sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Goji Berry, conheça mais sobre esta fruta!

Você sabe o que é a goji berry?


Goji Berry é a fruta que faz sucesso no cardápio de muitas famosas, como Kate Moss, Madonna e nada mais, nada menos que Victoria Beckham. A fruta é asiática e se destaca por oferecer um alto poder nutritivo à saúde. De acordo com o nutrólogo da clínica Healthme de São Paulo, Dr. André Veinert, a frutinha possui um baixo teor calórico, é rica em minerais, proteínas, ácidos graxos insaturados ômega 6 e 3, polifenóis, antioxidantes, entre outros.
A Goji Berry “é indicada para diminuir consideravelmente o colesterol ruim no sangue e o acúmulo de gordura no organismo. Além disso, os nutrientes betaína e germânio são anticancerígenos e combatem os radicais livres”, afirma Dra. Fabíolla Andrea Machado, nutricionista de São Paulo. Por esse e outros motivos, a Goji Berry pode e deve ser consumida durante qualquer fase da Dieta Dukan.
Pelo fato de ser uma fruta nutricionalmente muito rica, ela é considerada um dos alimentos mais nutritivos que estão autorizados durante a Dieta Dukan, pois na ausência de frutas, a Goji Berry pode facilmente fornecer nutrientes para o nosso organismo, aqueles que acabamos deixando de lado por não consumir frutas nas duas primeiras fases. Então, sem dúvidas, a Goji Berry pode/deve ser usada na Dieta Dukan!

Como consumir a Goji Berry?
Goji Berry é um alimento tolerado na dieta Dukan. Portanto, deve-se ser bastante cuidadoso quando se trata da dosagem. Então, segue abaixo as instruções oficiais:
- 1 colher de sopa durante a fase de Ataque;
- 2 colheres de sopa durante a Cruzeiro;
- 3 colheres de sopa durante a fase de Consolidação.

 A maneira mais fácil para se consumir a Goji Berry é consumindo a fruta pura, direto do pacote ou misturando a mesma com iogurte sem gordura como um lanche, ou se preferir, como um doce após a refeição principal. Entretanto, a fruta também pode ser usada em receitas à base de mingau, como mingau de aveia, por exemplo.

Fonte: DR. Dukan receitas

´Chá de Hibisco e seus Benefícios!

O Chá de Hibisco é mais um aliado das dietas de emagrecimento e está sendo bem aceito devido ao seu sabor suave que lembra o gosto da framboesa. Esse chá possui substâncias que são benéficas ao organismo contribuindo para melhorar a saúde e ainda é um grande auxílio na hora de perder peso.

O chá de Hibisco estimula a queima das gorduras e facilita a digestão, ele também ajuda a regular o intestino e combate a retenção de líquidos no corpo que é a causa dos inchaços, por isso mesmo ele tem se mostrado de grande importância nas dietas colaborando bastante para os resultados positivos das mesmas.
Esse chá possui poder antioxidante devido a antocianina presente em sua coloração, essa substância combate os radicais livres que são moléculas que podem danificar as células sadias do nosso corpo causando o envelhecimento precoce, o chá de hibisco possui ainda função anti-inflamatória, mais um atributo para combater as toxinas e facilitar o emagrecimento mantendo o corpo saudável.
Parece incrível, mas os benefícios desse chá não param por ai, ele é também uma fonte de vitamina C e Cálcio, a vitamina C é bastante conhecida por seus efeitos positivos no trato de doenças como gripes e resfriados e mantenedora de um sistema imunológico forte entre outros. O Cálcio possui grande importância na construção e manutenção dos ossos e dentes e também reduz os depósitos de gordura no organismo, controla a pressão e diminui as chances de adoecer de câncer.
Porém o Hibisco usado para o preparo desse chá não é a mesma flor bonita que enfeita os jardins, o Chá de Hibisco é preparado com as flores e botões da espécie Hibiscus sabdariffa por isso tome cuidado ao comprar este produto, certifique-se no rótulo a composição correta.
É importante destacar que o consumo do chá não deve substituir a água, é aconselhável tomar até 1 litro do Chá de Hibisco por dia e manter o consumo de água normalmente, o uso deste produto deve ser associado a uma dieta alimentar para obter bons resultados.

Recomenda-se que gestantes, cardíacos e idosos consultem um médico antes de começar a ingerir o produto.´

Fonte: Dr. Dukan receitas

Chás emagrecedores!

A sabedoria dos antigos e seus hábitos de usarem a natureza para curar e prevenir doenças despertou a curiosidade da comunidade médica e científica com o passar dos anos. Muitos resolveram estudar e comprovar a eficiência dessas ervas, constatando que algumas delas, além de serem benéficas para a saúde, também ajudam no emagrecimento.

Vamos conhecer as propriedades de algumas ervas medicinais que podem ser incluídas na sua dieta como chás emagrecedores, não só para melhorar os resultados do emagrecimento, mas também para trazer muito mais saúde para o seu dia-a-dia.
Cavalinha – Uma das propriedades mais interessantes da cavalinha é que ela proporciona a limpeza do organismo através da eliminação de toxinas. Ela funciona também como diurético natural e digestivo.
Carqueja – a carqueja possui uma lista bastante extensa dos seus benefícios: ela auxilia no retardamento do processo digestivo e aumenta a sensação de saciedade, equilibra o sistema digestivo e auxiliar no trato de diversas doenças, entre elas diabetes e anemia, além disso ela tem poder desintoxicante.
Alfafa – trata-se de uma erva rica em diversos tipos de vitaminas e minerais, como vitamina A, C, D, E, cálcio e ferro, entre outros. Devido a isso ela é auxiliar na manutenção e no bom funcionamento do sistema imunológico, dando mais energia e eliminando o cansaço. A alfafa também melhora a circulação sanguínea e possui um papel importante no emagrecimento, porque possui grandes quantidades de proteína vegetal, baixo valor calórico e altas quantidades de água e fibras, aumentando assim a saciedade, reduzindo a absorção de gordura no organismo e melhorando as funções intestinais.
Cabelo de Milho – Aqueles fiozinhos que são encontrados nas espigas de milho, que recebem o nome popular de cabelo de milho, são excelentes diuréticos, e ainda contribuem para uma pele suave e macia, pois promovem a renovação celular.
Capim Limão – é saboroso e possui um aroma aconchegante, podendo ser muito benéfico na eliminação de gordura, por ter a capacidade de acelerar o metabolismo. Tem também efeito diurético e ajuda a eliminar as reservas de gordura, dificultando a absorção das mesmas. Além disso, ele é calmante, sendo um chá excelente para promover uma noite de sono tranquila, o que também ajuda a perder de peso.
Nossas avós tinham razão: a natureza pode nos oferecer uma infinidade de alternativas para cuidar da saúde e da beleza do nosso corpo.
Você encontra essas e outras ervas medicinais em uma das lojas Mundo Verde ou em casas de produtos naturais.
Lembrete importante: gestantes e pessoas com doenças crônicas devem sempre consultar um médico para entender os efeitos de cada substância em seu organismo.

Para quem gosta de chás e do sabor especial das ervas na alimentação, podem aproveitar os seus benefícios, e nos contar como usam essas delícias em sua alimentação.

Fonte: Dr. Dukan receitas

Câncer de Colon e Reto

Câncer de cólon e de reto: detecção e tratamento

A máxima "prevenir é melhor do que remediar" vale também quando o assunto é saúde. E mesmo em casos de doenças como o câncer, a melhor saída ainda é cuidar da saúde. Isso significa ir periodicamente às consultas médicas e fazer exames de rotina.
Câncer de cólon e de reto: detecção e tratamentoNo caso do câncer de cólon e de reto, o tumor pode levar até 15 anos para se desenvolver e se manifestar e, se a doença for diagnosticada precocemente, o índice de sucesso no tratamento é muito alto.
Infelizmente, por falta de acesso às campanhas de prevenção ou constrangimento na hora de fazer os exames, o número de pessoas com o diagnóstico da doença em fase avançada tem apresentado crescimento. Uma estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta que são esperados para o ano de 2008 cerca de 30 mil novos casos de câncer de cólon e de reto.
"Esse tipo de tumor é de fácil diagnóstico. O primeiro sinal é o pólipo, que tem aparência de uma pequena verruga na parede do intestino e é uma lesão facilmente tratada. Mas, com o tempo, transforma-se em um câncer invasivo", alerta o dr. Carlos Dzik, oncologista.

De olho na saúde

A preocupação em desmistificar o desconforto e ressaltar a importância dos exames preventivos resultou na campanha Don’t blush, look before you flush no Reino Unido. Em outras palavras, o simples fato de olhar as fezes antes de dar a descarga e perceber se há sangue pode denunciar que algo está errado. A precisão do diagnóstico é encontrada em exames como a colonoscopia que, embora seja utilizada para detectar um possível problema no cólon, também pode verificar o reto, localizado no fim do intestino grosso. O exame, além de localizar o pólipo ou tumor, pode retirá-lo, no mesmo momento, para biópsia.
O paciente também pode se valer de um exame alternativo, que é a pesquisa de sangue oculto nas fezes. Ele deve adotar uma dieta específica e evitar ingerir alguns alimentos, como a carne ou os que contenham vitamina C, pois podem interferir nos resultados, se forem consumidos entre três e cinco dias antes da coleta. São colhidas três amostras que serão submetidas à análise laboratorial.
Um resultado mais abrangente requer ainda outro exame junto com a análise das fezes. Deve ser feita a retossigmoidoscopia, que visualiza o fim do intestino grosso, o reto e o ânus. Esse exame é capaz de identificar hemorróidas, doenças inflamatórias crônicas e eventualmente algum pólipo ou tumor.
O câncer de reto pode ser percebido mais facilmente com o exame de toque, mas há também os exames radiológicos com contraste, como o bário – em que é possível levantar suspeitas acerca do tumor. Ainda assim, seria necessário submeter-se à colonoscopia, devido à sua exatidão.
O indicado é que a pessoa, a partir dos 50 anos, se submeta aos exames de rotina. Se não houver nada de suspeito, o paciente passa por novos exames, apenas depois de dez anos. Caso tenha histórico familiar da doença, o ideal é fazer as contas a partir da idade do parente. Por exemplo, caso ele tenha apresentado o câncer aos 40 anos, é necessário submeter-se ao exame com 35 anos. Ou seja: conte sempre cinco anos a menos. Além disso, o paciente que tem familiares com câncer de cólon ou de reto deve repetir o exame a cada três ou cinco anos, mesmo que os anteriores não tenham detectado nada de errado.

Primeiros sinais

Quem apresenta tumores de reto manifesta, em geral, sangramento intestinal. Com o tumor no reto, há mudanças no organismo. Por exemplo, o intestino fica mais lento, constipado e depois de alguns dias nota-se diarreia. Também há o aparecimento de cólicas. Essas alterações podem ser sinais de alerta – não que seja necessariamente câncer, mas há algo errado: doenças comuns como síndrome do cólon irritável.
O paciente com câncer no reto também recebe quimioterapia complementar se houver risco de o tumor voltar. Além disso, também passa por sessões de radioterapia. A complexidade da cirurgia varia de acordo com a localização do tumor. A colostomia – porção do intestino exteriorizada na parede do abdome, por onde são escoados fezes e gases para uma bolsa coletora – pode ser provisória, caso seja possível preservar ou restaurar o esfíncter anal (músculo que controla a abertura e o fechamento do ânus), ou então permanente, dependendo da gravidade. "Depois que o paciente passa pelo desconforto do tratamento, consegue ter uma vida com qualidade", conclui o dr. Dzik.
Se toda a população do mundo comesse em grande quantidade hortaliças, frutas e vegetais frescos teríamos 30% menos tumores. No caso dos cânceres de intestino, reduzir o consumo de gordura animal também é um fator preventivo
Mais que a realização dos exames, as pessoas podem adotar hábitos saudáveis e ganhar mais um aliado na hora de evitar o câncer. "Se toda a população do mundo comesse em grande quantidade hortaliças, frutas e vegetais frescos teríamos 30% menos tumores. No caso dos cânceres de intestino, reduzir o consumo de gordura animal também é um fator preventivo", explica o oncologista.
No caso do câncer de cólon, o diagnóstico precoce está diretamente ligado à cura. Esse tumor é uma pequena úlcera em determinada parte do intestino. Durante a cirurgia, o especialista, além de retirar o tumor, secciona também os linfonodos – uma espécie de íngua –, que drenam tudo o que circula no intestino e, portanto, podem drenar as células cancerígenas. Caso os gânglios contenham células cancerígenas, também é recomendada quimioterapia complementar por cerca de seis meses, na tentativa de reduzir as chances da disseminação da doença
Fonte:Albert Einstein