar da digestão mais lenta, o ovo pode ser ingerido no jantar e é um ótimo substituto para as carnes vermelhas (principalmente entre as pessoas de idade mais avançada e com dificuldade para mastigar). "Mas minha recomendação é consumo de um ovo no café da manhã, porque ele traz saciedade e evita que o paciente fique beliscando", afirma a nutricionista.

Quanto à cor da casca, não há com o que se preocupar: ela indica apenas a cor da galinha. As brancas põem ovos brancos, as vermelhas põem ovos vermelhos. E não há diferença nutricional relevante entre os ovos de granja e os chamados caipiras, que têm uma coloração mais amarelada. Isso se deve ao tipo de alimentação. A especialista lembra que as galinhas caipiras são criadas soltas e comem o que encontram pela frente, incluindo vegetais mais coloridos, enquanto as de granja se alimentam apenas de ração.

O colesterol
Por muitos anos, o ovo foi visto como inimigo do coração. Mas pesquisas recentes comprovam que não há risco de doença cardiovascular para pessoas que consomem até um ovo por dia, de acordo com a nutricionista. Para preservar sua saúde, evite o consumo de ovos fritos, que têm mais calorias totalmente dispensáveis.

Amigo da memóriaO ovo também é fundamental à mesa de quem tem mania de esquecer tudo. Isso acontece porque ele é uma ótima fonte de colina, proteína que melhora a memória e a cognição. Além disso, ele tem as vitaminas B2, B6, B12, E, K, D e ácido fólico. Zinco, cálcio, selênio ( boa quantidade), fósforo e ferro também estão presentes. "Devido a todos esses nutrientes, o ovo deve fazer parte da dieta de todos os indivíduos, salvo aqueles com alguma intolerância ou alergia alimentar", afirma a nutricionista Lucyanna Kalluf.
Fonte: MInha Vida

Dieta para Hipotireoidismo



Não espere ouvir isso do seu médico, mas seguir o plano de dieta corretamente é de longe o maior fator de superação do hipotireoidismo. Você pode fazer tudo certo e estar usando os melhores suplementos disponíveis ou medicações, mas se a sua dieta estiver inadequada, então você estará lutando uma batalha que você não poderá vencer.


Depois, há o problema de realmente encontrar a dieta “correta” para o hipotireoidismo. A maioria das dietas para hipotireoidismo está completamente desatualizada e com base em pesquisa de má qualidade, isso se houver alguma pesquisa. Mas há diversas pesquisas de grande expressão, que só agora estão começando a divulgar fatos relacionados ao hipotireoidismo.
Entretanto, infelizmente, vai levar anos ou até mesmo décadas para o público em geral, ou até mesmo a comunidade médica, aceitar o fato de que muitas das crenças alimentares que existem hoje são completamente falsas.
Até isto acontecer, eu pretendo compartilhar todos os tipos de dicas hipotireoidismo dieta com você, começando com estas 10 abaixo.

Dieta para Tratamento do Hipotireoidismo?

Abaixo eu dividido 10 dicas importantes que são uma necessidade para qualquer dieta de sucesso para hipotireoidismo. Mas, mais importante, eu irei dividi-las para que você também entenda por que elas são tão importantes.
Muitas vezes, aceitamos muitas coisas que lemos como a verdade, sem questionar ou verificar os fatos.

Evitar Comidas que Fazem Mal à sua Tireoide

A primeira dica de dieta para hipotireoidismo que eu quero compartilhar com você é a que é mais importante. E isso é porque ela é um tema controverso, visto que há grandes elogios aos “alimentos Saudáveis”, quando na verdade, eles podem estar contribuindo para o seu hipotireoidismo.
Alguns dos primeiros alimentos que vêm à mente são os alimentos que contém soja. Isso inclui soja, edamame, leite de soja, tofú, etc. A soja é muito estrogênica e estrógenos têm sido mostrados por inibir a glândula tireoide de secretar seus hormônios.
E isto é preocupante porque eu já vi mais de um programa de dieta alimentar para hipotireoidismo recomendando usar a soja, sem nunca discutir essa ligação muito importante.
Outro alimento muito controverso que contribui diretamente para o hipotireoidismo são as gorduras poliinsaturadas. E uma razão para isto ser um grande problema é que essas gorduras têm sido apontadas por anos por suas propriedades benéficas, ignorando as pesquisas que mostram claramente os malefícios relacionados ao hipotireoidismo.
Quando se trata da sua tireoide, essas gorduras suprimem sua função. Em primeiro lugar, eles bloqueiam a secreção de hormônio da tiroide. Então eles também impedem o transporte do hormônio da tireoide na sua corrente sanguínea. E, finalmente, eles bloqueiam suas células de utilizar o hormônio, uma vez que elas a recebe.
A pesquisa científica contra essas gorduras não pode ser ignorada. E a dieta ideal contra o hipotireoidismo deve excluir essas gorduras a todo custo. Ou então você, estará se preparando para o fracasso.

Aumentar a Ingestão de Gorduras Saturadas

Existem muitas críticas negativas e infundadas a respeito das gorduras saturadas. Os críticos continuam a citar estudos ultrapassados e mal executados de mais de 50 anos atrás, ignorando a enorme quantidade de pesquisas que mostram seus benefícios.
Um dos principais benefícios das gorduras saturadas que fazem parte de sua dieta hipotireoidismo é que elas ajudam a anular os efeitos negativos das gorduras poliinsaturadas tóxicas.
Elas também melhoram a resposta do seu corpo à insulina, que ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue equilibrado e reduzir o hormônio cortisol. Hormônios de estresse elevados também são uma das causas de hipotireoidismo.
Mas você tem que ter cuidado com gorduras animais porque elas pode não ser o que aparentam. Por exemplo, todos os bovinos são engordados com o milho, soja e outros alimentos que são ricos em gorduras poliinsaturadas. E devido a isso, suas gorduras corporais se tornam muito insaturadas.
Portanto, é importante incluir apenas as gorduras saturadas de alta qualidade em sua dieta. Isso inclui manteiga, óleo de coco e animais alimentados com capim e grama.

Comer Fruta

Frutas podem realmente ser um de seus melhores amigos, quando se trata de sua dieta de hipotireoidismo.
Para começar, a maioria das frutas é muito rica em potássio, que desempenha um papel importante na regulação de açúcar no sangue. Isto ajuda a reduzir a necessidade de insulina que ajuda a manter o nível de açúcar no sangue mais estável durante longos períodos de tempo.
Regulando o açúcar no sangue, você automaticamente reduzir a sua resposta hormônio do estresse, que, como eu mencionei acima, é um problema comum com no hipotireoidismo.
No entanto, existem algumas frutas que é melhor evitar. Por exemplo os abacates, por causa de seu alto teor de gordura insaturada.
Portanto, a chave é se concentrar na dieta para hipotireoidismo, ingerindo os frutos certos e evitando aqueles que estão trabalhando contra você.

Aumentar o Consumo de Sal

Há uma série de mitos a respeito do sal e sódio. Mas ele é mais importante do que as pessoas imaginam, especialmente quando se trata de sua dieta para hipotireoidismo.
O sódio é, na verdade, um nutriente muito importante que o seu corpo precisa para realizar uma multiplicidade de funções. Por exemplo, o sódio é necessário para a regulação da pressão sanguínea adequada. Mas também tem algumas outras funções importantes no trato com o hipotireoidismo.
Um dos sintomas mais comuns do hipotireoidismo é o edema. O edema é um problema nas células, que passam a absorver mais a água. Entretanto, quando suas células absorvem água, perdem sódio, que é então excretado e perdido através da urina.
E quando o seu nível de sódio está baixo, ele diminui seu metabolismo e aumenta os hormônios de estresse. E os hormônios do estresse elevados acabam agravando o quando de hipotireoidismo.
Como você captura o sódio do sal, deve fazer sentido que o sal é um componente necessário de sua dieta hipotireoidismo, a fim de ajudar a manter o hormônio cortisol a um nível mínimo e reverter o quadro de hipotireoidismo.
A maioria das pessoas precisa de muito mais sal do que elas pensam.

Consumir Caldo de Osso (tutano)

A maioria das pessoas nem sequer sabem o que é tutano. Ele é uma das melhores fontes de proteína que você pode ingerir. O tutano era comumente encontrado nas dietas da maioria das pessoas há mais de um século atrás. Mas, agora, tornou-se um componente quase inteiramente esquecido de quase todas as dietas para hipotireoidismo.
O tutano é mais conhecido por ser rico em nutrientes e muito fácil de digerir. Ele é indicado, porque contém uma mistura de aminoácidos anti-inflamatórios que estão ausentes em muitas fontes de carne.

Comer Alguns Mariscos

Viver perto da água definitivamente tem suas vantagens, especialmente quando se trata de frutos do mar. Os mariscos em geral são realmente muito benéficos para a sua tireoide e podem desempenhar um papel crucial em sua dieta para hipotireoidismo.
Para começar, eles são uma boa fonte de hormônios da tireoide, que raramente temos em nossa dieta de carne padrão. Portanto, comer mariscos só pode melhorar a função da sua tireoide.
Outro benefício surpreendente dos mariscos, é que eles são naturalmente ricos em selênio. E selênio é um dos principais nutrientes que é necessário para converter o T4 inativo para o hormônio da tireoide T3 ativo em seu fígado.

Não ingerir Alimentos Processados

Se há uma coisa que quase todos que fazem dieta para hipotireoidismo podem concordar, é que os alimentos processados não devem estar presentes na sua dieta.
Alimentos processados e/ou embalados são carregados com grãos processados que aumentam o nível de açúcar no sangue. Isso causa um aumento nos níveis de insulina que, eventualmente, deixa-o com baixos níveis de açúcar no sangue. E isso gera uma resposta do hormônio cortisol, a fim de elevar seus níveis de açúcar no sangue de volta ao normal.
Há também a questão dos alimentos processados, cheio de produtos químicos tóxicos como realçadores de sabores e conservantes. Estes produtos químicos são tóxicos e contribuem para a congestão do fígado o que torna ainda mais difícil converter os hormônios da tireoide necessários em sua forma ativa.

Cozinhar os Vegetais

Este é um dos tópicos mais polêmicos quando se trata de sua dieta hipotireoidismo. E isso porque há uma série de equívocos sobre vegetais crus versus cozidos.
Sim, vegetais crus contêm mais nutrientes do que vegetais cozidos. Mas não é o que você come, e sim o que você digere.
Como os vegetais crus são muito difíceis de digerir, você realmente extrai menos nutrientes deles crus do que dos legumes cozidos.
Você irá cozinhar bem seus legumes, a fim de ajudar a quebrar suas fibras e absorver bem os nutrientes. Caso contrário, a fibra pode se tornar um alimento para bactérias intestinais ruins que é um problema, e também contribui para o hipotireoidismo.

Não Exagere na Água

Continuando em nossa longa lista de temas controversos sobre a dieta para hipotireoidismo, vamos discutir sobre a água.
A maioria das pessoas é levada a acreditar que eles precisam de oito copos de água por dia, ou até mais. Mas o que já sabemos sobre o hipotireoidismo é que ele causa retenção de água. Então, por que será que faz sentido beber ainda mais água quando o corpo tem um problema de se livrar dela em primeiro lugar?
Isso não acontece.
E isso pode fazer seus níveis de sódio cair ainda mais, como eu mencionei acima, isso também contribui para o hipotireoidismo.
A melhor recomendação para a água, enquanto em sua dieta hipotireoidismo é beber quando estiver sedento. Se você trabalha fora, no sol, então há chances de que você precise de mais água do que eu, já que eu estou sentado aqui, movendo apenas os dedos no teclado.
A quantidade de água que você realmente precisa depende de muitas variáveis, e sua sede é o melhor indicador de quanto você precisa.

Tomar Café

Eu gostaria de terminar de discursar sobre as 10 dicas de dieta para hipotireoidismo falando sobre o… café.
Acredite ou não, mas o café tem alguns benefícios surpreendentes para a sua tireoide.
Mas tenha em mente que tem que ser tomado corretamente ou então ele pode ter alguns efeitos negativos. Você nunca deve beber café com o estômago vazio. E é importante acrescentar os índices corretos de gordura e açúcar.
O café é rico em cafeína, que trabalha para estimular a sua tireoide. Também é rica em magnésio e vitaminas do complexo B, que são ambos necessários para o funcionamento da tiroide.
Os estudos suportam essas alegações mostrando que indivíduos que ingerem café têm menor incidência de doenças da tireoide, incluindo câncer.
Eu sei que muitas das dicas que eu te dei são controversas. Mas todas elas são baseadas em pesquisas, embora essas pesquisas não pudessem ser feitas aos olhos do público por uma razão ou outra. Isso é um assunto para outro artigo. Mas eu espero que você tenha aprendido algumas dicas úteis que você possa colocar em ação e incorporar em sua dieta, para começar a obter alguns resultados.
Fonte: Blog  H - Hipotireoidismo