domingo, 27 de outubro de 2013

Elimine as 4 dúvidas mais intrigantes da dieta

1. Chá verde emagrece?

Não. O chá verde é rico em antioxidantes que protegem contra o envelhecimento celular. Ele é conhecido também por acelerar o metabolismo e, consequentemente, queimar mais calorias. Entretanto, esse efeito conhecido como termogênese é encontrado em todos os alimentos já que, para metabolizar, são gastas calorias com a digestão e absorção de nutrientes. Esse aumento no metabolismo não é suficiente para ocorrer o emagrecimento apenas pela ingestão do chá. A alimentação deverá sofrer modificações para que haja a eliminação de peso. 

2. Para emagrecer é necessário fazer poucas refeições? 
Evidentemente, se forem realizadas poucas refeições durante o dia, a quantidade de calorias do dia será baixa o que levará à redução de peso. Entretanto, uma restrição excessiva irá prejudicar o emagrecimento futuramente, já que a tendência é a da redução do metabolismo. Agora, para mantê-lo sempre ativo, é necessário fazer as 3 refeições principais e dois pequenos lanches entre elas, respeitando a quantidade de calorias indicadas para que inicie o emagrecimento. 

3. Comer à noite engorda?

Não. O que faz com que haja o ganho de peso é a quantidade calorias maior do que a necessidade. Se as calorias estiverem adequadas para que não haja o ganho de peso e os alimentos estiverem bem distribuídos, fazer uma refeição à noite será indicado. 

4. Conforme envelhecemos, ganhamos peso?
Conforme a idade avança, há a perda de músculos, o tecido ativo do corpo que faz com que haja queima de calorias. Dessa maneira, é importante manter uma rotina de atividades físicas e ter uma alimentação adequada para que o peso se mantenha dentro do adequado evitando, assim, o ganho de peso com o avanço da idade.

Fonte: MInha Vida

Chá verde diminui risco de câncer em mulheres, diz estudo

Mulheres que bebem regularmente chá verde podem ter menos riscos de desenvolver câncer de cóloncâncer de estômago e câncer de garganta do que as mulheres que não mantêm esse hábito. É o que afirma um estudo da Vanderbilt University School of Medicine, no Canadá. Os resultados foram publicados online no American Journal of Clinical Nutrition no dia 10 de outubro. 

A pesquisa envolveu mais de 69.000 mulheres, que forneceram informações sobre suas dietas, hábitos de exercício, peso e histórico médico. Nenhuma delas fumava ou bebia álcool regularmente. Mais de 19.000 foram consideradas consumidoras regulares de chá verde, bebendo mais de três vezes por semana. 
Ao longo de 11 anos, 1.255 mulheres desenvolveram câncer do sistema digestivo. Aquelas que bebiam chá verde regularmente tinham 14% menos probabilidade de desenvolver esse tipo de câncer. Mulheres que disseram beber regularmente chá verde por pelo menos 20 anos tinham 27% menos probabilidade de desenvolver qualquer tipo de câncer do sistema digestivo do que as que não consumiam, além de a probabilidade de desenvolver um câncer colorretal ser 29% menor.
De acordo com os cientistas, o chá verde contém substâncias antioxidantes, particularmente um composto conhecido como EGCG, que podem evitar o dano das células do corpo, prevenindo o câncer e outras doenças. Eles afirmam que ninguém pode dizer se o chá verde em si é a razão da prevenção, uma vez que os amantes da bebida muitas vezes são mais preocupados com a saúde em geral.

Cinco cuidados com o consumo de chá verde

O gosto dele é um pouco amargo, de fato, mas a ciência já provou que vale a pena fazer careta pelo monte de vantagem que o chá verde pode fazer pela sua saúde, como a prevenção de cânceres do sistema digestivo. A seguir, você descobre os cuidados na hora do consumo e também aprende como amenizar o gosto forte da planta.

Chá de saquinho é menos eficiente

Quando o chá é feito com o saquinho industrializado, parte das propriedades se perde porque o pacotinho leva uma mistura com o caule da planta, com menos nutrientes. "Basta colocar água para ferver e assim que começar a borbulhar, apagar o fogo e acrescentar as ervas e brotos do chá, deixando em infusão por três minutos", explica nutricionista Débora Razera Peluffo, de Caxias do Sul.

Existe a melhor hora para tomar o chá

Um cuidado para o consumo é o horário em que o chá verde é ingerido. "Assim como o café, ele não deve ser tomado logo após as refeições". "A cafeína, presente nas folhas do chá, prejudica a absorção de ferro e vitamina C pelo organismo.? Por isso, é preciso esperar pelo menos uma hora antes de consumir chá verde.

Acabe com o gosto amargo

Uma solução para acabar com o sabor forte do chá é adicionar alguns outros ingredientes à receita. Acrescente duas colheres de sopa de mel para deixar o chá com um sabor mais adocicado. Mas é preciso ter cuidado, já que o mel é bastante calórico e rico em açúcar. Outra opção é bater o chá no liquidificador com frutas, como morango, amora, maçã verde, laranja e uva.

Alerta para a cafeína


Grupos que devem evitar o chá :
Com efeito estimulante sobre o sistema nervoso, a cafeína pode causar dor de cabeça, agitação, irritação e aumento do ritmo cardíaco. "Pessoas sensíveis à substância podem sofrer com esses sintomas se ingerirem quantidades superiores a um litro por dia".
O chá verde é um poderoso aliado da boa saúde. Mas algumas pessoas devem consultar um médico antes de inclui-lo na dieta. "O uso do chá não é recomendado para gestantes, indivíduos com hipertensão, glaucoma e doenças psiquiátricas". "Ele pode interagir com alguns remédios comumente ingeridos por esse grupo de pessoas.
Fonte: MSN

Erros na dieta podem aumentar o risco de câncer de estômago

O câncer gástrico tem sido associado a fatores dietéticos há muito tempo. As evidências científicas mostram que o consumo de frutas frescas e vegetais reduz a incidência de câncer de estômago. Tal fato pode estar relacionado com a presença de vitaminas C, E, caroteno e flavonoides nestes alimentos. Na contra mão desse benefício, a ingestão de carnes e vegetais em conserva ou "defumados" está relacionada com a incidência de câncer gástrico. É possível que fatores como nitratos e nitritos nestes alimentos sejam responsáveis por esse aumento.
Com o advento dos refrigeradores, caiu o consumo de vegetais e carnes em conserva no ocidente, havendo também uma queda significativa na incidência de câncer gástrico. Ainda como fator que aumenta a incidência, o consumo de sal de cozinha em doses elevadas eleva o risco de gastrite atrófica e colonização de H.Pylori no estômago, estando isso relacionado com o risco de câncer gástrico. As dietas ricas em carboidratos são relacionadas com um aumento de 1,5 a 1,9 vezes no risco de câncer no estômago. Assim, a dieta recomendada para evitar câncer gástrico é de:
  • Alimentos frescos ou refrigerados, mas nunca em conserva
  • Pouquíssimo sal de cozinha na alimentação
  • Comer frutas, verduras e legumes diariamente
  • Limitar a ingestão de carboidratos especialmente açúcar livre
  • Evitar doces com açúcar d farinha branca presente nas massas, biscoito, pães e etc
  • Limitar a ingestão de chocolate com leite e açúcar.
Sabe-se que a ingestão de açúcar em excesso causa, além da diabetes e doenças cardiovasculares, o câncer de estômago. Por isso, ao evitar o consumo de carboidratos simples e doces indiscriminadamente, você esta evitando não só um tumor gástrico como diversos outros problemas. O mesmo vale para uma alimentação rica em carne em conserva e pobre em verduras e vegetais. Dessa forma, a dieta equilibrada contribui não só para diminuir o risco de câncer gástrico, como também para melhorar a saúde como um todo.
fonte:MSN