domingo, 13 de outubro de 2013

Alimentos que ajudam a diminuir a gordura localizada.

As calorias de sobra que foram consumidas durante anos não dão trégua: a gordura localizada no abdômen denuncia que faltou cuidado com a dieta e que os exercícios foram deixados de lado ou praticados com menos intensidade do que seu corpo merecia. "Na maioria das vezes, este acúmulo de gordura vem da ingestão de carboidratos simples, presentes em pães, massas, doces, refrigerantes, e bebidas alcoólicas", afirma a nutróloga Tamara Mazaracki, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). 

Além do incômodo estético, a barriga costuma ser um fator de risco para a saúde cardiovascular - reduzir medidas abdominais, portanto, não significa apenas caber num manequim menor. Colesterol, hipertensão e outros problemas de saúde também são benefícios que você passa a usufruir. Se esta meta está na sua lista, alguns alimentos podem ajudar: eles aceleram a queima de gordura e combatem o ganho de peso. Fique de olho nas opções que engordam seu prato, mas deixam sua cintura na medida.  ´

Peixes e frutos do mar

A inflamação é um dos principais responsáveis pelo ganho de peso. Peixes e frutos do mar, por serem ricos em ômega-3, um ácido graxo essencial, ajudam a desinflamar as células de gordura, atuando no controle do problema. Além disso, esses alimentos também aceleram a transformação da glicose em energia, impedindo que ela seja estocada sob a forma de gordura. A nutróloga Tamara orienta a inclusão desses alimentos no cardápio pelo menos três vezes por semana.  

Óleos funcionais

Não é a toa que os óleos funcionais são tão conhecidos quando o assunto é emagrecimento. "Os óleos funcionais atuam no metabolismo das gorduras, aumentando a quebra da dos ácidos graxos para produção de energia e, consequentemente, diminuindo as reservas de gordura", afirma a nutricionista Raquel Maranhão, da clínica BeSlim, no Rio de Janeiro. Entre os mais famosos, estão o óleo de cártamo e o óleo de coco, que agem também na aceleração do metabolismo. Mas também vale destacar o óleo das sementes de gergelim, que previne o armazenamento de gordura corporal através da inibição de fosfodiesterase, uma enzima responsável pelo acúmulo de gorduras no organismo.  

Alimentos probióticos

A nutróloga Tamara explica que existem várias hipóteses para explicar como os alimentos probióticos auxiliam o emagrecimento. "Alguns lactobacilos produzem um tipo de gordura, o CLA (ácido linoléico conjugado), que é capaz de reduzir o porcentual de gordura", explica a especialista. Além disso, esse tipo de alimento tem como função básica equilibrar a flora intestinal. Um estudo publicado em 2006 pela revista científica Nature mostrou que as bactérias presentes na flora intestinal de pessoas com obesidade é muito diferente da de pessoas com peso adequado. A descoberta sugere que a absorção inadequada de gorduras no intestino, que ocorre nas pessoas com flora comprometida, pode estar relacionada ao ganho de peso.  

Abacate

A bioquímica e os estudos científicos explicam: justamente pela sua alta concentração de gorduras benéficas, que promovem a saciedade por mais tempo, o abacate pode ajudar a reduzir o peso. Apesar da alta concentração de calorias, elas provêm da gordura monoinsaturada, que ajuda a reduzir o pico de insulina, hormônio que desencadeia o armazenamento das calorias extras sob a forma de gordura localizada. Além disso, o ômega-9 presente ativa outro hormônio, a adiponectina, que induz o corpo a produzir energia a partir dos depósitos de gordura, ou seja, derretendo o que sobra no abdômen. A nutricionista Renata Fidelis, do Spa Sorocaba, recomenda comer três colheres de sopa em dias alternados. "Cem gramas (cerca de três colheres de sopa) de abacate têm 182 calorias, então, quem quer emagrecer não deve abusar do alimento. Comê-lo três vezes por semana é o ideal."  

Frutas vermelhas

As frutinhas vermelho-arroxeadas (framboesa, amora, morango, cereja, jabuticaba, mirtilo, melancia e uva roxa) são poderosas aliadas no combate à gordura localizada. A nutricionista Renata explica que existem, nas cascas dessas frutas, substâncias fitoquímicas com ação antioxidante, como a antocianina, que mantém o sistema circulatório eficiente, melhorando a irrigação dos tecidos e ajudando na queima de gordura abdominal. A especialista recomenda o consumo de uma ou duas xícaras por dia, sem adição de açúcar.  

Chá verde

Além de atuarem no sistema nervoso central acelerando o metabolismo e aumentando a temperatura corporal, as xantinas (cafeína, teofilina e teobromina) presentes no café, chá verde e preto, mate e chocolate aumentam a mobilização de gorduras estocadas. Os polifenóis, também presentes no chá verde, eliminam radicais livres, o que diminui a oxidação de gorduras. A nutricionista Renata orienta tomar uma xícara de chá de 30 a 40 minutos após almoço e jantar, com cuidado especial para não consumi-lo antes de dormir (o que pode atrapalhar o sono) e se você for hipertenso, porque essas substâncias aumentam a pressão arterial.  

Azeite

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Salud Carlos III, da Espanha, em parceria com a Universidade de Cambridge, da Inglaterra, aponta que a ingestão diária de azeite evita a formação de gorduras na região da cintura. O estudo foi publicado na revista Diabetes Care e afirma que as gorduras monoinsaturadas presentes do azeite previne o acúmulo de gordura na região. 

Renata Fidelis enfatiza que o azeite é um excelente alimento para prevenir doenças cardiovasculares, já que tem componentes anti-inflamatórios que atuam nos vasos, diminuindo a agregação de placas de gordura. Três colheres de sopa por dia do alimento cru (o cozimento transforma a gordura saudável em vilã) são suficientes para colher os benefícios.  

 Fonte: MInha Vida

Alimentos que combatem a celulite!

Alimentos ricos em sílico Esse mineral é importante na produção de colágeno, substância responsável pela firmeza e elasticidade da pele. Alguns exemplos:
1. aveia
2. cevada
3. nabo
4. salsa
5. avelã
6. feijão
7. centeio
8. banana
9. alho

Alimentos ricos em boro O boro ajuda a manter alinhadas as fibras elásticas e auxiliam na renovação celular. 10. vegetais verde escuros
11. algas
12. rabanete
13. frutos do mar
14. pepino
15. beterrada

Alimentos ricos em vitamina C Protege as paredes dos vasos sanguíneos contra os radicais livres que promovem o envelhecimento precoce das células e tecidos.
16. laranja
17. limão
18. acerola
19. Alcachofra (tem ação diurética, o que ajuda a eliminar toxinas).

20. Gengibre
Produz calor e acelera o metabolismo, além de ter ação antioxidante. Combate o envelhecimento da pele. É mais eficaz quando consumido cru. Uma boa dica é tomar suco de melancia com gengibre ou ralar o alimento em cima da salada.

21. Melancia
Rica em licopeno, um antioxidante particularmente potente. Melhora a circulação sanguínea e suaviza a celulite.

22. Tomate em forma de molho
Além de ser rico em vitamina C, o tomate também é rico em licopeno. Para ajudar no combate a celulite o ideal é ingeri-lo em forma de molho.

23. Bardana (aumenta o fluxo do sangue por causa do potássio, o que pode ajudar a prevenir a celulite).

24. Centella Asiática (tem ação antiinflamatória que ajuda a combater a celulite).

Brássicas São alimentos ricos em substâncias capazes de prevenir e até de diminuir o aparecimento de celulite.
25. couve
26. brócolis
27. couve-flor
28. couve-de-bruxelas

29. Açafrão da terra (cúrcuma)
Use o açafrão da terra diariamente. Uma dica é colocar um pouco no saleiro para temperar a salada. O ideal é consumir 1 ou 2 colheres de chá por dia. Ele estimula a circulação, diminui o inchaço e é altamente antioxidante.

Frutas vermelhas São frutas antioxidantes, o que ajuda a limpar o organismo e a eliminar celulites.
30. morango
31. açaí
32. framboesa
33. amora 
 Fonte: Criativa

Alimentação para evitar a celulite

Para obter bons resultados, veja quais os alimentos que deve incluir na sua alimentação e quais os que deve evitar

Alimentação para evitar a celulite
    1. Consuma alimentos isentos de açúcar refinado, ou seja pão integral, arroz integral, batatas e frutas.
    2. Devem ser consumidos alimentos de fontes magras de proteína, como clara de ovo , aves, peixes e carnes vermelhas magras.
    3. A alta ingestão de água, aproximadamente 2 litros por dia, impede a retenção de líquidos na gordura localizada.
    4. Evite alimentos ou preparações gordurosas, como feijoada, pizzas, molhos gordurosos, queijos gordos, pães e bolachas recheados, chantilly, biscoitos amanteigados, gelados.
    5. Evite colocar muito óleo durante a preparação dos alimentos.
    6. Alimentos integrais são boas fontes de fibras e ajudam a diminuir a absorção das gorduras, além de contribuir para a regulação dos intestinos.
    7. Prefira alimentos que não contêm sal na sua formulação, margarina sem sal, vegetais em geral, temperos naturais pois o sal ajuda a reter líquidos no seu organismo e consequentemente na gordura localizada.
    8. Não adicione muito sal durante a preparação dos alimentos ou quando prontos. Uma dica é não colocar o saleiro na mesa.
    9. Evite refrigerantes e bebidas alcoólicas, pois estes somente fornecem calorias não possuindo nenhum valor nutritivo, prefira sumos naturais ou água.
    10. Faça exercício físico do tipo aeróbico para favorecer a queima de gorduras, como caminhadas, bicicleta, natação, etc.
    Fonte: Blog Mulher

    Mitos e Verdades sobre alimentos Integrais

    Alimentos integrais deveriam ser consumidos diariamente


    Por serem fonte rica de carboidratos, vitaminas, mineiras e fibras, alimentos integrais deveriam ser consumidos todos os dias, explica a nutricionista Sandra da Silva Maria, da clínica Gastro Obeso Center, em São Paulo. Com a ingestão diária deles há maior probabilidade de atingir os níveis recomendados de cada nutriente em uma dieta equilibrada. 

    Alimentos integrais ajudam no funcionamento do intestino

    "Fonte de fibras, os alimentos integrais são indicados para melhorar o intestino preso", afirma a nutricionista Thatyana. A profissional explica que, embora elas sejam eliminadas nas fezes por não termos enzimas capazes de quebrá-las, elas são fermentadas por bactérias dando origem a substâncias que estimulam o funcionamento do órgão. Ela complementa dizendo ainda que um intestino saudável também barra a passagem de substâncias tóxicas que precisariam ser metabolizadas pelo fígado e excretadas pelo rim, evitando, assim, a sobrecarga destes órgãos. Por outro, lado o consumo em excesso dos integrais, quando não é aliado ao consumo de água (2 litros por dia é o recomendado), pode ter o efeito contrário, favorecendo o intestino preso. Mas é muito raro um quadro de intoxicação por fibras, o mais comum mesmo é que as pessoas pequem pela falta de consumo delas no cardápio.  

    Alimentos integrais podem contribuir com o ganho de peso

    Alimentos integrais também são fonte de calorias e, assim, podem contribuir com o ganho de peso caso sejam ingeridos em excesso. "Moderação, portanto, é fundamental, pois mesmo o que é saudável pode se tornar prejudicial em quantidades exageradas", alerta a nutricionista Sandra.

    O ideal seria sempre tentar substituir alimentos refinados pela versão integral

    A nutricionista Sandra é a favor da substituição de alimentos refinados por sua versão integral, pois o processo de refinamento retira as partes mais nutritivas dos grãos. "É no farelo e no gérmen que se encontram as vitaminas, os minerais e os antioxidantes", aponta. Por isso, sempre que possível invista nesse tipo de alimento para fornecer mais nutrientes ao organismo.  

    Integrais são mais indicados do que os refinados para quem tem diabetes

    "O consumo de alimentos integrais previne tanto a hipo quanto a hiperglicemia, pois a ingestão de carboidratos com fibras torna mais lenta a absorção da glicose pelo organismo", afirma a nutricionista Thatyana. Tal característica faz com que esses alimentos sejam mais indicados do que os refinados, que geram picos de glicemia. 

    Alimentos integrais podem ajudar a prevenir doenças

    Redução do colesterol, controle dos níveis de açúcar no sangue, melhora do funcionamento intestinal e prolongamento da saciedade são apenas alguns dos benefícios obtidos com o consumo de alimentos integrais. Desta maneira, há redução do risco de doenças cardiovasculares, da obesidade e até de alguns tipos de câncer, como o câncer de cólon. Assim, uma dieta equilibrada não pode deixar essa opção de fora.  

    Alimentos integrais são menos calóricos do que os refinados

    Nem sempre a versão integral dos alimentos apresenta menos calorias. "As propriedades nutricionais são muito diferentes, mas o impacto calórico nem sempre é mais vantajoso", explica a nutricionista Thatyana. Segundo ela, na maior parte das vezes as calorias são equivalentes. Os nutrientes dos integrais, entretanto, fazem seu consumo valer mais a pena. 

     Fonte: MSN