domingo, 28 de julho de 2013

10 exercícios campeões para torrar calorias

Nos dias de calor, a ordem é torrar sem dó nem piedade toda a energia extra acumulada pelo organismo. E mais: fazer isso num piscar de olhos e, se possível, com muita diversão. Sim, a gente entendeu o pedido e, com uma mãozinha dos médicos Marcelo Ortiz e Carlos Polazzo, do Instituto BR Esportes, ele foi atendido.Numa tarefa suada, montamos um ranking com as dez atividades que mais queimam calorias. Para a ficha ficar completa, ainda investigamos os prós e os contras de cada exercício. Afinal, não adianta nada ficar com uma barriguinha linda se você for obrigado a ficar de molho em casa, com dores pelo corpo todo.

1. Corrida 

Não tem jeito: o pódio ainda é dela. Com uma hora de corrida, você gasta terríveis 900 calorias. Isso equivale a uma lasanha, um copo médio de coca-cola, uma porção de carne de frango e um brigadeiro. Ufa! 

A favor: melhora o condicionamento cardíaco. 
Contra: cuidado com o impacto do joelho e na coluna ao correr. Escolha um tênis com bons amortecedores (acerte na escolha do tênis). 
2. Andar de bicicleta 

Sair pedalando pelas ruas é sinônimo de 840 calorias a menos no corpo. 

A favor: melhora o condicionamento cardíaco. 
Contra: Cuidado com o desgaste da coluna e com o joelho. Antes de começar a pedalar, não deixe de ajustar o banco de modo que você nunca estique completamente a perna. 
3. Tênis 

Trata-se de um esporte completo: você precisa de força para arremessar a bolinha e muito fôlego para percorrer a quadra. Mas tanto esforço é bem recompensado com a despedida de 800 calorias numa partida de uma hora. 

A favor: melhora a coordenação motora, fortalece os músculos (principalmente dos braços) e aumenta a agilidade 
Contra: lesões nos ombros e nos punhos, caso você se esforce demais. Se nunca praticou, procure um professor pelo menos no mês inicial.
4. Futebol 

Temos um argumento imbatível para você topar bater uma bolinha, mesmo que tenha acabado de sair da manicure: uma hora de uma boa pelada consome 780 calorias! 

A favor: fortalece as pernas e melhora o condicionamento 
Contra: tome cuidado com os esbarrões e com as divididas, que podem exigir um pouco de força e jogo de cintura 
5. Boxe 

Coloque as luvas e vamos ao ringue. Treinando boxe, você queima até 660 calorias e ainda define os braços. 

A favor: pique de campeã e músculos dos braços muito bem torneados. 
Contra: exige bastante preparo. Quantos aos socos, eles são feitos em sacos 
6. Musculação 

Pode ser em casa, com pesinhos, ou na academia. Para cada hora de treino, você pode perder, em média, 500 calorias.

A favor: melhora a resistência articular e muscular, fortalece os ossos e ainda acelera a queima de calorias. 
Contra: pode danificar músculos e tendões se não for feita com orientação adequada (saiba como evitar lesões). 
7. Remar 

Sim, pode parecer estranho e difícil remar em plena cidade grande, mas os médicos garantem a eficácia. Uma hora de braços para lá e para cá eliminam 600 calorias do corpo. 

A favor: melhora o condicionamento cardíaco e muscular, define todo o peitoral e os braços rapidinho. É o segundo exercício mais completo que existe (depois da natação). 
Contra: o esporte pode causar tendinite nos braços. Para evitar, tome cuidado com a postura e a força aplicada.
8. Natação 

Uma hora queima 540 calorias. 

A favor: trabalha todos os músculos e melhora o condicionamento. 
Contra: cuidado com os choques térmicos, caso treine numa piscina aquecida. Não se esqueça de alongar, evitando cãibras. 
9. Basquete 

Não precisa ser nenhum craque do NBA, mas dar uma corridinha para um e outro lado da quadra e tentar jogar a bola na cesta pode te fazer perder 480 calorias. 

A favor: trabalha braços e pernas, praticamente na mesma proporção, além de desenvolver o condicionamento físico 
Contra: cuidado com impactos bruscos no joelho e na coluna e com as trombadas na quadra. 
10. Vôlei 

Você sempre pensou: ah, aquele esporte em que a gente fica meio parado nem deve me ajudar a emagrecer... pois errou. Uma hora praticando vôlei elimina 420 calorias da sua barriga, da sua perna, do seu bumbum... 

A favor: braços e abdômen definidos 
Contra: cuidado com as lesões nos dedos das mãos. Elas costumam ser frequentes. 

Fonte: MSN


Sete alimentos para combater a gordura localizada

As calorias de sobra que foram consumidas durante anos não dão trégua: a gordura localizada no abdômen denuncia que faltou cuidado com a dieta e que os exercícios foram deixados de lado ou praticados com menos intensidade do que seu corpo merecia. "Na maioria das vezes, este acúmulo de gordura vem da ingestão de carboidratos simples, presentes em pães, massas, doces, refrigerantes, e bebidas alcoólicas", afirma a nutróloga Tamara Mazaracki, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). 

Além do incômodo estético, a barriga costuma ser um fator de risco para a saúde cardiovascular - reduzir 
medidas abdominais, portanto, não significa apenas caber num manequim menor.Colesterol, hipertensão e outros problemas de saúde também são benefícios que você passa a usufruir. Se esta meta está na sua lista, alguns alimentos podem ajudar: eles aceleram a queima de gordura e combatem o ganho de peso. Fique de olho nas opções que engordam seu prato, mas deixam sua cintura na medida.  


Peixes e frutos do mar

A inflamação é um dos principais responsáveis pelo ganho de peso. Peixes e frutos do mar, por serem ricos em ômega-3, um ácido graxo essencial, ajudam a desinflamar as células de gordura, atuando no controle do problema. Além disso, esses alimentos também aceleram a transformação da glicose em energia, impedindo que ela seja estocada sob a forma de gordura. A nutróloga Tamara orienta a inclusão desses alimentos no cardápio pelo menos três vezes por semana.  

Óleos funcionais

Não é a toa que os óleos funcionais são tão conhecidos quando o assunto é emagrecimento. "Os óleos funcionais atuam no metabolismo das gorduras, aumentando a quebra da dos ácidos graxos para produção de energia e, consequentemente, diminuindo as reservas de gordura", afirma a nutricionista Raquel Maranhão, da clínica BeSlim, no Rio de Janeiro. Entre os mais famosos, estão o óleo de cártamo e o óleo de coco, que agem também na aceleração do metabolismo. Mas também vale destacar o óleo das sementes de gergelim, que previne o armazenamento de gordura corporal através da inibição de fosfodiesterase, uma enzima responsável pelo acúmulo de gorduras no organismo.  

Alimentos probióticos

A nutróloga Tamara explica que existem várias hipóteses para explicar como os alimentos probióticos auxiliam o emagrecimento. "Alguns lactobacilos produzem um tipo de gordura, o CLA (ácido linoléico conjugado), que é capaz de reduzir o porcentual de gordura", explica a especialista. Além disso, esse tipo de alimento tem como função básica equilibrar a flora intestinal. Um estudo publicado em 2006 pela revista científica Nature mostrou que as bactérias presentes na flora intestinal de pessoas com obesidade é muito diferente da de pessoas com peso adequado. A descoberta sugere que a absorção inadequada de gorduras no intestino, que ocorre nas pessoas com flora comprometida, pode estar relacionada ao ganho de peso.  

Abacate

A bioquímica e os estudos científicos explicam: justamente pela sua alta concentração de gorduras benéficas, que promovem a saciedade por mais tempo, o abacate pode ajudar a reduzir o peso. Apesar da alta concentração de calorias, elas provêm da gordura monoinsaturada, que ajuda a reduzir o pico de insulina, hormônio que desencadeia o armazenamento das calorias extras sob a forma de gordura localizada. Além disso, o ômega-9 presente ativa outro hormônio, a adiponectina, que induz o corpo a produzir energia a partir dos depósitos de gordura, ou seja, derretendo o que sobra no abdômen. A nutricionista Renata Fidelis, do Spa Sorocaba, recomenda comer três colheres de sopa em dias alternados. "Cem gramas (cerca de três colheres de sopa) de abacate têm 182 calorias, então, quem quer emagrecer não deve abusar do alimento. Comê-lo três vezes por semana é o ideal."  

Frutas vermelhas

As frutinhas vermelho-arroxeadas (framboesa, amora, morango, cereja, jabuticaba, mirtilo, melancia e uva roxa) são poderosas aliadas no combate à gordura localizada. A nutricionista Renata explica que existem, nas cascas dessas frutas, substâncias fitoquímicas com ação antioxidante, como a antocianina, que mantém o sistema circulatório eficiente, melhorando a irrigação dos tecidos e ajudando na queima de gordura abdominal. A especialista recomenda o consumo de uma ou duas xícaras por dia, sem adição de açúcar.  

Chá verde

Além de atuarem no sistema nervoso central acelerando o metabolismo e aumentando a temperatura corporal, as xantinas (cafeína, teofilina e teobromina) presentes no café, chá verde e preto, mate e chocolate aumentam a mobilização de gorduras estocadas. Os polifenóis, também presentes no chá verde, eliminam radicais livres, o que diminui a oxidação de gorduras. A nutricionista Renata orienta tomar uma xícara de chá de 30 a 40 minutos após almoço e jantar, com cuidado especial para não consumi-lo antes de dormir (o que pode atrapalhar o sono) e se você for hipertenso, porque essas substâncias aumentam a pressão arterial.  

Azeite

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Salud Carlos III, da Espanha, em parceria com a Universidade de Cambridge, da Inglaterra, aponta que a ingestão diária de azeite evita a formação de gorduras na região da cintura. O estudo foi publicado na revista Diabetes Care e afirma que as gorduras monoinsaturadas presentes do azeite previne o acúmulo de gordura na região. 

Renata Fidelis enfatiza que o azeite é um excelente alimento para prevenir doenças cardiovasculares, já que tem componentes anti-inflamatórios que atuam nos vasos, diminuindo a agregação de placas de gordura. Três colheres de sopa por dia do alimento cru (o cozimento transforma a gordura saudável em vilã) são suficientes para colher os benefícios.  

Fonte: MSN


Dez motivos para ter um mini-trampolim em casa

Dá pique de sobra para realizar as tarefas ao longo do dia

Por ser um exercício aeróbio, vai aumentar o seu condicionamento físico e melhorar o funcionamento do seu sistema cardiorrespiratório. "Mas antes de começar a saltar sobre a lona na sala de casa ou no quarto, consulte um médico para saber se está tudo em ordem com sua saúde para realizar exercícios", explica Marcelo.

Elimina gordurinhas

Uma aula de 30 minutos pode queimar de 200 a 400 calorias, dependendo da intensidade da atividade sobre a cama elástica. Considere os seguintes níveis de intensidade: caminhada (leve); corrida com pequena fase aérea (média); corrida com elevação de joelho (moderada-alta) e sprint, que é a corrida bastante acelerada (alta).

A atividade é divertida e dinâmica

As séries de exercícios podem ser bastante variadas. Coloque uma música para servir de estímulo. Uma série que dá resultados e leva cerca de 40 segundos é : 8 corridas, 8 polichinelos, 8 exercícios laterais e 8 elevações de joelho (veja como executar os movimentos logo abaixo). "Quem tem bom condicionamento, pode repetir a série por quatro vezes, sem intervalos, e intercalar com uma caminhada de um minuto para recuperar o fôlego. Mas se você era sedentário, faça uma série completa e intercale com uma caminhada de 30 segundos", diz o professor da Bio Ritmo.

A modalidade é a campeã para combater a celulite

Os saltinhos na cama elástica favorecem a flexão dos músculos dos membros inferiores e faz com que se pressione levemente os gânglios linfáticos da região, proporcionando uma espécie de drenagem linfática, que ativa a circulação e facilita o processo de eliminação das toxinas do organismo.

Não ocupa espaço

O acessório tem, em média, uma largura de 92 centímetros e profundidade de 20 centímetros. E ainda há versões dobráveis. Portanto, você pode guardá-lo facilmente em qualquer lugar da casa ou até mesmo escondê-lo embaixo da cama.

Deixa o corpo durinho

Os movimentos ajudam a tonificar, principalmente, membros inferiores (coxas, panturilhas, o bumbum e os músculos da região do quadril).

As crianças adoram

Seu objetivo é treinar, mas se você tem filhos, sobrinhos, primos ou volta e meia se vê na função de babá do filho dos amigos, a cama elástica é uma ótima atração para os pequenos se esbaldarem.

Afasta lesões

Os exercícios fortalecem a região de musculatura flexora do quadril, que é fundamental para proteger os joelhos e tornozelos. De acordo com um estudo da Universidade de Oklahoma (EUA), a lona elástica absorve 87% dos impactos. O fortalecimento muscular da área do quadril contribui diretamente para uma melhor estabilidade do corpo.

Deixa a barriga durinha

Por causa do equilíbrio que ficar em cima da cama elástica demanda, fortalece a musculatura do core - é um cinturão de força, um conjunto de músculos abdominais e dorsais que, juntamente aos do quadril, formam o núcleo do corpo. A estrutura também é responsável pela manutenção da postura e proteção da coluna contra impactos e sobrecargas.

Aprenda a se exercitar sem sair do lugar

Caminhada: realize como se fosse uma marcha, é feito com a ponta do pés sempre em contato com a lona e há uma pequena flexão do joelho. 

Corrida: o movimento é de subida e descida sempre com um pé na lona e depois o outro. O joelho forma um ângulo de 45 graus entre a coxa e a perna. 

Corrida com elevação de joelho: nesse exercício, o joelho sobe até a altura da linha do quadril, formando um ângulo de 90 graus entre a coxa e a perna. 

Sprint: corrida de intensidade forte com pique acelerado. Polichinelo: como na brincadeira, você vai abrir e fechar as pernas ao mesmo tempo. 

Polisapato ou tesoura: variações do polichinelo com movimentação alternada das pernas para frente e para trás. 

Elevação de joelho para a lateral: lembra o movimento de aquecimento feito por jogadores de futebol. Com o tronco fixo, eleva-se o joelho direito na altura do quadril em direção a mão esquerda e vice-versa. 

Laterais: é o mesmo movimento do canguru só que para os lados. Com os dois pés juntos, pule em direção as laterais da cama elástica.


Fonte: MSN


sexta-feira, 26 de julho de 2013

Evitar tentações é mais inteligente que trabalhar a força de vontade

A maneira mais fácil de perder peso não é ter força de vontade, mas evitar tentações. Esta é a conclusão de um estudo feito por pesquisadores das universidades de Cambridge e de Dusseldorf e publicado no periódico científico "Neuron".
Em vez de tentar resistir ao chocolate no armário da cozinha, pessoas que estão de dieta simplesmente devem cortar as guloseimas da lista de compras, ou então pedir para que alguém as esconda. Da mesma forma que uma pessoa endividada deve abrir mão do cartão de crédito, em vez de tentar se relacionar melhor com ele.
Segundo a neurocientista Molly Crockett, responsável pelo estudo, a força de vontade não é a única forma de autocontrole - a capacidade de antecipar problemas e evitá-los também é. 
O estudo contou com um grupo de homens saudáveis, que recebiam diferentes opções: eles podiam olhar uma figura erótica mais ou menos interessante imediatamente, ou então esperar um pouco mais para ver uma imagem realmente atraente.
Em alguns casos, a "pequena recompensa" era disponibilizada e os voluntários tinham que ter força de vontade para resistir à imagem e ganhar a "grande recompensa", a figura erótica mais atraente. Em outros, eles tinham a oportunidade de fazer um acordo prévio e nem ver a primeira imagem para ficar com a segunda, bem melhor.
O resultado é que quem fez o acordo prévio, ou seja, evitou a tentação, foi mais bem-sucedido e recebeu a recompensa melhor mais vezes. A estratégia funcionou especialmente para os mais impulsivos.
Durante as tomadas de decisão, os voluntários tiveram sua atividade cerebral medida por exames. Os pesquisadores descobriram que o acordo prévio ativou o córtex frontal, região associada aos pensamentos sobre o futuro. Isso proporcionou uma comunicação com o córtex pré-frontal dorsolateral, área que exerce um papel importante na força de vontade.
A descoberta abre caminho para uma compreensão melhor sobre os mecanismos cerebrais envolvidos no autocontrole.
Fonte: UOL

Você sabe como emagrecer?

Após anos de experiência em atendimento em consultório, vejo um método que funciona para muita gente para emagrecer

Sabe como?
Diminua para metade  tudo que você come e automaticamente estará diminuindo calorias, gorduras, etc.Assim perderá peso com menos sofrimento! Experimente!
Porém, nem tudo é perfeito! Isto pode não funcionar em vários casos ( diabetes, hipertensão, dislipidemias,etc). Portanto, antes de começar sua dieta, procure uma nutricionista para indicar o que é melhor para o seu caso, assim estará mais seguro!
Esta dica funciona muito bem para finais de semana  e férias .

Patrícia Brigagão Mendes

terça-feira, 23 de julho de 2013

Alimentos importantes para ganho de massa muscular

Veja aqui quais são os alimentos certos para ganhar massa muscular rapidamente e faça a sua dieta.

A alimentação é cada vez mais esquecida pelos brasileiros e isto é um grande erro já que é através dela que podemos manter nosso peso ideal, ter saúde e evitarmos uma série de doenças. Mas tudo isto só é possível uma vez que nos alimentamos de forma correta. Se fizermos o contrário, ingerindo alimentos totalmente dispensáveis a uma boa dieta a alimentação age de forma contrária e será uma das causadoras de inúmeros problemas em nossa vida.
Muitas pessoas procuram informações sobre os alimentos com maior teor glicêmico, com poucas calorias ou aqueles ricos em fibras. É muito comum encontrar sites e informações sobre estes assuntos. Mas você sabe quais são os alimentos que são indicados para o ganho de massa muscular? Há os alimentos corretos para se ganhar massa muscular rapidamente, sem para isto, colocar a saúde em risco com o ganho exagerado de peso.
Se você não sabe quais alimentos incluir na dieta para ganho de massa muscular, você precisa prestar atenção nestas dicas que seguem, pois poderá ser o grande segredo para que você possa finalmente conquistar aquela forma física que tanto queria.

Para você ter uma ideia, o peito de frango sem pele é um dos alimentos que não podem faltar na dieta dos fisiculturistas. Isso acontece porque o peito de frango é um alimento rico em proteínas e pobre em carboidratos e gordura. 100g de peito possui 23g de proteínas, 0g de carboidrato e 0g de gordura.

Se você deseja melhorar sua massa muscular, inclua este alimento em quantas refeições quiser, e combine-o com saladas, arroz integral, macarrão integral ou qualquer outra forma de sua preferência.
Outro alimento que não pode faltar no seu cardápio é o atum. Rico em ácidos graxos (gorduras boas) e com alto teor de proteínas. Em 100 g de atum você tem 23 g de proteína, 3 g de carboidratos e 9g de gorduras, mas lembre-se que esta gordura faz bem ao organismo, pois ela aumenta a produção da testosterona e do hormônio do crescimento. Sempre que possível, tenho o atum à mesa, nas principais refeições do dia.

A batata doce também é outro alimento super indicado para ganhar massa muscular. Ela não é tão rica em proteínas, mas possui muitos carboidratos de teor glicêmico baixo. Isso faz com que o organismo possa consumir de forma gradual a energia e a insulina possa ser liberada de forma mais controlada dentro do corpo.
Consumir alimentos ricos em proteínas é essencial, mas se você quer ganhar massa muscular não pode deixar de lado os alimentos que são ricos em carboidratos, pois eles é que irão conferir a energia necessária para você ter disposição e força na hora dos exercícios físicos.

Fonte: Dicas da Net

Exemplo de cardápio para perda de peso



Café da manhã (9:00)
1 copo de 200ml de suco light ou 150ml de água de coco  
2 fatias de pão integral/grãos light ou 1 fatia pão integral normal
2 colheres de chá de requeijão light ou de creme de ricota;
1 fatia média de queijo branco ou 1 colher de  sopa queijo tipo cottage ou 1 colher de sobremesa pasta ricota com salsinha e azeite




·                             
Almoço (12:00)

1 colher de servir de arroz integral cozido
1 concha pequena de feijão cozido ou 1 colher de servir de lentilha ou grão de bico
Salada de folhas à vontade ou qualquer folha
Tomate à vontade ou qualquer folha
1 colher de servir de carne moída com abobrinha  ou de frango grelhado, assado ou cozido ou carne de vaca gralhada, assada ou cozida
1 colher de chá de azeite    
1 fatia de abacaxi ou 1 fatia de melão ou melancia, ou 1 laranja ou 1 tangerina


·                              

Lanche (15:00)

1 unidade de iogurte light ou
1 unidade média de banana prata ou 1 pêra ou outra fruta


·                                


Lanche (18:00)

1 unidade de barrinha de banana sem açúcar ou 5 unidades de damasco seco
        




·                             

Jantar

1 colher de servir de arroz integral cozido + 1 pedaço médio de moqueca de peixe light ou outra receita com peixe + 1 pires de chá de brócolis cozido ou outro vegetal cozido + salada de folhas à vontade +  tomate à vontade + 1 colher de chá de azeite

ou

1 colher de servir de salada de arroz integral com lentilha + 1 pires de chá de vagem cozida ou qualquer outro vegetal cozido + salada de folhas à vontade + tomate à vontade + 1 colher de chá de azeite

ou

1 colher de servir de arroz integral com brócolis + 1 fatia média de quibe de forno + 1 colher de servir de shimeji com shoyu + tomate à vontade + 1 colher de chá de azeite        

ou

1 fatia média de lasanha de abobrinha + salada de folhas à vontade + tomate à vontade + 1 colher de chá de azeite

·                               


Ceia

1 unidade de iogurte light + 1 colher de chá de geleia sem açúcar ou
1 barrinha de fruta de banana ou ameixa light ou
1 unidade de iogurte light + 1 colher de sobremesa de granola light ou
1 unidade de torrada integral + 1 colher de chá de geleia sem açúcar ou 
2 quadrados de chocolate amargo

 Fonte: GNT

Terceira idade: mudanças dessa fase afetam paladar, equilíbrio e até olfato

Por muito tempo os idosos foram considerados sinônimos de invalidez, como se fossem velhinhos que não entende muito bem o que falamos ou que não consegue fazer nada sozinho ? mas isso está longe de ser verdade. Hoje vemos muitos homens e mulheres com mais de 60 anos que estão ativos, levando suas vidas com saúde e um sorriso no rosto. No entanto, é importante entender que mesmo com essa mudança de paradigma, o envelhecimento chega acompanhado de certas mudanças que na maioria das vezes são deixadas de lado. "Muitas pessoas se preocupam com o declínio cognitivo e ossos mais fracos, mas há outras preocupações menos conhecidas que merecem atenção", explica o geriatra Roberto Dischinger, responsável pelo residencial para a terceira idade Lar Sant'ana, em São Paulo. É importante estarmos cientes dessas mudanças para poder encontrar as melhores formas de contorná-las ou preveni-las, incentivando o envelhecimento saudável. "Cuidados com a alimentação, prática de exercícios, controle de estresse e doenças, assim como consultas médicas periódicas, têm relação direta com a manutenção da qualidade de vida e a prevenção de doenças desde a juventude", afirma o geriatra. Confira quais são as mudanças desconhecidas da terceira idade e entenda melhor esse processo: 


Dificuldades no paladar

A partir dos 60 anos, é comum ocorrer no idoso uma diminuição na capacidade de perceber gostos doces e salgados dos alimentos, enquanto os sabores ácidos e amargos se mantêm inalterados. "Isso acontece devido à atrofia das papilas gustativas que são responsáveis pelo paladar", diz o geriatra Roberto Dischinger, responsável pelo residencial para a terceira idade Lar Sant'ana. Outro fator que também pode alterar o paladar é o uso de certos medicamentos. O especialista afirma que é esse é o motivo porque os idosos tendem a acrescentar mais sal ou açúcar aos alimentos. "Uma alternativa é acrescentar temperos naturais aos pratos, tais como alho, cebola, cheiro verde, orégano e manjericão, que realçam o sabor dos alimentos e eliminam essa dificuldade", afirma a nutricionista Flavia Medeiros Leite, coordenadora do Programa Crescer e parte da equipe multidisciplinar do Lar Sant'ana. "É importante também que o momento da refeição seja atrativo, com pratos variados e balanceados, pois com a diminuição do paladar o idoso tende a diminuir a ingestão de alimentos, podendo ficar com um quadro de desnutrição." 
idoso cuidando do jardim - Foto Getty Images

Alterações no olfato

Considerando que no processo de envelhecimento existem diversas alterações sensoriais, o olfato também pode ser afetado. Alterações como o aumento de tecidos moles e atrofia das glândulas mucosas - muitas vezes ocasionando o ressecamento do muco nasal e consequentemente a obstrução nasal - podem explicar as dificuldades de identificar odores. "Isso também pode ocorrer principalmente após os 80 anos, quando as dificuldades para identificação de odores ocorrem devido à degeneração das células do sistema nervoso central", explica o geriatra Roberto. "Esse pode ser considerado um sintoma inicial de doenças como Parkinson e Alzheimer, levando em conta que a percepção que o idoso tem sobre seu olfato depende também dos sistemas nervoso central e periférico, que são os maiores afetados por essas doenças".

Um dos sinais que indicam a perda olfativa é a diminuição do peso em consequência da perda de apetite. O tratamento depende da causa, mas é recomendado que o acompanhamento seja feito por uma equipe multidisciplinar. "Para facilitar a ingestão dos alimentos, pode-se melhorar a apresentação dos pratos e a forma de preparo dos alimentos", ressalta a nutricionista Flavia. 
idosa e mulher assistindo tv - Foto Getty Images

Dificuldades em fazer várias tarefas ao mesmo tempo

Existe uma área do cérebro responsável pelo que os especialistas chamam de atenção dividida - que é ativada quando precisamos prestar atenção em duas ou mais tarefas ao mesmo tempo. "A partir da meia-idade ou após os 70 anos, ocorre um declínio normal das funções cognitivas, podendo repercutir na memória e nesse tipo de atenção", explica a psicóloga especialista em terceira idade Roberta Seriacopi, de São Paulo. De acordo com a especialista, durante o processo de envelhecimento, é comum as pessoas apresentarem falhas no controle do excesso de informações e na manutenção de informações irrelevantes durante execução de uma tarefa. Isso torna mais lenta a nossa capacidade de alternar de uma tarefa para outra, prejudicando o desempenho. Outro sinal comum de que a atenção dividida do idoso está comprometida é o fato de ele não conseguir se lembrar de assuntos que foram comentados durante uma refeição ou enquanto ele estava assistindo televisão, por exemplo. "Isso acontece porque ele estava concentrado em apenas uma das tarefas, e seu cérebro não conseguiu captar e processar a nova informação que você estava fornecendo", explica Roberta. Uma forma de lidar com isso é a estimulação cognitiva por meio de atividades que envolvam duas ou mais tarefas simultâneas.  
idosa olhando a pele no espelho - Foto Getty Images

Pele ressecada

A pele é o órgão que mais evidentemente demonstra os sinais de envelhecimento. "Muitas alterações decorrentes da idade, como perda de tecido de sustentação de gordura subcutânea, diminuição dos pelos, alteração na distribuição de pigmentação de pele e pelos e diminuição de glândulas sudoríparas e sebáceas, ocasionam uma pele mais ressecada, frágil e sem a preservação de elasticidade", afirma o geriatra Roberto. O especialista diz que pele dos idosos também tende a ficar mais ressecada devido à redução da quantidade de água corporal nessa fase da vida. "Todos esses fatores tornam a pele do idoso mais propensa a machucados e infecções." Entre os cuidados para esse problema estão a ingestão de água, banhos com sabonete neutro e água morna e aplicação de um hidratante corporal após.  
idoso lendo jornal usando óculos - Foto Getty Images

Distúrbios da visão

Problemas relacionados à visão podem impedir ou dificultar a independência dos idosos na realização das atividades diárias. Com o envelhecimento, ocorre uma redução na acuidade visual e na acomodação à luminosidade, bem como na clareza da visão noturna e do campo de visão periférico. "Consequentemente, ler, assistir TV e realizar atividades manuais podem ser mais cansativo e dificultoso", ressalta o geriatra Roberto. "Para evitar pequenos desconfortos, o ideal é manter a iluminação permanente, uma vez que a adaptação dos idosos a mudanças de luz torna-se mais lenta." Entre as alterações visuais mais frequentes, os especialistas citam presbiopia, catarata,glaucoma, degeneração macular e retinopatia diabética. É importante a prevenção por meio da investigação e acompanhamento médico precoce dessas alterações, uma vez que elas são comuns na faixa etária. 
idosa pensando - Foto Getty Images

Qual era a palavra mesmo?

 Sentir dificuldade para encontrar o termo certo durante uma conversa é muito comum em idosos. "Isso acontece porque a capacidade de processar as informações fica mais lenta e a atenção também pode estar alterada, prejudicando assim a memória de trabalho (quando ele precisa memorizar algo para usar em seguida, como quando decoramos um número de telefone na agenda para digitá-lo logo após) e memória episódica (memória de histórias e eventos do próprio passado)", diz a psicóloga Roberta. Quando há falta da atenção, a manutenção de informações pela memória fica prejudicada, dificultando a lembrança de palavras durante uma conversa. De acordo com a psicóloga o melhor a fazer nesses casos não é completar as palavras pelo idoso ou então repreendê-lo. Tente dar pistas que possam ajudá-lo a lembrar da palavra por si, de forma que ele exercite sua memória. "Devemos ressaltar que nem toda a falta de atenção ou perda de memória é sinal de doenças, mas que qualquer problema que gere dificuldades em suas atividades diárias deve ser comunicado ao médico." 
idosa descendo escadas com ajuda de uma bengala - Foto Getty Images

Manter o equilíbrio

Com o passa da idade, o corpo sofre alterações no controle da postura e do andar, que desempenham um papel importante no equilíbrio dos idosos. "Eles apresentam dificuldades na regulação das respostas relacionadas a velocidade e precisão dos movimentos, causando assim um desequilíbrio", explica o geriatra Roberto. Outro fator que pode gerar desequilíbrio nos idosos são alterações no sistema vestibular, como a labirintite. De acordo com o geriatra, a atividade física contribui para ganho de força muscular, amplitude de movimento, percepção corporal e melhora os reflexos, podendo auxiliar na prevenção de quedas e alterações do equilíbrio.  
idosa estressada - Foto Getty Images

Reflexos e raciocínio rápido

As funções cognitivas como memória, raciocínio, velocidade de processamento e reflexos tendem a diminuir conforme os neurônios vão envelhecendo. "Por isso o ideal é sempre estimular o cérebro, para que esse prejuízo seja o mínimo possível", afirma a psicóloga Roberta Seriacopi. A melhor maneira de prevenir essa degeneração é adotando hábitos saudáveis, como dieta balanceada, prática de exercícios e controle de estresse e doenças, assim como consultas médicas periódicas. "Mais uma vez, é importante ressaltar que simples alterações no raciocínio e reflexos nem sempre indicam doenças graves, entretanto, qualquer mudança deve ser investigada através de avaliações e exames." 
idosa levantando halteres - Foto Getty Images

Músculos e ossos mais fracos

Para entender porque os músculos e ossos ficam mais fracos com o passar da idade, é importante saber que nossos ossos crescem somente até os 20 anos e sua densidade aumenta até os 35 anos, começando a perder-se progressivamente a partir disso. O mesmo acontece com os músculos: a partir dos 65 anos de idade, nossa massa muscular vai sendo perdida, cerca de 1% a cada ano. Pessoas que praticaram exercícios durante a juventude e mantiveram hábitos que contribuíram para o fortalecimento desses órgãos possuem um "pico" de massa óssea e muscular maior do que as pessoas que não mantiveram bons hábitos, e por isso demoram mais a apresentar problemas nesses sistemas. "No entanto, pessoas que não possuíam altos picos de massa muscular e óssea tendem a sofrer de problemas como osteoporose e sarcopenia mais rapidamente", explica Roberto Dischinger. O especialista afirma que praticar exercícios já na idade avançada ajuda a impedir a perda, prevenindo essas doenças, mas a pessoa não conquistará mais massa óssea ou muscular do que já tem.  
Fonte: MSN