domingo, 15 de dezembro de 2013

Conheça os outros distúrbios alimentares que podem ameaçar sua saúde

Os Transtornos Alimentares também chamados distúrbios da alimentação mais conhecidos pela sociedade são anorexia nervosa e a bulimia nervosa. Infelizmente, existem outros tipos graves de perturbação do comportamento alimentar que causam sofrimento, como os transtornos da compulsão alimentar periódica (TCAP), o picacismo, a ortorexia, a vigorexia, a drunkorexia e o transtorno de ruminação. 
Uma pessoa passa apresentar um destes adoecimentos mentais através da combinação de muitos fatores. Alguns destes podem ser questões sociais como a dinâmica familiar, cultura magreza, mídia que hipervaloriza a beleza, pressões sociais para o sucesso. Outras causas são efetivamente mais psicológicas como dificuldades em lidar com problemas pessoais e alterações doentias dos pensamentos.  
Sempre deve-se lembrar das causas biológicas como a presença de outros transtornos mentais, pois é comum que alguns portadores de depressão, transtorno bipolar e dependência química apresentem doenças alimentares ao mesmo tempo. 
Além disso, em todos estes transtornos podem estar presentes sintomas como redução do sono, diminuição da capacidade de trabalho, falta de disposição para atividades rotineiras e estes sintomas desaparecem com o tratamento adequado. Outro fator comum é a presença do uso de substâncias psicoativas, como a cocaína, álcool e anfetaminas. 
O tratamento, assim como no caso da anorexia nervosa e da bulimia nervosa, é complexo, sendo necessário o acompanhamento por equipe multidisciplinar, sendo essencial a participação do médico psiquiatra para a avaliação médica e solicitação de exames; do psicólogo para avaliação psicológica e psicoterapia individual ou em grupo; do nutricionista para a reeducação alimentar e adequação do peso; do assistente social para o amparo social e familiar; e o terapeuta ocupacional para a reabilitação do indivíduo em suas atividades cotidianas. 
Infelizmente não existem medicações específicas para o tratamento destes adoecimentos ao mesmo tempo psíquico e nutricional. Apesar dos transtornos alimentares serem graves, complexos e causarem grande sofrimento para o portador, é possível a pessoa ter uma vida normal e com qualidade, principalmente se puder contar com a ajuda da família e de amigos. 
A seguir você poderá conhecer um pouco sobre cada um destes chamados transtornos alimentares:         

Transtorno da compulsão alimentar periódica - TCAP

Os sintomas do TCAP estão relacionados a padrões de alimentação alterados e doentios causadores de enorme sofrimento para o portador e para os familiares. A ingestão de alimentos neste transtorno é exagerada em comparação às pessoas próximas, alguns chegam dizer ??como muito mais que todos??, e sem contexto comemorativo. 
Este adoecimento gera grande sofrimento para o portador que geralmente demora a reconhecer ou ter o diagnóstico devidamente encontrado, repercute com grande desconforto físico e psicológico e por consequência leva ao aumento do peso e a obesidade.  
Muitos portadores relatam constrangimento diante de seu comportamento de comer de forma exagerada, sendo que preferem comer de forma solitária, para evitar críticas e desgastes com pessoas do relacionamento mais próximo. 
Vale ressaltar que diferentemente da bulimia nervosa, no TCAP não há o comportamento de purgar e atividades físicas excessivas. Isto é importante compreender, porque muitos comportamentos do TCAP são comuns com os sintomas da bulimia nervosa. 

Picacismo

Pica ou picacismo é nome que representa a ingestão de substâncias que não apresentam nenhum valor nutritivo e o portador continua ingerindo de forma persistente e desassociada a qualquer prática cultural. 
Segundo os psiquiatras brasileiros, Appolinário e Claudino (2000), nestes quadros é comum observar o consumo de terra, barro, cabelo, alimentos crus, cinzas de cigarro e fezes de animais. 
As principais complicações desta doença acontecem no sistema digestivo e podem ocorrer intoxicações.  
Nestes casos é necessário o médico avaliar se o comportamento de pica não se trata de um sintoma de outro adoecimento, como, por exemplo, no caso da esquizofrenia em que a pessoa acaba comendo substâncias sem valor nutritivo pela incapacidade de diferenciar o certo do errado. 
Outra informação que merece destaque é a necessidade de investigação do pica no pré-natal, uma vez que é alta a prevalência de pica entre gestantes, como observou Saunders e colaboradores (2009) em um estudo que revelou que 14,4% entre 227 gestantes apresentavam pica em uma maternidade escola do Rio de Janeiro. 

Ortorexia

A ortorexia nervosa, ainda é um quadro muito discutido nos meios científicos, não sendo contemplado nos manuais de diagnósticos das doenças mentais. Este adoecimento é caracterizado pelo comportamento exagerado, repetido e doentio pela busca da saúde alimentar, qualidade e pureza dos alimentos. Uma das consequências deste hábito alimentar radical e doentio é a restrição, ou até exclusão, de alguns alimentos necessários para a saúde física, o que pode levar à carência de nutrientes e gerando prejuízos para a saúde. 
O tempo produtivo e os comportamentos do indivíduo portador deste adoecimento se voltam quase exclusivamente para o ritual de comer, desde o planejamento, compra e preparo dos alimentos até o ato de ingerir.  
Estes comportamentos somados ao fato do portador sentir necessidade de convencer pessoas próximas a adotarem a mesma dieta, acaba sendo comum o desgaste e dificuldades de relacionamentos, conflitos e finalmente o isolamento social. 

Vigorexia

A vigorexia também é discutida no meio acadêmico dos estudiosos destes assuntos e não foi reconhecida nos manuais de diagnósticos médicos. 
O portador de vigorexia apresenta uma preocupação extrema e contínua em ser forte e musculoso. Devido a sua distorção da imagem corporal, ou seja, não enxergam seus próprios corpos de maneira real, estes indivíduos percebem-se como fracos e pequenos, mesmo quando já possuem um corpo com musculatura acima da média do local onde vivem. 
Assim os portadores realizam atividades excessivas e repetidas para aliviarem seus desconfortos como: exercícios físicos de forma exacerbada, menos atividades aeróbicas pelo medo de perderem a aparência de musculoso; e dietas restritivas e ingestão de suplementos alimentares, que podem gerar diversas complicações à saúde pelo uso de forma inapropriada e sem preocupação com segurança da sua saúde. 
Infelizmente, entre a população de pessoas com esta perturbação da saúde, também é frequente o uso de esteroides e anabolizantes, que são drogas e podem causar dependência, além de complicações físicas, mentais e até morte.  

Drunkorexia

A drunkorexia ainda estar em discussão entre a comunidade médica. Este é o nome proposto para esta associação simultânea dos adoecimentos da dependência de álcool com a anorexia nervosa que traz danos tanto decorrentes do consumo do álcool como pela redução alimentar extrema. O relato das pessoas portadoras da drunkorexia é de que o álcool tira apetite, e de que preferem substituir as calorias dos alimentos pela do álcool, além destas bebidas diminuírem a ansiedade diante do medo da alimentação aumentar o peso e tornar o corpo feio. Ainda hoje não é possível determinar qual doença ocorre primeiro, se o alcoolismo ou a anorexia nervosa. 

Transtorno de ruminação

O transtorno de ruminação é caracterizado por episódios de regurgitação, ou seja remastigação, frequentes. Segundo Appolinário e Claudino (2000): "As principais complicações médicas podem ser desnutrição, perda de peso, alterações do equilíbrio hidroeletrolítico, desidratação e morte". 


Fonte: Artigo elaborado com a colaboração da psicóloga Ana Carolina Schmidt, da Vida Mental Serviços Médicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário