sábado, 22 de junho de 2013

Embalagens preservam os nutrientes, mas pedem cuidados na hora da compra

Nas prateleiras do mercado, o que não falta são embalagens. De plástico fosco ou transparente, vidro, alumínio, aço, papelão ou feita com outros materiais, é difícil saber qual conserva melhor cada tipo de alimento. Algumas têm como pilar a praticidade, como os biscoitos em embalagens individuais, enquanto outras prezam mais pela apresentação, como por exemplo, o azeite envasado na embalagem de vidro que fica na mesa durante as refeições. Em comum, todos os tipos precisam garantir que o alimento ali conservado será consumido em perfeitas condições.

"A embalagem é pensada para manter a integridade total do alimento desde a sua distribuição até o final do prazo de validade", explica a diretora executiva da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE), Luciana Pellegrino. Segundo ela, a embalagem está atrelada diretamente a questão de saúde pública, sendo responsável por preservar a qualidade nutricional dos alimentos e o seu frescor.

O problema é que as embalagens também escondem seus mistérios. Como saber, por exemplo, que tipo de embalagem é melhor para conservar carnes? Ou então, o que aponta que uma embalagem pode trazer perigos à saúde do nosso organismo? Isso mesmo, de protetoras de alimentos, elas podem agir como verdadeiras guardiãs de fungos e bactérias, causando prejuízos enormes ao organismo. A primeira dica a gente entrega já: nunca compre alimentos que estejam em uma embalagem rompida! "No momento em que a embalagem foi aberta, o produto lá dentro já está em processo de degradação", alerta Luciana Pellegrino. Hoje em dia, o lacre está cada vez mais visível para que o consumidor repare se ele está rompido. Além disso, verifique sempre a data de validade dos produtos.

Logo abaixo confira saiba quais tipos de embalagens são os mais adequados conforme o tipo de alimento e os cuidados na hora de comprá-las:

Vidros

Os vidros são excelentes para preservação do alimento e embalam bem conservas que necessitam de tratamento térmico para melhor preservação, como palmitos, azeitonas e picles, além de molhos, água mineral, sucos concentrados e bebidas alcoólicas. "A embalagem de vidro é excelente barreira contra formação de gases e odores, qualidade alcançada quando a tampa oferece boa vedação", expõe o professor Carlos Alberto Rodrigues Anjos, especialista na área de embalagens da Faculdade de Engenharia de Alimentos, Unicamp.

Embalagem de aço ou vidro?

E no caso de alimentos que são envasados em diferentes tipos de embalagens, como o azeite? Como saber qual é a melhor opção? No caso do azeite de oliva extra-virgem, o alimento é preservado tanto na embalagem de aço quanto no vidro, mas cada uma tem uma diferença apresentação. "A lata de azeite é mais usada na cozinha para preparo de alimentos e o vidro de azeite mais utilizado na mesa para tempero", ressalta a diretora executiva da ABRE, Luciana Pellegrino.

Já a coloração da embalagem de vidro pode fazer diferença no que diz respeito à qualidade nutricional do azeite. O alimento é encontrado em embalagens de vidro transparente ou vidro escuro, em geral esverdeado. De acordo com a engenheira de alimentos da Associação Brasileira das Embalagens de Aço (ABEAÇO), Thais Fagury, a cor escura funciona como barreira total à entrada da luz. Essa medida é importante porque preserva melhor os compostos antioxidantes encontrados no azeite, substâncias que trazem benefícios à saúde do organismo.

Já no caso de conservas, como o palmito, as duas embalagens são eficientes e fornecem a proteção necessária para a conservação. "O fato de o vidro ser transparente deixa o consumidor mais tranquilo na hora da decisão de compra, pois está visualizando o produto", expõe o engenheiro de alimentos Carlos Aberto Rodrigues Anjos.

Cuidados na hora da compra

Lembre-se sempre de verificar se o lacre e a tampa estão firmes e sem evidências de violação, se os frascos estão com vazamentos e trincados ou com indícios de ferrugens nas tampas metálicas, alerta o professor Carlos Alberto dos Anjos.

E para guardar? "Como os vidros são transparentes, a luz pode afetar muitos dos alimentos, fazendo-os perder a cor e, consequentemente, o aroma e sabor", alerta o engenheiro de alimentos Carlos Alberto Rodrigues Anjos. Conserve sempre ao abrigo da luz e em ambientes frescos e ventilados. No entanto, naquelas regiões do país de clima quente, o melhor seria guardar na geladeira, mesmo que ainda fechados, originalmente. 
plástico - foto Getty Images

Plástico

Essa embalagem é ideal para conservar produtos comercializados em temperaturas baixas e que não necessitam de tratamento térmico para sua conservação. "Em alguns casos especiais, sucos de frutas são acondicionados em temperaturas mais elevadas em embalagens plásticas apropriadas para isso. Os mais comuns são: leite, iogurtes, achocolatados, sucos concentrados, refrigerantes, águas minerais, óleos comestíveis, molhos, café solúvel, maionese, dentre outros", explica Carlos Alberto dos Anjos. Segundo o professor da Unicamp, o plástico tem substituído outros materiais de embalagens mais tradicionais em alguns produtos, por ser mais prático, leve, reciclável, seguro e ter menor custo em comparação às embalagens mais tradicionais.

"Mas, certamente, os derivados de tomate, como o ketchup, barbecue, e outros molhos em embalagens de vidro oferecem maior prazo de validade, quando comparados com às embalagens de plásticos", afirma o professor. Por isso, atente-se à validade nos rótulos!

Cuidados na hora da compra


Observe muito bem a integridade da embalagem, o lacre, veja se não há vazamentos, trincas ou rachaduras e possíveis abaulamento da embalagem. "Todos esses aspectos aceleram a degradação do alimento", afirma o engenheiro de alimentos Carlos.  
alumínio - foto Getty Images

Alumínio

Atualmente, o maior uso desse material é para embalar bebidas a gás, refrigerantes e cervejas, patês e algumas conservas de pescados, expõe o especialista Carlos Alberto dos Anjos.

Sabe aquela preferência nacional pelo refrigerante da garrafinha de vidro em vez de ser na latinha de alumínio? Tem a ver com o fato de o vidro ser impermeável e demorar anos para interagir de forma química com o conteúdo da embalagem. Sem falar que por apresentar menor porosidade quando comparado ao alumínio, ele deixa escapar menos gás carbônico, quando aberta. Por outro lado, as latinhas de alumínio gelam mais facilmente, só que quando entram em contato com temperaturas elevadas, as partículas voláteis presentes ali se agitam e fazem o gás carbônico sair de forma mais rápida, alterando o sabor.

Cuidados na hora da compra


Verifique, principalmente, vazamentos, a integridade do lacre danos, como amassamentos na região da tampa.
sachês - foto Getty Images

Sachês

Praticidade é a palavra-chave para as embalagens do tipo sachê. Alimentos como sal, açúcar, cremes, geleias, doces, molhos, temperos, derivados de leite, queijos fundidos estão disponíveis nessa embalagem. "São produtos que vem em porções ou doses unitárias que apareceram para facilitar a vida moderna. São feitos de materiais laminados transparentes ou opacos que fazem barreira para os gases, vapores e luz, garantindo a boa conservação dos produtos. Em geral, devem ser fáceis de abrir, usar e descartar", diz o professor da Unicamp Carlos Alberto dos Anjos.

Uma vantagem dos sachês é que como trata-se de uma embalagem individual, você não tem que guardar o alimento e preocupar-se com a preservação do que "sobrar". Você abre, consome e descarta a embalagem, guardando os outros sachês na caixa em que vieram. Itens de geladeira como queijos e molhos, devem ser preservados em temperaturas baixas, enquanto não são consumidos. Já opções não perecíveis, como açúcar ou cappuccino em pó em sachês, podem ser conservados em temperatura ambiente. As condições de ambiente em casa significam em locais frescos, ao abrigo da luz e ventilado, preferencialmente.

Cuidados na hora da compra

A embalagem deve ser fácil de abrir através de um picote próprio. Fique atento. Há risco de degradação do alimento se houver vazamentos, sujeira ou enrugamentos na embalagem. 
aço - foto Getty Images

Aço

As embalagens de aço são ótimas para conservar alimentos como pescados, milho-verde e ervilha, além de leite em pó, café solúvel, sucos concentrados, dentre outros. "As embalagens que melhor preservam os alimentos são aquelas que funcionam como barreira total a entrada da luz, oxigênio e ações do meio externo. Tudo o que está dentro não sai e tudo o que está fora não entra. Esta é uma característica única das embalagens metálicas, latas de aço ou alumínio", ensina a engenheira de alimentos Thais Fagury.

A embalagem de aço é uma das melhores opções para envasar alimentos. A lata de aço, assim como outras embalagens metálicas, preserva 100% as propriedades nutricionais e o sabor dos alimentos. Outra que preserva bastante é o vidro escuro. Não existe a necessidade de conservantes ou aditivos químicos. Já existem no mercado produtos cozidos no vapor e embalado com aço em que o sódio não é adicionado. "O sal, que é um conservante natural, muitas vezes é acrescentado por causa do paladar brasileiro e não por necessidade de conservação do produto", explica a engenheira de alimentos da ABEAÇO.

Segundo Thais, o prazo de validade pode chegar a até cinco anos e a maioria dos enlatados é cozida dentro da própria lata de aço. "O processo de fabricação destrói os micro-organismos e elimina em 99% os resíduos de pesticidas. A lata de aço possui, hoje, uma película interna flexível, que evita o contato do produto com o metal até mesmo em caso de amassamento, não havendo qualquer alteração no conteúdo no caso de lata amassada. A embalagem de aço é 100% reciclável e retorna infinitas vezes para o processo de fabricação de novo aço", conclui a especialista.

Cuidados na hora da compra


Nas latas de aço, o consumidor deve verificar se as embalagens não estão violadas e se as embalagens não estão estufadas, isso significa mau processamento do alimento, alerta Thais Fagury.

Além disso, alguns estufamentos podem ser devido à entrada de ar na embalagem, consequentemente, com contaminação e aparecimento de bolores e leveduras. "Caso a embalagem esteja estufada no momento da compra, é mais conveniente não adquirir e, numa atitude de segurança, informar ao estabelecimento comercial", alerta o professor da Unicamp Carlos Alberto Rodrigues Anjos.
Tetra Pak - foto Getty Images

Tetra Pak

A embalagem preserva bem alimentos líquidos sem gás, pastosos e até doces, que incluem: sucos, leites, creme de leite, extrato de tomate, molhos em geral, leite condensado, goiabada, achocolatados, dentre outros. "A Tetra Pak proporciona boa conservação de alimentos, principalmente de líquidos", diz o engenheiro de alimentos Carlos Alberto dos Anjos. São embalagens mais leves e facilmente descartadas através da reciclagem. As versões mais modernas proporcionam uso de tampas e desenhos mais apropriados para escoamento quase que total do seu conteúdo.

Cuidados na hora da compra


Nessas embalagens, amassamentos podem danificar as áreas de fechamento e provocar vazamentos. As tampas devem estar em bom estado e sem violação, estufamento, rasgamento e evidências de violação. A embalagem que apresentar sujeira aparente também deve ser evitada. 
A vácuo - foto Getty Images

A vácuo

A aplicação de vácuo elimina o oxigênio do interior das embalagens protegendo melhor os produtos, principalmente aqueles que apresentam níveis de gordura elevados e que podem sofrer alterações por crescimento de fungos e bolores. De acordo com o especialista em embalagens, Carlos Alberto dos Anjos, trata-se de um sistema de embalagem de custo mais elevado, porém de melhor proteção em relação aos mesmos produtos acondicionados sem vácuo.

"Peças de carnes bovina, suína e outras, mais nobres são oferecidas no mercado em embalagens a vácuo que, além de melhorar a qualidade por proporcionar certa maturação, mantém o sabor e aroma bem próximos do natural. Outros produtos congelados também podem utilizar embalagens a vácuo, como massas prontas e alguns vegetais minimamente processados", enumera o engenheiro de alimentos.

Cuidados na hora da compra

Verifique se a embalagem mostra ausência completa de ar em seu interior, caso contrário, não adquirir! A presença de vazamentos e rasgamentos podem ser indícios de problemas no manuseio e comprometem a integridade do alimento. E na hora de guardar? Os legumes a vácuo, por exemplo, principalmente aqueles minimamente processados, devem estar sempre na geladeira, em embalagens que protejam da perda de umidade e devidamente fechados. 

papelão - foto Getty Images

Papelão

É uma embalagem das mais antigas, podendo ser utilizada para diversas aplicações e não entra em contato direto com os alimentos. É ideal para conservar alimentos secos. Muitos tipos de massa não cozidas vem nesse tipo de embalagem, assim como biscoitos.

Cuidados na hora da compra

Caixas de papelão não devem estar úmidas, rasgadas, e ou ser utilizadas indevidamente para produtos para os quais não foi concebida, por exemplo - caixas de papelão para produtos de limpeza ou higiene serem utilizadas para guardar alimentos em geral. O excesso de umidade em papelão pode desenvolver muitos tipos de fungos e mofos nocivos à saúde, se for utilizado indevidamente.

Depois da compra, certifique-se de guardar os produtos em embalagens de papelão, como o macarrão no armário! Depois de abrir a embalagem, o mais indicado é colocar a quantidade que sobrou em um pote de vidro para proteger melhor o alimento da umidade.

Fonte: MSN

Nenhum comentário:

Postar um comentário