domingo, 6 de janeiro de 2013

O que é Intoxicação alimentar?



A intoxicação alimentar ocorre ao ingerir alimentos ou água contaminados com certos tipos de bactérias, parasitas, vírus ou toxinas.
A maioria dos casos de intoxicação alimentar é provocada por bactérias comuns como Staphylococcus ou Escherichia coli (E. coli).

Causas

A intoxicação alimentar ocorre com mais frequência após o indivíduo comer em piqueniques, refeitórios, grandes eventos sociais ou restaurantes. Uma ou mais pessoas podem ficar doentes.
A intoxicação alimentar é causada por certas bactérias, vírus, parasitas ou toxinas. Entre os tipos de intoxicação alimentar estão:
  • Botulismo (Clostridium botulinum)
  • Enterite associada à Campylobacter
  • Cólera
  • Enterite associada à E. coli
  • Intoxicação por peixe contaminado
  • Listeria
  • Staphylococcus aureus
  • Salmonella
  • Shigella
As bactérias podem ficar na comida de diferentes maneiras:
  • A carne vermelha ou branca pode entrar em contato com as bactérias dos intestinos durante o processamento
  • A água usada durante a produção ou o envio pode conter dejetos animais ou humanos
  • Manejo ou preparação inadequados do alimento
A intoxicação alimentar geralmente ocorre por meio da ingestão de:
  • Qualquer alimento preparado por alguém que não seguiu as técnicas adequadas de higiene das mãos
  • Qualquer alimento preparado com utensílios, tábuas de cortar ou outros itens sujos
  • Laticínios ou alimentos que contêm maionese (como salada de repolho ou de batatas) que foram mantidos fora da geladeira por muito tempo
  • Alimentos congelados ou refrigerados que não foram armazenados na temperatura adequada ou não foram reaquecidos de forma apropriada
  • Peixe cru ou ostra
  • Frutas ou vegetais crus que não foram bem lavados
  • Vegetais crus ou sucos de fruta e laticínios
  • Carne ou ovos mal cozidos
  • Água de poço, rio ou de uma região sem tratamento
Crianças e idosos correm mais risco de serem acometidos por intoxicação alimentar. Você também corre um risco maior, se:
  • Apresentar alguma enfermidade séria, como doença renal ou diabetes
  • Estiver com o sistema imunológico debilitado
  • Estiver viajando por regiões onde haja mais exposição a germes que provocam intoxicação alimentar
Gestantes e mulheres que estiverem amamentando devem ser especialmente cautelosas para evitar a intoxicação alimentar.

Exames

Você será examinado pelo médico em busca de sinais de intoxicação alimentar, como dor no estômago e sinais de que o corpo não tem a quantidade de água e líquidos da qual necessita. Isso é denominado desidratação.
Você também será questionado sobre o que comeu recentemente.
Podem ser feitos exames de sangue, fezes, vômito ou na comida ingerida para determinar a causa dos sintomas. Contudo, pode ser que eles não provem que você está com intoxicação alimentar.
Em casos raros, porém graves, o médico poderá solicitar uma sigmoidoscopia, procedimento no qual um tubo fino é colocado no ânus para verificar a origem do sangramento ou da infecção.
SINTOMAS
O desenvolvimento dos sintomas depende da causa exata da intoxicação alimentar. Os tipos mais comuns de intoxicação alimentar geralmente têm início de 2 a 6 horas após a ingestão do alimento.
Os possíveis sintomas incluem:
  • Cólicas abdominais
  • Diarreia (podendo conter sangue)
  • Febre e calafrios
  • Dor de cabeça
  • Náusea e vômito
  • Fraqueza (podendo ser grave e levar a uma parada respiratória, com no caso do botulismo)

Buscando ajuda médica

Marque uma consulta com seu médico se você tiver:
  • Sangue ou pus nas fezes
  • Fezes escurecidas
  • Dor no estômago que não cessa após a evacuação
  • Sintomas de desidratação (sede, tontura, vertigem)
  • Diarreia com febre acima de 39 °C (38 °C em crianças)
  • Viajado recentemente para um país estrangeiro e tido diarreia
Também procure seu médico se:
  • A diarreia piorar ou não melhorar em 2 dias no caso de crianças ou 5 dias no caso de adultos
  • Uma criança com mais de 3 meses tiver vomitado por mais de 12 horas
  • no caso de bebês menores, procure assim que o vômito ou a diarreia tiverem iniciado
Vá para o pronto-socorro ou ligue para o número de emergência local (como o 192) se:
  • Suas fezes apresentarem sangramento excessivo ou estão avermelhadas ou enegrecidas
  • Você acreditar que pode ter se intoxicado por cogumelos, peixes ou botulismo
  • Você apresentar taquicardia, palpitação ou batimentos irregulares
TRATAMENTO
A recuperação na maioria dos tipos de intoxicação alimentar se dá em 2 dias. O objetivo é fazer você se sentir melhor e garantir que seu corpo mantenha a quantidade de líquidos adequada.
  • Não coma alimentos sólidos até que a diarreia tenha passado, e evite produtos de laticínios, que podem piorar o quadro de diarreia (devido a um estado temporário de intolerância à lactose).
  • Beba líquidos (exceto leite e bebidas cafeinadas) para repor os líquidos perdidos devido à diarreia e ao vômito.
  • Dê às crianças uma solução de eletrólitos, que pode ser encontrada em farmácias.
Caso você tenha diarreia e não consiga beber líquidos (por exemplo, devido à náusea e ao vômito), busque um atendimento médico para receber fluidos por meio venal (via intravenosa). Esse procedimento é especialmente importante para crianças pequenas.
Se você toma medicamentos diuréticos, é preciso tratar a diarreia com cautela. Fale com seu médico - talvez seja preciso interromper a medicação diurética, enquanto estiver com diarreia. Nunca interrompa ou altere seus medicamentos sem comunicar a um médico e obter instruções específicas.
Na maioria dos casos de intoxicação alimentar, seu médico NÃO prescreverá antibióticos.
Você pode comprar remédios na farmácia que ajudam a diminuir a diarreia. Não tome esses remédios sem falar com um médico se você apresenta diarreia com sangue ou febre. Não dê esses medicamentos a crianças.
Caso você tenha ingerido toxinas de cogumelos ou frutos do mar, precisará de atendimento médico imediatamente. O médico do atendimento de emergência realizará procedimentos para esvaziar seu estômago e remover as toxinas.
EXPECTATIVAS
A maioria das pessoas se recuperam dos tipos mais comuns de intoxicação alimentar dentro de 12 a 48 horas. No entanto, é possível haver complicações sérias, em alguns tipos de intoxicação alimentar.
A morte por intoxicação alimentar de pessoas saudáveis é rara no país.

Complicações possíveis

A desidratação é a complicação mais comum. Ela pode ocorrer em qualquer um dos casos de intoxicação alimentar.
As complicações menos comuns e mais sérias dependem da bactéria causadora da intoxicação alimentar. Elas podem incluir artrite, problemas de sangramento, problemas nos rins, danos ao sistema nervoso e inchaço ou irritação do tecido em torno do coração.
FONTE: MSN

RECEITAS PARA O VERÃO


1) SALADA CÍTRICA COM CAMARÃO

INGREDIENTES

  • Para as hortaliças
  • 1/4 de maço de alface americana
  • 1/4 de maço de alface roxa
  • 250 g de abóbora de pescoço
  • Para os cítricos
  • 250 g de laranja bahia
  • 250 g de lima da pérsia
  • Para o molho
  • 100 g de  Iogurte Desnatado Danone
  • 40 g de mel
  • 1/4 de maço de dill
  • Sal refinado a gosto
  • Para o camarão
  • 500 g de camarão
  • 30 g de azeite
  • Pimenta rosa em grão a gosto

MODO DE PREPARO

Para as hortaliças 
Higienizar as folhas e reservar em local fresco. 
Cortar a abóbora em lâminas com um descascador de legumes e branquear as lâminas (reservar). 

Para os cítricos 
Separar as raspas da laranja e da lima (reservar). 
Descascar e cortar a laranja em gomos (reservar). 

Para o molho 
Misturar o iogurte o mel o dill e ajustar com sal (reservar). 

Para o camarão 
Limpar o camarão, temperar com sal e saltear no azeite, e finalizar com a pimenta rosa (reservar). 

Para a montagem final 
Em uma tigela misturar as folhas com o molho em uma proporção de 10 ml de molho para cada 30 g de salada. 
Em um recipiente colocar as folhas temperadas com o molho, os citrinos cortados e os camarões salteados sobre a salada. 
Servir imediatamente.

2) BRUSCHETTA DE RICOTA COM LIMÃO SICILIANO


INGREDIENTES

  • 1 xícara (chá) de ricota fresca esmigalhada com o garfo
  • 1 colher (sopa) de casca de limão ralada
  • 4 colheres (sopa) de azeite extravirgem
  • 1 baguete pequena de pão italiano ou de pão francês cortada em fatias diagonais de 1,5 cm de espessura
  • 6 colheres (sopa) de cebolinha picada
  • Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

MODO DE PREPARO

Em uma tigela, misture a ricota com a casca de limão e tempere com sal e pimenta. Reserve. Aqueça uma frigideira antiaderente ou grelha e pincele as fatias de pão com um pouco do azeite. Grelhe o pão até dourar bem dos dois lados. Espalhe a misture de ricota e salpique a cebolinha por cima. Regue com o azeite restante, decore com cebolinha e sirva.    

3)

Barquinhas de endívia com salmão e batata


INGREDIENTES

  • 3 batatas médias picadas
  • 1 folha de louro rasgada
  • 4 colheres (sopa) de maionese light
  • 4 colheres (sopa) de  Iogurte Desnatado Danone
  • 1 colher (sopa) de raiz forte preparada (comprada pronta)
  • 1 colher (sopa) de suco de limão
  • 100 g de salmão defumado picado grosseiramente
  • 4 endívias despetaladas
  • Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

MODO DE PREPARO

Em uma panela com água e a folha de louro, cozinhe a batata até ficar macia. Escorra, corte em 
cubinhos e tempere com sal e pimenta. Deixe esfriar. Em uma vasilha média, misture a maionese, o 
iogurte e a raiz forte. Tempere com o limão. Acrescente as batatas e o salmão. Misture bem e verifique 
o tempero. Preencha as pétalas de endívia com colheradas da salada. Leve para gelar, decore com casca 
de limão ralada e sirva. Rende 30 unidades.    

fONTE: IG