quinta-feira, 30 de maio de 2013

Curso Multidisciplinar de Obesidade

Este curso Multidisciplinar de Obesidade é para Nutricionistas, Médicos, Psicólogos e professores de Ed. Física. Podem profissionais e estudantes.
Vagas Limitadas! Inscrevam-se já!
Dia: 31/08/2013
Aulas práticas e atualizadas !
Email: brigagao.amorim@yahoo.com.br

Laxantes tornam o intestino ainda mais preguiçoso

 

Eles funcionam apenas como paliativo e não resolvem a prisão de ventre

Toda semana, a história se repete. Cansado de lutar contra o intestino preso, você acaba apelando aos laxantes como uma solução prática contra o problema. Tem gente, inclusive, que recorre aos medicamentos antes mesmo que a prisão de ventre se instale, a fim de regular o reloginho intestinal.

Esse comportamento, no entanto, esconde alguns perigos. Isso porque os remédios usados para regular o intestino podem ter efeito contrário com o tempo, prejudicando as etapas finais da sua digestão. Mas o primeiro passo para colocar tudo nos eixos é limpar sua cabeça de raciocínios prontos. "Ir banheiro diariamente é uma regra que não se aplica a todo mundo, já que cada organismo apresenta um andamento diferente", tranquiliza o gastroenterologista da Unifesp, Roberto de Carvalho Filho. 
intestino preso
O intervalo para eliminação das fezes pode variar de três vezes por dia a três vezes na semana e todos são considerados normais. "Mas fugir disso não indica algum tipo de doença intestinal" , garante Roberto. Isso porque, além da freqüência, o diagnóstico de um problema intestinal é feito a partir de outros sintomas, como dor e distensão abdominal, esforço excessivo durante a eliminação das fezes, sangramento e sensação de insatisfação.

Muito comum também é pensar nos laxantes como medida preventiva. Eles não servem para educar seu intestino, e sim para os casos em que a prisão de ventre já está incomodando. "A gente não proíbe os laxantes. Mas o paciente precisa entender que eles servem como um tipo de tratamento inicial" , alerta o gastro. Ao colocar mais fibras e líquidos na alimentação, é possível regular o intestino naturalmente, uma mudança que vem aos poucos, e não da noite para o dia. 
Sanduíche integral
Um erro frequente, notado pelo especialista, é o abandono da dieta balanceada assim que o intestino volta a funcionar. Isso só piora o problema, aumentando a dependência quanto aos purgantes. Ele exemplifica a importância da água e das fibras na alimentação, comparando o bolo fecal a um bolo comum. A fibra representa a farinha usada em qualquer tipo de bolo. E a água, o leite . A proporção adequada para que esse bolo não desande é de 25 gramas de fibras e de 2 a 3 litros de água, ou quaisquer outros líquidos, por dia.

Para te ajudar a atingir a recomendação do nutriente, conte com as frutas que levam a fama de combatentes da prisão de ventre, como mamão, ameixa e figo. Porém, muita calma na hora de cortar a maçã do cardápio. Apesar da imagem denegrida, nenhum estudo comprova que a fruta é uma das causadoras do intestino preso. Muito pelo contrário. Sua casca é rica em fibras e pode ser usada como aliada na dieta contra o intestino preso. 

Mude os maus hábitos

O especialista da Unifesp afirma que 90% dos casos de prisão de ventre são considerados constipações funcionais. Isso significa que eles não estão relacionados a nenhum tipo de distúrbio orgânico, mas a maus hábitos. Algumas vezes, a alimentação é equilibrada, mas a distância do banheiro de casa impede o intestino de funcionar, um reflexo psicológico muito comum entre as mulheres e perfeitamente contornável desde que, aparecendo a vontade, não haja resistência. "Se o reflexo do intestino não é respeitado, as fezes se acumulam. Enquanto isso, o intestino vai absorvendo a água contida nelas, dificultando a eliminação posterior", completa. 

Fique de olho nos tipos de laxantes

Laxantes podem provocar dependência física e psicológica
A ação dos medicamentos é a mesma, no entanto, existem dois tipos de laxantes: os osmóticos e os irritantes. Roberto explica que os primeiros puxam a água contida nas paredes do intestino para o meio do órgão, fazendo o bolo fecal ficar mais pastoso e mais fácil de ser eliminado. Já os irritantes, como o nome sugere, irritam a mucosa intestinal, estimulando o órgão a agir. "Apesar de usar técnicas diferentes, a ação é a mesma, pois ambos forçam o funcionamento do intestino com uma evacuação não fisiológica e promovem um resultado imediato", diz o gastroenterologista da Unifesp.

Segundo o especialista, o uso dos dois tipos de laxante deve ser controlado. Mas a atenção deve ser ainda maior com os irritantes. Eles são mais prejudiciais a longo prazo . Roberto ressalta que a ideia de que os laxantes viciam o intestino não é correta. Mas, quando usados constantemente, os danos começam a aparecer com o tempo. Os prejuízos vão desde lesão nos nervos da parede intestinal até constipação irreversível, em que a pessoa não consegue mais ir ao banheiro sem utilizar algum método, num processo de dependência psicológica e não física. 

Fonte: MSN

Cinco hábitos que melhoram o funcionamento do intestino

 

Consumo de iogurte e fibras ajuda na hora da digestão

A constipação intestinal ou prisão de ventre é uma das queixas mais frequentes nos bate papos informais e consultórios médicos. É considerado dentro do normal no indivíduo adulto que evacua de duas a três vezes por dia ou até de dois em dois dias, pois o hábito intestinal é bastante variável entre as pessoas, dependendo de diversos fatores, desde clínicos até emocionais.

A causa mais comum da constipação intestinal crônica é a baixa ingestão de fibras, que são encontradas principalmente em frutas, verduras e grãos. As fibras são essenciais para que o intestino funcione com regularidade, já que elas aumentam o volume das fezes e retêm líquidos nas mesmas, fazendo com que as fezes se tornem mais pastosas e fáceis de eliminar. Assim, a dieta e ingestão de líquidos têm papel fundamental para o bom funcionamento do intestino. 
O uso continuo de laxantes sem supervisão acaba "viciando" o intestino, levando á necessidade de aumentar a dose até o ponto em que ela não fará mais efeito.
O sedentarismo por outro lado, tem papel negativo na hora de garantir o bom funcionamento do intestino. Foi observado em pessoas que estavam impossibilitadas de se movimentar, ou tinham hábitos sedentários, tinham um aumento expressivo de casos de constipação.

Alguns medicamentos também podem ter como efeito colateral a constipação, a exemplo de alguns antiácidos e antidepressivos. Para a surpresa de muitos, o próprio laxante, que com o seu uso contínuo (e sem supervisão qualificada) acaba "viciando" o intestino, e prejudicando sua movimentação levando á necessidade de aumentar a dose até o ponto em que ela não fará mais efeito. O uso indiscriminado de laxantes, trás ainda diversos outros males para a saúde.

Para prevenir a constipação intestinal você pode adotar medidas simples e fáceis de adaptar ao seu dia a dia, como:
Aumente a ingestão de frutas: Principalmente as que se podem ser consumidas com casca e o bagaço, tem um efeito bastante benéfico ao nosso intestino. Verduras, cereais integrais e derivados (farelo de trigo, aveia e pães integrais), sementes oleaginosas (linhaça,castanhas,gergelim,amêndoas) e as hortaliças em geral (todos os tipos de folhas verdes) também ajudam a regular o intestino.

Beba bastante líquidos: Água e sucos naturais batidos com a semente lubrificam o intestino e ajudam na formação das fezes. Um bom exemplo é o suco de melancia, sem água e sem açúcar batido com sementes.

Cuidado com os esses alimentos: Evite bebidas alcoólicas, chocolate, café, chá preto e outros alimentos considerados constipantes ou que aumentem a produção excessivas de gases (principalmente os ricos em enxofre).

Em alguns casos, o leite também pode ter ação constipante, mas a avaliação deve ser feita por um profissional capacitado, que efetuará uma investigação criteriosa caso a caso .  
Consuma iogurte: O iogurte é extremamente benéfico para o intestino e deve ser ingerido diariamente (exceto em pacientes com intolerância severa a lactose ou alergia a proteína do leite)

Não utilize laxantes por conta própria: Se você não consegue evacuar sem o uso desses medicamentos, consulte um médico. O uso prolongado pode trazer problemas de saúde e piorar a constipação. 

Fonte: MSN

GASES- COMO DIMINUIR?

Você sofre com gases?
Os incômodos causados por gases são geralmente bastante desagradáveis, mas você sabia que este problema pode ser amenizado com alguns cuidados relacionados ao que e a como você come?
Não adianta negar. Os gases são algo que todo organismo produz. No caso das eructações, os chamados arrotos, mais comuns após refeições, algumas atitudes erradas podem agravar o problema, causando desconforto abdominal.
Quando uma pessoa bebe um refrigerante, por exemplo, é normal que haja ingestão de certa quantidade de gás. Ela que, por si só, já o contém, quando tomada com pressa e em grandes goles, facilita a entrada de ar no estômago. Ele fica ali depositado, causando distensão do órgão até que o próprio organismo o expulse, causando, assim, os arrotos. Em outra situação este ar pode passar para o intestino, o que gera as inconvenientes flatulências. No entanto, o especialista alerta: a maior causa dos gases intestinais tem relação com as bactérias que vivem no nosso intestino.
Rotina alimentar
A produção de gases intestinais é variável entre as pessoas, mas está ligada a hábitos alimentares e fatores individuais. Alguns alimentos podem ser menos tolerados ou mal digeridos pelo nosso organismo. Isso faz com que seja necessária a presença de bactérias para realizar o trabalho. Este processo causa fermentação e, consequentemente, produz gases. Com o acúmulo deles, pode haver muito desconforto e dor, podendo, até mesmo, ser confundida com problemas graves.
Para amenizar os incômodos dos gases alguns hábitos podem ser adotados: diminua a ingestão de feijão, de brócolis e de repolho; mastigue bem os alimentos e faça caminhadas para estimular os movimentos intestinais; evitar a eliminação dos gases também pode piorar o caso. Se você sofre com o problema, procure o seu médico.

Fonte: MSN